Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home   Voltar

Cifose

 

 

A cifose é uma curvatura fisiológica da coluna vertebral. Considera-se patológica quando essa curvatura está mais acentuada. É a chamada corcunda.

Causas, incidência e fatores de risco

Pode ser resultado de uma doença ou de um problema congénito. Pode ocorrer em crianças, adolescentes ou adultos. É rara a ocorrência em recém-nascidos.

Nos adolescentes a cifose pode ocorrer em virtude do crescimento retardado ou de um distúrbio vertebral durante os períodos de crescimento rápido, é a chamada doença de Scheuermann ou cifose idiopática.

Outras causas, e consequentes fatores de risco, que podem originar a cifose são:

Infecção

Inflamação ou degerescência do disco intervertebral

Alterações musculares

Osteoporose das vértebras (mais frequente no idoso)

Doenças endócrinas

Artrite

Poliomielite

Fraturas por compressão das vértebras

Cancro

Ttuberculose ou postura incorreta. s

É mais frequente no sexo feminino, na proporção de dois para um, e é de difícil diagnóstico antes dos onze anos.

Cifose

Sintomas

A instalação da deformação (costas arqueadas) faz-se, habitualmente, de forma lenta, com dor ligeira nas costas, fadiga, sensibilidade e rigidez da coluna vertebral.

Diagnóstico

A observação do doente evidencia a curvatura da coluna (corcunda) que nem sempre é reconhecida pelo próprio, mas pelos familiares e amigos. A radiografia da coluna confirma o diagnóstico.

Tratamento

Depende da causa que origina a deformação: se é consequência de uma postura incorreta, o tratamento é feito por meio de exercícios de fisioterapia, pelo uso de colchões mais firmes e, se necessário, o uso de coletes ortopédicos até se completar o crescimento; o tratamento dos outros tipos de cifose inclui a identificação e tratamento da causa.

Expectativas (prognóstico)

É sempre melhor nas pessoas mais jovens. Se é consequência de uma doença degenerativa, a probabilidade de correcção é diminuta.

Complicações

Dores nas costas, sintomatologia neurológica e redução da capacidade pulmonar, são as complicações mais frequentes.

Prevenção

A postura correta previne a cifose provocada por posições inadequadas. Exames físicos durante a infância, principalmente durante a fase de crescimento, auxiliam no diagnóstico precoce, no tratamento e na prevenção da progressão da doença e de complicações.

Fonte: www.agencia.ecclesia.pt

Cifose

É o aumento anormal da curva lombar levando a uma acentuação da lordose lombar normal (hiperlordose).

Os músculos abdominais fracos e um abdome protuberante são fatores de risco.

Caracteristicamente, a dor nas costas em pessoas com aumento da lordose lombar ocorre durante as atividades que envolvem a extensão da coluna lombar, tal como o ficar em pé por muito tempo (que tende a acentuar a lordose).

A flexão do tronco usualmente alivia a dor, de modo que a pessoa frequentemente prefere sentar ou deitar.

Cifose
É definida como um aumento anormal da concavidade posterior da coluna vertebral, sendo as causas mais importantes dessa deformidade, a má postura e o condicionamento físico insuficiente.

Doenças como espondilite anquilosante e a osteoporose senil também ocasionam esse tipo de deformidade.

Cifose

Fonte: www.coluna.com

Cifose

DORSO CURVO OU CIFOSE

Cifose

Uma coluna vertebral normal observada por detrás lado direito.

No entanto, uma coluna vertebral afetada por cifose apresenta certa curvatura para adiante nas vértebras da parte superior das costas, semelhante a uma "corcunda”.

Cifose

Define-se cifose como uma curvatura da coluna de 45 graus ou maior que se pode apreciar numa placa de raios X.
A coluna vertebral normal apresenta uma curvatura de 20 a 45 graus na parte superior das costas.
A cifose é uma deformação da coluna vertebral e não deve confundir-se com uma má postura.
A cifose postural é a mais freqüente.

Com freqüência são meninos altos para sua idade e dá a impressão que realizam esforços para diminuir sua altura. Nas mulheres se agrega o crescimento mamário.

Usualmente não se acompanha de dor. Corrige-se completamente ao examiná-lo acostado ou em decúbito por serem flexíveis não rígidos.

Melhora com os exercícios, natação ou ensinar a parar ao adolescente. É finalmente o desenvolvimento hormonal que permite o desenvolvimento da musculatura o que lhes permite mudar a postura.

O que causa a cifose?

A cifose pode ser congênita (presente ao nascer) ou se pode dever a condições adquiridas, entre elas, as seguintes:

Problemas do metabolismo.
Condições neuromusculares.

Doença de Scheuermann

É uma condição que provoca a curvatura para adiante das vértebras da parte superior das costas. Não se conhece a causa desta doença e se observa com maior freqüência nos homens. Apresenta-se na segunda década da vida, mayormente em varões. Produz dor e não se corrige em decúbito prono ou acostado de bruços. Há limitação à flexão da coluna.
A cifose afeta mais às mulheres que aos homens.

É de causa desconhecida
De igual freqüência em ambos sexos
Produz-se na adolescência
É hereditária
É uma cifose rígida
Produz dor

O raio-x ajuda através da visualização de um acuñamiento e a presença dos nódulos de Schmorl

Quais são os sintomas da cifose?

A seguir, enumeram-se os sintomas mais freqüentes da cifose. No entanto, cada pessoa pode experimentar os sintomas de uma forma diferente.

Os sintomas podem incluir:

Diferença na altura dos ombros.
A cabeça está inclinada para diante em relação com o resto do corpo.
Diferença na altura ou a posição da escápula (omóplato).
Quando se inclina para diante, a altura da parte superior das costas é mais altas do normal.

Os sintomas da cifosis podem parecer-se aos de outras condições ou deformidades da coluna, ou podem ser o resultado de uma lesão ou infecção. Sempre confira a seu médico para o diagnóstico.

Como se diagnostica a cifosis?

O médico se baseia numa história médica, um exame físico e provas de diagnóstico completos para diagnosticar a cifosis. Se o paciente é um menino, o médico obterá uma história clínica completa da gravidez e parto de seu filho e lhe perguntará se algum outro membro da família tem cifosis. Também perguntará sobre certos acontecimentos importantes do desenvolvimento, dado que alguns tipos de cifosis estão relacionados com outros transtornos neuromusculares. Os atrasos do desenvolvimento podem exigir uma avaliação médica mais exaustiva.

Os procedimentos de diagnóstico podem incluir os seguintes:

Raios X - exame de diagnóstico que utiliza raios invisíveis de energia eletromagnética para produzir imagens dos tecidos internos, os ossos e os órgãos numa placa. Este exame serve para medir e avaliar a curvatura. Mediante o uso de uma placa de raios X da coluna vertebral completa, o médico ou o radiólogo pode medir o ângulo da curvatura da coluna. Com freqüência, a decisão sobre o tratamento se baseia nesta medição.

Escaner com radioisótopos dos ossos - método nuclear de criação de imagens que utiliza uma quantidade mínima de material radioativo que se injeta na corrente sanguínea do paciente para que seja detectado por um escaner. Este exame mostra o fluxo sanguíneo para o osso e a atividade celular dentro dele.

Imagens por ressonância magnética - Este exame serve para descartar qualquer anomalia relacionada com a medula espinhal e os nervos.

Tomografia computadorizada - procedimento de diagnóstico por imagem que utiliza uma combinação de raios X e tecnologia computadorizada para obter imagens de cortes transversais (com freqüência chamadas "rabanadas") do corpo, tanto horizontais como verticais. Uma tomografia computadorizada mostra imagens detalhadas de qualquer parte do corpo, incluindo os ossos, os músculos, a gordura e os órgãos. A tomografia computadorizada mostra mais detalhes do que os raios X regulares.

Exames de sangue
A detecção temporã da cifosis é fundamental para um tratamento exitoso. Os exames de rotina de pediatras ou médicos de família, e inclusive os de alguns programas escolares, incluem a detecção de sinais indicadores de cifosis

Tratamento da cifosis

O tratamento específico da cifosis será determinado por seu médico baseando-se no seguinte:

Sua idade, seu estado geral de saúde e sua história médica.
Que tão avançada está a condição.
Sua tolerância a determinados medicamentos, procedimentos ou terapias.
Suas expectativas para a trajetória da doença.
Sua opinião ou preferência.

O objetivo do tratamento é deter a evolução da curva e prevenir deformidades.
Observação e exames repetidos
A observação e os exames repetidos das curvas que medem menos de 40 graus numa placa de raios X. A progressão da curva depende do crescimento esquelético, ou maturidade atingida pelo esqueleto do menino. A progressão da curva se demora ou se detém depois de que o menino chega à puberdade.
Aparelhos ortopédicos
Os aparelhos ortopédicos se usam quando a curva mede entre 40 e 60 graus na placa de raios X e o crescimento esquelético continua. O médico decide o tipo de aparelho ortopédico e o tempo que se deve utilizar.

Cirurgia

Quiçá se deva recorrer à cirurgia quando a curva mede 60 graus ou mais na placa de raios X e o aparelho ortopédico não consegue atrasar a progressão da curva.
A importância de um bom ortopedista infantil
Menos de 40 graus flexível só exercícios
Maior de 40 graus corpete Milwaukee
Maior de 60 graus cirurgia

Leonardo Delgado

Fonte: www.br.geocities.com

Cifose

Numa pessoa adulta normal a coluna vertebral deve ter basicamente quatro curvaturas, sendo duas primárias e duas secundárias.

As curvaturas primárias, chamadas assim por formarem-se primeiro, são as cifoses.

As secundárias, que são quebras angulares das primárias, são as lordoses que aparecem mediante as forças impostas sobre a coluna durante a infância.

Para ficar mais claro, quando nascemos, nossa coluna vertebral tem a forma de um “c”. A partir do momento que, quando bebê, começamos a levantar a cabeça ocorre uma quebra na curvatura em “c”, esta nova formação angular é a lordose cervical.

Desta forma teremos uma lordose cervical de concavidade posterior e uma cifose “tóraco / lombo / sacra” de concavidade anterior.  

A partir deste momento a última curvatura a se formar será a lordose lombar, justamente após o bebê começar a ficar em pé. As curvaturas vão evoluindo até puberdade.

O corpo cria as curvaturas para se equilibrar nas novas posições do corpo no espaço, mediante, é claro, a força da gravidade.

As quatro curvaturas fisiológicas da coluna são:

Cifose torácica e sacral

Lordose cervical e lombar.

Cifose

As formas das curvaturas são, na verdade, adaptações do nosso corpo as posturas adotadas pelo corpo humano durante a vida. Estas adaptações alem de ajudarem no equilíbrio do corpo, auxiliam a diminuir as cargas sobre a coluna vertebral.

Alteração postural que leve a um aumento ou diminuição de alguma curvatura ou várias é patológico. Aí estão as chamadas hiperlordoses e hipercifoses, e as hipolordoses e hipocifoses.

Estas curvaturas patológicas causam sobrecarga sobre os discos intervertebrais que tendem a se herniar, é assim que normalmente começam os sintomas.

Outra curvatura patológica é a escoliose. Esta, mais grave, pode estar associada a fatores genéticos e se caracteriza por desvios laterais da coluna vertebral.

A escoliose pode ser adquirida, congênita ou idiopática (sem causa aparente).

Quando é muito visível, a cintura pélvica e os ombros normalmente estão desalinhados.

A escoliose estrutural é aquela em que a formação óssea e de outros tecidos estão comprometidos, e neste caso a estabilização é o única solução, visto que a formação corporal já está constituída. Em muitos casos a cirurgia é indicada para conter uma provável evolução da patologia, que pode em determinados casos, chegar ao óbito se não contida.

Quando a escoliose é funcional existe sim a possibilidade de melhora, pois somente a função está danificada e a estrutura está intacta. Neste caso o tratamento fisioterápico especializado ajuda bastante o paciente.

Cifose

Podemos entender que qualquer alteração, principalmente na infância, pode levar a modificações posturais leves, moderadas e até graves que repercutem na saúde do indivíduo. Uma intervenção precoce nestes casos se faz necessário em virtude do crescimento corporal. O quanto antes o diagnóstico postural for realizado, maior as chances de estabilização e até melhora na harmonia da coluna. Os pais devem estar atentos na postura dos filhos. Se notarem que o equilíbrio da coluna da criança está anormal, devem procurar auxílio médico e depois tratamento fisioterapêutico especializado.

O tratamento deve ser realizado quando qualquer curvatura patológica estiver presente.

Tratamento Médico

Sintomático – Com remédios analgésicos, antiinflamatórios, relaxantes musculares e etc.

Cirúrgico

Coletes - Milwalkee, Boston, etc.

Tratamento Fisioterapêutico

Sintomático – Eletroterapia, Termoterapia, Fototerapia, Massoterapia, Hidroterapia, acupuntura, etc.

Funcional:

Osteopatia

Quiropraxia

RPG

Estabilização segmentar

GDS

Pilates.

A integração entre Fisioterapeutas, Médicos e demais profissionais envolvidos deve ser a melhor possível para a busca do melhor para o paciente.

Frederico Meirelles

Fonte: fredericomeirelles.com

Cifose

O que é Cifose?

A cifose é uma curvatura normal da coluna, localizada na parte torácica da coluna vertebral.

A cifose está presente em todas as pessoas normais.

Uma alteração possível nesta parte da coluna é a hipercifose, que é um aumento no grau da cifose torácica. Nesses casos, o que pode-se notar é a queda dos ombros para frente e uma posição chamada de "corcunda".
Há diversas causas de hipocifose, como algumas do idoso, como as fraturas múltiplas de vértebras torácicas, provocadas pela osteoporose.

Com essas fraturas, a pessoa fica com uma aumento da cifose e com uma aparência de que está "incinada para frente".

Algumas doenças da infância e adolescência também poder gerar a hipercifose

Cifose

Fonte: www.tratamentodecoluna.com.br

Cifose

A cifose, também chamada de corcundez é caracterizada por um aumento acentuado da curvatura da coluna vertebral.

Costuma acontecer devido a má postura e condicionamento físico insuficiente e afeta principalmente idosos e adolescentes.

Sintomas

Curvatura excessiva da coluna, mais frequentemente na parte superior do dorso, dando-lhe o aspecto de uma corcunda, ou bossa.

Pessoas mais em risco

Pessoas com mais de 60 anos.
Adolescentes: tipo particular de cifose, chamada doença de Scheuermann, uma distrofia vertebral do crescimento.

Porque dói?

Pessoas de idade: e causada pelo envelhecimento de todos os discos intervertebrais, que se tornam mais delgados na zona anterior, e pelo enfraquecimento das vertebras provocado pela osteoporose.

Pouco dolorosa durante muito tempo, a cifose é incomoda, uma vez que provoca uma postura deficiente, em que a pessoa fica inclinada para a frente.

Adolescentes: este tipo de cifose, muito dolorosa no momento em que aparece, e provocada por uma perturbação do crescimento das vértebras. Os corpos vertebrais são penetrados por fragmentos de disco (hérnias intra-esponjosas).

Pode desencadear sequelas: dores no meio das costas (dorsalgias) ou mais em baixo, ao nível dos rins (lombalgias).

Por vezes, a cifose aparece após a fratura de uma vértebra, uma infecção ou um tumor.

O que pode fazer?

Descanse durante os períodos dolorosos.
Corrija a posição das suas costas.
Em caso de cifose muito avançada, deverá andar com o auxílio de uma bengala.

Que tratamentos?

Cinesiterapia
O tratamento passa pela reeducação postural, dormir num colchão firme e sem almofada.

Ortopedia
Em alguns casos, é necessário o uso de um colete durante vários meses.

As outras medicinas

Fitoterapia
Para limitar as contraturas, as massagens feitas por um fisioterapeuta serão mais benéficas utilizando a seguinte mistura, preparada por receita: bálsamo relaxante (5 g), láudano (5 g), óleos essenciais de alecrim (2 g) e de gualtéria ou vidoeiro (2 g), clorofórmio (5 g), óleo canforado (150 cc).

O doente e o médico

A reeducação postural
A reeducação postural tem como objetivo reaprender o usa correto da coluna vertebral no dia-a-dia, em casa e no trabalho.

Aprende-se ou reaprende-se com médicos especialistas (reumatologistas, fisiatras), fisioterapeutas e ergoterapeutas a ter uma boa postura em todas as situações mais ou menos difíceis para a coluna, por exemplo: lavar a louça. aspirar, transportar uma mala, abrir a mala do carro, subir ou descer de um carro ou da cama.

A reeducação postural faz parte integrante de algumas terapias de reabilitação.

Fonte: www.seleccoes.pt

Cifose

Cifose é um aumento na curvatura da coluna torácica, fazendo com que o tronco fique curvado para frente e que apareça uma corcunda nas costas do paciente.

A cifose pode ser devida a problemas de postura, mas também pode ser uma deformidade primária da coluna.

A causa mais comum da cifose grave é a Doença de Scheuermann, uma enfermidade onde os discos e as vértebras perdem altura. Geralmente estas deformidades manifestam-se ainda na puberdade.

Cifose

O tratamento depende de cada caso: quando a curvatura é pequena e não progressiva costuma-se indicar exercícios posturais, nos graus maiores pode ser necessário o uso de coletes, ou mesmo cirurgia corretiva.

A cifose grave é uma deformidade anatômica, que só pode ser corrigida por cirurgia. Os exercícios visam o controle da dor e a manutenção do quadro nos casos em que a deformidade é pequena ou moderada.

O tratamento cirúrgico da cifose pode ser feito por vários tipos de abordagens diferentes, mas, basicamente, a cirurgia consiste em colocar hastes metálicas que restituem o alinhamento e fixam a coluna, reduzindo a deformidade. Como em todas as cirurgias, o resultado varia a cada caso, e quanto mais grave o caso mais difícil o resultado ideal. Em alguns casos há normalização do alinhamento da coluna, na maioria dos casos há melhora, que via de regra é grande, mas sem correção completa.

Fonte: www.ortopediadupe.com.br

Cifose

É uma deformidade da coluna vertebral , caracterizada por uma acentuação da cifose torácica , popularmente conhecida como “corcunda”.

Quanto a etiologia, pode ser classificada em:

Postural

Doença de Scheuermann

Congênita

Traumática

Inflamatória

Outra

A forma mais comum é o dorso curvo postural, é uma atidude viciosa, freqüente na fase pré-puberdade e na adolescência; a característica mais importante é que esta forma de hipercifose se corrige totalmente com o paciente deitado em posição supina e a radiografia da coluna não apresenta alterações estruturais;corrige-se com fisioterapia e reeducação postural.

A cifose juvenil ou Doença de Scheuermann, é uma doença cuja principal característica é a alteração dos corpos vertebrais (acunhamento anterior de alguns corpos vertebrais) e trata-se de uma deformidade mais rígida, diferenciando-se do dorso curvo postural que é flexível. Esta patologia é própria do adolescente. A hipercifose torácica é acompanhada de hiperlordose compensatória.
O tratamento inicial é sempre conservador: fisioterapia e uso de colete de Milwaukee. Nos pacientes esqueléticamente maduros e com curvas severas > de 70° o tratamento é cirúrgico, frequentemenet há necessidade de 2 tempos cirúrgicos.
É importante o diagnóstico precoce, porque a maioria dos casos conseguimos corrigir comservadoramente.

Cifose

Cifose

Cifose

Cifose

Cifose

Cifose

Fonte: colunamg.com

Cifose

Cifose do adolescente

A cifose é uma curvatura da coluna para a frente, quando olhamos uma pessoa no seu perfil (de lado). Considera-se normal uma cifose torácica entre 20o e 45o.

Quanto à configuração, a cifose pode ser angular ou não angular. A primeira corresponde àquela de raio curto que envolve um pequeno número de vértebras. A segunda apresenta raio longo, atinge maior número de vértebras e da o aspecto clínico do “dorso curvo”, como ocorre na moléstia de Scheuermann (Figura 1).

Cifose

Figura 1 – Dorso curvo

Do ponto de vista prático, interessa a classificação das cifoses quanto à sua etiologia, pois, baseado nela, pode-se determinar o prognóstico e indicar o tratamento específico.

Diversas situações e doenças podem provocar exageros da cifose normal:

1. Deformidades posturais;
2. Moléstia de Scheuermann;
3. Defeitos congênitos;
4. Paralíticas;
5. Mielomeningocele;
6. Pós-traumática;
7. Inflamatória;
8. Metabólica.

Na prática, duas situações são importantes e, neste capítulo, abordaremos apenas as cifoses postural e a moléstia de Scheuermann.

Cifose postural

A cifose postural ou “má postura”, como também é conhecida, corresponde a uma deformidade flexível de coluna dorsal, sendo possível a sua correção ativa ou passiva. Ela ocorre com relativa freqüência na segunda infância, quando a criança, pela menor força muscular, apresenta, em geral, um abdome proeminente e hiperlordose lombar. Não está associada à presença de dor e radiologicamente não se observam alterações vertebrais.

Normalmente ela regride com o crescimento, não estando indicada a correção pelo colete. Podemos orientar para ginástica postural e para a prática desportiva, sendo importante o esclarecimento dos pais, em particular os mais ansiosos, no sentido de não insistirem, exageradamente, com a criança para corrigir a postura.

Essa medida, além de ineficaz, normalmente contribui para criar na criança traumas psíquicos e distúrbios de comportamento (Figura 2).

Cifose

Figura 2 – Esquema das alterações vertebrais na Doença de Scheuermann

Essas crianças devem ser acompanhadas até o final da adolescência pela possibilidade de desenvolverem aumento da deformidade: moléstia de Scheuermann.Moléstia de ScheuermannA moléstia de Scheuermann ou “cifose estrutural do adolescente” inicia-se na adolescência e caracteriza-se por aumento da cifose, que não é totalmente corrigível ativa ou passivamente (Figura 03).

Cifose

Figura 3 – Dorso curvo (Paciente em flexão)

Radiologicamente, pode-se definir a moléstia de Scheuermann como uma cifose maior do que 45o, acompanhada de alterações vertebrais.

A sua etiologia é desconhecida. Clinicamente, os pacientes afetados estão entre os 12 e os 17 anos de idade e sua queixa principal é a má postura, cansaço e, as vezes, dor no nível da cifose.

A avaliação radiológica é feita através de radiografias da coluna inteira (frente e perfil) ortostáticas (de pé), que permitem a medida da cifose e da escoliose quando associada.

O tratamento conservador (não cirúrgico) é o mais freqüente, salientando-se que só deve ser instituído durante a fase de crescimento do indivíduo, porque é impossível a correção da deformidade com coletes e exercícios em pacientes que já tenham terminado o crescimento. O acompanhamento é feito através de reavaliações periódicas e controles radiológicos em perfil ortostático com o colete. A cada período de reavaliação a correção pelo colete é aumentada.Quando seu uso é iniciado em época adequada ou nos casos em que as alterações vertebrais não são muito acentuadas. O resultado do tratamento por esse método é bom, levando à correção total da deformidade.

A abordagem cirúrgica é uma exceção no tratamento da moléstia de Scheuermann e só deve ser empregada após o final do crescimento, quando o colete já não se mostra eficaz, em deformidades graves e associadas a quadro doloroso, na região da cifose, rebelde ao tratamento conservador.Não se adota o fator estético como indicador da cirurgia. A dor imensa e freqüente é a maior indicação para o tratamento cirúrgico. Quando indicado o tratamento cirúrgico, o método básico é a artrodese vertebral (fusão) com auxílio de hastes metálicas. Nas curvas moderadas a artrodese posterior pode ser empregada. Nos casos mais graves, acima desses limites, se faz necessária a associação da artrodese anterior (através do tórax).

Fonte: www.institutocoluna.com.br

Cifose

Diagnóstico Precoce das Deformidades da Coluna Vertebral em Crianças e Adolescentes

A coluna vertebral é formada por 33 ossos sobrepostos chamados de vértebras. Quando a coluna vertebral é observada pela frente ou por trás, ela deve se apresentar com formato retilíneo, sem curvas. Quando houver alguma curvatura neste plano, chamamos de escoliose.

Ao olharmos a coluna vertebral em perfil (pelos lados), veremos que ela apresenta curvaturas que chamamos de lordose e cifose. Estas curvas são fisiológicas, ou seja, toda pessoa normal as possui e deve possuir. Portanto, ter "lordose" ou "cifose" não é nenhum problema e também não é causa de dores nas costas. No entanto, o aumento ou a retificação destas curvas além do padrão de normalidade, significa que há uma deformidade e deve, aí sim, ser encarada como tal.

São vários os tipos de deformidades da coluna vertebral, porém o tipo mais freqüente é a escoliose idiopática do adolescente, cuja causa é desconhecida, aparece na adolescência e pode progredir enquanto houver crescimento. Portanto, seu diagnóstico precoce é muito importante, para que possamos interferir na sua evolução, evitando deformidades muito acentuadas que necessitem tratamento cirúrgico.

O objetivo do exame, que vamos mostrar a seguir, não é fazer o diagnóstico, mas sim, identificar crianças e adolescentes que possam apresentar o problema. O diagnóstico será feito ou confirmado após o encaminhamento para um especialista da área. A idade mais recomendada para se fazer o exame é entre 10 e 14 anos, pois é a idade em que surge a maior quantidade dos casos de escoliose.

Cifose

Qualquer pessoa pode fazê-lo, até mesmo os pais da criança.

Cifose

(Figura 1)

1. A criança deve estar sem calçados, de pé, ereta, porém relaxada, com o examinador às suas costas. O examinador deve observá-la, procurando por assimetrias no pescoço, ombros, tórax, cintura e quadris. Todos devem estar simétricos. Observar a centralização da cabeça e do pescoço sobre a pelve (a cabeça deve estar centrada sobre a prega interglútea). O espaço existente entre os membros superiores e o tronco (triângulo do "talhe") deve ser simétrico. Os ombros e os quadris devem ter a mesma altura (fig. 1).

2. A criança também deve agora ser avaliada pelo lado (de perfil), devendo-se observar o alinhamento sagital normal: cifose torácica e lordose lombar. Estas curvas devem existir e serem suaves (fig. 1).

3. Teste de Adams: neste teste, a criança deve se abaixar para frente, mantendo os pés juntos e os joelhos retos. Os membros superiores devem estar pendentes, com as mãos aproximadamente ao nível dos joelhos. A criança será avaliada pela cabeça e/ou pelas costas. Deve-se observar o alinhamento da coluna vertebral e procurar por qualquer assimetria no tronco, seja ao nível do tórax ou da cintura. A coluna vertebral deverá estar retilínea e não haver assimetrias no tronco (figura 1).

O exame acima é rápido e simples, podendo ser realizado em poucos minutos, e deve ser repetido anualmente durante toda a infância, com especial atenção durante a adolescência (entre 10 e 14 anos) e principalmente no sexo feminino, pois nas meninas a incidência da Escoliose Idiopática do Adolescente é 6 vezes maior que nos meninos.

Na presença de qualquer alteração observada no exame, a criança deve ser encaminhada a um ortopedista, para que se afaste ou confirme o diagnóstico e dê início ao tratamento.

A seguir, temos alguns exemplos das deformidades que podem ser identificadas com este simples exame, como: escoliose, dorso curvo e espondilolistese.

ESCOLIOSE

Cifose

DORSO CURVO

Cifose

ESPONDILOLISTESE

Cifose

André Luís Fernandes Andújar

Fonte: www.fiocruz.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal