Breaking News
Home / Saúde / Síndrome Mielodisplásica

Síndrome Mielodisplásica

PUBLICIDADE

O que é Síndrome Mielodisplásica?

síndrome mielodisplásica é uma doença sanguínea que causa uma queda no seu número de células sanguíneas saudáveis.

Outro nome para esta condição é mielodisplasia.

Síndrome Mielodisplásica

Sua medula óssea é o tecido esponjoso dentro de alguns dos seus ossos, como os ossos do quadril e da coxa. Contém células imaturas, chamadas células-tronco. As células-tronco podem se transformar em células vermelhas do sangue que transportam oxigênio através de seu corpo, os glóbulos brancos que combatem infecções e as plaquetas que ajudam a coagulação do sangue. Se você tem uma síndrome mielodisplásica, as células-tronco não amadurecem em células sanguíneas saudáveis. Muitos morrem na medula óssea. Isso significa que você não tem células saudáveis suficientes, o que pode levar a infecção, anemia ou sangramento fácil.

As síndromes mielodisplásicas muitas vezes não causam sintomas iniciais e às vezes são encontradas durante um exame de sangue de rotina.

Se você tiver sintomas, eles podem incluir:

Falta de ar
Fraqueza ou sensação de cansaço
Pele mais pálida do que o habitual
Hematomas ou hemorragias fáceis
Coloque pontos na pele causados por sangramento
Febre ou infecções frequentes

As síndromes mielodisplásicas são raras. As pessoas com maior risco têm mais de 60 anos, tiveram quimioterapia ou radioterapia, ou foram expostas a determinados produtos químicos. As opções de tratamento incluem transfusões, terapia medicamentosa, quimioterapia e transplantes de células-tronco ou medula óssea.

Síndrome Mielodisplásica

Informações gerais sobre síndromes mielodisplásicas

As síndromes mielodisplásicas são um grupo de câncer em que células sanguíneas imaturas na medula óssea não amadurecem ou se tornam células sanguíneas saudáveis.

Os diferentes tipos de síndromes mielodisplásicas são diagnosticados com base em certas alterações nas células do sangue e na medula óssea.

A idade e o tratamento passado com quimioterapia ou radioterapia afetam o risco de uma síndrome mielodisplásica.

Sinais e sintomas de uma síndrome mielodisplásica incluem falta de ar e sensação de cansaço.

Testes que examinam o sangue ea medula óssea são usados para detectar (achar) e diagnosticar síndromes mielodisplásicas.

Certos fatores afetam o prognóstico e as opções de tratamento.

As síndromes mielodisplásicas são um grupo de câncer em que células sanguíneas imaturas na medula óssea não amadurecem ou se tornam células sanguíneas saudáveis.

Em uma pessoa saudável, a medula óssea faz células-tronco do sangue (células imaturas) que se tornam células sanguíneas maduras ao longo do tempo.

Tipos de Síndrome Mielodisplásica

Os diferentes tipos de síndromes mielodisplásicas são diagnosticados com base em certas alterações nas células do sangue e na medula óssea:

Anemia refratária: Existem pouquíssimos glóbulos vermelhos no sangue e o paciente tem anemia. O número de glóbulos brancos e plaquetas é normal.

Anemia refratária com sideroblastos de anel: Existem poucos glóbulos vermelhos no sangue e o paciente tem anemia. As células vermelhas do sangue têm muito ferro dentro da célula. O número de glóbulos brancos e plaquetas é normal.

Anemia refratária com excesso de explosão: Existem poucas células vermelhas do sangue no sangue e o paciente tem anemia. Cinco por cento a 19% das células da medula óssea são explosões. Também pode haver alterações nos glóbulos brancos e nas plaquetas. A anemia refratária com excesso de explosão pode progredir para leucemia mieloide aguda (AML).

Citopenia refratária com displasia multilineage: existem poucos do menos dois tipos de células sanguíneas (glóbulos vermelhos, plaquetas ou glóbulos brancos). Menos de 5% das células na medula óssea são explosões e menos de 1% das células no sangue são explosões. Se os glóbulos vermelhos forem afetados, eles podem ter ferro extra. A citopenia refratária pode progredir para leucemia mielóide aguda (LMA).

Citopenia refratária com displasia de unilineagem: existem poucos tipos de células sanguíneas (glóbulos vermelhos, plaquetas ou glóbulos brancos). Existem mudanças em 10% ou mais de outros dois tipos de células sanguíneas. Menos de 5% das células na medula óssea são explosões e menos de 1% das células no sangue são explosões.

Síndrome mielodisplásica não classificável: o número de explosões na medula óssea e no sangue são normais e a doença não é uma das outras síndromes mielodisplásicas.

Síndrome mielodisplásica associada a uma anormalidade cromossômica del (5q) isolada: existem pouquíssimas células vermelhas do sangue e o paciente tem anemia. Menos de 5% das células da medula óssea e do sangue são explosões. Existe uma mudança específica no cromossomo.

Qualquer coisa que aumenta seu risco de contrair uma doença é chamado de fator de risco. Ter um fator de risco não significa que você terá uma doença; não ter fatores de risco não significa que você não terá uma doença. Fale com o seu médico se achar que está em risco.

Os fatores de risco para síndromes mielodisplásicas incluem o seguinte:

Tratamento passado com quimioterapia ou radioterapia para câncer.
Estar exposto a certos produtos químicos, incluindo fumo de tabaco, pesticidas, fertilizantes e solventes, como o benzeno.
Estar exposto a metais pesados, como mercúrio ou chumbo.

A causa das síndromes mielodisplásicas na maioria dos pacientes não é conhecida.

Sinais e sintomas

Sinais e sintomas de uma síndrome mielodisplásica incluem falta de ar e sensação de cansaço.

As síndromes mielodisplásicas muitas vezes não causam sinais ou sintomas precoces. Eles podem ser encontrados durante um exame de sangue de rotina. Sinais e sintomas podem ser causados por síndromes mielodisplásicas ou por outras condições.

Verifique com o seu médico se você tem algum dos seguintes:

Falta de ar.
Fraqueza ou sensação de cansaço.
Ter pele mais pálida do que o habitual.
Hemorragias ou hemorragias fáceis.
Petéquias (pontos planos e pontuais debaixo da pele causados por sangramento).

Causas

Em uma pessoa saudável, a medula óssea faz células sanguíneas novas e imaturas que amadurecem ao longo do tempo. As síndromes mielodisplasicas ocorrem quando algo perturba esse processo para que as células do sangue não amadureçam.

Em vez de desenvolver normalmente, as células do sangue morrem na medula óssea ou logo após entrar na corrente sanguínea. Ao longo do tempo, existem células mais imaturas e defeituosas do que as saudáveis, levando a problemas como fadiga causada por anemia, infecções causadas por leucopenia e sangramento causado por trombocitopenia.

Algumas síndromes mielodisplásicas não têm causa conhecida. Outros são causados pela exposição a tratamentos contra o câncer, como quimioterapia e radiação, ou a produtos químicos tóxicos, como tabaco, benzeno e pesticidas, ou a metais pesados, como o chumbo.

Complicações

As complicações das síndromes mielodisplásicas incluem:

Anemia. Um número reduzido de glóbulos vermelhos pode causar anemia, o que pode fazer você se sentir cansado.
Infecções recorrentes. Ter poucas células brancas do sangue aumenta o risco de infecções graves.
Hemorragia que não vai parar. A falta de plaquetas em seu sangue para parar de sangrar pode levar ao sangramento excessivo.
Aumento do risco de câncer. Algumas pessoas com síndromes mielodisplásicas podem eventualmente desenvolver um câncer de células sanguíneas (leucemia).

Fonte: medlineplus.gov/www.nhs.uk/www.mayoclinic.org

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Pólipo de garganta

PUBLICIDADE Definição Os pólipos de cordas vocais são incomuns em crianças e adolescentes. São lesões …

Aponeurose

PUBLICIDADE Visão Geral Aponeurose é qualquer uma das fáscias mais profundas e mais grossas que …

Fascite Plantar

PUBLICIDADE Definição Fascite plantar é uma condição que pode causar dor no calcanhar. Acontece quando …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.