Breaking News
Home / Saúde / Disautonomia

Disautonomia

PUBLICIDADE

Definição médica de disautonomia

A Disautonomia um distúrbio do sistema nervoso autônomo que causa distúrbios em todas ou algumas funções autonômicas e pode resultar do curso de uma doença (como diabetes) ou de lesão ou envenenamento, especialmente a disautonomia familiar.

O que é a Disautonomia?

A Disautonomia é um termo geral para uma gama de condições que afetam o sistema nervoso autônomo.

O sistema nervoso autônomo lida com coisas como engolir, respirar, batimentos cardíacos e outras funções importantes que mantêm o corpo funcionando sem problemas.

Em um paciente com disautonomia, o sistema nervoso autônomo não funciona direito, causando problemas que podem variar de tontura ocasional a dores incapacitantes.

Historicamente, essa condição era conhecida como “neurastenia“, e dizia-se que ela aparecia em pessoas com sistemas nervosos “fracos”.

À medida que a ciência médica avançava, os médicos começaram a perceber que uma série de condições como Síndrome de Shy-Drager, síndrome da fadiga crônica, síncope neurocardiogênica, insuficiência autonômica pura e Síndrome de Ruley-Day realmente envolviam algum nível de falha por parte do sistema nervoso autônomo. Embora o reconhecimento encorajasse o diagnóstico, as opções de tratamento são muitas vezes limitadas, devido a uma compreensão imperfeita da disautonomia.

Uma variedade de sintomas está associada à disautonomia, incluindo tontura, taquicardia, coordenação motora fraca, dores de cabeça, dificuldade para engolir, desmaios, indiferença à dor e espasmos musculares.

Muitos pacientes também sofrem de depressão, em parte porque às vezes têm dificuldade em encontrar médicos que os tratem.

Como os sintomas geralmente são inespecíficos e difíceis de definir, os médicos podem dispensar o paciente como um reclamante, em vez de reconhecer que o paciente pode realmente ter uma condição médica.

Várias causas potenciais de disautonomia foram identificadas, incluindo a exposição a toxinas, herança genética, infecções e lesões. No entanto, nenhuma causa firme foi provada estar ligada à disautonomia. As condições doença também são difíceis de tratar, com alguns pacientes tentando uma variedade de medicamentos, incluindo analgésicos, antidepressivos e medicamentos para controlar o ritmo cardíaco.

A gravidade da disautonomia varia consideravelmente. Alguns pacientes vivem vidas relativamente normais e saudáveis e podem ser bastante ativos. Outros podem estar acamados ou freqüentemente doentes e, no caso de pessoas sem diagnóstico firme, familiares, funcionários e amigos podem descartar a gravidade da condição. Muito mais pesquisas sobre disautonomia são necessárias para aprender mais sobre o que a causa e como gerenciá-la.

Disautonomia

A disautonomia é uma perturbação do sistema nervoso do corpo

Sintomas

Os sintomas incluem desmaios, problemas cardiovasculares e problemas respiratórios. Está ligado a condições como a doença de Parkinson e diabetes.

As disutonomias vêm em muitas formas, mas todas envolvem o sistema nervoso autônomo (SNA).

O SNA é responsável por manter uma temperatura interna constante, regular os padrões respiratórios, manter a pressão arterial estável e moderar a frequência cardíaca. Também está envolvido na dilatação da pupila, na excitação sexual e na excreção.

Os sintomas de disautonomia geralmente aparecem como problemas com esses sistemas particulares.

Existem muitos tipos diferentes de disautonomia, e os sintomas serão diferentes para cada um. Em muitos casos, os sintomas não são visíveis e ocorrem internamente.

No entanto, existem traços comuns que podem ocorrer em pessoas com disautonomia.

Os sintomas podem ser difíceis de prever. Estes efeitos podem ir e vir e normalmente variam em quão severos eles são. Uma atividade física específica pode desencadear sintomas mais graves. Isso pode fazer com que as pessoas com disautonomia evitem o esforço excessivo.

Os sintomas comuns incluem:

Uma incapacidade de ficar em pé
Tontura, vertigem e desmaio
Pulsação rápida, lenta ou irregular
Dor no peito
Pressão sanguínea baixa
Problemas com o sistema gastrointestinal
Náusea
Distúrbios no campo visual
Fraqueza
Dificuldades respiratórias
Mudanças de humor
Ansiedade
Fadiga e intolerância ao exercício
Enxaquecas
Tremores
Padrão de sono interrompido
Micção frequente
Problemas de regulação de temperatura
Problemas de concentração e memória
Pouco apetite
sentidos hiperativos, especialmente quando expostos a ruído e luz

Estas podem ocorrer em uma variedade de combinações, tornando a disautonomia uma condição difícil de diagnosticar.

Existe algum tratamento para disautonomia?

Geralmente não há cura para disautonomia. Formas secundárias podem melhorar com o tratamento da doença subjacente.

Em muitos casos o tratamento da disautonomia primária é sintomático e de suporte.

As medidas para combater a hipotensão ortostática incluem elevação da cabeceira do leito, bolus de água (infusão rápida de água administrada por via intravenosa), dieta rica em sal e medicamentos como fludrocortisona e midodrina.

Resumo

Disautonomia refere-se a um distúrbio da função do sistema nervoso autônomo (SNA) que geralmente envolve falha dos componentes simpáticos ou parassimpáticos do SNA, mas também podem ocorrer disautonomia envolvendo ações excessivas ou hiperativas do SNA.

A disautonomia pode ser local, como na distrofia simpática reflexa, ou generalizada, como na falência autonômica pura.

Pode ser aguda e reversível, como na síndrome de Guillain-Barre, ou crônica e progressiva. Várias condições comuns, como diabetes e alcoolismo, podem incluir disautonomia.

A disautonomia também pode ocorrer como uma condição primária ou em associação com doenças neurológicas degenerativas, como a doença de Parkinson.

Outras doenças com disautonomia primária generalizada incluem atrofia de múltiplos sistemas e disautonomia familiar.

Fonte: my.clevelandclinic.org/www.wisegeek.org/www.medicalnewstoday.com/www.merriam-webster.com

Veja também

Afasia

PUBLICIDADE Definição de Afasia A afasia é um comprometimento da linguagem, afetando a produção ou …

Síncope Cardíaca

PUBLICIDADE Definição A síncope cardíaca é a perda súbita de consciência, seja com sintomas premonitórios momentâneos ou …

Coristoma

PUBLICIDADE Definição Uma massa formada pelo desenvolvimento defeituoso de tecido de um tipo normalmente não …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.