Breaking News
Home / Saúde / Hipertrofia Cardíaca

Hipertrofia Cardíaca

PUBLICIDADE

Hipertrofia cardíaca – Insuficiência Cardíaca

doença cardíaca em adultos é a causa mais frequente de mortalidade no mundo ocidental, onde a morte, como resultado de insuficiência cardíaca, é mais prevalente do que todos os cânceres combinados.

insuficiência cardíaca pode ser definida como uma deficiência na capacidade do coração de bombear um suprimento adequado de sangue ao redor do corpo.

O estímulo inicial para a progressão ao longo desta via pode ser amplo; má formação congênita; infarto do miocárdio, hipertensão, miocardite, cardiomiopatia diabética, isquemia associada à doença arterial coronariana, cardiomiopatias familiares hipertróficas e dilatadas.

Após o estímulo, há normalmente uma fase de hipertrofia cardíaca em que os miócitos cardíacos individuais aumentam de tamanho como um meio de compensar o tecido cardíaco danificado, a fim de aumentar a função da bomba cardíaca. A longo prazo, no entanto, a hipertrofia cardíaca pode predispor à insuficiência cardíaca

Definição

hipertrofia cardíaca é o aumento ou espessamento anormal do músculo cardíaco, resultante do aumento do tamanho dos cardiomiócitos e alterações em outros componentes do músculo cardíaco, como a matriz extracelular.

As causas podem ser fisiológicas, por exemplo, a quantidade de exercício realizado por um atleta, ou patológico, por exemplo, como resultado de hipertensão ou doença valvular.

O que é Hipertrofia cardíaca?

hipertrofia cardíaca refere-se ao aumento do músculo cardíaco através de vários fatores.

Embora muitas vezes relacionada à hipertensão crônica, a hipertrofia cardíaca pode às vezes ser uma resposta fisiológica normal.

Na maioria dos casos, entretanto, o aumento do músculo cardíaco é perigoso para o corpo e é considerado um fator principal nas mortes relacionadas à função cardíaca.

Na maioria das vezes, o crescimento anormal do músculo cardíaco ocorre em uma das duas câmaras inferiores do coração: o ventrículo esquerdo e direito.

Essas áreas são responsáveis pelo bombeamento de sangue.

O ventrículo esquerdo bombeia sangue para a maior parte do corpo, enquanto o direito atende principalmente apenas aos pulmões.

A hipertrofia pode ocorrer em ambos os lados, embora diferentes condições subjacentes estejam relacionadas ao desenvolvimento do alargamento em cada ventrículo.

Há dois casos em que a hipertrofia cardíaca pode realmente ser benéfica para o hospedeiro.

As mulheres grávidas podem apresentar um leve aumento cardíaco devido ao aumento do estresse cardíaco. Esta condição geralmente se inverte após a conclusão da gravidez e raramente é considerada prejudicial.

Os atletas competitivos também podem desenvolver hipertrofia leve devido a altas quantidades de exercícios cardiovasculares. Como o exercício está associado com um risco cardíaco mais baixo, a hipertrofia desenvolvida como uma resposta fisiológica ao exercício raramente é motivo de preocupação.

Hipertrofia Cardíaca
Hipertrofia cardíaca

O fator de risco mais comum para o desenvolvimento de hipertrofia cardíaca é a hipertensão arterial, também conhecida como hipertensão.

hipertensão arterial ocorre quando o sangue e os vasos sanguíneos têm que trabalhar mais para empurrar o sangue pelo corpo. Isso, por sua vez, significa que o coração deve trabalhar mais para bombear a quantidade necessária de sangue com a força necessária, o que pode levar ao aumento do músculo.

hipertensão desempenha um papel maior no desenvolvimento da hipertrofia ventricular esquerda, enquanto as doenças pulmonares, como o enfisema, têm maior probabilidade de causar crescimento anormal no ventrículo direito.

Outros fatores de risco para o desenvolvimento da doença incluem obesidade, distrofia muscular e outros problemas cardíacos, como a cardiomiopatia.

É importante notar que algumas pessoas desenvolvem a condição sem evidência de outros problemas cardíacos.

Como os sintomas podem ser relativamente leves, o primeiro sinal da doença pode ser um ataque cardíaco ou até a morte.

A hipertrofia é frequentemente associada à morte súbita de corredores de endurance ou outros atletas, especialmente nos casos de atletas adolescentes ou adultos jovens que normalmente não seriam considerados em risco de problemas cardíacos.

Os sintomas de hipertrofia cardíaca podem ser difíceis de detectar no início e tendem a se tornar mais aparentes com o tempo. Podem incluir falta de ar, diminuição da capacidade de exercício, tonturas ou desmaios e períodos de palpitações cardíacas. Aqueles com pressão alta devem estar atentos a sintomas que possam indicar hipertrofia.

Quais são os tratamentos para hipertrofia cardíaca?

O tratamento de hipertrofia cardíaca depende da saúde geral do paciente, bem como sintomas individualizados.

Alguns dos tratamentos médicos mais comuns para hipertrofia cardíaca incluem o uso de medicamentos prescritos ou intervenção cirúrgica. As medidas de tratamento geralmente recomendadas para uso em casa incluem hábitos alimentares saudáveis, quantidades adequadas de descanso e evitar o uso de álcool.

Quaisquer dúvidas ou preocupações sobre as melhores opções de tratamento para hipertrofia cardíaca em uma base individual devem ser discutidas com um médico ou um cardiologista.

Prescrição de medicamentos são frequentemente a primeira linha de tratamento médico para hipertrofia cardíaca.

Esses medicamentos são projetados para relaxar o músculo cardíaco e diminuir a freqüência cardíaca, de modo que o coração possa bombear o sangue por todo o corpo de maneira mais eficiente. Os medicamentos específicos utilizados dependem das necessidades do paciente individual. Os medicamentos para pressão sangüínea e os medicamentos destinados a regular os batimentos cardíacos estão entre os medicamentos mais utilizados no tratamento de problemas cardíacos.

A intervenção cirúrgica é freqüentemente uma parte necessária do tratamento da hipertrofia cardíaca.

Dispositivos como marcapasso ou desfibrilador podem ser implantados cirurgicamente na cavidade torácica para regular os batimentos cardíacos.

Outros procedimentos cirúrgicos podem envolver a remoção do excesso de tecido cardíaco ou a destruição do tecido através do uso de injeções. Existem riscos potenciais significativos associados a qualquer cirurgia que envolva o coração; portanto, outras medidas de tratamento geralmente são tentadas antes que a cirurgia seja realizada.

Além do tratamento médico, há algumas coisas que o paciente pode fazer em casa para ajudar a controlar alguns dos sintomas da hipertrofia cardíaca.

O descanso é extremamente importante para que o coração possa relaxar e se recuperar do estresse da atividade diária. Qualquer programa de exercícios deve ser esclarecido com um médico, pois o excesso de atividade física pode causar danos adicionais ao coração. O álcool pode causar ritmos cardíacos irregulares e deve ser evitado por aqueles que foram diagnosticados com hipertrofia cardíaca.

O controle de peso e hábitos alimentares saudáveis são uma parte essencial do tratamento da hipertrofia cardíaca. Excesso de peso corporal coloca muita pressão desnecessária sobre o coração e pode levar ao desenvolvimento de complicações graves ou mesmo com risco de vida. Necessidades e restrições dietéticas para pessoas com doenças cardíacas podem variar significativamente de pessoa para pessoa e devem levar em conta quaisquer preocupações adicionais com a saúde.

Fonte: www.nature.com/www.abcam.com/www.wisegeek.org/www.revespcardiol.org/www.amjmed.com/www.pnas.org/ijpsdr.com/www.nejm.org

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Monoplegia

PUBLICIDADE Definição Monoplegia refere-se à perda parcial ou completa da função motora voluntária em um …

Homocistinuria

Homocistinúria

PUBLICIDADE Definição A homocistinúria faz com que os níveis do aminoácido homocisteína se acumulem no sangue e …

Diástase

Diástase abdominal

PUBLICIDADE Como ocorre a diastase abdominal? Durante a gravidez, o corpo da mulher pode sofrer …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.