Breaking News
Home / Saúde / Gota

Gota

PUBLICIDADE

Gota – O que é

Gota é uma doença articular inflamatória causada pelo depósito do monourato de sódio no tecido articular e periarticular.

Gota é uma doença metabólica ocasionada pelo acúmulo de cristais de ácido úrico nas articulações, muito associado ao aumento de sua concentração no sangue.

Isso pode acontecer tanto pela produção excessiva quando pela eliminação deficiente do ácido úrico. Todos os gotosos têm hiperuricemia (aumento da concentração de ácido úrico no sangue), mas nem todos os hiperuricêmicos têm Gota. A superprodução de ácido úrico é responsável por 10% dos casos e a diminuição da excreção urinária de ácido úrico representa os restantes 90% dos gotosos.

O ácido úrico é uma substância existente naturalmente no corpo humano, sendo que 2/3 terços dela é proveniente do próprio metabolismo, e 1/3 da ingestão de alimentos ricos em purina.

Quando consumimos alimentos ricos em purina, estes são metabolizados e transformados em ácido úrico no nosso organismo. Alguns exemplos de alimentos ricos em purina são carnes vermelhas, frutos do mar, leguminosas (ervilhas, feijão, lentilha, etc), miúdos e bebidas fermentadas, como a cerveja e o vinho.

Gota – Sangue

gota é provocada por uma taxa elevada de ácido úrico no sangue (hiperuricemia) que se desenvolve sob a forma de cristais na região das articulações.

Muitas pessoas possuem uma taxa elevada de ácido úrico no sangue, mas não têm a doença. Uma taxa elevada de ácido úrico no sangue é então uma condição necessária, mas não suficiente para justificar o aparecimento da gota. Ainda não se sabe por que determinadas pessoas desenvolvem a doença e outras não.

O fator genético (hereditário) parece estar muitas vezes relacionado com a origem da gota, mas determinados estilos de vida, como comer em excesso (alimentos ricos em carne,…) e muito regados a álcool pode agravar ou desencadear uma crise de gota. Outros fatores como o excesso de peso ou a tomada de determinados medicamentos (aspirina, diuréticos) podem também favorecer o aparecimento da gota.

A gota é uma doença metabólica que atinge uma (mais comum) ou mais articulações. Trata-se de um tipo de artrite. É importante observar que a gota inicia quase sempre atingindo o dedão do pé.

A gota é provocada por um depósito de ácido úrico na região articular, o que forma cristais de ácido úrico, algo considerado muito doloroso (uma das piores dores, segundo alguns pacientes).

A gota é uma doença que evolui por incidências, falamos então de crise de gota quando a dor se torna muito intensa.

A gota atinge na maior parte dos casos, os homens a partir dos 50 anos (20 vezes mais do que as mulheres). Estima-se que 1% dos homens com mais de 40 anos sofrem da doença.

Nota-se por fim, que é importante tratar bem a gota, através de medicamentos e/ou mudanças no estilo de vida, pois complicações renais como deformações articulares podem ocorrer se a doença não for bem tratada.

Gota Úrica

Muitas pessoas sofrem por anos com dores articulares e não imaginam que podem ser portadores da Gota.

Gota Úrica é uma doença metabólica muito estudada desde o tempo de Hipócrates (500 anos A.C.) e já causou sofrimento em incontáveis seres humanos, inclusive em pessoas muito famosas, como Isaac Newton, Michelangelo, Benjamin Franklin, Charles Darwin.

Provavelmente é uma das principais causas de artrite crônica incapacitante desde os primórdios.

Hoje, no entanto, pode ser totalmente controlada, desde que bem diagnosticada e tratada.

Gota – Doença

gota é uma das doenças mais registradas na história da Medicina. Trata-se de um distúrbio do metabolismo das purinas, em que níveis anormalmente altos de ácido úrico se acumulam no sangue (hiperuricemia).

Não é contagiosa, mas passa de geração em geração numa família e aparece geralmente após os 35 anos de idade.

Sendo uma das principais causas da artrite crônica, também está fortemente associada com obesidade, alterações do colesterol, diabetes e insuficiência renal.

Estima-se que 2% da população mundial sofram de gota e que, entre os doentes, exista uma mulher para cada oito homens.

O acúmulo de ácido úrico no sangue pode acontecer tanto pela produção excessiva quanto pela eliminação deficiente da substância.

Sempre que ingerimos proteínas utilizamos parte delas para gerar energia e a outra parte que não utilizamos é transformada em ácido úrico.

É normal que o ácido úrico esteja presente no sangue, mas quando há uma quantidade excessiva, provocada pela a alta ingestão de proteínas ou por uma dificuldade do rim em eliminá-lo, ocorre a gota úrica nas articulações ou nos próprios rins, onde são formados cálculos renais (pedras nos rins). A hiperuricemia facilita a precipitação de cristais de ácido úrico no sangue, o que resulta em um ataque de gota.

Geralmente uma lesão trivial ou um exercício além do habitual pode desencadear os episódios. A obesidade e dietas pobres em carboidratos também são fatores que podem precipitar uma crise.

Os episódios de Gota caracterizam-se por início súbito e agudo da dor artrítica localizada, começando habitualmente pelo dedão do pé e que continua subindo pela perna.

Outra manifestação característica da gota é a formação de abscessos sobre as articulações. Semelhantes a caroços cheios de substâncias brancas dentro, em algumas crises agudas, esses “tofos” podem vazar.

Entre os fatores que desencadeiam a crise, destacam-se: as bebidas alcoólicas, principalmente as fermentadas, e alimentos ricos em purina (fígado, ervilhas, feijão, carnes, tomate, frutos do mar, sardinha, arenque, etc.) que são reconhecidamente importantes fontes para o aumento do nível de ácido úrico no organismo.

O tratamento da Gota visa à normalização do nível de ácido úrico e isso pode ser feito por meio de uma alimentação com baixo teor destas substancias chamadas purinas (que fazem parte das proteínas) ou à base de anti-inflamatórios e drogas que aumentam a eliminação do ácido úrico pela urina ou inibem a sua produção pelo organismo. Entretanto, para escolher o tipo de tratamento mais adequado para cada paciente é necessário um acompanhamento médico.

Gota – Doença dos Reis

Gota
Gota

Gota ou Doença dos Reis é uma enfermidade causada pelo depósito de cristais de ácido úrico nas articulações

É uma das principais causas da artrite crônica e pode estar associada ao aumento do ácido úrico no sangue. Está também fortemente associada com obesidade, alterações do colesterol, diabetes e insuficiência renal.

gota é uma das doenças mais antigas registradas na história da Medicina.

Trata-se de uma doença crônica, não contagiosa, mas que passa pelas gerações de uma mesma família. Estima-se hoje que 2% da população mundial sofra de gota e que entre os doentes, há uma mulher para cada oito homens.

A doença que aparece geralmente após os 35 anos de idade, ocorre devido a um acúmulo de ácido úrico no sangue e isto pode acontecer tanto pela produção excessiva quanto pela eliminação deficiente da substância.

O ácido úrico é uma substância produzida pelo nosso organismo quando da utilização de todas as proteínas que nós comemos na alimentação do dia-a-dia.

Numa explicação mais simples, pode-se dizer que quando as moléculas de proteínas dos alimentos são partidas em pedaços dentro do nosso organismo para servir de energia, o que sobra de todo esse processo é o ácido úrico.

É normal que o ácido úrico esteja presente no sangue em quantidades previstas, mas quando ocorre uma produção excessiva ou uma deficiência na sua eliminação pelo rim, a sua concentração no sangue pode aumentar demais atacando principalmente as articulações, provocando a gota úrica, ou os próprios rins, produzindo cálculos renais (pedras nos rins).

A hiperuricemia facilita a precipitação de cristais de ácido úrico no sangue, o que resulta em um ataque de gota.

Bebidas alcoólicas, principalmente as fermentadas, e alimentos ricos em purina (ervilhas, feijão, carnes, tomate, frutos do mar etc.) são reconhecidamente uma importante fonte para o aumento do nível de ácido úrico no organismo.

O tratamento da Gota visa à normalização do nível de ácido úrico e, geralmente, é feito à base de anti-inflamatórios e drogas que aumentam a eliminação do ácido úrico pela urina ou que inibem a sua produção pelo organismo. Entretanto, para escolher o tipo de tratamento mais adequado para cada paciente é necessário um acompanhamento médico.

Geralmente uma lesão trivial ou um exercício além do habitual pode desencadear os episódios. A obesidade e dietas pobres em carboidratos também são fatores que podem precipitar uma crise.

O consumo excessivo de álcool é outro fator importante, pois pode provocar acúmulo do ácido úrico nos rins e quando isso ocorre, a doença geralmente está em estágio mais grave.

É necessário tratar a doença, muitas vezes para o resto da vida

A gota pode levar às doenças consequentes da hipertensão, como infarto do miocárdio ou derrames.

Contudo, entre os fatores que desencadeiam a crise, o mais importante é a alimentação.

Uma dieta rica em substâncias denominadas purinas (que fazem parte das proteínas) resulta em um aumento da concentração de ácido úrico no sangue e, portanto, alimentos ricos nessas substâncias devem ser evitados.

Entretanto, a restrição rígida de alimentos contendo purinas geralmente é recomendada no estágio agudo da doença, sendo que durante o estágio intermediário das crises, o tratamento dietético para pacientes que se mantém medicados visa uma dieta normal adequada.

Gota – Ácido úrico

gota acontece quando há um acúmulo de ácido úrico no sangue. Isso pode acontecer tanto pela produção excessiva quanto pela eliminação deficiente da substância.

Quando as células do corpo são destruídas para que novas células se instalem no organismo, os núcleos de cada uma eliminam substâncias que devem ser excretadas pelo corpo.

ácido úrico é uma delas e deve ser jogado fora pela urina.

O processo da doença

Gota

O tecido conjuntivo é o que fica na união de um osso com outro, na articulação. O ácido úrico costuma ser solúvel neste tecido. Quando sua concentração aumenta (em um organismo com pré-disposição genética para sofrer a doença), a gota pode se manifestar.

Um trauma ou uma agressão nas articulações costuma ser o principal desencadeador da gota. A articulação do dedão do pé é a mais delicada do organismo, pois é pouco protegida. Se, por exemplo, o indivíduo caminhar muito durante o dia com sapatos fechados, tende a ficar com os pés inchados.

No fim do dia, hora do descanso, a tendência é de os pés desincharem. Se o indivíduo tiver com acúmulo de ácido úrico no sangue, a água sairá rapidamente, mas o ácido permanecerá dentro da articulação.

A região fica ácida e o ácido úrico tende a se cristalizar. A crise só acontece se houver cristalização.

A cristalização do ácido úrico provoca a ação dos neutrófilos, células de defesa do organismo que engolem os cristais. Como a quantidade de cristais é muito grande, muitos neutrófilos atuam e provocam a inflamação do tecido. Com isso, vem a crise aguda da gota.

Na maioria das vezes, a primeira crise acontece nos pés. Frequentemente na articulação do dedão. Com menor freqüência, na parte de baixo do pé ou no tendão de Aquiles. O sintoma imediato é a dor.

Imediatamente, o pé (ou a parte do corpo acometida pela crise) fica inchado, vermelho e quente. A primeira crise dura cerca de três dias, a segunda vem em torno de dois anos depois e pode permancer por mais tempo, com dores menos intensas. Se a gota não for tratada com atenção desde sua primeira manifestação, é possível que a doença atinja outras articulações, como joelho, cotovelos, mãos e se torne crônica, com crises permanentes.

A gota nos rins

Se o cristal do ácido úrico se depositar nos rins, a doença está em um estágio mais grave. A cada inflamação, o rim cicatriza e se retrai. Essa retração deixará as artérias mais estreitas.

O sangue terá mais dificuldade de passar. Para tentar resolver o estreitamento arterial, o organismo secreta uma substância, chamada angiotensina, que aumenta a pressão sangüínea. Entretanto, essa hipertensão não acontece apenas no rim, mas em todo o organismo. Assim, a gota pode levar às doenças conseqüentes da hipertensão, como infarto do miocárdio ou derrame.

Gota – Causas

A gota é causada por níveis elevados de ácido úrico no sangue. O ácido úrico é produzido naturalmente no corpo. Normalmente fica dissolvido no sangue e é excretado pelos rins como componente da urina.

No entanto, o acúmulo de ácido úrico no sangue pode fazer com que cristais de ácido úrico se formem e se depositem nas articulações, causando gota.

Uma série de fatores de risco estão relacionados ao desenvolvimento da gota.

Esses incluem:

Obesidade
Alta ingestão de álcool
Uma predisposição genética
Alta ingestão de alimentos ricos em purinas (por exemplo: alguns frutos do mar e carnes)
Certos medicamentos, por exemplo: diuréticos (comprimidos líquidos)
Lesão em uma articulação
Doença renal de longa data.

Níveis elevados de ácido úrico são mais prováveis de serem causados pelo corpo não eliminar o ácido úrico adequadamente (devido à obesidade, problemas renais ou genética) do que pelo que uma pessoa come e bebe.

As pessoas maoris e do Pacífico correm maior risco de contrair gota porque têm genes que dificultam a eliminação do ácido úrico de seus corpos.

Ocasionalmente, não há uma causa óbvia para um ataque de gota.

Gota – Sinais e Sintomas

A gota se desenvolve rapidamente, geralmente dentro de 12 a 24 horas, e tende a ir e vir.

Sinais e sintomas de um ataque de gota incluem:

Dor intensa e sensibilidade na articulação afetada
Inchaço da articulação afetada
A pele sobre a articulação pode ficar quente e tensa e pode parecer brilhante e vermelha
Amplitude de movimento limitada na articulação afetada.

Algumas pessoas também podem sentir náuseas, perda de apetite e febre leve.

Gota – Diagnóstico

Na primeira crise, o diagnóstico definitivo de gota só é feito se forem encontrados cristais de ácido úrico no líquido aspirado da articulação.

Na ausência de líquido articular, mesmo sendo no dedo grande do pé, a primeira crise não deve ser rotulada antes de um período de acompanhamento pois há outras causas de inflamação neste local.

Lembrar que somente 20% dos hiperuricêmicos terão gota. Se exames e a evolução não definirem outra doença o paciente deve ser seguido como portador de gota.

Pode ser muito fácil quando houver uma história clássica de monoartrite aguda muito dolorosa de repetição e ácido úrico elevado. Esse pode estar normal na crise. Quando a suspeita for grande, repetir a dosagem 2 semanas após. Alterações radiológicas podem ser típicas.

Nos pacientes com doença crônica já com deformidades e RX alterado não há dificuldades diagnósticas mas provavelmente haverá no tratamento. Pacientes nesse estado têm gota de difícil controle ou não se tratam.

Para diagnosticar gota, seu médico o examinará e pedirá que descreva seus sintomas. O médico pode colher amostra de sangue para determinar os níveis de ácido úrico.

Se seus níveis de ácido úrico no sangue estiverem elevados, isso não significa necessariamente que você tenha gota, da mesma forma que níveis normais não significam que você não tenha gota.

O médico pode colher líquido de uma articulação suspeita de estar afetada pela gota e pesquisar através do microscópio a presença de cristais de ácido úrico nesse líquido.

O achado de cristais de ácido úrico no líquido articular constitui a forma mais segura de se fazer o diagnóstico da gota.

Gota – Tratamento e Prevenção

gota não é uma doença que se possa prever. Só se trata do problema quando ele é identificado. O tratamento é feito com remédios capazes de reduzir a produção do ácido ou de aumentar sua eliminação pela urina.

Para a hora da crise, os medicamentos mais usados são os antiinflamatórios.

Evitar alimentos com muito ácido úrico, como fígado ou animais pequenos e bebidas como vinho tinto e cerveja, também faz parte do tratamento.

O tratamento médico visa aliviar a dor e a inflamação de ataques agudos e prevenir a ocorrência de ataques futuros. Mudanças na dieta e no estilo de vida também ajudam a prevenir futuros ataques de gota.

Tratamento de ataques agudos:

Quanto mais rapidamente o tratamento eficaz for iniciado, mais rapidamente o ataque poderá ser controlado.

Os diferentes tipos de medicamentos utilizados incluem:

Medicamentos para reduzir a dor – particularmente medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), como o ibuprofeno. Tomados no início do ataque, eles podem reduzir a duração e a gravidade do ataque. O paracetamol, tomado em conjunto com outros medicamentos, também pode ajudar a reduzir a dor. A aspirina deve ser evitada, pois pode reduzir a quantidade de ácido úrico excretada pelo organismo.
Colchicina – este medicamento ajuda a bloquear a produção de ácido úrico. É mais eficaz quando tomado no início de um ataque. No entanto, pode ter efeitos colaterais, como diarréia, se for tomado em excesso. As instruções de dosagem devem ser seguidas cuidadosamente.
Corticosteróides – como a prednisona podem ser administrados em forma de comprimido para ajudar a reduzir a dor e a inflamação. Injeções de corticosteróides diretamente na articulação também podem ser eficazes.

Beber líquidos extras (de preferência água) enquanto estiver tomando esses medicamentos é recomendado. A articulação afetada também deve estar em repouso e elevada.

Prevenindo ataques futuros:

Prevenir ataques de gota é tão importante quanto tratar os sintomas de um ataque agudo. Maneiras em que a gota pode ser prevenida incluem o uso de medicamentos e mudanças no estilo de vida.

Medicamentos – o principal medicamento para pessoas com gota é o alopurinol, que atua para reduzir a produção de ácido úrico. As pessoas que não podem tomar alopurinol devido a efeitos colaterais ou outros motivos podem receber medicamentos alternativos que reduzem a produção de ácido úrico ou aumentam a excreção de ácido úrico pelos rins.

Nos estágios iniciais do tratamento com medicamentos para prevenir a gota, os ataques podem ocorrer com mais frequência e podem ser mais graves. Por esse motivo, a dosagem dos medicamentos pode ser baixa no início e depois aumentada gradualmente. Esses medicamentos só devem ser descontinuados com o conselho de um médico, pois interromper e iniciá-los também pode causar um ataque de gota.

Modificações na dieta – as mudanças na dieta visam restringir ou evitar alimentos ricos em purinas. As purinas são substâncias encontradas em alguns alimentos e produzem ácido úrico quando decompostas pelo organismo.

Alimentos ricos em purinas incluem:

Mariscos (pipis, paua, ostras, mexilhões) e ovas de peixe
Alimentos miúdos (cérebro, fígado, rim, tripa)
Carnes vermelhas (bovina, porco/bacon, cordeiro)
Extratos de levedura (Marmite, Vegemite)
Alimentos que contêm fermento (pão, cerveja)
Peixes oleosos (sardinha, arenque e anchova).

Limitar a ingestão de álcool – também é importante. O álcool faz com que o corpo perca líquido (aumentando a produção de urina e retirando água do sangue), aumentando assim os níveis de ácido úrico no sangue. A cerveja é rica em purinas, por isso deve ser evitada.

Beber muitos líquidos não alcoólicos – especialmente água (oito a 10 copos por dia) é recomendado. Isso ajudará a liberar os cristais de ácido úrico para fora do corpo. Refrigerantes, sucos de frutas e bebidas adoçadas com açúcar de frutas (frutose) devem ser evitados, pois podem aumentar os níveis de ácido úrico.

Manter um peso corporal saudável – ajudará a reduzir o estresse nas articulações afetadas e diminuir a probabilidade de desenvolver gota.

Gota – Complicações

Se os níveis de ácido úrico permanecerem elevados por longos períodos de tempo, ou houver ataques recorrentes frequentes de gota, depósitos de sais de ácido úrico podem se formar ao redor da articulação afetada e aparecer na pele como nódulos de cor calcária. Estes são chamados de tofos e também podem aparecer em outras áreas do corpo, como as orelhas.

Ataques graves recorrentes de gota e o desenvolvimento de tofos podem causar danos permanentes nas articulações. A cirurgia pode ser necessária para restaurar a função articular.

Isso pode envolver cirurgia de substituição articular.

Danos aos delicados filtros dentro dos rins e o desenvolvimento de pedras nos rins também podem ocorrer se os níveis de ácido úrico no sangue permanecerem elevados por longos períodos de tempo. Isso, por sua vez, pode prejudicar a função renal. Para evitar as complicações da gota, é importante seguir cuidadosamente as instruções de tratamento dadas por um médico para lidar rapidamente com os ataques de gota e evitar que eles se repitam.

Fonte: www.msd-brazil.com/www.dietanet.hpg.ig.com.br/www.santalucia.com.br/www.southerncross.co.nz

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Saúde

PUBLICIDADE A palavra saúde refere-se a um estado de completo bem-estar emocional e físico. A saúde existe …

Pé de atleta

PUBLICIDADE Pé de atleta – Definição O pé de atleta é uma infecção fúngica comum na qual …

Mucormicose

PUBLICIDADE Mucormicose – Definição A mucormicose é uma doença rara, mas muitas vezes fatal, causada por certos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.