Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Saúde / Redução de Estômago

Redução de Estômago

PUBLICIDADE

O que é

A procura pela cirurgia de redução de estômago cresce a cada dia e é encarada como uma solução de problemas, tanto na saúde, quanto esteticamente.

O crescimento do número de pessoas obesas em todo o mundo é um fato inegável. Como conseqüência, podemos observar também o aumento de casos de doenças ligadas à obesidade.

Doença crônica caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal, a obesidade é considerada um problema de saúde pública.

Obesos têm doze vezes mais probabilidade de morrer devido a complicações de saúde do que indivíduos com peso normal.

O excesso de peso traz graves conseqüências, como diabetes, hipertensão arterial, dificuldades respiratórias, lesões de ossos e articulações, artrite degenerativa, varizes, hemorroidas, apneia do sono, angina, infarto, AVC (Acidente Vascular Cerebral), câncer de ovário, mama, útero, próstata, vesícula biliar e cólon.

A obesidade foi considerada o mal do século XX, chegando a níveis de epidemia, inclusive aqui no Brasil.

Devemos considerar que a obesidade por si só já é fator decisivo no desenvolvimento de outras doenças que vão de diabetes e hipertensão, até problemas em articulações e depressão, devendo ter um enfoque mais sério das instituições públicas e da sociedade.

A cirurgia gastrintestinal para a obesidade, também chamada de cirurgia bariátrica ou, mais popularmente, cirurgia para redução do estômago é uma opção para as pessoas com obesidade mórbida e que não conseguem perder peso pelos métodos tradicionais ou para quem sofre de problemas de saúde relacionados à obesidade mórbida.

A cirurgia bariátrica é classificada em duas categorias: restritiva e disabsortiva.

Os procedimentos restritivos promovem a perda de peso pelo fechamento de partes do estômago para torná-lo menor, assim restringe a quantidade de alimento que o estômago comporta.

Os procedimentos restritivos não interferem com o processo digestivo normal. Como resultado dessa cirurgia, a maioria das pessoas perde a capacidade de comer grande quantidade de comida de uma só vez. Após a operação, as pessoas usualmente conseguem comer apenas ¾ a 1 xícara de alimento sem desconforto ou náusea. Os alimentos também devem ser bem mastigados.

Os procedimentos disabsortivos, mais comuns para uma perda maior de peso, combinam a restrição do estômago com um desvio parcial do intestino delgado.

É criada uma conexão direta do estômago para um segmento inferior do intestino delgado, reduzindo as porções do trato digestivo que absorvem as calorias e os nutrientes. A técnica mais utilizada é chamada de Y de Roux, que utiliza um anel de contenção para a redução do estômago.

Essa técnica é considerada o “padrão-ouro” do tratamento cirúrgico e a escolha da cirurgia depende do médico que realizará a operação ou das características do paciente.

Todas as operações podem ser realizadas por via convencional (aberta) ou por via laparoscópica. A escolha da via de acesso depende das características de cada paciente e depende da preferência e experiência do cirurgião.

Todos os procedimentos apresentam vantagens e desvantagens que devem ser discutidas caso a caso.

A perda de peso é semelhante entre as cirurgias abertas e as laparoscópicas.

A cirurgia laparoscópica é mais demorada, porém traz menos complicações, menor perda de sangue, proporção menor de pacientes que necessitaram de internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), tempo menor de permanência no hospital e menos dias para o retorno do paciente às atividade diárias e ao trabalho.

Porém, em alguns casos, a redução traz algumas conseqüências indesejáveis. Alguns pesquisadores acreditam que problemas de saúde surgidos após a operação são advindos da má nutrição, uma vez que diminui a capacidade do corpo organismo de absorver os nutrientes necessários. Para que tais problemas não ocorram, a cirurgia não deve ser realizada com urgência, pois esse é um procedimento que deve ser bem preparado e programado, tanto no pré-operatório quanto no pós.

A cirurgia necessita de todo um cuidadoso pré-operatório, de característica multidisciplinar, envolvendo endocrinologista, cirurgião, psicólogo, cardiologista, pneumologista, fisioterapeuta, nutricionista, podendo caso a caso, englobar outras especialidades, como o ortopedista ou outros especialistas.

Definida a indicação cirúrgica, cabe ao cirurgião coordenar o processo. No pré-operatório é ainda fundamental a participação da família.

O pós-cirúrgico também é um período muito importante e por vezes negligenciado pelos pacientes que passam muito bem e emagrecem, dispensando então o acompanhamento médico. Este é fundamental e se alonga por até 1 ano após a operação. A partir de um ano o acompanhamento é semestral, após o segundo ano deve ser anual.

Apesar de várias pessoas desejarem fazer a cirurgia estando apenas um pouco acima do peso, ela só pode ser realizada de acordo com alguns critérios definidos pela Federação Internacional para a Cirurgia da Obesidade e que são adotados pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica.

O principal critério é o paciente possuir obesidade mórbida que é definida como um excesso de peso de 45 kg ou mais em relação ao peso ideal definido pelas tabelas da Metropolitan Life Insurance Co.

A obesidade é estabelecida através do Índice de Massa Corporal (IMC), obtido pela divisão do peso (Kg) pela altura (M) elevada ao quadrado (m²).

Benefícios e riscos

Logo após a cirurgia, a maioria das pessoas perde peso rapidamente e mantém essa perda por 18 a 24 meses após o procedimento. Embora a maioria das pessoas readquira 5% a 10% do peso perdido, muitas mantêm a perda de peso a longo prazo em cerca de 45 Kg. Além disso, a cirurgia melhora a maior parte das condições relacionadas à obesidade, como por exemplo o diabetes tipo 2.

Quanto maior a extensão do desvio intestinal, maior será o risco de complicações e deficiências nutricionais.

Pessoas com maior alteração no processo normal de digestão irão necessitar de maior monitoramento e uso por toda a vida de alimentos especiais, suplementos, e medicações.

Um risco comum das operações restritivas são os vômitos, que são causados quando o estômago, agora menor, é excessivamente preenchido por alimentos mal mastigados.. Em menos de 1% de todos os casos, infecção ou morte devido a complicações pode ocorrer.

Além dos riscos da cirurgia restritiva, as operações disabsortivas também podem levar a um grande risco de deficiências nutricionais. Isso ocorre porque o alimento não passará mais pelo duodeno e jejuno (as primeiras partes do intestino), onde a maior parte de ferro e cálcio são absorvidos. Aproximadamente 30% das pessoas que são submetidas à cirurgia para perda de peso desenvolvem deficiências nutricionais como anemia, osteoporose, e doença metabólica óssea. Essas deficiências usualmente podem ser evitadas se as vitaminas e minerais forem ingeridos adequadamente para cada caso.

Dez a 20% das pessoas que se submeteram à cirurgia para perda de peso necessitaram de outras operações para corrigir complicações. Hérnia abdominal tem sido a complicação mais comum que requer cirurgia posterior, mas as técnicas laparoscópicas (em que se realiza pequenos orifícios no abdome e opera-se por meio de vídeo) parecem ter solucionado esse problema. As pessoas com mais de 160 Kg ou que já tenham feito alguma cirurgia abdominal não são boas candidatas para a laparoscopia. Outras complicações incluem náuseas, fraqueza, sudorese, debilidade e diarreias após a alimentação, principalmente com a ingestão de açúcares, devido ao rápido trânsito dos alimentos pelo intestino delgado.

Ocorre também um aumento no risco de desenvolver pedras na vesícula devido a perda rápida e substancial de peso. Além disso, para mulheres em idade fértil, a gravidez deve ser evitada até que a perda de peso se torne estável porque a rápida perda de peso e as deficiências nutricionais podem causar danos para o desenvolvimento do feto.

Técnicas

A técnica mais utilizada no Brasil, Fobi-Capella, reduz o estômago de sua capacidade normal de 1,5 litro para 20 mililitros, o equivalente a meia xícara de café.

Esse pequeno pedaço do estômago é separado do resto, grampeado e religado ao intestino por um anel, que ainda dificulta a passagem da comida. Com isso, a ingestão de alimentos é bastante reduzida, podendo haver vômitos em caso de excesso de comida.

Outra técnica muito usada, a Scopinaro, além de reduzir o tamanho do estômago, corta literalmente o caminho da absorção da comida pelo organismo: ela só encontrará os sucos digestivos na etapa final. O alimento não absorvido acaba eliminado nas fezes, o que acaba provocando diarreias.

Tipos de cirurgia

As cirurgias realizadas e que são reconhecidas pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e pelo Conselho Federal de Medicina são as seguintes:

Cirurgias restritivas: São as menos utilizadas atualmente, têm o objetivo de restringir o volume de alimento ingerido. A mais realizada constitui-se na colocação de um anel ajustável de material altamente especializado na transição esôfago-gástrica.

Cirurgias restritivas com desvio do trânsito intestinal (Capella/Wittgrove): São as mais realizadas. Transformam uma porção do estômago em um pequeno reservatório de +/- 30 ml, diminuindo bastante a quantidade de alimento ingerido, e também promovem uma disabsorção de uma fração dos alimentos através de um desvio no trânsito do intestino delgado.

Derivações bílio-pancreáticas (Scopinaro/Duodenal Switch): São procedimentos com indicações mais selecionadas que levam a um processo de maior disaborção alimentar e não interferem na quantidade de alimento ingerido.

O que é cirurgia bariátrica?

A cirurgia bariátrica é uma operação que ajuda você a perder peso, fazendo alterações no seu sistema digestivo.

Alguns tipos de cirurgias bariátricas diminuem o estômago, permitindo que você coma e beba menos de uma vez e faça com que se sinta cheio mais cedo.

Outras cirurgias bariátricas também alteram o intestino delgado – a parte do corpo que absorve calorias e nutrientes de alimentos e bebidas.

A cirurgia bariátrica pode ser uma opção se você tiver obesidade grave e não tiver conseguido perder peso ou não recuperar o peso que perdeu usando outros métodos, como tratamentos ou medicamentos para o estilo de vida.

A cirurgia bariátrica também pode ser uma opção se você tiver sérios problemas de saúde, como diabetes tipo 2 ou apneia do sono, relacionados à obesidade.

A cirurgia bariátrica pode melhorar muitas das condições médicas relacionadas à obesidade, especialmente o diabetes tipo 2.

Objetivos da Cirurgia Bariátrica

Através de uma redução no volume do estômago há uma significativa diminuição na ingestão alimentar, na sensação de fome, possibilitando uma saciedade com menor quantidade de alimentos e calorias (dieta hipocalórica).

A cirurgia bariátrica facilita a perda de peso, com objetivo de se obter uma vida mais saudável, com mais qualidade, controlar as doenças já existentes relacionadas a obesidade (diabetes, dislipidemias, hipertensão, apnéia do sono, incontinência urinária de esforço, osteoartrose, asma, problemas respiratórios, depressão, doença do refluxo gastresofágico, problemas sexuais), diminuir o aparecimento de novas doenças e a mortalidade.

É importante ter em mente que a cirurgia bariátrica permite este controle na ingestão alimentar e diminui a sensação de fome, mas as modificações no estilo de vida devem ser permanentes, inclusive a realização de exercícios físicos e acompanhamento médico, nutricional e psicológico.

Indicações para Cirurgia Bariátrica

a) pacientes com IMC igual ou maior que 40 (obesidade mórbida)
b) 
pacientes com IMC igual ou maior que 35 com problemas de saúde (doenças) relacionados à obesidade (hipertensão, diabetes, dislipidemias, apneia do sono, insuficiência coronariana, doença do refluxo gastresofágico, depressão, osteoartrose joelhos/quadril)
c)
 pacientes com falência do tratamento clínico da obesidade (histórico de tentativas de perda de peso anterior, com diferentes tratamentos sem sucesso), devem passar por avaliação médica, nutricional e psicológica e não ser portador de nenhuma doença ou condição que contra-indique a cirurgia.

Contra-Indicações

a) Dependente de álcool ou drogas
b) 
Apresentar sintomas clínicos que contra-indiquem a cirurgia (podem ser transitórios ou permanentes) como insuficiência renal, infarto agudo do miocárdio, cirrose hepática, doença pulmonar grave,além de distúrbios psiquiátricos graves
c)
 Ausência de condições psicológicas
d)
 Objetivo de realização da cirurgia por motivos estéticos em pacientes que não apresentam indicação médica para o procedimento

Riscos e Complicações da Cirurgia Bariátrica

Como todo procedimento cirúrgico, a cirurgia bariátrica apresenta riscos e complicações que dependem da técnica escolhida. Somando-se técnicas avançadas, a cirurgiões competentes e capacitados, mais a escolha de um hospital de referência, com todo o suporte necessário para o procedimento, a taxa de complicação e mortalidade é baixa. Lembramos que a obesidade por si só constitui risco.

Após a Cirurgia

Quando a operação é feita por laparoscopia, o tempo de internação hospitalar médio é de 2 dias e afastamento temporário do serviço de 7 dias. Nos primeiros 30 dias, o paciente só ingere líquido (sopa, sucos, caldos), para não forçar os pontos e para adaptação ao novo volume reduzido do estômago. Aos poucos a dieta passa de líquida para pastosa, para branda, até a ingestão dos alimentos sólidos.

Sessenta por cento das pessoas que fazem a redução do estomago desenvolvem intolerância à carne. É possível substituir por soja e derivados de leite para repor a quantidade de proteína necessária para formar musculatura, manutenção e fortalecimento do cabelo e unhas.

Complicações existem e por isso o paciente que realizar a cirurgia deve ter bom acompanhamento médico e nutricional antes e após a cirurgia para minimizá-las.

As principais complicações tardias são: anemia crônica, deficiência de cálcio que provoca osteoporose e pedras nos rins, engasgamento, perda de cabelo, cálculo na vesícula e um fenômeno conhecido como dumping (nas cirurgias de derivação gástrica). O dumping aparece porque a cirurgia remove o estômago e os alimentos caem direto no intestino. Quando são muito doces ou muito gordurosos, provocam uma irritação intensa.

A pessoa se sente muito mal: palpitações, suor frio, palidez, escurecimento da vista, sensação de desmaio e diarreia. É uma complicação importante e até bem-vinda, permitindo assim o controle na ingestão de alimentos doces e gordurosos.

Os benefícios que o paciente usufrui após a cirurgia são imensos. A grande maioria dos pacientes relatam que as complicações são um preço pequeno a pagar frente aos benefícios decorrentes da perda de peso, melhora da qualidade de vida, resgate da auto-estima e da diminuição e controle das doenças relacionadas com a obesidade, além da significativa redução da mortalidade precoce.

Embora as novas técnicas estejam sempre evoluindo, os tipos mais comuns de cirurgia bariátrica atualmente são:

Banda gástrica ajustável (AGB): Na cirurgia AGB, uma banda é colocada ao redor do estômago para criar uma bolsa muito pequena que pode conter apenas uma pequena quantidade de comida. Mais tarde, os médicos podem ajustar o tamanho da abertura que permite que os alimentos passem para o resto do estômago.

Banda gástrica ajustável (AGB)

Bypass gástrico em Y de Roux (RYGB): O RYGB reduz o tamanho do estômago, causa alterações hormonais e pode diminuir a quantidade de nutrientes que são absorvidos dos alimentos. O trato digestivo é redirecionado, contornando a maior parte do estômago e parte do intestino delgado.

Bypass gástrico em Y de Roux (RYGB)

Gastrectomia vertical (VSG): O VSG reduz muito o tamanho do estômago para diminuir a ingestão de alimentos. Também diminui a rapidez com que a comida sai do estômago e causa alterações hormonais.

Gastrectomia vertical (VSG)

Fonte: www.virtual.epm.br/www.sbh.org.br/www.niddk.nih.gov/www.isaactayah.com.br/www.abeso.org.br/www.uabmedicine.org/www.hormone.org

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Displasia Tanatofórica

PUBLICIDADE A displasia tanatofórica é uma displasia esquelética letal. É a displasia esquelética letal mais …

Síndrome de Ramsay Hunt

PUBLICIDADE Definição A síndrome de Ramsay Hunt é uma erupção cutânea dolorosa ao redor da …

Colesteatoma

PUBLICIDADE O colesteatoma é uma doença do ouvido também conhecida como tumor epidermóide, cisto epitelial, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

QUESTION 1 You are managing a SharePoint farm in an Active Directory Domain Services (AD DS) domain. You need to configure a service account to use domain credentials. What should you do first? A. Configure the service account to use a domain user account. B. Register the domain credentials in the Farm Administrators group. C. Configure the service account to use a local user account. D. Register the domain credentials as a SharePoint managed account. Correct Answer: D Explanation QUESTION 2 A company named Contoso, Ltd. has a SharePoint farm. The farm has one Search service application configured. The Search service application contains five crawl databases, all of which contain content. Contoso plans to crawl knowledge base content from its partner company Litware, Inc. The knowledge base content must be stored in a dedicated crawl database.https://www.pass4itsure.com/az-103.html You need to configure crawling. What should you do? A. Add a crawl database that contains the Litware knowledge base to the existing Search service application. B. Provision a new Search service application. Configure the service application to crawl the Litware knowledge base content. C. Set the MaxCrawlDatabase parameter to 6. D. Create a dedicated Microsoft SQL Server instance for the Litware crawl database. Correct Answer: B Explanation Explanation/Reference: https://www.pass4itsure.com/az-9002.html The maximum number of crawl databases is 5 per Search service application so we need another Search service application. This maximum limit is increased to 15 with an Office 2013 update but the question doesn't mention that this update is installed so we have to assume the question was written before the update was released. https://www.pass4itsure.com/az-300.html QUESTION 3 A company uses SharePoint 2013 Server as its intranet portal. The Marketing department publishes many news articles, press releases, and corporate communications to the intranet home page. You need to ensure that the Marketing department pages do not impact intranet performance. Which two actions should you perform? (Each correct answer presents part of the solution. Choose two.) A. In Central Administration, set up a User Policy for the Super User and Super Reader accounts. B. Configure IIS to use the Super User and Super Reader accounts for caching. C. Use the Farm Configuration Wizard to configure the Super User and Super Reader accounts. D. Use Windows PowerShell to add the Super User and Super Reader accounts. Correct Answer: AD Explanation Explanation/Reference: A: The way to correct this problem is to first create two normal user accounts in AD. These are not service accounts. You could call them domain\superuser and domain\superreader, but of course that's up to you. The domain\superuser account needs to have a User Policy set for that gives it Full Control to the entire web application. D: If you are using any type of claims based authentication you will need to use Windows PowerShell. And Windows PowerShell is the hipper more modern and sustainable option anyway. If you are using classic mode authentication run the following cmdlets on one of your SharePoint servers: $w = Get-SPWebApplication "http:///" $w.Properties["portalsuperuseraccount"] = "domain\superuser" $w.Properties["portalsuperreaderaccount"] = "domain\superreader" $w.Update() If you are using claims based authentication run these cmdlets on one of your SharePoint https://www.pass4itsure.com/n10-007.html servers: $w = Get-SPWebApplication "http:///" $w.Properties["portalsuperuseraccount"] = "i:0#.w|domain\superuser" $w.Properties["portalsuperreaderaccount"] = "i:0#.w|domain\superreader" $w.Update() Note: * If you have a SharePoint Publishing site and you check the event viewer every once in a while you might see the https://www.pass4itsure.com/70-331.html following warning in there: Object Cache: The super user account utilized by the cache is not configured. This can increase the number of cache misses, which causes the page requests to consume unneccesary system resources. To configure the account use the following command 'stsadm -o setproperty -propertynameportalsuperuseraccount -propertyvalue account -urlwebappurl'. The account should be any account that has Full Control access to the SharePoint databases but is not an application pool account. Additional Data: Current default super user account: SHAREPOINT\system This means that the cache accounts for your web application aren't properly set and that there will be a lot of cache misses. If a cache miss occurs the page the user requested will have to be build up from scratch again. Files and information will be retrieved from the database and the file system and the page will be rendered. This means an extra hit on your SharePoint and database servers and a slower page load for your end user. Reference: Resolving "The super user account utilized by the cache is not configured." QUESTION 4 You are managing a SharePoint farm. Diagnostic logs are rapidly consuming disk space. You need to minimize the amount of log data written to the disk. Which two actions should you perform? (Each correct answer presents part of the solution. Choose two.) A. Set the log event level to Information. B. Set the log event level to Verbose. C. Set the log trace level to Medium. D. Set the log trace level to Verbose. E. Set the log event level to Warning. F. Set the log trace level to Monitorable. Correct Answer: EF Explanation Explanation/Reference: E: Event Levels Warning, Level ID 50 Information, Level ID: 80 Verbose, Level ID: 100 F: Trace levels: Monitorable: 15 Medium: 50 Verbose: 100 Note: When using the Unified Logging System (ULS) APIs to define events or trace logs, one of the values you must supply is the ULS level. Levels are settings that indicate the severity of an event or trace and are also used for throttling, to prevent repetitive information from flooding the log files. Reference: Trace and Event Log Severity Levels QUESTION 5 A company's SharePoint environment contains three web applications. The root site collections of the web applications host the company intranet site, My Sites, and a Document Center. SharePoint is configured to restrict the default file types, which prevents users from uploading Microsoft Outlook Personal Folder (.pst) files. The company plans to require employees to maintain copies of their .pst files in their My Site libraries. You need to ensure that employees can upload .pst files to My Site libraries. In which location should you remove .pst files https://www.pass4itsure.com/70-342.html from the blocked file types? A. The File Types area of the Search service application section of Central Administration B. The General Security page in the site settings for the site collection C. The Blocked File Types page in the site settings for the site collection D. The General Security section of the Security page of Central Administration Correct Answer: D Explanation