Breaking News
Home / Saúde / Síndrome de Guillain-Barré

Síndrome de Guillain-Barré

PUBLICIDADE

Síndrome de Guillain-Barré – O que é

síndrome de Guillain-Barré é uma doença neurológica rara em que o sistema imunológico do corpo ataca por engano parte de seu sistema nervoso periférico – a rede de nervos localizada fora do cérebro e da medula espinhal.

síndrome de Guillain-Barré pode variar de um caso muito leve com uma breve fraqueza até uma paralisia quase devastadora, deixando a pessoa incapaz de respirar independentemente.

Felizmente, a maioria das pessoas acaba se recuperando mesmo dos casos mais graves da A síndrome de Guillain-Barré. Após a recuperação, algumas pessoas continuarão a apresentar algum grau de fraqueza.

síndrome de Guillain-Barré pode afetar qualquer pessoa. Pode atacar em qualquer idade (embora seja mais frequente em adultos e pessoas mais velhas) e ambos os sexos são igualmente propensos à doença.

Estima-se que a síndrome de Guillain-Barré afete cerca de uma pessoa em 100.000 a cada ano.

Síndrome de Guillain-Barré – Causa

A causa exata da síndrome de Guillain-Barré não é conhecida. Os pesquisadores não sabem por que atinge algumas pessoas e não outras. Não é contagioso ou hereditário.

O que eles sabem é que o sistema imunológico da pessoa afetada começa a atacar o próprio corpo.

Pensa-se que, pelo menos em alguns casos, este ataque imunológico é iniciado para combater uma infecção e que alguns produtos químicos que infectam bactérias e vírus se assemelham aos das células nervosas, que, por sua vez, também se tornam alvos de ataque.

Uma vez que o próprio sistema imunológico do corpo causa o dano, a síndrome de Guillain-Barré é chamada de doença auto-imune (“auto” significa “eu”).

Normalmente, o sistema imunológico usa anticorpos (moléculas produzidas em uma resposta imunológica) e glóbulos brancos especiais para nos proteger, atacando microorganismos infectantes (bactérias e vírus).

Na síndrome de Guillain-Barré, no entanto, o sistema imunológico ataca erroneamente os nervos saudáveis.

A maioria dos casos geralmente começa alguns dias ou semanas após uma infecção viral respiratória ou gastrointestinal. Ocasionalmente, a cirurgia pode desencadear a síndrome.

Em casos raros, as vacinações podem aumentar o risco da síndrome de Guillain-Barré.

Recentemente, alguns países em todo o mundo relataram um aumento na incidência da síndrome de Guillain-Barré após a infecção pelo vírus Zika.

Síndrome de Guillain-Barré – Sintomas

As sensações inexplicáveis costumam ocorrer primeiro, como formigamento nos pés ou nas mãos, ou mesmo dor (especialmente em crianças), geralmente começando nas pernas ou nas costas.

As crianças também apresentam sintomas de dificuldade para andar e podem se recusar a andar. Essas sensações tendem a desaparecer antes que os principais sintomas de longo prazo apareçam.

Fraqueza em ambos os lados do corpo é o principal sintoma que leva a maioria das pessoas a procurar atendimento médico. A fraqueza pode aparecer inicialmente como dificuldade em subir escadas ou caminhar.

Os sintomas geralmente afetam os braços, os músculos respiratórios e até mesmo o rosto, refletindo danos aos nervos mais disseminados. Ocasionalmente, os sintomas começam na parte superior do corpo e descem para as pernas e pés.

A maioria das pessoas atinge o maior estágio de fraqueza nas primeiras duas semanas após o aparecimento dos sintomas; na terceira semana, 90 por cento dos indivíduos afetados estão no seu ponto mais fraco.

Além da fraqueza muscular, os sintomas podem incluir:

Dificuldade com os músculos oculares e visão
Dificuldade em engolir, falar ou mastigar
Sensações de picadas ou alfinetes e agulhas nas mãos e pés
Dor que pode ser intensa, principalmente à noite
Problemas de coordenação e instabilidade
Batimento/frequência cardíaca ou pressão arterial anormais
Problemas com a digestão e/ou controle da bexiga.

Esses sintomas podem aumentar de intensidade por um período de horas, dias ou semanas, até que certos músculos não possam ser usados e, quando graves, a pessoa fica quase totalmente paralisada. Nesses casos, o distúrbio é fatal – potencialmente interferindo na respiração e, às vezes, na pressão arterial ou na frequência cardíaca.

Síndrome de Guillain-Barré – Resumo

Nervo e bainha de mielina danificada
A forma desmielinizante da síndrome de Guillain-Barré destrói a cobertura protetora dos
nervos periféricos (bainha de mielina), evitando que os nervos transmitam sinais ao cérebro.

síndrome de Guillain-Barré é uma doença autoimune rara em que o sistema imunológico do corpo ataca os nervos.

Como resultado do ataque, o isolamento do nervo (mielina) e às vezes até a parte interna coberta do nervo (axônio) são danificados e os sinais são atrasados ou alterados de outra forma.

Os anticorpos resultantes atacam a bainha de mielina e, às vezes, o axônio, causando paralisia e fraqueza muscular, bem como sensações estranhas, pois os nervos sensoriais da pele podem ser afetados.

Fraqueza e formigamento nas extremidades geralmente são os primeiros sintomas.

Essas sensações podem se espalhar rapidamente, paralisando todo o seu corpo. Em sua forma mais grave, a síndrome de Guillain-Barré é uma emergência médica.

A síndrome parece ser desencadeada por doenças virais ou bacterianas agudas, como infecções respiratórias ou gastrointestinais, ocorrendo uma a três semanas antes. No entanto, outros eventos como gravidez, dengue, procedimentos cirúrgicos, picadas de insetos e paralisia de Bell também mostraram causar a síndrome de Guillain-Barré.

A maioria das pessoas com a doença deve ser hospitalizada para receber tratamento.

A causa exata da síndrome de Guillain-Barré – é desconhecida.

Mas dois terços dos pacientes relatam sintomas de infecção nas seis semanas anteriores. Isso inclui infecção respiratória ou gastrointestinal ou o vírus Zika.

Não há cura conhecida para a síndrome de Guillain-Barré, mas vários tratamentos podem aliviar os sintomas e reduzir a duração da doença.

Embora a maioria das pessoas se recupere da síndrome de Guillain-Barré, a taxa de mortalidade é de 4% a 7%. Entre 60-80% das pessoas são capazes de andar aos seis meses.

Os pacientes podem sentir efeitos prolongados, como fraqueza, dormência ou fadiga.

Normalmente, os sintomas começam nos pés ou nas pernas e progridem pelo corpo ao longo de alguns dias ou semanas. O distúrbio pode ser leve, moderado ou grave, com suporte de vida necessário nos piores casos.

A causa exata é desconhecida e não há cura conhecida. A maioria das pessoas se recupera espontaneamente, embora algumas continuem com deficiências permanentes.

Esta doença rara atinge entre duas e oito pessoas em cada 100.000, independentemente do sexo ou idade, embora seja mais comum na faixa etária de 30 a 50 anos.

Outros nomes para a síndrome de Guillain-Barré incluem polineurite idiopática aguda, polirradiculoneurite idiopática aguda e paralisia ascendente de Landry.

Fonte: www.ninds.nih.gov/www.mayoclinic.org/www.nhs.uk/www.cdc.gov/www.betterhealth.vic.gov.au

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Nódulo Pulmonar

PUBLICIDADE Nódulo Pulmonar – O que é Um nódulo pulmonar é uma massa de tecido localizada nos …

Herpes Nasal

PUBLICIDADE Herpes Nasal – O que é Herpes nasal são bolhas e feridas dentro e ao …

Gotículas de Flügge

PUBLICIDADE Gotículas de Flügge – O que é  Gotículas produzidas de forma natural  (por exemplo, …