Breaking News
Home / Saúde / Ambliopia

Ambliopia

PUBLICIDADE

Ambliopia – Definição

ambliopia é a baixa de visão, mesmo com o uso de óculos e estando as estruturas oculares normais.

O olho amblíope não teve o desenvolvimento normal da visão.

Também é conhecido como “olho preguiçoso”.

Se durante a idade de maior desenvolvimento da visão, que é até aproximadamente os 7 anos, ocorrerem alterações que impedem o foco de imagens nítidas na retina, o olho não amadurece a visão.

Ambliopia ou Olho Preguiçoso, como é conhecida, é a baixa visão em um olho causada porque este não se desenvolveu normalmente durante a infância. Isso ocorre geralmente com apenas um dos olhos.

A não ser que esteja associa com outra doença, como Estrabismo, é difícil de se reconhecer a ambliopia.

É preciso detectar a diferença entre os dois olhos logo na primeira infância para que o problema não se desenvolva.

Para observar a eficiência visual e diagnosticar a doença, o oftalmologist

a observa como o bebê segue um objeto com um olho enquanto o outro está tampado.

Se um dos olhos tiver ambliopia e o olho bom estiver tampado, a criança tentará olhar ao redor do tampão, tirá-lo de seu olho ou irá chorar.

ambliopia é um fenômeno muito conhecido pelos oftalmologistas, porém, desconhecido pela maioria das pessoas. Devido à sua importância, esse problema mereceria uma grande campanha de divulgação nacional.

ambliopia é uma doença grave, pois causa perda de grande parte da visão, e essa perda visual é de caráter irreversível, se não for tratada até uma certa idade.

Somente se conseguirá recuperar a visão se ela for tratada a tempo.

Ambliopia – Olho preguiçoso

Um “olho preguiçoso” é uma condição da infância em que a visão não se desenvolve adequadamente. É conhecido clinicamente como ambliopia.

Isso acontece porque um ou ambos os olhos são incapazes de construir uma ligação forte com o cérebro. Geralmente afeta apenas um olho, e significa que a criança pode ver menos claramente com o olho afetado e depende mais do olho “bom”.

Estima-se que 1 em cada 50 crianças desenvolva um olho preguiçoso.

O que é ambliopia?

ambliopia, comumente conhecida como “olho preguiçoso“, é um distúrbio visual que afeta 2 ou 3 por cento das crianças com menos de seis anos.

Crianças com ambliopia apresentam perda significativa de visão em um olho, causando perda de visão estereoscópica e possível cegueira no olho afetado.

Não é uma condição que possa ser tratada com óculos ou outros métodos corretivos tradicionais. As crianças amblíopes podem ter dois olhos relativamente saudáveis, mas a conexão entre um desses olhos e o cérebro não se desenvolveu totalmente durante a primeira infância.

Ambliopia
Ambliopia

Muitas pessoas confundem os sintomas da ambliopia com outro distúrbio denominado estrabismo (cruzar involuntário dos olhos).

Se uma criança tem uma forma de estrabismo em que um dos olhos permanece continuamente desalinhado, ela também pode desenvolver ambliopia. Mas muitas crianças amblíopes têm alinhamentos oculares normais, portanto, os pais e médicos de família podem não reconhecer todos os sintomas. Apenas um exame feito por um oftalmologista pediatra qualificado pode revelar a presença de ambliopia verdadeira.

O tratamento da ambliopia depende da idade do paciente e da gravidade da doença. Como o olho não afetado se torna tão dominante, a maioria dos programas de tratamento envolve forçar o outro olho a assumir as tarefas visuais por um tempo.

Crianças amblíopes podem ter que usar adesivos sobre o olho dominante ou usar colírios de atropina para causar manchas. Esses métodos forçam o olho afetado a fortalecer sua conexão com o córtex visual. Às vezes, a cirurgia pode ser realizada para corrigir o estrabismo, mas os sintomas amblíopes podem continuar sem terapia.

Se o olho afetado realmente fortalecer sua conexão com o córtex visual do cérebro, então a criança pode receber óculos se necessário.

Uma causa comum de ambliopia é uma diferença significativa na acuidade visual de cada olho. O cérebro escolhe processar as informações do olho com o mínimo de distorção.

O tratamento da ambliopia em crianças mais velhas ou adultos nem sempre tem tido tanto êxito, pois o cérebro fica muito confortável com as imagens produzidas pelo “olho bom” ao longo do tempo.

O diagnóstico e o tratamento precoces, portanto, são muito importantes para a criança e seus pais.

Quais são os sintomas mais comuns de ambliopia em crianças?

Ambliopia

ambliopia, comumente conhecida como olho preguiçoso, é uma condição que geralmente afeta crianças e faz com que os sinais de um olho sejam ignorados em favor do outro.

Os sintomas de ambliopia em crianças incluem desalinhamento dos olhos, percepção de profundidade deficiente e apertar os olhos ou virar a cabeça ao focalizar um objeto.

A criança pode ficar angustiada quando um dos olhos é coberto. Outras condições observadas, como catarata ou pálpebra caída, também podem bloquear parcialmente a visão de um dos olhos e indicar ambliopia em crianças.

Na visão normal, os sinais de ambos os olhos são compilados pelo cérebro para criar uma imagem tridimensional. Para crianças com ambliopia, as imagens que vêm dos olhos são muito diferentes para se misturarem em uma única imagem. O cérebro supera essa confusão ignorando um dos sinais.

Crianças com ambliopia dependem de um olho em detrimento do outro, resultando em percepção de profundidade diminuída ou ausente.

A falta de percepção de profundidade é um dos principais sintomas da ambliopia em crianças. Outros sintomas comuns incluem a tendência de apertar os olhos ou inclinar a cabeça ao tentar focalizar um objeto.

Crianças pequenas com ambliopia podem chorar ou ficar angustiadas se o olho mais forte for coberto.

Na maioria das vezes, a ambliopia em crianças é resultado de estrabismo ou desalinhamento dos olhos. Os olhos da criança parecem olhar em direções diferentes, tornando essa condição facilmente diagnosticada.

ambliopia estrábica pode ser observada no nascimento ou a condição pode se desenvolver mais tarde.

Quando a capacidade de focar em um objeto é incompatível, como quando apenas um olho tem miopia, pode ocorrer ambliopia. Tal como acontece com o desalinhamento, as imagens transmitidas pelos olhos não coincidem, levando o cérebro a ignorar os sinais do olho mais fraco. Essa forma de ambliopia, chamada ambliopia refrativa, é mais difícil de detectar.

É improvável que os olhos pareçam desalinhados, mas outros sintomas podem ser observados, como percepção de profundidade pobre e dificuldade de foco.

Obstáculos físicos também podem bloquear a visão de um olho, resultando em ambliopia em crianças. A catarata forma uma nuvem opaca dentro do olho e turva a visão, resultando em imagens incompatíveis enviadas ao cérebro. Isso faz com que as pupilas pareçam pálidas e turvas e são indicações facilmente observáveis de que a criança pode sofrer de ambliopia.

A ptose, ou pálpebra caída, torna difícil abrir o olho totalmente, bloqueando parcialmente a visão. O cérebro ignora as imagens de baixa qualidade do olho coberto, resultando em ambliopia.

A evidência de ptose é um sinal de ambliopia potencial em crianças.

Ambliopia – Causa

Ambliopia

É causada por qualquer doença que pode afetar o desenvolvimento dos olhos.

Em muitos casos é hereditário, mas existem três principais fatores que podem causá-la:

Estrabismo: É comum a ligação entre estrabismo e ambliopia. A criança pára de desenvolver o olho estrábico, utilizando-se somente do olho bom.
Foco Desigual:
 É o mais difícil de detectar. A ambliopia acontece quando um olho fica fora de foco por que tem maior grau de Miopia ou Astigmatismo, por exemplo. O olho mais fora de foco “desliga-se”, enquanto o outro desenvolve-se.
Embaçamento nos tecidos oculares:
 Doenças como a Catarata podem levar à ambliopia. Qualquer fator que impeça a formação de uma imagem nítida dentro dos olhos pode causar a doença. Este é o caso mais grave.

Ambliopia – Diagnóstico

Quando existe uma diferença na melhor acuidade visual corrigida entre os dois olhos maior ou igual a duas linhas de Snellen na ausência de doença orgânica.

Em primeiro lugar é importante explorar com detalhe minucioso a anamnese, história clínica, especial atenção aos antecedentes de patologia ocular pessoais e familiares.

Seguidamente deve-se proceder a avaliação oftalmológica completa e detalhada, nomeadamente:

Avaliar a acuidade visual com testes adaptados á idade e grau de desenvolvimento da criança ou adulto (teste de olhar preferencial, optótipos de Pigassou, Allen, Teste de Sheridan, Tabela de Snellen)
Avaliar movimentos oculares, movimentos de perseguição e nistagmus. Determinar fixação preferencial ou alternante.
Avaliar alinhamento ocular (ortotropia, estrabismo).

Proceder ao exame ocular, atenção ás pálpebras para descartar a presença de ptose, devem excluir-se patologias estruturais oculares como opacidade dos meios (lesões corneanas, cataratas), lesões maculares e do nervo óptico, anomalias da via visual cortical.

Ambliopia – Tratamento

tratamento da ambliopia começa com o uso de correção óptica (se indicada) seguida da oclusão do olho de melhor acuidade visual. Isto é feito para permitir que o olho mais fraco se desenvolva.

A oclusão do olho bom geralmente não é bem aceita pela criança (que não quer ficar apenas com o olho ruim), mas a persistência dos pais no tratamento deve ser mantida para a recuperação da visão da criança.

Nos casos de estrabismo o tratamento inclui ainda a correção do desvio.

Para corrigir a ambliopia, a criança deverá exercitar seu olho fraco. Isto é feito cobrindo com um tampão o olho mais forte, forçando o uso do outro por semanas ou meses.

Mesmo que o olho fraco recupere-se talvez seja preciso o uso parcial do tampão para manter o desenvolvimento, assim como óculos serão prescritos para corrigir erros na focalização.

Ocasionalmente usa-se colírios ou lentes no olho bom. Eles embaçam a vista para que o outro olho seja usado.

Quando o tratamento é seguido corretamente, sob orientação médica e na época adequada, a cura ocorre na grande maioria dos casos.

Se o olho amblíope não for tratado terá uma perda visual irreversível e a criança terá 50 % mais chance de ficar cega, uma vez que ninguém está excluído de ter uma doença ou acidentar um olho bom em alguma época da vida.

Fonte: atlas.ucpel.tche.br/www.seevividly.com/www.wisegeek.org/www.oticascussel.com.br/www.cdocular.com.br/my.clevelandclinic.org

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Avaliação Cognitiva

PUBLICIDADE Definição de Avaliação Cognitiva A avaliação cognitiva (ou teste de inteligência) é usada para determinar as …

Hiperestesia

PUBLICIDADE Definição A hiperestesia é uma condição ou um estado que envolve um aumento anormal da sensibilidade …

Fantosmia

PUBLICIDADE Definição Fantosmia é a palavra médica usada pelos médicos quando uma pessoa sente o cheiro …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.