Breaking News
Home / Saúde / Síndrome de Tolosa-Hunt

Síndrome de Tolosa-Hunt

PUBLICIDADE

História

A síndrome de Tolosa Hunt foi descrita pela primeira vez no ano de 1954 pelo Dr. Eduardo Tolosa, um neurocirurgião espanhol.

Casos semelhantes foram relatados por Hunt et al. em 1961.

Smith e Taxdal o chamaram de Síndrome de Tolosa Hunt pela primeira vez em 1966. Até então, era uma entidade clínica obscura. Desde então, vários casos e estudos foram relatados em todo o mundo.

O que é

A síndrome de Tolosa-Hunt é uma condição muito rara que pode causar fortes dores de cabeça, dor nos olhos e distúrbios da visão em um lado da face.

O distúrbio parece estar relacionado à inflamação aguda da cavidade sinusal que fica logo atrás e abaixo dos olhos.

Geralmente, não está claro o que causa a inflamação e a síndrome de Tolosa-Hunt resultante, o que dificulta o diagnóstico preciso do distúrbio pelos médicos.

Quase metade dos casos melhora espontaneamente por conta própria dentro de alguns dias, e o tratamento com medicamentos anti-inflamatórios geralmente pode corrigir casos mais persistentes.

Muito pouco se sabe sobre as causas da síndrome de Tolosa-Hunt, em parte porque é um achado tão incomum. É relativamente bem entendido o que acontece após o início da inflamação sinusal.

Tecido inchado e irritado pressiona a cavidade ocular.

A inflamação normalmente se espalha para cima a partir do seio e envolve a fissura orbital superior, que serve como uma passagem para importantes nervos faciais.

Em muitos casos, os sintomas se desenvolvem muito rapidamente ao longo de apenas algumas horas.

A pressão constante no olho e nos nervos próximos pode resultar em uma variedade de sintomas. Dores maçantes na cavidade ocular e na testa são comuns, e algumas pessoas experimentam dores nos olhos.

Oftalmoplegia, ou paralisia parcial dos olhos, pode ocorrer quando os nervos são comprimidos. A visão pode ficar embaçada ou dobrada, o que pode resultar em sintomas adicionais de náusea, dor de cabeça e vômito.

É muito importante visitar uma sala de emergência ao primeiro sinal de súbita dor ocular e alterações na visão, para que um atendimento imediato possa ser prestado.

Um diagnóstico da síndrome de Tolosa-Hunt é normalmente feito após várias outras causas mais comuns de sintomas serem descartadas.

Um médico coleta amostras de sangue, realiza testes de visão e pergunta sobre o histórico médico.

Um especialista pode fazer radiografias e ressonância magnética do crânio e do cérebro para procurar sinais de anormalidades físicas, como defeitos oculares congênitos ou tumores nos seios da face.

Além disso, uma amostra de líquido cefalorraquidiano é frequentemente coletada para verificar infecções.

O tratamento hospitalar para a síndrome de Tolosa-Hunt normalmente inclui grandes doses de um corticosteróide anti-inflamatório. A medicação pode ser injetada diretamente no seio ou fornecida por uma via intravenosa.

Com o tratamento regular, o inchaço tende a diminuir dentro de um a dois dias e os sintomas começam a se resolver.

Os médicos geralmente incentivam os pacientes a continuar tomando corticosteróides orais em casa e a retornar para uma consulta de acompanhamento em cerca de uma semana.

A maioria dos casos é totalmente resolvida após uma rodada de tratamento, mas é possível que um paciente tenha problemas oculares recorrentes.

Etiologia

A síndrome de Tolosa Hunt é geralmente idiopática e acredita-se ser de inflamação inespecífica na região do seio cavernoso e/ou fissura orbital superior. No entanto, lesões traumáticas, tumores ou um aneurisma podem ser os possíveis gatilhos.

Resumo

A síndrome de Tolosa Hunt é uma condição rara caracterizada por oftalmoplegia dolorosa (paralisia e/ou fraqueza dos músculos oculares). O início pode ocorrer em qualquer idade.

Sinais e sintomas incluem uma dor constante atrás dos olhos; diminuição dos movimentos oculares; e sinais de paralisia do nervo craniano, como queda da pálpebra superior (ptose), visão dupla (diplopia), pupila grande e dormência facial.

Embora seja considerada uma condição benigna, podem ocorrer déficits neurológicos permanentes e recidivas são comuns.

As características da síndrome de Tolosa Hunt são causadas pela inflamação do seio cavernoso (uma área na base do cérebro), mas a causa subjacente da inflamação é desconhecida. Se não forem tratados, os sintomas podem resolver espontaneamente após uma média de oito semanas.

O tratamento pode incluir o uso de glicocorticóides ou outras terapias imunossupressoras.

Fonte: www.ncbi.nlm.nih.gov/eyewiki.aao.org/www.wisegeek.org/rarediseases.info.nih.gov/www.elsevier.es/sajr.org.za/www.ajronline.org

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Gripe Espanhola

Gripe Espanhola

PUBLICIDADE Definição A pandemia de gripe espanhola é a catástrofe contra a qual todas as pandemias modernas …

Viroides

PUBLICIDADE Definição Os viroides são os menores patógenos infecciosos conhecidos, constituídos apenas por um RNA circular …

Animais Invertebrados

PUBLICIDADE Definição de Invertebrado Invertebrados são animais que não têm espinha dorsal. A coluna vertebral …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.