Breaking News
Home / Saúde / Sinal de Hoover

Sinal de Hoover

PUBLICIDADE

O sinal de Hoover – fraqueza da extensão voluntária do quadril com extensão involuntária normal do quadril durante a flexão contralateral do quadril contra a resistência – é um sinal comumente usado no diagnóstico de fraqueza funcional do membro inferior.

Sinal de Hoover – Explicado

Quando o diafragma se contrai, a pressão pleural diminui, exercendo uma força caudal e interior em toda a caixa torácica.

No entanto, o diafragma também exerce forças na direção cranial e externa nas costelas inferiores.

Uma dessas forças, a “força de inserção”, é aplicada pelo músculo nas suas ligações às costelas inferiores.

A segunda, a “força aposicional”, é devida à transmissão da pressão abdominal para a caixa torácica inferior na zona de aposição.

Na condição de controle na capacidade residual funcional, os efeitos dessas duas forças nas costelas inferiores são quase iguais e superam o efeito da pressão pleural, enquanto que nas costelas superiores, o efeito da pressão pleural é maior.

O equilíbrio entre esses efeitos, no entanto, pode ser alterado.

Quando o abdômen recebe um suporte mecânico, as forças de inserção e aposicional aumentam, de modo que o músculo produz uma expansão maior da caixa torácica inferior e, com isso, uma menor retração da caixa torácica superior.

Em contraste, em volumes pulmonares mais altos, a zona de aposição é diminuída, e a pressão pleural é a força dominante nas costelas inferiores também.

Consequentemente, embora a força exercida pelo diafragma nessas costelas permaneça inspiratória, o deslocamento da costela é revertido em um deslocamento caudal para dentro.

Esse mecanismo provavelmente explica a retração inspiratória das paredes laterais da caixa torácica inferior observada em muitos indivíduos com doença pulmonar obstrutiva crônica (sinal de Hoover).

Estas observações suportam o uso de um modelo de três compartimentos, em vez de um modelo de dois compartimentos, para descrever a mecânica da parede torácica.

História

O sinal de Hoover foi descrito pelo Dr. Charles Franklin Hoover para diferenciar entre a fraqueza orgânica e funcional da origem piramidal.

Esse exame geralmente é realizado nos membros inferiores e é valioso quando, à beira do leito, não se tem certeza sobre a natureza da hemiparesia.

Um sujeito com hemiparesia de causa orgânica enquanto solicitado a flexionar o quadril da perna normal contra a resistência não exercerá pressão na mão do examinador colocado sob o calcanhar no lado afetado, enquanto na fraqueza histérica a pressão aumentada será sentida na mão do examinador. A suposta gênese desse sinal poderia ser o reflexo extensor cruzado ou o princípio de contração sinérgica.

É um teste clínico útil na diferenciação de paresia funcional e orgânica com sensibilidade moderada (63%) e alta especificidade (100%), mas existem algumas limitações que devem ser lembradas durante a avaliação de um paciente.

Contexto histórico

A fraqueza que é clinicamente inconsistente com qualquer doença neurológica reconhecida é um problema comum para os neurologistas. Embora tenha sido considerada uma causa física, uma perda ou perturbação da função normal pode ser atribuída a uma causa psicológica.

Os neurologistas usam desafios físicos para desencadear comportamentos motores ou relatos sensoriais discrepantes com padrões vistos em doenças neurológicas genuínas.

Diversos termos como “não-fisiológico”, “não-orgânico”, “funcional” ou “histérico” têm sido empregados pelos neurologistas para rotular descobertas que implicam um componente voluntário ou sem sentido.

O Dr. Charles Franklin Hoover (1865-1927) é lembrado principalmente por suas contribuições na distinção entre fraqueza “orgânica” e fraqueza “funcional” (isto é, psicogênica) das extremidades inferiores.

Em 1908, Hoover publicou um artigo no jornal da associação médica americana em que ele descreveu seu sinal para testar essa fraqueza funcional.

Ele descreveu o seguinte: “Se uma pessoa normal, deitada em um sofá na posição dorsal, for solicitada a levantar o pé direito do sofá com a perna estendida, o calcanhar esquerdo será observado para cavar o sofá como a perna direita e coxa estão elevados.Se você colocar a mão sob o tendão de Aquiles do lado esquerdo e sentir a resistência muscular oferecida pela perna esquerda você vai observar que o calcanhar esquerdo é pressionado no sofá com a mesma força, que é exibido em levantar a perna direita do sofá, ou seja, o calcanhar esquerdo é empregado para fixar um ponto de oposição contra o sofá durante o esforço para levantar a perna direita.Isso sempre ocorrerá se a pessoa saudável fizer um livre e esforço desinibido para levantar a perna direita “.

Não muito depois da publicação de Hoover, Philip Zenner pôde confirmar as descobertas de Hoover no mesmo periódico.

Charles Franklin Hoover foi um cientista notável do seu tempo e nasceu em 1865 em Miamisburg, Ohio.

Ele se formou na Universidade de Harvard em 1892.

Como alguns estudantes americanos ricos de sua época, ele passou 5 anos em centros acadêmicos da moda na Europa.

Ele trabalhou com Edmond von Neusser (1852-1912) na Universidade de Viena e Friedrich Kraus (1858-1936) na Universidade de Estrasburgo.

Ao mesmo tempo, ele também passou algum tempo em Paris na Clínica de Pierre Marie antes de voltar para Cleveland.

Ele foi nomeado o primeiro professor de medicina em tempo integral na Western Reserve University servindo de 1925 até sua morte em 1927.

O que é

O sinal de paresia de Hoover é um dos dois sinais em homenagem a Charles Franklin Hoover (1865-1927), um médico americano nascido em Cleveland, Ohio, que estudou medicina em Harvard.

A manobra destina-se a separar a paresia orgânica ou não funcional da paresia não orgânica ou funcional da perna.

O sinal baseia-se no princípio da contração sinérgica dos grupos musculares.

A extensão involuntária da perna “paralisada” ocorre ao flexionar a perna contralateral contra a resistência.

A figura abaixo explica os princípios do teste. Se o paciente tiver fraqueza ao testar a extensão da perna direita (A), mas tiver poder detectável na perna direita ao testar a flexão da perna esquerda (B), isso significa que o paciente provavelmente está sofrendo de fraqueza nos membros não orgânicos ( sinal positivo de Hoover).

Em B, a extensão da perna direita ocorre devido à contração involuntária dos músculos sinérgicos.

Fonte: www.ncbi.nlm.nih.gov/www.sciencedirect.com/teachneuro.com/www.medknow.tv/read.qxmd.com/jcphysiotherapy.com

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Gripe Espanhola

Gripe Espanhola

PUBLICIDADE Definição A pandemia de gripe espanhola é a catástrofe contra a qual todas as pandemias modernas …

Viroides

PUBLICIDADE Definição Os viroides são os menores patógenos infecciosos conhecidos, constituídos apenas por um RNA circular …

Animais Invertebrados

PUBLICIDADE Definição de Invertebrado Invertebrados são animais que não têm espinha dorsal. A coluna vertebral …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.