Breaking News
Home / Saúde / Ejaculação Precoce

Ejaculação Precoce

O que é ejaculação precoce? O que causa a ejaculação precoce?

A ejaculação precoce (EP) é a disfunção sexual mais comum para os homens.

A ansiedade muitas vezes desempenha um papel. Terapia psicológica e drogas com sertralina pode ser eficaz, mas as taxas de sucesso relatadas são conflitantes, o que sugere que os benefícios não são mantidas. Ejaculação retardada ou ausente, muitas vezes é causada por medicamentos, mais comumente antidepressivos e antipsicóticos.

Se algo está acontecendo cedo demais em sexo, que está ditando o ritmo, e que define quando o sexo começa e termina. A coisa boa sobre a ejaculação precoce é que lhe dá uma oportunidade não só para corrigir o que pode se sentir como um problema sexual vergonhosa, mas para realmente fazer a vida sexual melhor de dentro para fora.

De acordo com o Medilexicon dicionário médico:

A ejaculação precoce é quando durante a relação sexual, muito rápida realização do clímax ea ejaculação ocorre na relação homem à sua própria ou a vontade de seu parceiro.

Pesquisadores definem precoce usando um cronômetro. A evidência atual suporta uma ejaculação intravaginal tempo médio de latência de seis minutos e meio em 18-30 anos de idade. Pode-se definir PE com base no que você quer, o que o parceiro quer, ou o que você acha que você ou seu parceiro deve querer. Antes que alguém tenta se inscrever para um teste de drogas ou deixar apodrecer a ansiedade sobre a incapacidade para executar início certificando-se de que você sabe a sua própria definição e definição do seu parceiro, e considerar se o sexo que você está tendo a pena desenhando.

Quais são os sintomas da ejaculação precoce?

Um sintoma é algo que os sentidos do paciente e descreve, quando um sinal é algo que outras pessoas, como o anúncio de médico. Por exemplo, sonolência pode ser um sintoma, enquanto as pupilas dilatadas pode ser um sinal.

A ejaculação precoce é ejetar o semen do aparelho genital masculino, geralmente acompanhada de orgasmo que ocorre mais cedo do que um homem deseja durante a atividade sexual.

A ejaculação precoce é caracterizada por uma falta de controle voluntário sobre a ejaculação que interfere com o ideal de bem-estar sexual ou psicológico em ambos os parceiros. Também conhecida como ejaculação rápida, ejaculação precoce normalmente ocorre antes ou logo após a penetração durante o ato sexual.

Quais são as causas da ejaculação precoce?

Fatores psicológicos comumente contribuir para a ejaculação precoce.

Enquanto os homens às vezes subestimar a relação entre o desempenho sexual e bem-estar emocional, a ejaculação precoce pode ser causada por temporária depressão , estresse sobre questões financeiras, expectativas irreais sobre o desempenho, um histórico de repressão sexual, ou uma total falta de confiança.

Dinâmicas interpessoais contribuem fortemente para a função sexual e ejaculação precoce pode ser causada por uma falta de comunicação entre os parceiros, sentimentos feridos, ou conflitos não resolvidos que interferem com a capacidade de atingir a intimidade emocional.

A ejaculação prematura pode também ser causada por uma variedade de condições médicas, tais como desordens da tiróide, da próstata ou da uretra uma infecção, a atividade do sistema de reflexo ejaculatório anormal, danos no sistema nervoso a partir da cirurgia, trauma ou hormonais anormais ou níveis químicos cerebrais.

Ejaculação prematura neurológica também pode levar a outras formas de disfunção sexual, ou intensificar o problema existente, através da criação de ansiedade de desempenho. Num contexto menos patológico, a ejaculação prematura, também poderia ser causado simplesmente pela extrema excitação.

Diagnosticar a ejaculação precoce

É importante determinar o tipo de ejaculação precoce se tem antes de começar a procurar soluções.

Se uma tem um problema com a ejaculação prematura, desde que começou a ter o sexo, o problema é referido como ejaculação prematura primária.

Ejaculação precoce secundária ocorre quando alguém que tenha tido um bom controle anteriormente começa a desenvolver um problema. Esta informação irá ajudar o médico a determinar o melhor curso de tratamento.

Quais são as opções de tratamento para a ejaculação precoce?

Uma vez que a causa tenha sido identificado, o tratamento pode começar.

Se a ejaculação precoce ocorre por razões psicológicas, o médico pode sugerir a técnica do aperto. Quando se sente que eles estão prestes a ejacular, pedindo o seu parceiro para apertar suavemente a extremidade do aparelho genital masculino logo abaixo da cabeça por alguns instantes até que o desejo desapareça podem ajudar. Espere pelo menos 30 segundos antes de as preliminares de continuar. Quando chegar ao ponto da ejaculação, peça ao seu parceiro para realizar a técnica de compressão novamente. Continue fazendo isso até você sentir que você pode digitar o seu parceiro sem imediatamente ejacular.

Outros métodos de evitar a ejaculação precoce incluem a masturbar poucas horas antes de esperar para ter sexo e concentrando-se em outras formas de prazer sexual por um determinado período de tempo para remover qualquer tipo de pressão pode-se sentir sobre sexo.

Anti-depressivos e creme anestésico aplicado diretamente sobre o aparelho genital masculino podem ajudar alguns homens prolongar a ejaculação. Psicoterapia, usado isoladamente ou em conjunto com outras terapias, podem ajudar a superar os homens a ejaculação prematura.

Se o problema tem uma causa médica, o tratamento apropriado, tais como o tratamento de uma infecção ou o ajuste dos níveis de tiroide, normalmente irá resolver o problema.

As drogas podem acabar por ser uma forma de tratamento, mas eles vão sempre sofrer de ter efeitos colaterais negativos (que tratamentos comportamentais não) e uma falta de efeitos colaterais positivos. Outros tratamentos para a ejaculação precoce pode não só eliminar o problema, eles podem enriquecer a vida sexual das pessoas, pedindo-lhes para olhar mais profundo sobre seus desejos sexuais e as motivações e tentar agir de uma forma que está de acordo com os desejos e anseios.

Prevenir a ejaculação precoce

Colocar um fim a ejaculação precoce é possível, mas pode exigir mais do que alguns exercícios ou algum futuro pílula.

A ejaculação precoce acontece nos relacionamentos e muitas vezes ele precisa ser resolvido não só pelo indivíduo que está ejaculando rápido demais para o gosto de alguém, mas pelo casal.

Técnicas para controlar a ejaculação precoce são muito bem-sucedida, mas falando também é altamente recomendado.

Sy Kraft

Fonte: www.medicalnewstoday.com

Ejaculação Precoce

A ejaculação precoce é aquela que ocorre antes ou logo após a penetração (01 a 03 minutos – 10 a 15 movimentos de penetração), involuntariamente, fugindo do controle do homem.

Tal incapacidade de retardar o gozo frustra tanto o homem quanto sua parceira, pois a relação torna-se insuficiente para que ela tenha seu orgasmo. É uma condição bastante comum e ocorre com mais de 30% dos homens.

Pode ocorrer de vez em quando, o que é normal, ou em todas as relações, o que pode levar a transtornos do relacionamento sexual.

As causas são quase sempre:

1-) muita estimulação

2-) ansiedade sobre o desempenho sexual

3-) insegurança

4-) inexperiência ou falta de percepção das sensações que antecedem o orgasmo

5-) excesso de bebida alcoólica.

É bastante comum que a EP não ocorra em todos os atos sexuais ou com todas as parceiras, o que comprova seu caráter emocional. A compreensão, cooperação e ajuda da parceira são fundamentais para que o homem supere este “probleminha” e assim, juntos, alcançarem muito prazer nas próximas relações sexuais.

Edilaine Moraes

Fonte: www.cuida.org.br

Ejaculação Precoce

A Ejaculação Precoce ou Prematura (EP) é um dos problemas sexuais mais frequentes nos homens e nos casais, sendo responsável por 40% das queixas encontradas em consultório de terapeutas sexuais. Acontece que a EP é um lugar comum na juventude, em encontros com parceiros novos ou após algum tempo de abstinência. Quando se estende pela maturidade e se torna presente em mais da metade dos encontros sexuais, torna-se, aí sim, um problema crônico e um Transtorno Sexual.

O que é uma ejaculação normal?

Do ponto de vista do funcionamento físico, a ejaculação se faz em dois estágios. No primeiro há a expulsão efetiva do líquido seminal (sêmen) dos órgãos acessórios de reprodução -próstata, vesícula seminal e canal ejaculatório -para a uretra. No segundo estágio, há a progressão desse líquido por toda a extensão da uretra até o meato uretral, que é o orifício na cabeça do aparelho genital masculino por onde sai também a urina. Acompanha-se desse processo fisiológico uma sensação subjetiva de profundo prazer conhecida como orgasmo.

Como saber se tenho ejaculação precoce?

Não existe um tempo específico antes de ejacular para definir esse problema sexual. A definição está na percepção, tanto sua quanto de sua parceira, de que a ejaculação foi mais rápida do que o esperado, de que não houve controle da ejaculação. As vezes o aparelho genital masculino nem chega a enrijecer, somente o movimento de aproximação e o toque do lençol já termina o que podia ser muito bom e prazeroso. Por vezes, o homem mantém a ereção por alguns minutos, começa a penetrar, mas logo ejacula, ficando insatisfeito e deixando a parceira “na mão”. Sentimentos de culpa e ansiedade se tornam uma constante. Dificuldades maiores podem vir em seqüência, como a disfunção erétil (impotência) e a perda de intimidade no casal.

Por que ocorre a EP? Os adeptos de Darwin(evolucionista inglês que propôs a teoria da seleção natural -1859) explicam que a EP seria uma forma antiga de defesa contra predadores.

Imaginem os primórdios da humanidade, onde havia centenas de perigos, sendo o “animal-ser-humano” muito frágil e pequeno frente aos riscos de seu meio ambiente!

Aqueles indivíduos que demorassem muito para ejacular nas suas parceiras estariam muito mais predispostos a deixar seu flanco aberto às agressões de inimigos e animais selvagens.

O ejaculador precoce tinha mais vantagens em terminar logo a inseminação e fugir,deixando também a “fêmea” escapar, para poder inseminar o maior número delas em menor tempo.

Desta forma estaria aumentando a probabilidade de propagação de seus genes.

Raramente há um problema médico que explique a EP, como a prostatite aguda ou a esclerose múltipla. Na verdade, não existe uma única causa comprovada cientificamente de EP.

E tem cura?

Existe tratamento, tanto medicamentoso quanto psicoterápico. A primeira linha de tratamento é a reorientação e a reeducação do homem ou do casal quanto à função sexual normal. Clareiam-se as situações em que se considera como “normal” o tempo de ejaculação mais curto ou insatisfatório (comum em jovens, com novos parceiros, ou após longa abstinência). Quando a EP se torna persistente, ou seja, aparece em mais da metade dos encontros sexuais, um tratamento mais específico se faz necessário.

A segunda linha terapêutica é o chamado tratamento cognitivo-comportamental. Constitui-se em uma série de exercícios e tarefas para serem realizada sem casa para controle do tempo de ejaculação.

Seguem-se alguns exemplos meramente ilustrativos:

Técnica de distração

Durante o ato sexual, o homem é orientado a fixar o pensamento em alguma situação que o desligue de sexo, como em morte de alguém, ou em alguma mulher que não o agrada ou em contas bancárias. Assim que perceba que a ereção está se desfazendo, volta a se fixar na parceira. Deve usar essa distração, algumas vezes, para poder prolongar o tempo de penetração antes da ejaculação.

Técnica de compressão

O homem deve comprimir a base da glande (cabeça do aparelho genital masculino) por 4 a 5 segundos imediatamente após a primeira sensação de maior excitação. Com esse procedimento vai dificultar a entrada de sangue no aparelho genital masculino e retardar um pouco a ejaculação.

Técnica stop-start

Consiste em orientar o homem a ficar na posição superior à parceira para poder ter controle do movimento sexual. Deve iniciar a penetração e parar completamente os movimentos próximo ao momento de maior excitação. Pode usar a técnica de distração concomitantemente.

O objetivo destas tarefas é fazer o homem tomar consciência do momento que antecede o primeiro estagio de ejaculação, podendo voluntariamente controlar quando deseja ejacular, evitando frustração a ele e à parceira.

Pode-se combinar uma terceira linha de tratamento a esses exercícios: as medicações. Existe uma ampla gama de medicações que tem como efeito colateral o retardo do tempo de ejaculação. Tais drogas devem ser ministradas somente mediante prescrição médica criteriosa, pois possuem vários outros efeitos no organismo. Alguns deles, por exemplo, os antidepressivos tricíclicos são contra-indicados a pessoas com problemas de ritmo cardíaco. Algumas medicações tópicas (pomadas) à base de ervas ou anestésicos não foram comprovadas cientificamente como eficazes para o tratamento da EP

De qualquer forma, esta disfunção sexual tem bom prognóstico, ou seja, apresenta bons índices de cura para a grande maioria dos indivíduos que procura orientação especializada. Geralmente, seis a dez sessões são suficientes para a melhora da vida sexual do homem e do casal.

João Alberto Yázigi Júnior

Fonte: uroepm.com.br

Ejaculação Precoce

Ejaculação precoce: A ejaculação precoce ou também conhecida como ejaculação rápida é a mais comum disfunção sexual masculina, independente da idade.

Embora a Ejaculação rápida é considerada uma das queixas mais comuns, não há ainda uma definição universalmente aceita para a mesma.

Considera-se que um homem sofra dessa dificuldade quando:

1) A ejaculação ocorre com um estímulo muito pequeno

2) A ejaculação ocorre antes, durante ou quase que imediatamente depois da penetração

3) Homem alcança o orgasmo e ejacula muito depressa e sem controle voluntário do que está acontecendo e antes de desejá-lo

4) E m relatos de ausência do orgasmo pela parceira frequentes.

5) Em um tempo mínimo estipulado entre a introdução peniana e a ejaculação

6) Em um número mínimo de movimentos coitais antes da ejaculação.

7) Ocorra em mais da metade dos encontros sexuais

Atualmente, com os objetivos de diagnóstico e tratamento a investigação clínica completa deve conter dados sobre: fatores como idade, a história clínica do paciente, sua função ejaculatória (tempo de latência, controle), sua atividade sexual (experiência,frequência, avaliação detalhada de sua parceira, interação sexual, etc.), perfil psicológico(contexto sócio-cultural, histórico da disfunção, relação com situações específicas, etc.). Afim de tratamento o conceito mais aceito para a ejaculação rápida é ausência de controle voluntário sobre o processo ejaculatório de maneira que o homem não consegue adiar o mesmo.

Muitos homens negam esta dificuldade porque desde sua juventude carregam este tempo ejaculatório. É fato que, a ejaculação rápida é comum na juventude, no encontro com novos parceiros ou até após algum tempo de abstinência sexual. Contudo, quando se estende pela maturidade e se torna presente em mais da metade dos encontros sexuais, torna-se aí sim um problema crônico, e pode ser caracterizado como um transtorno sexual. É fato que esta dificuldade pode gerar severos problemas de autoestima para a pessoa que é afetada diretamente para ele, além de repercutir para o casal, ou mesmo, para parcerias que a pessoa afetada pela dificuldade se engajar na forma de insatisfações diversas.

Para a maioria dos casos o tratamento mais eficaz é associação da psicoterapia e da farmacoterapia, ou seja, de remédios específicos para o caso.

A psicoterapia vai atuar em relação a esta dificuldade de forma a:

Reperspectivar a sexualidade masculina anteriormente centrada no aparelho genital masculino ao redimensioná-la para um foco mais abrangente além da genitalidade

Resgatar o vínculo conjugal e fortalecê-lo que poderá estar prejudicado pelo tempo em que o casal, não só o homem, está padecendo com esta dificuldade

Diminuir a sua ansiedade em relação a ser rápido no coito através de técnicas terapêuticas

Eliminar as inseguranças sexuais por meio da aquisição de conhecimentos específicos sobre o corpo humano (seu e da parceira), seu funcionamento e a interação entre eles sem preconceitos ou estereotipias.

Fonte: www.thiagodealmeida.com.br

Ejaculação Precoce

Ejaculação Precoce (Ejaculação rápida)

Um em cada três homens tem algum sintoma definidor de ejaculação precoce, no entanto, ainda é grande a resistência masculina em procurar auxílio médico, o que pode afetar negativamente sua qualidade de vida e sua relação conjugal.

Ejaculação precoce é sinônimo de ejaculação rápida e definida, segundo a International Society for Sexual Medicine (ISSM) como uma ejaculação rápida, sem controle, ocorrendo aos mínimos estímulos sexuais e, principalmente, com prejuízo na qualidade de vida e na atividade sexual do paciente.

Importante lembrar que, apesar da definição de que a ejaculação que ocorre antes de um minuto de penetração é precoce, apenas homens que acreditam ter prejuízo em sua atividade sexual, ou insatisfação da parceira têm indicação de algum tipo de tratamento.

CAUSAS

Não se sabe ao certo qual a causa da ejaculação precoce.

Existem, no entanto, duas teorias elaboradas que podem estar, em conjunto, presentes na maioria das pessoas acometidas:

1. Causa psicogênica, ansiedade de desempenho e inexperiência sexual

Pacientes mais ansiosos apresentam maiores índices de ejaculação precoce. A EP também pode afetar pacientes com depressão ou transtorno bipolar. Além disso, pacientes em seu início de sua atividade sexual ou com ansiedade de desempenho para com uma nova parceira, podem apresentar descontrole da ejaculação. Mesmo pacientes mais maduros, quando diante de fase de maior estresse ou preocupação, podem apresentar descontrole com ejaculação precoce.

2. Hipersensibilidade peniana

Pacientes com o diagnóstico confirmado de ejaculação precoce tem uma sensibilidade peniana associada com estímulo vibratório maior e isso pode ser responsável diretamente pelo descontrole associado com a EP. Homens com excesso de pele no aparelho genital masculino, conhecida como pele do prepúcio, muitas vezes possuem irritações na cabeça do aparelho genital masculino que aumentam a sensibilidade local e consequentemente estão associadas também com EP.

DIAGNÓSTICO

Diagnóstico da ejaculação Precoce

Antes de oferecer a melhor opção de tratamento para o seu problema, é necessário diagnosticá-lo corretamente.

Por isso, no Boston Medical Group fazemos um exame físico completo que pode incluir:

Uma história clínica e sexual minuciosa.

Exame do fluxo sanguíneo no aparelho genital masculino através de ecografia Doppler.

Estudo das fibras nervosas através de bioestesiometria.

Estes procedimentos são indolores e permitirão ao médico diagnosticar a causa e a magnitude do problema, para então lhe oferecer as opções de tratamento mais convenientes.

TRATAMENTO

Baseado nas possíveis causas da ejaculação precoce, o tratamento padronizado tem que ser multicausal, analisando o paciente por um especialista médico, que realizará exames subsidiários.

1. Antidepressivos

Atualmente, o uso de antidepressivos orais, em dose baixa, de forma contínua ou intermitente é o tratamento com maiores taxas de sucesso. Estão contra-indicados em pacientes com antecedentes de transtorno bipolar ou esquizofrenia. Trabalhos mostram que após um período de tratamento com essa classe de medicamentos, em media 6 a 12 meses, os homens podem manter o padrão de ejaculação mais demorada, mesmo após cessar o uso do medicamento, o que pode estar relacionado com o ganho de auto-estima e confiança durante o uso de medicação. Ou seja, o medicamento os deixa mais seguros e com isso conseguem levar a frente uma vida normal sem medicações.

2. Pomadas anestésicas

A aplicação de pomadas anestésicas na glande pode melhorar a desempenho sexual daqueles pacientes com hipersensibilidade peniana. Apresenta razoáveis taxas de sucesso, associados a poucos inconvenientes de aplicação e manuseio. Devem sem aplicadas 20 minutos antes do ato sexual

3. Terapias comportamentais

Existem técnicas de compressão da glande do aparelho genital masculino poucos segundos antes do orgasmo que podem, com seu uso prolongado, aumentar o intervalo de tempo entre a penetração e a ejaculação, com moderada eficácia.

Muitos usam o termo: jogos amorosos como sinônimo da mudança de comportamento que o casal deve tentar para se combater a ejaculação precoce: o casal deve procurar evitar que a penetração ocorra rapidamente, prolongar as

preliminares e fazer com que o homem, com isso, relaxe e se sinta mais seguro, para depois tentar penetrar e ter uma relação mais prolongada. O problema do homem com ejaculação precoce é que ele quer penetrar rápido, pois tem medo de gozar antes da hora e por isso quer aproveitar e já penetrar. Mas esse comportamento piora mais ainda a situação.

4. Psicoterapia

A psicoterapia tem seu valor em qualquer modalidade terapêutica escolhida pelo especialista e pode inclusive ser utilizada com única modalidade como terapêutica complementar para os pacientes muito ansiosos com ejaculação precoce.

Fonte: www.bostonmedicalgroup.com.br

Ejaculação Precoce

Considera-se precoce a ejaculação que ocorre logo após a penetração ou até mesmo antes, sem que o homem tenha controle desse esse evento.

Para caracterizar o distúrbio, é preciso que o episódio se repita com frequência e o homem não consiga satisfazer a parceira em pelo menos 50% das relações.

Em certos casos, o descompasso é provocado pelo fato de a mulher necessitar de mais tempo para atingir o orgasmo. Muitas vezes, nem o próprio paciente sabe dizer quanto tempo leva para ejacular, mas as pesquisas indicam que o homem sem problemas leva, em média, de dois a quatro minutos.

Causas

A principal causa da ejaculação precoce é a ansiedade. Embora parte dos indivíduos consiga controlá-la durante o ato sexual, a grande maioria dos ejaculadores precoces é ansiosa. O problema é que quanto mais repetidas forem essas ejaculações, mais ansiosos eles ficam, mais adrenalina produzem e mais rápido ejaculam. Em alguns casos, a ansiedade é tanta que acabam desenvolvendo algum tipo de disfunção erétil.

Nenhuma teoria sobre as causas orgânicas da ejaculação precoce foi comprovada. Sabe-se, porém, que algumas doenças neurológicas podem provocar o distúrbio.

Prevalência

A ejaculação precoce é comum na adolescência. A falta de experiência, o medo do mau desempenho ou de que alguém apareça de repente, entre outros fatores, criam um estado de ansiedade que acelera o momento da ejaculação. A tendência é o problema desaparecer à medida que são superados esses obstáculos.

A ejaculação precoce secundária pode acometer homens de qualquer idade, com tempo de ejaculação normal, mas que por algum motivo se tornaram mais ansiosos.

Diagnóstico

O diagnóstico é clínico e depende do levantamento criterioso da história do paciente. na maioria dos casos, a principal queixa é a dificuldade de satisfazer a companheira.

Tratamento

O tratamento inclui psicoterapia e/ou o uso de antidepressivos (inibidores seletivos de recaptação da serotonina), que aumentam a quantidade de serotonina no cérebro. O que se espera é que ele seja eficaz para baixar o nível de ansiedade e aprender a controlar a resposta ejaculatória.

Nesse processo, é muito importante contar com a ajuda de uma parceira cooperativa.

Recomendações

Não se acanhe se tiver ejaculação precoce e procure a ajuda de um especialista para resolver o problema. A terapia sexual costuma dar bons resultados;

Esteja aberto para o tratamento psicoterápico. Além de ajudar a resolver a causa do problema, ele envolve a participação da companheira, o que repercute na melhora do relacionamento;

Saiba que o orgasmo simultâneo é raro. O que importa, realmente, é que os parceiros se satisfaçam com a relação sexual, cada um a sua maneira e no seu tempo;

Considere a conveniência do uso prolongado dos antidepressivos, pois o problema costuma voltar, quando o tratamento é suspenso.

Fonte: drauziovarella.com.br

Ejaculação Precoce

A ejaculação precoce ou rápida é uma das disfunções sexuais mais comuns. Em jovens, é até mais freqüente do que a impotência sexual ou disfunção erétil.

A ejaculação é um reflexo muito semelhante a um espirro. Quando o estímulo é dado, é praticamente impossível controlar. Em uma relação sexual, a excitação aumenta até o momento da ejaculação e, quando chega este momento, não existe mais controle.

O problema acontece quando o homem ejacula antes do que gostaria, muitas vezes porque a parceira não consegue ter orgasmo, situação que traz desconforto para os dois. Nos casos mais graves, a ejaculação ocorre antes mesmo da penetração. Entretanto, não são todas as ejaculações rápidas que são ruins. Em uma “rapidinha”, aquela relação cheia de excitação e muitas vezes até inesperada, a ejaculação rápida não é um problema.

Homens com parceiras que atingem o orgasmo rapidamente acostumam-se a ejacular rápido.

Em outras situações, a ejaculação rápida é quase uma regra. No começo da vida sexual, ocorre para quase todo mundo. Afinal, a inexperiência provoca muita ansiedade, que na grande maioria das situações é a causa da ejaculação precoce. Em homens que ficam grandes períodos sem ter alguma atividade sexual, a ejaculação ocorre rapidamente, é como ir “com muita sede ao pote”.

Então, não é só o tempo em que ocorre que define a ejaculação precoce, mas sim o desconforto que causa. Alguns homens costumam ejacular normalmente, mas como sua parceira tem dificuldade para ter orgasmo, ele sempre acaba ejaculando antes do orgasmo dela e isto acaba gerando muita ansiedade, principalmente quando ele se sente responsável pelo prazer dela. Em outras situações, o homem ejacula logo após a penetração e acaba dificultando o orgasmo da parceira.

Nestas ocasiões, a ansiedade aumenta e, na próxima vez, ele está mais nervoso e vai ejacular mais rápido ainda. Muitas vezes a ansiedade é tanta que ele começa a perder a ereção.

A grande causa da ejaculação precoce está na esfera psicológica. Muito raramente pode ser causada por quadros neurológicos como a esclerose múltipla.

Nestes casos, existem outros sintomas mais graves. O tratamento ideal da ejaculação precoce é psicoterapia, geralmente de curta duração, na qual o paciente reeduca-se, aprendendo a controlar esta ansiedade. Existem alguns remédios, como os antidepressivos, que têm como efeito colateral um retardo no tempo de ejaculação. Mas vale lembrar que os antidepressivos apresentam várias reações adversas. Caso você esteja incomodado, procure seu médico.

Sidney Glina

Fonte: www.aids.gov.br

 

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Filovírus

Filovírus

PUBLICIDADE Definição A febre hemorrágica filoviral está associada a múltiplas manifestações hemorrágicas, comprometimento hepático acentuado, coagulação intravascular …

Radiografia

PUBLICIDADE Radiografia é a arte e ciência do uso da radiação para fornecer imagens dos tecidos, …

Pielonefrite

PUBLICIDADE Pielonefrite é o termo médico para uma infecção nos rins. A pielonefrite é definida …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.