Breaking News
Home / Saúde / Hipoaldosteronismo

Hipoaldosteronismo

PUBLICIDADE

O hipoaldosteronismo é um tipo de distúrbio hormonal caracterizado pela produção insuficiente ou comprometimento do funcionamento de um hormônio chamado aldosterona.

A aldosterona equilibra os níveis de sódio e potássio no sangue. Existem dois tipos de hipoaldosteronismo, dependendo dos níveis de renina (uma enzima que regula o nível de aldosterona do corpo).

Esses incluem:

Hipoaldosteronismo hipoporeninêmico no qual há diminuição da produção de aldosterona devido à diminuição da produção de renina. Esse distúrbio é encontrado em pessoas com doenças renais, como diabetes, nefrite intersticial ou mieloma múltiplo

Hipoaldosteronismo hiperreninêmico no qual há um problema com a produção de aldosterona enquanto a renina é produzida normalmente pelos rins. Esse distúrbio pode ser causado por doença grave, medicamentos (inibidores da ECA), defeitos da enzima aldosterona ou envenenamento por chumbo

Outras causas de hipoaldosteronismo incluem insuficiência adrenal primária, hiperplasia adrenal congênita e certos medicamentos.

O que é

O hipoaldosteronismo é uma deficiência de aldosterona, um hormônio esteróide normalmente produzido pela glândula adrenal.

Em pacientes com hipoaldosteronismo, a produção de outros hormônios na glândula adrenal pode ser normal, com apenas esse hormônio desequilibrado, dependendo da causa. Para tratar essa condição, o médico precisa descobrir por que o paciente está com deficiência e desenvolver um plano de tratamento apropriado para lidar com os baixos níveis de aldosterona e sua causa subjacente.

Os pacientes podem ter hipoaldosteronismo sem sintomas óbvios, especialmente nos estágios iniciais.

A aldosterona está envolvida no processo de regular o equilíbrio de sal e potássio retido e excretado pelos rins. Um sinal chave de hipoaldosteronismo são os níveis muito altos de potássio.

O paciente pode ter aldosteronismo hiporeninêmico, onde a produção de uma enzima conhecida como renina nos rins é menor do que o incomum, ou a forma hiperreninêmica, onde os rins continuam produzindo essa enzima em concentrações normais. Um médico determinará qual o tipo de paciente no processo de desenvolver um diagnóstico e determinar o impacto da deficiência na função renal.

Uma causa potencial é um problema com a glândula adrenal.

Certos medicamentos também podem levar ao hipoaldosteronismo, incluindo medicamentos usados para controlar a pressão arterial. Insuficiência renal e doença renal grave também são causas potenciais.

Pacientes com diabetes apresentam risco aumentado de hipoaldosteronismo, especialmente se sua condição for mal controlada.

A doença crônica em geral também pode tornar as pessoas mais suscetíveis a complicações como hipoaldosteronismo, como resultado do estresse no metabolismo.

Um médico pode identificar a deficiência observando concentrações de hormônios no sangue e verificando outros níveis de química no sangue, como sódio e potássio, para coletar mais informações potencialmente relevantes para o diagnóstico. A terapia com aldosterona pode ser fornecida para trazer os níveis desse hormônio de volta ao normal.

Isso deve estabilizar os níveis de potássio do paciente e também pode ajudar a resolver problemas de pressão arterial, pois a aldosterona está envolvida na regulação da pressão arterial.

A causa subjacente também precisa ser identificada e tratada, se possível. Isso pode exigir a troca de medicamentos para afastar o paciente de um medicamento conhecido por causar hipoaldosteronismo, avaliar o paciente para doença da glândula adrenal ou desenvolver um novo plano de tratamento para o diabetes para melhor controlar e monitorar a doença. Se a causa não for tratada, o paciente continuará experimentando desequilíbrios hormonais e poderá desenvolver complicações se a doença subjacente for de natureza progressiva.

Resumo

O hipoaldosteronismo é uma condição caracterizada pela falta (deficiência) ou função prejudicada de um hormônio chamado aldosterona.

Os sintomas dessa condição incluem baixo sódio (hiponatremia), excesso de potássio (hipercalemia) e uma condição em que o corpo produz excesso de ácido (acidose metabólica). Esses sintomas podem causar fraqueza muscular, náusea, palpitações cardíacas, batimentos cardíacos irregulares e pressão sanguínea anormal.

O hipoaldosteronismo pode ser descrito como hiporeninêmico (baixo nível de renina) ou hiperreninêmico (alto nível de renina) com base na quantidade de outro produto químico produzido nos rins chamado renina.

O hipoaldosteronismo pode ser causado por outras condições de saúde ou medicamentos. Indivíduos com diabetes, doença renal, insuficiência adrenal primária, envenenamento por chumbo ou doença grave podem desenvolver hipoaldosteronismo.

Certos medicamentos, como anti-inflamatórios não esteroides, heparina ou medicamentos usados para tratar a insuficiência cardíaca, podem causar hipoaldosteronismo.

Existem formas raras de hipoaldosteronismo congênito que podem ser herdadas nas famílias.

Essa condição é diagnosticada com base nos sintomas e confirmada por vários exames de sangue (atividade da renina plasmática, aldosterona sérica e cortisol sérico). A incidência exata de hipoaldosteronismo é desconhecida.

Essa condição é tratada dependendo da causa subjacente à condição.

Glândulas supra-renais

Uma das funções das glândulas supra-renais é produzir um hormônio chamado aldosterona que desempenha um papel ativo na pressão arterial. Isso é feito mantendo o equilíbrio de sódio, potássio e água no sangue.

O hiperaldosteronismo é um distúrbio endócrino que envolve uma ou ambas as glândulas supra-renais, criando muito de um hormônio chamado aldosterona. Isso faz com que seu corpo perca muito potássio e retenha muito sódio, o que aumenta a retenção de água, o volume sanguíneo e a pressão sanguínea.

O que é aldosteronismo?

A aldosterona é um hormônio vital produzido pelas glândulas supra-renais. Ele fornece equilíbrio para os níveis de potássio e sódio do corpo. Se os níveis de aldosterona ficarem desequilibrados, poderá ocorrer uma doença conhecida como aldosteronismo.

O aldosteronismo primário é a condição na qual as glândulas supra-renais criam muito do hormônio. Isso geralmente é causado por um tumor na glândula, também conhecido como síndrome de Conn.

Tais tumores são normalmente benignos. A hiperplasia adrenal bilateral, um distúrbio no qual ambas as glândulas supra-renais produzem aldosterona em excesso, também pode causar aldosteronismo primário.

A causa deste distúrbio é desconhecida.

O aldosteronismo secundário ocorre quando a aldosterona elevada é causada por algo diferente das glândulas supra-renais. Essas causas podem ser atribuídas à insuficiência hepática, desidratação, insuficiência cardíaca congestiva ou doença renal. Alguns medicamentos também podem ser responsáveis, como fludrocortisona ou diuréticos.

A ocorrência de aldosteronismo tornou-se cada vez mais comum e acredita-se que seja a causa de pressão alta e hipertensão de aldosterona em muitos pacientes.

Os resultados podem incluir a perda de potássio e a retenção de sódio. Quando isso ocorre, o corpo começa a reter água, resultando em alto volume sanguíneo e pressão alta.

Os sintomas da doença incluem pressão alta, náusea, fraqueza, micção frequente, espasmos musculares, cãibras e constipação. Também é possível que um paciente não tenha sintomas.

Um diagnóstico pode ser feito medindo os níveis de aldosterona no sangue e na urina.

Para determinar que tipo de aldosteronismo está presente, também pode ser realizado um teste de atividade da renina plasmática.

Se a condição primária estiver presente, será necessário um endocrinologista para análises adicionais e planejamento do tratamento.

Se não tratada, várias complicações podem ocorrer.

Os pacientes podem ser suscetíveis a insuficiência cardíaca e ataques cardíacos. Pode ocorrer hipertrofia ventricular esquerda ou um aumento de parte do coração, além de doença ou insuficiência renal.

A hipertensão causada pelo excesso de aldosterona pode resultar em doença cardíaca ou derrame mais tarde na vida. Arritmias, embora raras, também podem se desenvolver, além de paralisia, insuficiência respiratória e morte.

Para tratar o aldosteronismo, um médico pode prescrever um medicamento.

Modificações no estilo de vida, como perda de peso e cessação do tabagismo, podem ser necessárias. Em casos graves, como quando a síndrome de Conn se mostra maligna, um paciente pode precisar de cirurgia.

Se a causa da condição for descoberta como hiperplasia adrenal bilateral, as glândulas supra-renais poderão ser removidas se a medicação não proporcionar alívio.

Fonte: rarediseases.info.nih.gov/columbiasurgery.org/hospitals.aku.edu/www.wisegeek.org/www.hopkinsguides.com/www.healthline.com/endocrinediseases.org

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Viroides

PUBLICIDADE Definição Os viroides são os menores patógenos infecciosos conhecidos, constituídos apenas por um RNA circular …

Supernova

PUBLICIDADE Uma supernova é a explosão de uma estrela na qual a estrela pode atingir …

Animais Invertebrados

PUBLICIDADE Definição de Invertebrado Invertebrados são animais que não têm espinha dorsal. A coluna vertebral …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.