Breaking News
Home / Saúde / Estenose Cervical

Estenose Cervical

PUBLICIDADE

Definição

No campo da medicina, estenose significa o estreitamento anormal de um canal do corpo.

Quando combinada com a palavra espinhal, define um estreitamento do canal ósseo ocupado pelos nervos espinhais ou pela medula espinhal.

O que é Estenose Cervical?

Estenose cervical é uma condição da coluna vertebral caracterizada por um estreitamento do canal vertebral nas vértebras cervicais.

As vértebras cervicais estão localizadas no topo da coluna vertebral, na parte superior das costas e no pescoço.

estenose também pode ocorrer em outras regiões da coluna vertebral, como as vértebras lombares.

estenose do colo do útero pode ser um problema médico muito sério, assim como muitas outras condições da coluna vertebral, e há várias maneiras de abordar o tratamento da doença, dependendo de quanto progrediu.

A causa mais comum de estenose cervical é simplesmente desgaste nas vértebras.

À medida que as pessoas envelhecem, o acolchoamento entre suas vértebras, conhecido como discos, torna-se menos flexível, e suas vértebras tendem a começar a comprimir os discos.

Algumas pessoas desenvolvem esporões ósseos no interior de suas vértebras, e essas espinhas ósseas se projetam para o canal espinhal, fazendo com que se estreite. Se diminuir o suficiente, ocorrerão danos na medula espinhal.

O dano na medula espinhal é conhecido como mielopatia, e causa alguns sintomas muito distintos.

Estenose Cervical
A medida que as pessoas envelhecem, suas vértebras
podem começar a comprimir seus discos espinhais

Estenose Cervical
Cirurgia de estenose cervical pode envolver a remoção de
esporões ósseos para ajudar a alargar o canal vertebral

Alguém com estenose cervical sentirá dormência, formigamento e dores ocasionais, pois os nervos são comprimidos e comprimidos no estreito canal vertebral.

Isso é conhecido como radiculopatia cervical. Se a condição não for tratada, podem ocorrer sérios danos a longo prazo, e a dor do paciente frequentemente piorará muito.

estenose do colo do útero geralmente ocorre gradualmente, e às vezes os sintomas demoram a aparecer, o que torna importante a consulta ao médico quando surgem dores no pescoço, dormência e formigamento, mesmo que os sintomas sejam intermitentes.

Para fazer um diagnóstico de estenose cervical, o médico geralmente entrevistará o paciente para obter informações sobre sua história e para solicitar uma série de exames de imagens médicas. Essas imagens revelarão o estreitamento do canal vertebral. O médico também pode realizar alguns testes neurológicos para verificar danos nos nervos e determinar em que medida a estenose progrediu.

Se a estenose cervical for detectada nos estágios iniciais, às vezes ela pode ser tratada com medicamentos e fisioterapia direcionada. Estes tratamentos podem retardar ou parar o estreitamento do canal vertebral, eliminando muitos dos sintomas desconfortáveis da estenose. Se a condição progrediu ou os métodos não cirúrgicos não são eficazes, o médico recomendará uma cirurgia. Na cirurgia, a pressão sobre a medula espinhal será aliviada, removendo alguns dos esporões ósseos para alargar o canal vertebral.

O que é a cirurgia de estenose espinhal cervical?

Estenose espinhal cervical é um estreitamento do canal vertebral, que surge mais freqüentemente de desgaste, má postura, envelhecimento e artrite.

Com o tempo, os discos que amortecem a vértebra perdem suas habilidades de absorção de choque, e os ossos que compõem a coluna perdem sua flexibilidade.

Às vezes, essa degeneração também leva a esporões ósseos que comprimem as raízes nervosas. Embora medidas conservadoras possam ajudar a reduzir a dor, a cirurgia pode ser necessária se a estenose cervical progredir.

cirurgia de estenose espinhal cervical engloba vários procedimentos diferentes que visam reduzir a pressão sobre a medula espinhal e raízes nervosas. A cirurgia pode ajudar a aliviar problemas que surgem de tal pressão, incluindo fraqueza, dormência e dor.

Pessoas que apresentam dor no pescoço, dormência nas mãos, instabilidade ou falta de coordenação podem ser encaminhadas a um neurocirurgião para avaliação e possível diagnóstico de estenose espinhal cervical.

As ferramentas de diagnóstico podem incluir ressonância magnética, tomografia computadorizada (TC), estudos de condução nervosa, radiografias e mielogramas.

Com base no diagnóstico, o médico pode primeiro recomendar medidas conservadoras, como fisioterapia, redução da atividade, medicação anti-inflamatória e injeções de corticosteróides. Se a terapia conservadora for inadequada, a cirurgia pode ser recomendada.

Estenose Cervical
Um raio X do pescoço, incluindo as vértebras cervicais

Existem quatro tipos de cirurgia de estenose espinhal cervical: discectomia, corpectomia, microdiscectomia e laminectomia.

Um quinto procedimento, chamado de fusão espinhal, às vezes é usado em conjunto com várias dessas cirurgias.

Para um pequeno grupo de pacientes, uma fusão espinhal pode ser realizada como uma operação autônoma para corrigir a instabilidade da coluna vertebral e ajudar a aliviar a dor.

A discectomia é realizada a partir da frente do pescoço e reduz a pressão sobre as raízes nervosas, removendo um ou mais discos e quaisquer esporões ósseos.

O espaço entre a vértebra pode ser preenchido com enxertos ósseos, parafusos e, às vezes, uma placa de metal, que eventualmente se fundirá e estabilizará a coluna cervical. Uma corpectomia, que muitas vezes é necessária para a estenose em múltiplos níveis, envolve a remoção de uma ou mais vértebras, assim como dos discos. Também é feito a partir da frente do pescoço, e o espaço deixado após a remoção da vértebra é estabilizado através da fusão espinhal.

Uma microdiscectomia, às vezes chamada de facetectomia, é realizada na parte de trás do pescoço. Este procedimento pode ser usado em casos como uma grande hérnia de disco localizada ao lado da medula espinhal. As facetas articulares são os elos que conectam uma vértebra à outra – este procedimento remove parte da articulação facetária e qualquer esporão ósseo. Ao mover a raiz nervosa suavemente para o lado, a pressão causada pela hérnia de disco pode ser reduzida. Neste procedimento, a fusão espinhal não é normalmente necessária e o tempo de recuperação é geralmente mais curto – mas o problema pode recorrer, pois o disco pode herniar novamente.

A laminectomia é realizada através da parte de trás do pescoço e remove parte do osso da lâmina, localizado na parte de trás das vértebras, bem como quaisquer esporões ósseos ou fragmentos de disco. Um procedimento relacionado, laminotomia, às vezes pode ser realizado via endoscopia.

Cada um dos procedimentos descritos tem suas vantagens e desvantagens, e um paciente em potencial deve discuti-las com seu cirurgião. Como todas as cirurgias, a cirurgia de estenose espinhal cervical traz seus próprios riscos e complicações, que, embora raros, também devem ser discutidos com o cirurgião e cuidadosamente ponderados em relação aos benefícios potenciais.

O que é a coluna cervical?

coluna cervical é outro nome para a porção mais alta da coluna vertebral humana, que atravessa o pescoço.

Composto pelas primeiras sete vértebras da coluna vertebral, começa na base do crânio e vai até a coluna torácica, que começa no peito.

Os profissionais médicos referem-se às vértebras cervicais, de cima para baixo, de C1 a C7.

A primeira vértebra, na qual o crânio repousa, também é conhecida como atlas ou C1. O atlas tem uma abertura principal maior do que outras vértebras porque a medula espinhal é maior na base do crânio, onde se conecta ao cérebro.

Os médicos referem-se à segunda vértebra como o eixo ou C2. É encimado por um botão ósseo chamado de tocas, que se encaixa em um buraco na parte inferior do atlas. O eixo é responsável pela flexibilidade do pescoço e sua capacidade de virar à esquerda e à direita.

C3 a C6 são muito semelhantes entre si na aparência. Os nervos ligados a essas vértebras ajudam a controlar partes do corpo, incluindo o diafragma, os músculos do braço e as mãos. O C7, por outro lado, também conhecido como vértebra proeminente, é mais alto que as outras seis vértebras da coluna cervical.

Estenose Cervical
Seções da espinha

A porção cervical da coluna, de C1 a C7, é única porque curva ligeiramente para dentro e possui dois orifícios adicionais, denominados processos transversos, localizados em cada lado da abertura da medula espinhal principal. Os processos transversais correm paralelos à medula espinal e são passagens para artérias que correm através de cada lado do pescoço, transportando sangue para a parte de trás do cérebro.

Como outras áreas da coluna vertebral, a coluna cervical pode se tornar ferida e sofrer de degeneração ou doença relacionada à idade.

Um distúrbio exclusivo dessa região é a estenose espinhal cervical, na qual a abertura da medula espinhal se estreita. Isso pode causar compressão ou lesão na medula espinhal, resultando em uma função anormal.

Os sintomas incluem dor, dormência e rigidez no pescoço e nos membros.

Profissionais médicos usam testes extensos, incluindo ressonância magnética, raios-X e exames de sangue, para identificar o distúrbio.

Embora a estenose espinhal cervical possa ser tratada com medicação, exercício e fisioterapia, às vezes é necessária uma cirurgia para aliviar os sintomas.

Um problema comum nesta parte da coluna é herniação cervical ou hérnia de disco, também conhecido como disco deslocado ou disco rompido. Isso ocorre quando a fibrose do ânulo, um disco amortecedor de tecido, está desalinhada, rasgada ou rompida. As causas incluem má postura crônica, degeneração dos discos ou trauma súbito, como chicotadas. Os sintomas de um problema no disco cervical também incluem dormência, formigamento e dor no pescoço, ombros ou braços.

É importante que os pacientes com sintomas de uma lesão ou distúrbio na coluna cervical busquem tratamento médico, particularmente se a dormência e a dor forem acompanhadas por dificuldade com habilidades motoras finas, dificuldade para andar e dor no tronco. Pacientes com esses sintomas graves devem ser avaliados quanto à compressão da medula espinhal, uma condição grave que pode levar à incontinência e perda de mobilidade.

A cirurgia da coluna cervical é usada para aliviar os sintomas, corrigir o movimento anormal da coluna e melhorar a função do nervo. Cirurgia de descompressão vertebral, em que partes da vértebra ou tecidos interiores são removidos, é usada para alargar uma abertura da medula espinhal estreitada. A cirurgia de fusão usa enxertos ósseos ou implantes médicos para unir vértebras para proporcionar mais estabilidade à coluna.

Fonte: www.princetonbrainandspine.com/www.umms.org/www.wisegeek.org/www.spine-health.com/www.msdmanuals.com/www.houstonmethodist.org

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Pólipo de garganta

PUBLICIDADE Definição Os pólipos de cordas vocais são incomuns em crianças e adolescentes. São lesões …

Aponeurose

PUBLICIDADE Visão Geral Aponeurose é qualquer uma das fáscias mais profundas e mais grossas que …

Fascite Plantar

PUBLICIDADE Definição Fascite plantar é uma condição que pode causar dor no calcanhar. Acontece quando …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.