Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Saúde / Pólipo de garganta

Pólipo de garganta

PUBLICIDADE

Definição

Os pólipos de cordas vocais são incomuns em crianças e adolescentes. São lesões ou tumores benignos (não cancerosos) localizados na superfície das cordas vocais.

Os pólipos das cordas vocais são frequentemente confundidos com nódulos nas cordas vocais, já que ambos geralmente ocorrem após abuso crônico da caixa de voz. Os pólipos, no entanto, são geralmente maiores que os nódulos e são mais parecidos com bolhas e inchados (enquanto os nódulos são mais parecidos com calos).

Visão Geral

Os pólipos da garganta são um crescimento benigno da carne que se desenvolve na garganta.

Esses crescimentos benignos são geralmente encontrados nas cordas vocais e tendem a ter várias causas em relação à sua ocorrência.

As pessoas que correm maior risco de desenvolver Pólipo de garganta são aquelas que tendem a abusar muito das cordas vocais, como cantores, treinadores, professores de educação física que tendem a gritar e gritar muito durante a prática e, portanto, estão predispostos ao desenvolvimento da Pólipo de garganta.

O abuso de tabaco e os fumantes de cadeia também estão em risco de desenvolver pólipos de garganta. Condições médicas como hipotireoidismo e refluxo ácido também podem predispor um indivíduo a desenvolver pólipos de garganta. Degeneração polipóide ou edema de Reinke são alguns dos nomes dados aos pólipos de garganta.

O que é um Pólipo de garganta?

Um pólipo da garganta é um crescimento em forma de bolha nas cordas vocais tipicamente causadas pelo uso excessivo ou excessivo da voz. Fumar e condições médicas que afetam o ácido do estômago também podem contribuir para os pólipos. Esses crescimentos são tipicamente não-cancerosos, embora possam levar a outros problemas se não forem tratados.

As pessoas que usam suas vozes pesadamente são mais propensas a desenvolver um pólipo na garganta. Isso inclui pessoas cujas profissões envolvem muita conversa, gritar ou cantar, como professores, artistas, leiloeiros e personalidades de rádio e televisão. O sintoma mais comum e o primeiro a aparecer normalmente é uma aspereza geral ou rouquidão da voz, que pode ou não ser acompanhada por dor de garganta ou sensação de plenitude na garganta.

Muitas condições podem levar à rouquidão, e as alterações na voz que persistem por mais de uma semana ou duas devem ser avaliadas por um médico. O médico pode usar um instrumento fino com uma câmera na extremidade chamada endoscópio para examinar as cordas vocais em busca de sinais de lesões ou de um pólipo da garganta. Se o médico suspeitar que o pólipo da garganta pode realmente ser uma lesão cancerígena ou pré-cancerosa, ele pode remover uma pequena porção da ferida para realizar uma biópsia.

Pólipo de garganta

Pólipos

As pessoas que desenvolvem um pólipo na garganta geralmente são aconselhadas a descansar completamente por várias semanas para que suas cordas vocais tenham a chance de descansar e se recuperar. Isso pode não fazer com que o pólipo desapareça completamente, mas pode reduzir os sintomas associados ao crescimento e permitir que a voz do paciente volte ao normal. Pacientes com pólipo da garganta que fumam devem discutir métodos de parar com seus médicos para evitar que o problema piore.

A fonoterapia, após um período inicial de repouso vocal, pode ajudar os pacientes com pólipo da garganta a aprender como cuidar de suas pregas vocais.

Essas sessões de terapia incluem exercícios para ajudar os pacientes a encontrarem seu tom normal, pois falar, sussurrar, gritar ou cantar regularmente em intervalos de notas pode irritar as cordas vocais. Esteróides inalatórios podem ajudar a curar alguns pólipos se o repouso da voz e a terapia da fala não reduzirem os sintomas do paciente.

Em casos graves que não respondem a métodos de tratamento mais conservadores, a cirurgia para remover um pólipo da garganta pode ser necessária. As técnicas cirúrgicas são normalmente reservadas para pacientes com sintomas graves ou pólipos extremamente grandes. Um cirurgião pode usar um endoscópio para ver as cordas vocais, e ferramentas cirúrgicas especiais são usadas para remover o pólipo. Alguns pacientes experimentam alterações permanentes na voz depois de passar por uma cirurgia para remover um crescimento, por isso deve ser uma opção de último recurso, especialmente para pacientes que dependem de suas vozes para suas ocupações.

Pólipo – Tipos

Os pólipos são crescimentos anormais de tecido que, na maioria das vezes, se assemelham a pequenas saliências planas ou minúsculos caules semelhantes a cogumelos. A maioria dos pólipos é pequena e tem menos de meia polegada de largura.

Os pólipos no cólon são os mais comuns, mas também é possível desenvolver pólipos em locais que incluem:

Canal do ouvido
Colo do útero
Estômago
Nariz
Útero
Garganta

A maioria dos pólipos é benigna, o que significa que eles não são cancerosos. Mas porque são devidos ao crescimento anormal das células, podem eventualmente tornar-se malignos ou cancerosos. Seu médico pode ajudar a determinar se o crescimento é um pólipo, realizando uma biópsia. Isso envolve tomar uma pequena amostra de tecido e testá-lo para a presença de células cancerígenas.

O tratamento dos pólipos depende de sua localização, tamanho e se eles são benignos ou malignos.

Tipos de lesões vocais benignas

Pólipos de cordas vocais

Um pólipo das cordas vocais é o tipo mais comum de lesão benigna das cordas vocais. Quando as cordas vocais batem umas nas outras e se tornam irritadas e inflamadas, lesões semelhantes a bolhas podem se formar no ponto de contato e se transformar em bolsas carnudas presas à corda vocal.

Uma causa comum de pólipos é um único evento traumático – por exemplo, um período prolongado de gritar – que leva a uma bolha de sangue, que se desenvolve em um pólipo. Os pólipos variam em tamanho e podem se desenvolver em uma ou ambas as cordas vocais.

Cistos de cordas vocais

Um cisto é um saco que normalmente é preenchido com fluido ou muco. Cistos podem se formar quando a irritação na corda vocal resulta na obstrução de um ducto glandular, uma pequena abertura no tecido que reveste as cordas vocais que excreta o muco e outras substâncias. Se esse duto ficar entupido, ocorre um acúmulo de muco e pode levar à formação de um cisto.

Um cisto que se desenvolve profundamente nas cordas vocais pode alterar significativamente a frequência natural de vibração da sua voz, o que pode resultar em uma mudança perceptível no som da sua voz.

Nódulos nas cordas vocais

Nódulos nas cordas vocais são o resultado de irritação repetitiva das cordas vocais. Esses crescimentos firmes e calosos estão normalmente localizados em ambas as cordas vocais. Se não for tratada, os nódulos das cordas vocais continuam a crescer e a endurecer, portanto a detecção precoce é importante para evitar futuras complicações que possam afetar sua voz.

Cicatrizes do cordas vocais

Cicatrização do cordão vocal ocorre quando o corpo tenta reparar uma lesão na corda vocal. O tecido cicatricial é menos maleável que o tecido normal. Como resultado, as vibrações que criam o som da sua voz podem ser alteradas.

Ao contrário dos nódulos e pólipos, que podem desaparecer com terapia e medicação, o tecido cicatricial das cordas vocais é permanente. O tecido cicatricial pode precisar ser removido para restaurar a função normal das cordas vocais.

Quais são os sintomas dos pólipos da garganta?

Os sintomas dos pólipos da garganta, que às vezes também são chamados de “ nódulos nas cordas vocais ”, incluem uma voz rouca e rouca e um arranhão ao respirar e falar. A condição raramente causa dor além de algumas vezes dor de garganta, e as pessoas muitas vezes pensam erroneamente que têm laringite ou alergias sazonais até receberem um diagnóstico de pólipos de seu médico ou profissional de saúde. Na maioria dos casos, quanto mais pólipos uma pessoa tem – ou quanto maiores os crescimentos – mais intensos os sintomas se tornam. Tiro dor de ouvido e pressão sinusal são dois dos sintomas mais extremos e fadiga e fraqueza geral também podem resultar. Na maioria dos casos, assim que os pólipos são removidos ou encolhidos, os sintomas desaparecem.

Mudanças de voz

Uma das primeiras coisas que as pessoas com pólipos da garganta notam é que a voz delas fica rouca e profunda. Pode ser difícil falar alto, por exemplo, e as pessoas costumam dizer que seu tom tem uma qualidade rouca e rouca. Os cantores geralmente descobrem que o alcance deles também diminui um pouco, e eles podem não conseguir atingir as notas tão altas ou tão baixas quanto costumavam. A mudança é normalmente gradual, o que pode dificultar que as pessoas identifiquem exatamente quando começaram.

Arranhão na garganta

Pessoas com pólipos na garganta freqüentemente também se queixam de uma dor áspera que não parece desaparecer. Na maioria dos casos, isso é mais um aborrecimento do que um problema real, mas geralmente é perceptível. Fumar ou passar tempo em ambientes com fumaça pode piorar esses sintomas, assim como falar, cantar ou usar a voz por longos períodos de tempo.

Dor de ouvido

Em casos extremos – isto é, nos casos em que os pólipos se tornaram muito grandes ou ocorrem em agrupamentos amplos – os pacientes podem experimentar uma dor aguda que parece ir de orelha a orelha. As conexões nervosas nos ouvidos, nariz e garganta estão intimamente ligadas e, na maioria dos casos, não há nada de errado com as orelhas; a dor é sentida aqui, por causa da maneira como os nervos se cruzam. Pressão nos seios pode acontecer pelas mesmas razões.

Fadiga

Esgotamento e fadiga são mais raros, mas foram documentados em alguns casos. A fadiga geralmente começa com a voz. Palestrantes e cantores, em particular, geralmente descobrem que não são capazes de fazer palestras ou concertos por muito tempo sem sentir rachaduras ou quebras em suas vozes. Pode se espalhar para o corpo em geral também. As pessoas que sofrem desse sintoma muitas vezes sentem-se fracas na maioria dos seus principais músculos, e muitas vezes têm dificuldade em fazer muitas atividades físicas.

Por que o pólipos desenvolve

Os pólipos são nódulos carnudos que crescem na superfície das membranas mucosas da garganta e nas cordas vocais e na camada de tecido que os rodeia. Eles geralmente são causados por tensão nas cordas vocais ao longo do tempo. As pessoas que usam suas vozes como parte de seus trabalhos estão, com freqüência, em risco particular, mas também os fumantes e aqueles que usam produtos orais de tabaco, que podem enfraquecer os músculos da garganta. Alergias persistentes ou problemas respiratórios como a asma podem tornar a condição mais provável também. Os crescimentos também podem se desenvolver após eventos traumáticos únicos, como acidentes ou lesões espontâneas na garganta; nesses casos, os pólipos geralmente se formam quando os tecidos estão cicatrizando.

Pólipos pequenos na garganta podem nunca ser notados. Às vezes eles caem sozinhos e depois saem do corpo através do trato digestivo. Ao contrário dos pólipos encontrados no cólon, o crescimento da garganta não significa necessariamente que alguém tenha um alto risco de câncer. Os fatores de risco para os pólipos podem ser semelhantes àqueles que causam câncer, no entanto, como fumaça de cigarro ou consumo excessivo de álcool, e os sintomas geralmente são muito semelhantes. Por esse motivo, as pessoas que notam mudanças em suas vozes que não desaparecem sozinhas são geralmente aconselhadas a fazer uma avaliação médica.

Opções de tratamento

Os nódulos de cordas vocais geralmente podem ser tratados de três maneiras: por meio de modificação de comportamento, por meio de drogas e medicamentos e por meio de remoção cirúrgica. Correções comportamentais geralmente envolvem a remoção de estressores das cordas vocais e a limitação do uso excessivo da voz. Às vezes, simplesmente dar tempo aos cordões para curar e descansar é tudo o que é necessário para os pólipos encolherem ou desaparecerem sozinhos.

Intervenções médicas geralmente buscam curar problemas de garganta, particularmente aqueles causados por refluxo ácido ou tecidos rasgados. Os medicamentos anti-inflamatórios também podem ser usados se os pólipos estiverem causando inchaço. Nos casos em que os crescimentos estão realmente interferindo na vida do paciente, a cirurgia pode ser o melhor caminho a seguir; nesses casos, os crescimentos são removidos raspando-os ou arrancando-os da superfície das cordas vocais. A cirurgia é geralmente considerada como um último recurso e geralmente não é realizada a menos que seja absolutamente necessário. Os riscos e possíveis complicações geralmente não valem os benefícios de outra forma.

O que é um pólipo de cordas vocais?

Pólipo de garganta

Pólipo em corda vocal

Um pólipo das cordas vocais é um crescimento não canceroso e semelhante a uma bolha na corda vocal. Pode-se aparecer sozinho ou vários podem crescer em ambos os cordões ao mesmo tempo. Eles diferem dos nódulos das cordas vocais em que os nódulos são duros e os pólipos são moles. Os pólipos aparecem como áreas inchadas, crescimentos em forma de caule ou lesões que se assemelham a bolhas. A principal causa dos pólipos é o abuso de voz. Cantores, atores de palco e treinadores esportivos são exemplos de pessoas com um risco aumentado de desenvolvimento de pólipos nas cordas vocais.

Os sintomas de pólipos e nódulos são semelhantes e incluem uma voz rouca com duração de mais de duas ou três semanas. A voz também pode se tornar um som áspero. Sentir um nó na garganta ou dores nos ouvidos também são sinais de que os pólipos das cordas vocais estão presentes. O primeiro sinal de pólipos para cantores profissionais é geralmente uma faixa de tom de voz diminuída durante a execução. A fadiga geral é outro sintoma possível.

Se não for tratado, um pólipo vocal eventualmente se transforma em um nódulo nas cordas vocais. Os nódulos são duros e parecem calos. Tratar pólipos das cordas vocais impede que eles mudem para nódulos mais difíceis de tratar.

O diagnóstico é feito através de um exame por um profissional médico, normalmente um otorrinolaringologista especializado em doenças do nariz, orelhas e garganta. Este exame geralmente envolve examinar visualmente as cordas vocais com um endoscópio. Uma avaliação por um especialista em fala e linguagem também pode ser solicitada. Em alguns casos, um exame neurológico é incluído. A equipe de avaliação estuda os resultados do teste para fazer o diagnóstico.

O tratamento geralmente começa com o repouso das cordas vocais. As receitas podem ser escritas para medicação para tratar fatores contribuintes, como doença do refluxo gastroesofágico ou alergias. O treinamento do comportamento de voz para eliminar o abuso futuro é outra opção de tratamento. Nos casos em que estes métodos não funcionam, a cirurgia para remover os pólipos é realizada. Uma combinação de intervenção médica, comportamental e, se necessário, cirúrgica trata eficazmente a maioria dos pólipos das cordas vocais.

A maioria dos pólipos das cordas vocais é benigna, mas em raras ocasiões eles podem se tornar cancerosos. Quando um pólipo das cordas vocais é removido cirurgicamente, ele é enviado para um exame de biópsia para determinar se é maligno. Em caso afirmativo, o paciente é encaminhado a um oncologista para avaliação e qualquer tratamento necessário. Recomenda-se uma visita a um profissional médico sempre que as alterações vocais forem percebidas por mais de duas semanas, houver dor no ouvido ou no pescoço ou aparecerem outros sintomas de pólipo das cordas vocais.

Sobre sua garganta

De um modo geral, sua garganta tem dois tubos importantes: o esôfago, que é o tubo que envia comida da boca até o estômago; e a traqueia, que é o tubo que inala o oxigênio para os pulmões e expira o dióxido de carbono de volta.

A laringe ou “caixa de voz” está no topo da traqueia e contém as pregas vocais que vibram quando você passa ar sobre elas, permitindo que você ouça, ria e cante karaokê.

Há também gânglios linfáticos em sua garganta, assim como a glândula tireoide e aquelas amígdalas malucas.

Fonte: www.asha.org/http://www.throatproblems.co.uk/www.epainassist.com/www.wisegeek.org/www.newhealthguide.org/nyulangone.org/my.clevelandclinic.org

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Síndrome de Williams

Síndrome de Williams

PUBLICIDADE A síndrome de Williams é um distúrbio do desenvolvimento que afeta muitas partes do …

Líquen Escleroso

Líquen Escleroso

PUBLICIDADE O líquen escleroso é uma condição dermatológica que afeta principalmente mulheres após a menopausa …

Irite

Irite

PUBLICIDADE O que é A irite é inflamação da íris (a parte colorida do olho). …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+