Breaking News
Home / Saúde / Sarampo

Sarampo

PUBLICIDADE

Definição

sarampo é uma infecção respiratória muito contagiosa.

sarampo é uma doença muito infecciosa e potencialmente grave, causada por um tipo de vírus chamado paramixovírus.

sarampo causa uma erupção cutânea vermelha e manchada que geralmente aparece primeiro no rosto e atrás das orelhas, depois se espalha para baixo, para o peito e para as costas e, finalmente, para os pés.

Ele é transmitido de pessoa para pessoa por tossir, espirrar ou às vezes se beijar.

O que é

sarampo é uma infecção viral aguda acompanhada por uma erupção vermelha característica. É considerada uma das doenças mais contagiosas do mundo e, portanto, representa uma ameaça significativa à saúde pública.

Felizmente, o sarampo é evitável através da vacinação.

Infelizmente, muitos países em desenvolvimento têm programas de vacinação incompletos ou imperfeitos, e ainda é uma das principais causas de morte entre as crianças nessas regiões.

Membros do mundo antigo reconheceram e escreveram sobre o sarampo.

O nome da doença é derivado de uma palavra germânica para “mancha”, uma referência à erupção escura e irregular que é característica da doença.

A condição não está relacionada ao sarampo alemão, mais conhecido como rubéola.

A infecção é transmitida através de gotículas que são tossidas, espirradas ou expelidas.

Como o vírus está no ar, ele ataca o sistema respiratório em primeiro lugar, mas não para por aí; em última análise, todo o corpo será invadido até que a doença tenha terminado.

Uma infecção por sarampo por si só não é inerentemente perigosa, embora possa ser desconfortável e desagradável.

Dentro de duas semanas após a exposição, o paciente desenvolverá febre e nariz escorrendo, juntamente com tosse e olhos vermelhos. Logo em seguida, uma erupção vermelha aparecerá, cobrindo lentamente todo o corpo.

Dentro de cerca de cinco dias, a erupção desaparece, deixando a pele escamosa para trás.

O paciente ainda é infeccioso por cerca de uma semana após a erupção desaparecer, mas após um caso de sarampo, o paciente ficará para sempre imune.

O risco está nas complicações associadas à doença. Enquanto o sistema imunológico está ocupado lutando contra o vírus, infecções oportunistas podem se instalar em todo o corpo.

As infecções respiratórias são extremamente comuns e, em alguns casos, o paciente pode apresentar sintomas extremos, como encefalite, um inchaço do cérebro que pode ser fatal.

O risco para a saúde pública no sarampo está nessas complicações, que podem sobrecarregar os serviços de saúde se uma grande população contrair a doença.

As vacinas contra o sarampo tornaram-se disponíveis em 1963 e muitas crianças em todo o mundo são rotineiramente vacinadas. Se um caso surge em uma população como uma faculdade, toda a população é frequentemente revacinada, para garantir que a doença não se espalhe. Quando alguém é diagnosticado com sarampo, ele geralmente tenta ficar dentro, para que a doença não se espalhe.

O paciente deve ser mantido hidratado e aquecido, e um médico pode monitorar o paciente em busca de complicações para garantir que o vírus siga seu curso suavemente.

Sintomas

Os sintomas do sarampo, ou rubéola, muitas vezes incluem um nariz escorrendo ou entupido, febre, fadiga, tosse e espirros dentro de uma semana ou duas de estar infectado.

O sintoma mais reconhecível do sarampo, a erupção maculopapular ou a erupção irregular da cabeça aos pés, podem não ocorrer até pelo menos duas semanas após a pessoa estar infectada com o vírus do sarampo.

As manchas de Koplik são feridas avermelhadas com centros brancos ou azulados e estas aparecem dentro da boca das pessoas com sarampo.

Olho-de-rosa, ou conjuntivite, também é um dos sintomas. A infecção, comumente chamada de olho-de-rosa, pode envolver um ou ambos os olhos e os sintomas incluem vermelhidão no interior do olho, bem como crostosidade ao redor da pálpebra que a fecha temporariamente, especialmente ao acordar. Um sintoma adicional do sarampo em crianças é uma infecção do ouvido médio ou otite média.

Crianças mais novas podem agarrar seus ouvidos e ficar mais irritadas e menos ativas do que o normal, enquanto crianças mais velhas com infecção no ouvido médio podem se queixar de dores de ouvido.

Os sintomas do sarampo em bebês geralmente incluem diarréia e também pode haver perda de apetite.

Muitas pessoas confundem os sintomas do sarampo com outras condições, como resfriados e gripes, até surgir uma erupção de manchas que começa na cabeça e percorre o corpo.

sarampo é extremamente contagioso, mas uma vez que o tenha, ele não o recebe novamente. Ajuda médica deve ser procurada imediatamente quando houver suspeita de sarampo em adultos ou crianças.

sarampo geralmente não é grave, mas é muito contagioso e existe um risco raro de desenvolver a condição inflamatória do cérebro chamada encefalite. Os sintomas da encefalite incluem torcicolo, febre, vômitos e dores de cabeça.

É importante diferenciar o sarampo do sarampo alemão, pois são duas doenças diferentes de vírus totalmente diferentes. O nome médico do sarampo é rubeola, enquanto rubéola refere-se ao sarampo alemão.

Os sintomas do sarampo, como a erupção irregular e sinais de resfriado ou gripe, são os mesmos no sarampo alemão. No entanto, as glândulas do pescoço inchadas são um sintoma comum do sarampo alemão que pode não ser experimentado no sarampo. O sarampo alemão também é diferente do sarampo regular, pois é muito perigoso na gravidez.

Se uma mulher grávida tiver sarampo alemão e a passar para o feto, o resultado pode ser a síndrome da rubéola congênita, que é o nome médico dado quando o feto está infectado com a doença.

A síndrome da rubéola congênita pode causar retardo físico e mental, bem como deformações e surdez de órgãos. Um exame de sangue pode determinar a imunidade de uma pessoa à rubéola, ou sarampo alemão.

A vacina alemã contra o sarampo é geralmente considerada segura para uma mulher que pode engravidar se for administrada pelo menos um mês antes da gravidez

Quais são os sinais comuns de sarampo em adultos?

O sintoma mais notável do sarampo em adultos geralmente é uma erupção cutânea vermelha e manchada. Outros sintomas semelhantes aos da gripe às vezes acompanham o sarampo, e alguns pacientes também experimentam ou desenvolvem diarréia, dores de ouvido ou infecções e pneumonia. Enquanto não surgem complicações, o tratamento do sarampo em adultos é principalmente um processo caseiro que envolve medicamentos sem receita, líquidos e repouso. As vacinas de adultos são eficazes na prevenção e, às vezes, na interrupção do sarampo.

Mesmo que uma pessoa infectada não procure tratamento médico profissional, ele deve notificar seu médico sobre a doença para que os departamentos locais de saúde possam estar em alerta.

Os sintomas de erupção cutânea começam a aparecer em qualquer lugar entre uma ou duas semanas após a infecção. Provavelmente, o indicador mais visível para o reconhecimento do sarampo em adultos é a erupção que acompanha a doença. A erupção pode aparecer em qualquer lugar de três a cinco dias após os sintomas aparecerem.

Isto significa que uma erupção do sarampo se desenvolve em algum lugar entre dez a dezenove dias após a infecção. A erupção geralmente é vermelha, plana e manchada, e geralmente começa perto do rosto e segue para outras partes do corpo. É importante evitar riscar ou pegar a erupção, pois isso pode ajudar na disseminação da doença.

Os adultos com sarampo podem ser contagiosos até quatro dias após a erupção desaparecer.

Sintomas adicionais do sarampo são semelhantes aos sintomas de outros tipos de doenças. Por exemplo, o sarampo em adultos pode trazer sintomas semelhantes aos da gripe, como fadiga, dores musculares e febre. Tosse, espirros, dores de garganta e nariz escorrendo são sintomas comuns de sarampo em adultos. Alguns adultos que contraem sarampo podem sentir olhos secos ou lacrimejantes e sensibilidade à luz, e alguns podem desenvolver dores de ouvido, manchas brancas nas bochechas e até diarréia. Os sinais do sarampo podem ser aplicados a várias doenças, por isso, para obter um diagnóstico correto, uma pessoa com sintomas deve procurar atendimento médico, mesmo que a erupção não esteja presente.

A maioria dos pacientes adultos com sarampo é capaz de se curar por conta própria. Alguns medicamentos de venda livre para redução da febre e para aliviar a erupção cutânea podem ser necessários. A pessoa deve descansar bastante, beber bastante líquido e evitar o contato com os outros o máximo possível. Se o paciente desenvolver outras doenças, como uma infecção ou pneumonia, o médico pode prescrever antibióticos.

Embora muitos casos de sarampo em adultos possam desaparecer por conta própria com os devidos cuidados, a pessoa deve notificar seu médico para que possa ser relatada ao departamento de saúde local da área em caso de um surto.

Os adultos que não tiveram qualquer uma das vacinas contra o sarampo devem considerar a vacinação de adultos, mesmo que eles acreditem que já tenham contraído a doença. Uma é a vacina MMR, que cobre o sarampo, a caxumba e a rubéola, e a outra é uma vacina única contra o sarampo. Viajantes frequentes e pessoas que trabalham ou frequentam a escola em campos públicos, como professores, estudantes universitários, profissionais de saúde e creches, podem precisar de duas vacinas para garantir a proteção. A vacinação contra o sarampo pode trazer alguns efeitos colaterais, mas a maioria é leve, como febre e vermelhidão e inchaço no local da injeção. Os médicos geralmente não recomendam vacinas para mulheres grávidas ou pessoas que têm sérios problemas com o sistema imunológico.

Causas

A causa do sarampo é uma infecção viral cujo período de incubação é de aproximadamente 2 semanas. O período de invasão do sarampo dura de 3 a 5 dias.

No doente de sarampo aparecem no interior da boca as manchas de Koplik, que são pequenas manchas arredondadas e cor de cinza, rodeadas por um halo de coloração avermelhada. Há erupção de manchas vermelhas na pele, que em geral tem início no rosto e em 1 ou 2 dias alastram-se por outras partes do corpo.

Prevenção

sarampo pode ser facilmente prevenido através da vacinação.

No Brasil, a primeira dose da vacina anti-sarampo é aplicada aos 9 meses de vida. Aos 15 meses é repetida, sendo aplicada juntamente com a vacina contra a rubéola e a caxumba (a chamada vacina tríplice viral).

Quando uma criança apresenta sarampo, devem ser tomados alguns cuidados para evitar a transmissão da doença. Ela deve manter-se isolada de outras, porque não se sabe se todas foram vacinadas. Por sua vez, as crianças não devem visitar locais onde sabidamente exista alguém com sarampo – esta recomendação deve ser mantida até que a pessoa sare.

As crianças não vacinadas que moram em casas onde alguém esteja com sarampo devem evitar ir à creche, à escola, à igreja ou a qualquer outro local onde haja concentração de pessoas.

Este cuidado evita a transmissão da doença, caso as crianças já estejam contaminadas e ainda não saibam disso.

Quem não foi vacinado, não teve a doença e manteve contato com alguém suspeito de estar com sarampo deve ser imediatamente vacinado, para que a doença seja bloqueada a tempo. É preciso, ainda, que os serviços de saúde sejam avisados, tão logo se saiba da existência de um caso suspeito. Com isso, evita-se que a doença se espalhe.

Se é verdade que o sarampo geralmente não envolve riscos mais sérios, não se pode esquecer que pode vir a apresentar complicações graves. Uma em cada dez crianças pode pegar infecção de ouvido; uma em cada vinte, pneumonia; e uma em cada mil pode vir a contrair encefalite, que é uma grave infecção no cérebro e pode deixar marcas para o resto da vida, tais como diminuição da capacidade mental, surdez e retardo do crescimento – podendo, inclusive, levar à morte. O sarampo torna-se um caso sério principalmente quando afeta crianças desnutridas menores de cinco anos.

Até a descoberta da vacina contra o sarampo, quase todas as pessoas já o haviam contraído até os 15 anos. Por isso, muitos pensam que é uma doença de crianças, embora os adolescentes e adultos também possam contraí-la.

Nos países que conseguem vacinar quase todas as suas crianças, praticamente não existem mais casos de sarampo.

Tratamento

Não existe tratamento específico. A pessoa com sarampo deve ficar de repouso, de preferência num ambiente com pouca luz, já que passa a não tolerar a claridade. O que se pode fazer-se é tratar os outros sintomas, ou seja, controlar a febre com banhos mornos ou compressas frias nas axilas, oferecer bastante líquido e alimentação saudável, usar umidificador ou realizar inalação do vapor de uma panela com água quente, cobrindo-se, nesse procedimento, a cabeça do paciente com uma toalha. Para aliviar a irritação, os olhos devem ser lavados com água boricada ou soro fisiológico.

A pessoa com sarampo deve ser alimentada normalmente, mesmo que tenha febre ou diarreia. Neste último caso, ela deve tomar soro caseiro, para não ficar desidratada. Se houver complicações como dor no ouvido, tosse ou forte dor de cabeça, deve-se procurar ajuda médica.

Sarampo – Fotos

Fonte: www.health.govt.nz/healthywa.wa.gov.au/www.mayoclinic.org/kidshealth.org/www.wisegeek.org/www.nhs.uk/mydr.com.au/www.healthnavigator.org.nz/medlineplus.gov

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Viroides

PUBLICIDADE Definição Os viroides são os menores patógenos infecciosos conhecidos, constituídos apenas por um RNA circular …

Supernova

PUBLICIDADE Uma supernova é a explosão de uma estrela na qual a estrela pode atingir …

Animais Invertebrados

PUBLICIDADE Definição de Invertebrado Invertebrados são animais que não têm espinha dorsal. A coluna vertebral …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.