Breaking News
Home / Saúde / Bronquite Aguda

Bronquite Aguda

PUBLICIDADE

O que é a bronquite aguda

Bronquite é a inflamação da árvore brônquica (canais, chamados de brônquios, pelos quais o ar chega até os alvéolos), que produz aumento de secreção e determina o aparecimento de tosse e expectoração.

Esse território toma-se propício à proliferação de bactérias, havendo assim infecção, o que agrava o quadro inflamatório. A inflamação, por sua vez, reduz o calibre das vias aéreas, ocasionando o aparecimento de chiado no peito e falta de ar.

A bronquite aguda, em geral conseqüência de resfriado ou gripe, não deve demorar mais de 2 ou 3 semanas para ser curada.

Há pessoas com predisposição a crises de bronquite aguda, provavelmente porque possuem uma fonte permanente de infecção, como os seios paranasais e as amígdalas, ou ainda, por serem sensíveis a determinados agentes alergênicos. A sintomatologia mais freqüente é representada por tosse, expectoração, chiado no peito e falta de ar.

A conseqüência mais freqüente, caso a bronquite aguda e suas causas não sejam tratadas adequadamente, é a sua cronificação, ou aparecimento de surtos infecciosos repetitivos, podendo facilitar o aparecimento de pneumonia. A bronquite pode se associar, em decorrência do tabagismo, ao câncer e ao enfisema.

Pessoas com predisposição a crises de bronquite devem evitar áreas poluídas, doentes com quadros infecciosos das vias aéreas superiores e, sobretudo, devem se abster de fumar.

Trata-se de uma ocorrência mais comum em crianças, por estarem em formação e serem mais sensíveis. O quadro de bronquite pode regredir parcial ou totalmente, se o paciente for adequadamente tratado.

O tratamento fundamenta-se na administração de antibióticos, nos casos de infecção bacteriana, associados a medicamentos broncodilatadores e, em alguns casos, os corticóides.

Bronquite Aguda – Doença

Na bronquite aguda as crises são mais curtas, e podem durar uma ou duas semanas. A doença pode tornar a árvore brônquica mais sensível ao frio e a poluentes.

Na bronquite crônica os sintomas não desaparecem e pioram no período da manhã e em determinadas épocas do ano.

Bronquite Aguda

O número de ocorrências da bronquite é maior no período do inverno e início da primavera, mas não se deve subestimar a probabilidade da doença no verão.

bronquite aguda é quase sempre causada por vírus. Na maioria das vezes, as mesmas viroses que causam resfriados, causam a doença.

Bactérias como Hemophilus influenzae e Pneumococo podem também invadir, secundariamente, a árvore brônquica.

A forma crônica instala-se como extensão da bronquite aguda e pode ser provocada pela fumaça do cigarro. Ela é conhecida por “tosse dos fumantes” e raramente acontece em quem não fuma.

A tosse, principal sintoma, pode durar várias semanas ou até meses. Se não desaparece, pode ser sinal de um outro problema como asma ou pneumonia. No início da bronquite aguda, a tosse é seca (não-produtiva) e no decorrer da doença pode se tornar produtiva, com secreção densa. Na bronquite crônica, a tosse é sempre produtiva com expectoração espessa.

A tosse pode vir acompanhada de outros sintomas entre eles: dor torácica, desconforto ao respirar, fadiga e até febre.

Para que a pessoa possa ter certeza de que está com bronquite, faz-se necessário um exame clínico?, recomenda José Maurício. O médico, na ausculta do tórax, poderá identificar roncos e outros tipos de alterações.

Mas esses tipos de sintomas também podem ocorrer em pacientes com pneumonia. Para afastar a possibilidade dessa doença, o médico recomenda uma radiografia de tórax. Outro exame pedido é o do escarro.

O procedimento é utilizado para identificar o tipo de germe envolvido na bronquite.

As bronquites agudas, na maioria dos casos, em poucos dias ou em uma semana acabam por si próprias. Como, geralmente, se trata de uma doença causada por vírus, normalmente, os antibióticos não são recomendados, pois não ajudam. O melhor a fazer é adotar meios que aliviem a tosse. ?Para o tratamento, costuma-se receitar tratamentos sintomáticos, mucolíticos – medicamentos que ajudam a expectoração do muco produzido pela doença- e descongestionante. Mas, se no exame for detectado infecção secundária por bactérias, o uso do antibiótico é instituído.

Um dos primeiros passos para o tratamento e a prevenção da bronquite, nos adultos, é abolir o cigarro. O fumo torna a mucosa dos brônquios mais sensível à ação dos vírus. Evitar, também, dividir espaços com fumantes. Poeiras, poluentes ambientais, e químicos pioram o quadro do paciente. ?Repouso, permanecer em lugares arejados e não fazer esforços que provoquem o desconforto respiratório são recomendados para aliviar e curar a doença.

Bronquite Aguda – Conceitos gerais

A palavra “bronquite” é comum na terminologia médica com a conotação de inflamação da mucosa brônquica.

Sua principal manifestação clínica é tosse com ou sem aumento da secreção brônquica.

Esta doença nem sempre é uma entidade específica e comumente ocorre em associação com similar envolvimento em outras vias aéreas, particularmente as mais altas, tais como seios da face, fossas nasais, faringe, laringe e traquéia.

No adulto, muito freqüentemente, o surto agudo representa exacerbação de um quadro bronquítico crônico. O inverso também pode ocorrer, isto é, surtos repetidos de bronquite aguda podem tornar o quadro crônico.

bronquite aguda é mais comum e mais grave nas crianças e adolescentes devido a peculiaridade da estrutura pulmonar relacionada à idade e ao crescimento.

Todas as vias aéreas estão presentes ao nascimento. O crescimento pulmonar durante a infância e adolescência envolve adição de espaços aéreos.

Doenças acometendo o sistema respiratório exibem um significante comprometimento das vias aéreas no jovem.

O tamanho e o diâmetro das vias aéreas são proporcionais à idade. Edema da mucosa ou aumento de secreção produz mais obstrução em uma dada via quanto mais jovem for o indivíduo.

Com o aumento da idade há uma tendência à diminuição do colapso das vias aéreas. Nas crianças é possível que algumas unidades pulmonares se fechem em parte, mesmo quando se encontrem hígidas.

Esta situação aumenta a gravidade dos sintomas e dificulta a troca gasosa intrapulmonar em crianças e adolescentes com envolvimento de seus brônquios.

Quanto mais jovem tanto maior será a compressão dinâmica das vias aéreas intratorácicas durante a expiração.

Na presença de inflamação e edema da mucosa haverá uma mais pronunciada tendência à limitação do fluxo aéreo durante a expiração.

Fatores desencadeantes

A bronquite aguda pode ser ocasionada pelos seguintes agentes:

Infecção: vírus, micoplasma, bactérias.
Fatores químicos.
Fatores alérgicos.

Os agentes infecciosos são os mais importantes sendo representados pelos vírus (rinovírus, adenovírus, vírus da influenza, vírus da parainfluenza, vírus respiratório sincicial, vírus coxsackie), micoplasma, bactérias Streptococcus pneumoniae, Haemophilus influenzae, como os mais comuns). Com muita freqüência, na bronquite aguda observa-se a associação de vírus ou micoplasma com bactérias.

Dentre os agentes químicos destacam-se substâncias irritantes inaladas (fosgênio, dióxido de enxofre, poeiras, fumaças), aspiração de irritantes (secreção da faringe, secreção gástrica, água do mar).

A atopia é um fator comum na bronquite aguda recorrente, particularmente nas crianças e nos adolescentes.

As manifestações da bronquite aguda são representadas por tosse intensa, de início seca, depois mucopurulenta ou purulenta, desconforto retro-esternal, febre e mal-estar geral.

Quando a laringe e a traquéia estão comprometidas ocorre rouquidão ou mesmo afonia. Em muitos casos, devido ao edema da mucosa e acúmulo de secreções, os pacientes queixam-se de chiado e falta de ar.

Bronquite Aguda – Inflamação

Bronquite Aguda

Bronquite aguda é uma inflamação intensa da mucosa que reveste toda a árvore bronquial. Em geral, esta doença tende a ser auto-limitada, sendo que a cura pode ser completa com a recuperação da função pulmonar.

Na maioria dos casos a doença é de causa infecciosa, embora também resulte da inalação de substâncias tóxicas como o fumo dos ácidos fortes, amoníaco, ácido sulfídrico, bióxido de enxofre ou bromo, os irritantes ambientais como ozônio e bióxido de nitrogênio, e também o tabaco, que irritam as vias aéreas.

Crianças, idosos e fumantes são afetados com maior freqüência, sobretudo no inverno.

Entre as causas infecciosas, os vírus são os responsáveis mais freqüentes das bronquites agudas.

Entre as causas bacterianas, o Mycoplasma pneumoniae, Bordetella pertusis e Chlamydia pneumoniae também causam bronquite infecciosa aguda, especialmente em pessoas jovens.

Bronquite Aguda – Manifestações Clínicas

A bronquite infecciosa aguda nos adultos tende a começar com catarro nas vias respiratórias superiores, com mal-estar geral, calafrios, discreto aumento da temperatura corporal (38 – 38,5 graus centígrados), dores nos músculos e na garganta.

Posteriormente, aparece uma tosse que tende a indicar o início de uma bronquite. Esta tosse é seca e não produtiva nas fases iniciais, mas em poucos dias se começa a eliminar uma expectoração viscosa em pequenas quantidades, que vai se tornando mais abundante, acompanhada de escarro no caso de existir uma infecção bacteriana agregada.

Algumas pessoas manifestam uma dor ardosa no peito, que aumenta com a tosse.

Devido a obstrução das vias aéreas, uma dificuldade respiratória pode aparecer. Entre as complicações que podem surgir, a pneumonia é a mais severa.

Quais são os melhores tratamentos para bronquite aguda?

Os melhores tratamentos para bronquite aguda dependem da causa da doença. Se uma pessoa tem bronquite aguda causada por um vírus, ela pode tratá-la em casa com repouso, líquidos, um umidificador e medicamentos sem prescrição. Quando o tratamento caseiro se mostra inadequado, no entanto, os profissionais médicos podem prescrever medicamentos chamados antagonistas beta-2 para ajudar a abrir as vias respiratórias tensas e irritadas. A bronquite causada por bactérias, entretanto, costuma ser mais bem tratada com antibióticos.

As técnicas de atendimento domiciliar geralmente são os melhores tratamentos para bronquite.

Uma pessoa com essa condição pode aplicar as mesmas técnicas que aplicaria para cuidar de si mesma enquanto está gripada ou resfriada. Por exemplo, uma pessoa com essa doença deve descansar bastante e beber muitos líquidos para se manter bem hidratada. Ele também pode usar um umidificador para manter o muco nas vias respiratórias solto, de modo que a tosse se mostre mais eficaz em eliminá-lo.

Os remédios de venda livre também estão entre os melhores tratamentos para bronquite aguda. Embora não possam curar a bronquite, podem ajudar a pessoa a se sentir melhor enquanto está doente. P

or exemplo, um indivíduo pode usar um supressor de tosse para interromper temporariamente a tosse ou um expectorante para tornar mais fácil a tosse com muco problemático. Da mesma forma, analgésicos, como paracetamol, ibuprofeno e aspirina, podem ser úteis no tratamento da febre e no alívio das dores e dores que os acompanham.

A maioria dos profissionais de saúde recomenda contra o uso de aspirina para crianças, entretanto.

Às vezes, os medicamentos prescritos são o melhor tratamento para bronquite aguda. Este pode ser o caso, por exemplo, quando um indivíduo com bronquite tem dificuldade para respirar. Nesse caso, um profissional médico pode prescrever medicamentos chamados antagonistas beta-2 para ajudar a abrir as vias aéreas do paciente. Freqüentemente, esses medicamentos também ajudam a aliviar a tosse.

A maioria das pessoas com diagnóstico de bronquite aguda não precisa de antibióticos para tratá-la, mas há alguns casos em que eles são benéficos.

Por exemplo, um profissional médico pode prescrever antibióticos se um paciente tiver desenvolvido bronquite por causa de uma infecção bacteriana ou se ele estiver sob risco de complicações graves como resultado da doença.

Infelizmente, os antibióticos não são eficazes contra a maioria dos casos porque a bronquite geralmente é causada por um vírus. Curiosamente, no passado, muitos profissionais médicos prescreviam antibióticos rotineiramente para bronquite, mas hoje é menos provável que o façam porque seu uso desnecessário é um fator que contribui para o desenvolvimento de bactérias resistentes aos antibióticos.

Bronquite Aguda – Tratamento

É necessário fazer repouso (de preferência em ambiente arejado, quente, úmido), ter uma alimentação sadia e ingerir alimentos com vitamina C. Não se deve fumar ou permanecer em atmosferas poluídas.

Para o tratamento, são ministrados analgésicos ou antiinflamatórios e antibióticos diante da presença de uma infecção.

bronquite aguda frequentemente não exige o tratamento médico.

Descansar em casa e abundância bebendo dos líquidos para manter o muco frouxo pode ser tudo que você precisa de fazer para começ melhor em alguns dias.

Se seus sintomas são severos ou você tem outros problemas de saúde (tais como o coração ou a doença ou o diabetes de pulmão), você pode precisar de tomar antibióticos.

Medidas de ordem geral: Proibir o uso do fumo, do álcool e dos gelados. Evitar a exposição ao frio e à umidade. Fornecer suprimento líquido adequado para facilitar a fluidificação das secreções, e também com a mesma finalidade prescrever nebulizações com vapor de água.

Medicamentos broncodilatadores: Na vigência de dificuldade respiratória impõem-se o uso de broncodilatadores, do tipo da aminofilina e drogas beta 2-estimulantes (salbutamol, terbutalina e fenoterol). As doses recomendadas dessas drogas estão referidas nos temas asma brônquica e complexo bronquite crônica-enfisema pulmonar.

Corticosteróides: Não se conseguindo bons resultados com a medicação broncodilatadora no alívio da dificuldade respiratória, ou na vigência de bronquite aguda ocasionada por agentes químicos ou na evidência de fator alérgico, deve ser prescrito o uso de corticosteróides, cujas doses e maneira de aplicação estão referidas nos capítulos sobre asma brônquica e complexo bronquite crônica-enfisema pulmonar.

Mucolíticos: Quando há muita secreção podem ser usados, como por exemplo, o ambroxol, na dose de 30 mg por 5 ml, 3 vezes ao dia ou acetilcisteína, 100-200 mg, 2 a 3 vezes ao dia.

Antibióticos

Na presença de expectoração muco-purulenta ou purulenta, torna-se necessário o seu uso.

a. Amoxicilina – é atualmente o mais utilizado, com nível de 90% de absorção por via oral, dose 500 mg de 8/8 h.
b. Ampicilina – via oral ou parenteral, dose de 2 a 6 g ao dia.
c. Penicilina V – (Pen-Ve-Oral), via oral, 500.000 a 1.000.000 U, cada 6 h.
d. Penicilina G Procaína, 300.000 a 600.000 U, 12/12 h, via intramuscular.
e. Amoxicilina associada ao ácido clavulânico, comprimidos de 500 mg, um cada 8 h ou suspensão de 250 mg por 5 ml, duas medidas cada 8 h.
f. Eritromicina – tem ação sobre a maioria das bactérias Gram +, sendo droga de escolha contra o micoplasma.
g. 
Em casos mais rebeldes, poderão ser usados cefalosporinas de 1ª, 2ª ou 3ª geração, ou ainda quinolonas, de acordo com o que está referido no Capítulo Atualização em Antimicrobianos.
h. 
A associação de uma sulfonamida (sulfametoxazol) e um outro quimioterápico (trimetropim), ou de outra sulfonamida (sulfadiazina) e trimetropim, são usadas também, particularmente no tratamento da bronquite aguda da criança.

Sedativos da tosse: Só devem ser usados no período de tosse seca ou raramente quando há secreção, quando a tosse é por demais incomodativa, mormente à noite. Prescrevem-se béquicos à base de codeína, dionina, citrato de butamirato ou cloridrato de clobutinol.

Antitérmicos: Usam-se habitualmente preparações à base de ácido acetilsalicílico ou metilmelubrina nas doses de todos conhecidas.

Oxigenoterapia: Nos casos de bronquite aguda muito graves observados em crianças de tenra idade, idosos ou pulmonares crônicos com processo de reagudização, rapidamente instala-se hipoxemia sendo recomendada a oxigenoterapia.

Causas

Pode ser causada por uma infecção (gripe, sarampo) ou por microorganismos (bactérias, vírus, fungos, parasitas) que invadem o corpo por via aerógena.

Também pode ser ativada por substâncias tóxicas (fumo, gases, vapores, substâncias químicas), fatores do meio ambiente (frio, molhadelas, neblinas, frentes atmosféricas, etc.) e alergias, respiração bucal, má-formações, ou inflamações em outras regiões respiratórias, tais como sinusite e otite.

Sintomas

Manifesta-se com catarro, tosse seca. Posteriormente, com escarros, dor retroesternal, fadiga, mal-estar geral e febre.

Os sintomas podem incluir:

Uma tosse profunda que produza o fleuma amarelado ou esverdeado
Dor atrás do esterno quando você respirar profundamente ou tossir
Chiado
Pequena sensação de respiração
Febre
Frios
Dor de cabeça
Músculos doridos.

Diagnóstico: Por exame médico e raio X de tórax.

Bronquite Aguda – Resumo

Bronquite Aguda

Bronquite é uma inflamação dos brônquios, as vias respiratórias que transportam o ar para os pulmões. Causa uma tosse que freqüentemente expele muco. Também pode causar falta de ar, respiração ofegante, febre baixa e aperto no peito.

Existem dois tipos principais de bronquite: aguda e crônica.

A maioria dos casos de bronquite aguda melhora em alguns dias. Mas sua tosse pode durar várias semanas após o desaparecimento da infecção.

Os mesmos vírus que causam resfriados e gripes costumam causar bronquite aguda. Esses vírus se espalham pelo ar quando as pessoas tossem ou por meio do contato físico (por exemplo, nas mãos sujas).

A exposição à fumaça do tabaco, poluição do ar, pós, vapores e fumos também pode causar bronquite aguda. Com menos frequência, as bactérias também podem causar bronquite aguda.

Para diagnosticar bronquite aguda, seu médico perguntará sobre seus sintomas e ouvirá sua respiração. Você também pode fazer outros testes.

Os tratamentos incluem repouso, líquidos e aspirina (para adultos) ou acetaminofeno para tratar a febre. Um umidificador ou vapor também podem ajudar.

Você pode precisar de um medicamento inalado para abrir suas vias respiratórias se estiver ofegante. Os antibióticos não ajudarão se a causa for viral. Você pode receber antibióticos se a causa for bacteriana.

Fonte: www.homeandhealthbrasil.com/www.geocities.com/www.wisegeek.org/www2.prudente.unesp.br/www.bronquite.com/www.iconocast.com/medlineplus.gov

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Avaliação Cognitiva

PUBLICIDADE Definição de Avaliação Cognitiva A avaliação cognitiva (ou teste de inteligência) é usada para determinar as …

Hiperestesia

PUBLICIDADE Definição A hiperestesia é uma condição ou um estado que envolve um aumento anormal da sensibilidade …

Fantosmia

PUBLICIDADE Definição Fantosmia é a palavra médica usada pelos médicos quando uma pessoa sente o cheiro …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.