Breaking News
Home / Saúde / Maconha

Maconha

PUBLICIDADE

 

O que é a Maconha?

A maconha, também conhecida como THC, é uma planta anual que é cultivada mundialmente por suas fibras, que são usadas para fazer tecido de cânhamo.

Suas sementes são usadas para alpiste. Seus botões podem ser fumados para fins recreativos e/ou medicinais.

As plantas geralmente têm entre 0,3 a 1,5 m de altura e podem prosperar em uma variedade de climas com luz adequada.

Acredita-se que a planta tenha se originado na Ásia Central, perto do atual Tibete. A evidência do uso e cultivo da maconha remonta a 10.000 aC, representada por sementes carbonizadas encontradas em um braseiro ritual na Romênia.

Como age a maconha

A maconha é preparada a partir do cânhamo indiano cannabis sativa. Há vários tipos diferentes de preparados a partir dessa planta. Eles diferem entre si pelo conteúdo do ingrediente ativo, o tetrahidrocanabinol (THC).

A existência da maconha é muito antiga na história humana, provavelmente cerca de 12.000 anos.

A sua origem é da Ásia, espalhou-se pelo mundo todo, sendo introduzida no ocidente por navegantes espanhóis como fonte de fibra no século 14.

O cânhamo era muito utilizado no cordoamento dos navios, por causa de sua resistência.

O efeito medicinal da cannabis é conhecido desde o século 19. Foi neste século que começou a ser usada como recreação, e desde 1930 já surgem leis controlando seu consumo nos Estados Unidos.

Os efeitos do THC são tão característicos que é impossível não classificá-lo como uma droga psico-ativa que afeta o cérebro e o comportamento.

Alguns dos efeitos da maconha são:

Inibição das funções do sistema nervoso central
Euforia
Alucinações e percepções visuais e auditivas intensificadas
Diminuição da coordenação motora
Perda da habilidade de realizar tarefas múltiplas
Interferências na memória de curto prazo
Diminuição de testosterona e quantidade e mobilidade do esperma podem ocorrer no uso prolongado.

O THC atravessa imediatamente a placenta, atingindo o feto.

Bebês expostos regularmente ao THC antes do nascimento podem apresentar sintomas de abstinência: tremores, reações de susto freqüentes, hiperatividade.

A tolerância e dependência surgem pelo uso continuado, e sintomas de abstinência, como irritabilidade, inquietação, calafrios, náuseas e vômitos são observados.

Instala-se uma síndrome de desmotivação: desinteresse, baixa produção profissional e escolar, disfunções de memória. Grandes prejuízos na região da memória são observados como resultado do seu uso.

O que é THC?

Maconha
O THC é encontrado em plantas de maconha

THC, abreviatura de tetrahidrocanabinol, é um composto químico encontrado na planta da Cannabis, também conhecido como maconha.

Quando usado, seja por ingestão ou inalação, ele se liga a receptores específicos no cérebro chamados receptores canabinóides. Em doses baixas, o composto causa alguma redução da dor, pode reduzir a agressão, estimular o apetite e ajudar a reduzir a náusea. Doses mais altas podem causar o “alto” associado à maconha, levando a percepção alterada de tempo e espaço, e sentimentos de felicidade ou fadiga.

Como age o THC

É absorvido pelos pulmões inalando-se sua fumaça.

Tem um teor muito alto de monóxido de carbono e alcatrão, substâncias potencialmente cancerígenas.

Alguns cigarros de maconha podem causar tanto prejuízo quanto uma carteira inteira de cigarros.

As reações químicas cerebrais preparam potencialmente a dependência do álcool. O acetaldeído contido na fumaça de maconha de maconha é por volta de 15 vezes mais alto que o contido na fumaça do tabaco.

O THC age em várias áreas do cérebro, alterando o equilíbrio, os movimentos e a memória.

A euforia produzida pelo THC relaciona-se com compostos semelhantes à morfina, atuando sobre os circuitos de recompensa no cérebro, produzindo a sensação de bem estar.

O THC é solúvel em lipídio no cérebro e na gordura, depositando-se ali por muito tempo. Sinusite crônica, faringite e constrição das vias aéreas. Causa dilatação dos vasos sangüíneos da superfície do globo ocular, deixando os olhos vermelhos. Diminui a quantidade e função dos glóbulos brancos, reduzindo a imunidade do organismo.

Como saber se alguém está usando maconha

Maconha
Maconha

Estes são alguns dos sintomas do uso de maconha:

Olhos avermelhados, que a pessoa procura disfarçar usando colírio descongestionante
Tosse crônica
Irregularidade menstrual na mulher
Irritabilidade
Lapsos e falhas de memória
Mudanças bruscas de comportamento
Descontrole do tempo
Reações paranóicas (acha que “todos estão contra ele”)
Variação do humor (a pessoa passa de deprimida a agressiva sem grandes motivos)
Fadiga, letargia, desmotivação e depressão
Dificuldade para se expressar
Mudanças bruscas nos hábitos alimentares
Deterioração repentina do rendimento escolar
Tendência à alienação (que dá à pessoa um ar de mistério e de tédio)
Gastos financeiros inexplicáveis
Problemas de relacionamento com as pessoas e brigas freqüentes com amigos
Interesse em falar sobre drogas ou maconha, às vezes dando ao discurso uma aparência de pura teoria, particularmente defendendo a maconha Comportamento irresponsável
Posse da droga ou de sua parafernália (papel de seda para enrolar cigarros, por exemplo)

Se uma pessoa apresenta vários desses sintomas combinados, é provável que seja um usuário de maconha. Mas é preciso evitar que essa informação sobre a vida intima da pessoa seja usada para prejudicá-la de alguma forma.

O que é maconha? Existem tipos diferentes de maconha?

Maconha
Maconha

A maconha é uma combinação de flores e folhas da planta conhecida como Cannabis sativa e pode ser verde, marrom ou cinza.

Antes dos anos 60, a maconha era pouco conhecida nos Estados Unidos, mas hoje em dia é a droga ilegal de maior consumo neste país.

O termo Cannabis descreve a maconha e outras drogas derivadas da mesma planta.

As formas mais potentes incluem a semente, o haxixe e o óleo de haxixe.

Em todas suas formas, a Cannabis é uma droga que altera a função mental (psicoativa) porque contém THC (delta-9-tetrahidrocanabinol), princípio ativo na planta da maconha. O THC é o elemento que mais afeta a função mental.

Hoje as modalidades da maconha disponíveis aos jovens são mais potentes do que as que existiam na década de sessenta.

A potência da droga é medida de acordo com a quantidade média de THC encontrada nas amostras de maconha.

A maconha comum contém uma média de 3% de THC.

A variedade “sinsemilla” (sem semente, que só contem os botões e as flores da planta fêmea) tem uma média de 7,5% de THC, mas pode chegar a ter até 24%.

O haxixe (a resina gomosa das flores das plantas fêmeas) tem uma média de 3,6%, mas pode chegar a ter até 28%.

A maconha cultivada por técnicas específicas, conhecida popularmente como SKANK, pode ter até 35% de THC. O óleo de haxixe, um líquido resinoso e espesso que se destila do haxixe, tem, em média, 16% de THC, mas pode chegar a ter até 43%.

Como se usa maconha?

A maioria das pessoas que a consome, o faz em forma de cigarro (chamado também de baseado, fino, beck, etc.). Também podem fumar em um cachimbo.

Existe um cachimbo que filtra a fumaça com água, conhecido em inglês como “bong”. Algumas pessoas misturam a maconha com a comida ou a utilizam em forma de chá.

Como saber se um jovem está usando maconha?

Existem certos sintomas que podem ser percebidos.

Aqueles indivíduos que estão sob o efeito da maconha podem:

Parecer estar com um pouco de tontura e com alguma dificuldade para caminhar.
Parecer estar rindo exageradamente (ou sem nenhuma razão).
Apresentar olhos vermelhos e irritados.
Ter dificuldade para lembrar como as coisas aconteceram

Quando desaparecem os primeiros efeitos, depois de algumas horas, a pessoa pode sentir muito sono. Ainda que seja difícil identificar os sintomas de uso nos adolescentes, existem mudanças no comportamento deles. Deve-se tentar perceber se o jovem se afasta dos outros, se está deprimido, se tem fadiga, se não cuida de sua aparência pessoal, se é hostil, ou se suas relações com familiares e amigos se deterioraram, por exemplo, começam a brigar ou se afastar. Também podem ocorrer mudanças no desempenho escolar, faltas, menor interesse pelo esporte e por outras atividades favoritas, ou modificação nos hábitos alimentares ou no sono. Tudo isto pode indicar o uso de drogas, ainda que nem todos os casos apresentem estes sinais.

Deve-se ficar atento também para:

Coisas que possam indicar o uso de drogas, como cachimbos ou papéis para enrolar cigarros.
O cheiro da roupa.
O uso de incenso e desodorante de ambiente.
O uso de colírios para os olhos.
A existência de roupas, pôsteres, etc., que promovam o uso das drogas.

Por que os jovens usam maconha?

As crianças e os adolescentes começam a fumar por muitas razões. Entre as mais comuns estão a curiosidade e o desejo de fazer parte de um grupo social. Os jovens que já fumam cigarros e/ou bebem álcool, correm maiores riscos de vir a usar maconha. Pesquisas também sugerem que o uso de álcool ou drogas entre os membros da família é outro fator importante. Os pais, avós e irmãos mais velhos são modelos que as crianças tendem a imitar.

Alguns jovens que usam drogas não possuem boas relações com seus pais.

Outros têm amigos que usam drogas e que os pressionam a prová-la e usá-la.

Em outras palavras, todos os aspectos do meio no qual se desenvolve a criança e o jovem (a casa, a escola, a vizinhança) são determinantes para a possibilidade de provar drogas. Os jovens que fumam muita maconha podem ficar dependentes dela. Esta é a razão principal, a partir deste momento, para que continuem usando.

Alguns usuários mencionam aspectos emocionais que os levaram para as drogas, como a ansiedade, a raiva, a depressão, o tédio, etc. Tentam explicar que começaram a usar para “suportar melhor sua vida”. Este argumento, que muitas vezes serve de desculpa, é amplamente reconhecido como falso, porque, além da maconha não resolver qualquer dificuldade, ela impede que o usuário desenvolva meios de enfrentar os desafios comuns da vida.

A maconha leva ao consumo de outras drogas?

As pesquisas que foram realizadas com estudantes de nível médio usuários de outras drogas mostram que a maioria começou usando a maconha como primeira droga ilícita. O uso da maconha favorece o contato dos jovens com pessoas que usam e vendem não somente a maconha, mas também outras drogas. Neste sentido, a resposta desta pergunta é sim; existe maior risco dos jovens que usam maconha serem mais expostos e sofrerem maior pressão para provar outras drogas.

Quais são os efeitos da maconha?

Os efeitos da maconha dependem de vários fatores, como por exemplo:

O tipo de cannabis e seu conteúdo de THC. A forma de uso (se fumada ou ingerida). As experiências e as expectativas de quem as fuma. O lugar em que se usa.

Se a pessoa está bebendo álcool ou usando outras drogas.

Algumas pessoas não sentem nada quando provam maconha pela primeira vez. Outras podem se sentir intoxicadas e/ou eufóricas (alegres). É comum que as pessoas que usam maconha sintam grandes interesses por estímulos visuais, auditivos ou sabores que não eram percebidos por eles sem o uso da droga. Os eventos mais triviais podem parecer exageradamente interessantes ou engraçados para o usuário. O tempo pode parecer passar muito lentamente e, às vezes, a droga faz com que a pessoa sinta muita sede e fome.

O que acontece depois que a pessoa fuma maconha?

Quase imediatamente depois de fumar maconha, a pessoa pode sentir sintomas de intoxicação: boca seca, batidas aceleradas do coração, dificuldades na coordenação dos movimentos e do equilíbrio e reações ou reflexos lentos. Os vasos sangüíneos dos olhos se expandem, e por isso ficam avermelhados. Em algumas pessoas, a maconha aumenta a pressão sangüínea e pode até duplicar o ritmo cardíaco. Este efeito pode acentuar-se quando a maconha é usada junto com álcool ou outras drogas. Depois de 2 ou 3 horas, a pessoa pode sentir muito sono.

Por quanto tempo a maconha permanece no corpo?

A substância THC na maconha é absorvida pelos tecidos gordurosos de vários órgãos do corpo, onde são armazenados. Geralmente podemos encontrar restos de THC nos exames toxicológicos de urina até vários dias depois de a pessoa ter fumado maconha. Contudo, no caso das pessoas que fumam muita maconha (fumantes crônicos), podemos encontrar restos da substância até várias semanas depois de ter parado de usar a droga.

Existem reações negativas à maconha?

Sim. Em alguns casos, especialmente quando a pessoa usa pela primeira vez, ou em um lugar estranho, pode sofrer crise de ansiedade aguda (sensação de pânico) e inclusive paranóia (o usuário sente que as pessoas a sua volta estão observando-o ou mesmo perseguindo-o). Isto é mais provável com doses mais altas de THC. Estes efeitos diminuem à medida que a droga vai perdendo efeito.

Em poucas ocasiões, a pessoa que consome uma grande quantidade da droga pode apresentar sintomas psicóticos severos, semelhantes àqueles de pacientes psiquiátricos, e até necessitar de tratamento hospitalar de emergência (por exemplo, em unidades psiquiátricas). Outras reações negativas podem ocorrer se misturar a maconha com outras drogas (como a cocaína).

A maconha interfere na capacidade de dirigir veículos, podendo resultar em acidentes de trânsito.

Como a maconha é prejudicial?

O uso da maconha pode trazer resultados negativos tanto por seus efeitos imediatos, quanto por danos à saúde quando usada por longo tempo. A maconha prejudica a memória de curto prazo (de eventos recentes); assim, o usuário tem dificuldades no aprendizado e quando tenta realizar tarefas complexas. Com o uso das variedades mais potentes da droga, a pessoa pode ter problemas em realizar, inclusive, tarefas mais simples. Devido aos efeitos da droga sobre as percepções e os reflexos, o efeito da maconha favorece acidentes no trânsito. As pessoas que usam drogas são mais propensas a realizar atos sexuais que lhes expõem a doenças. Sabemos que existe uma forte relação entre o uso de drogas, as práticas sexuais perigosas e a contaminação pelo HIV, que é o vírus causador da AIDS. Os estudantes que fumam maconha têm dificuldades em estudar e aprender. Os atletas não conseguem o mesmo desempenho porque a droga afeta seus reflexos e coordenação. Alguns dos efeitos em longo prazo da droga são descritos mais adiante.

Quais são os efeitos da maconha em longo prazo?

Apesar de ainda não conhecermos todos os resultados da maconha em longo prazo, existem sérias preocupações quanto aos seus efeitos na saúde. Por exemplo, um grupo de pesquisadores na Califórnia examinou o estado de saúde de 450 fumantes diários de maconha (que não fumavam tabaco). Em comparação com outras pessoas não-fumantes, estas pessoas apresentavam mais faltas no trabalho por motivo de doenças e mais visitas médicas por problemas respiratórios e outros distúrbios. Os resultados até o momento indicam que o uso da maconha ou do THC facilita o aparecimento de câncer e de problemas nos sistemas respiratório, imunológico e reprodutivo.

Maconha – Cannabis sativa

A Cannabis é um arbusto originário da Ásia e conhecido da humanidade há cerca de 6000 anos.

Há duas espécies mais conhecidas: a Cannabis sativa e a Cannabis indica.

O princípio ativo alucinógeno da maconha é o d-9-tetrahidrocannabinol (THC).

Essa substância encontra-se presente no óleo que recobre os brotos das cannabis fêmeas.

Maconha
Da esquerda para a direita, as folhas da Cannabis sativa, Cannabis indica e Cannabis sp.

Maconha
Brotos e florescências da Cannabis fêmea. O óleo que os recobre é rico em THC

O nome genérico da cannabis é cânhamo. Há outros nomes, mas boa parte deles tem caráter puramente regional.

No Brasil, a cannabis já foi denominada diamba e hoje o termo maconha é o mais utilizado.

No Oriente, recebe nomes como ganja, dagga, charas, haxixe, bhang.

Na América espanhola e nos Estados Unidos, o nome marijuana é o mais conhecido, mas há outros termos: grass, pot, tea, reefer, Mary Jane, weed.

Maconha
Os brotos da Cannabis são picados e triturados para
a confecção do cigarro de maconha, denominado ‘baseado’

Haxixe

Haxixe
Haxixe

O haxixe é uma resina da maconha, na forma de bolotas ou pedaços de aspecto verde-escuro. São misturados à maconha ou ao tabaco e fumados na forma de cigarros

O haxixe é a resina da maconha. Seu preparo consiste na coleta dos brotos oleosos, com posterior maceração desses até formarem bolas ou tabletes endurecidos

Bhang

É um preparado líquido a partir de brotos do cânhamo, bastante popular na Índia.

Bhang
Bhang

Bebida muito popular e de venda livre na Índia, o bhang é produzido com os brotos de câsnhamo fêmea.

Ele também é comercializado no formato de balas caseiras.

Fonte: www.clinicavitoria.com.br/www.wisegeek.org/www2.anhembi.br/www.einstein.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Síndrome da Porta

Síndrome da Porta

PUBLICIDADE Definição A síndrome da porta é uma síndrome de anomalias congênitas múltiplas – deficiência intelectual caracterizada …

Tumor Misto

PUBLICIDADE Definição Um tumor misto é um tumor que deriva de vários tipos de tecido. Os tumores …

Síndrome de Asperger

PUBLICIDADE Definição A síndrome de Asperger é um distúrbio do desenvolvimento. É um transtorno do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.