Breaking News
Home / Saúde / Hipermetropia

Hipermetropia

PUBLICIDADE

Hipermetropia – Definição

hipermetropia é caracterizada pela facilidade de ver objetos de longe e de uma dificuldade de ver objetos próximos.

hipermetropia ou visão de longe caracteriza-se principalmente por uma dificuldadee de visualização de objetos a curta distância.

Sua causa é uma aplanação acentuada da córnea (menos curva que o normal), o que faz com que a luz seja focalizada depois da retina.

hipermetropia é bastante comum entre as crianças, sendo detectada já a partir de 5 anos de idade, e pode desaparecer com o crescimento do globo ocular, seguindo o desenvolvimento normal da própria criança.

Pode levar ao estrabismo, devido ao esforço que os músculos oculares se submetem na tentativa de melhorar a visão de perto, podendo, eventualmente, provocar a perda de visão em um dos olhos.

hipermetropia é causada por um crescimento insuficiente do globo ocular. O seu olho é, por assim dizes, demasiado curto e não consegue ajustar a refração da luz que recebe de perto.

A luz é direcionada para um ponto focal que fica atrás da retina, pelo que as imagens formadas ficam desfocadas.

Por vezes, a hipermetropia é causada por uma curvatura insuficiente da córnea o que faz com que a luz não se foque na retina e a imagem apareça desfocada.

O que é hipermetropia?

hipermetropia significa vista longa, ou seja, aquele que vê à distância.

Quando as pessoas têm visão de longo prazo, não têm dificuldade em ver objetos à distância. No entanto, quando eles voltam os olhos para coisas que estão de perto, eles podem ter problemas para vê-los claramente, o que pode resultar em estrabismo e também dores de cabeça se as pessoas precisarem fazer trabalhos de perto regularmente. A hipermetropia é semelhante à presbiopia, o que também torna difícil o trabalho de perto, mas sua causa é muito diferente.

Essencialmente, a hipermetropia está relacionada ao comprimento do globo ocular. Em algumas pessoas, o globo ocular pode ser mais curto do que a média, e isso pode mudar a maneira como o olho percebe a luz e como “vê” objetos próximos. Algumas pessoas têm esse problema quando crianças e nascem com um olho mais curto do que o normal, e algumas podem muito bem superar o problema com a idade.

Outros continuarão a ter problemas com hipermetropia e podem exigir uma série de correções para ver mais claramente e minimizar os problemas de visão.

Uma pessoa com hipermetropia tem dificuldade em ver as coisas de perto

Os tratamentos comuns para essa condição incluem o uso de óculos corretivos ou lentes de contato. Essencialmente, eles fornecem um método para dobrar a luz que os olhos não podem fornecer por si próprios.

Muitas pessoas ficam extremamente satisfeitas com esse tratamento, que costuma ser o mais acessível.

Existem agora várias doenças oculares que podem ser corrigidas cirurgicamente. Para quem tem problemas com óculos ou lentes de contato, algumas técnicas cirúrgicas podem representar a solução ideal para hipermetropia. Várias cirurgias diferentes podem ser realizadas por recomendação do médico e preferência do paciente.

Uma das técnicas cirúrgicas mais comuns usadas para corrigir a hipermetropia é a cirurgia LASIK®, que tem demonstrado grande sucesso na manipulação dos olhos para que eles dobrem a luz de maneira adequada e tornem mais fácil o trabalho próximo.

Existem duas outras técnicas mais recentes que um médico pode sugerir. São implantes de lentes intraoculares fácicas e ceratoplastia condutiva.

As lentes intraoculares fácicas podem ser melhor descritas como lentes permanentes implantadas nos olhos e ajudam a corrigir a visão.

Este método de correção da hipermetropia pode ser recomendado se as pessoas também tiverem outras dificuldades de visão que exijam correções simultâneas. A ceratoplastia condutiva geralmente só é preferida em pessoas com mais de 40 anos, porque muda permanentemente a forma da córnea para manipulá-la para dobrar a luz de maneira adequada.

As técnicas cirúrgicas podem ter a vantagem de evitar a emissão de óculos. No entanto, eles podem não ser preferidos para pessoas mais jovens que ainda estão crescendo, pois alguns podem desenvolver hipermetropia. Se esta condição estiver presente, é melhor discutir as opções com um médico qualificado para ver qual método de correção é mais apropriado.

Hipermetropia – Lente de contato

Hipermetropia sucede quando a longitude do olho é demasiado curta para a potência de focalização do cristalino e a córnea.

Isto provoca que os raios de luz se concentram por trás da retina.

O resultado é que se vêem os objetos de longe mais claros do que os próximos. Nesta situação este olho tem um baixo poder de convergir.

A correção requerida é uma lente positiva que adiciona potência ao olho para ter visão nítida dos objetos de perto.

Aqui vemos como corrige uma lente de contato esférica a hipermetropia.

HipermetropiaA forma do olho hipermetrope focaliza a imagem por trás da retina, produzindo visão imprecisa dos objetos próximos

HipermetropiaIncrementando a potência da córnea, uma lente de contato esférica corrige o erro refrativo, criando um ponto de focalização na retina onde a visão e tem mais nítida

Hipermetropia – Tipo

hipermetropia é um tipo de ametropia e tem origem no globo ocular.

Trata-se de um erro de refração que faz com que os raios luminosos que vão em direção dos olhos se encontram num foco atrás da retina e não em cima como deveria ser para um olho normal. Dessa forma, a capacidade refratária é alterada em relação aos olhos com visão normal. Isso causa dificuldade para enxergar objetos próximos e principalmente para leitura de textos.

É possível que o hipermetrope consiga ver de perto ou de longe (até 6m) e nos olhos de muitas crianças e jovens a hipermetropia pode ser compensada com maior facilidade, já que o cristalino em jovens é ainda flexível. Isso ocorre se ele forçar os olhos ao usar o poder de acomodação do cristalino, mudando o formato e aumentando a potência dessa lente intra-ocular em função das distâncias, levando os raios luminosos para o plano focal da retina.

Porém, esse esforço resulta em sintomas comuns da hipermetropia, tais como: dor de cabeça, sensação de peso nos olhos, lacrimejamento, ardor e vermelhidão.

Hipermetropia – Causas

Em muitos casos, a hipermetropia tem origem uma malformação congênita do olho, ou seja, o diâmetro do globo ocular é curto. Pode ser também uma capacidade refratária reduzida da córnea e do cristalino (hiperopia), mas são casos mais raros.

É possível que o hipermetrope consiga ver de perto ou de longe (até 6m). Isso ocorre se ele forçar os olhos ao usar o poder de acomodação do cristalino, mudando o formato e aumentando a potência dessa lente intra-ocular em função das distâncias, levando os raios luminosos para o plano focal da retina. Porém, esse esforço resulta em dor de cabeça, sensação de peso ao redor dos olhos, ardor vermelhidão conjuntival e lacrimejamento ocular, principalmente ao ler de perto, no fim da tarde e após o trabalho ou escola.

Sintomas da Hipermetropia

Incluem dor e cansaço ocular, dificuldades de concentração, de leitura e de executar tarefas que necessitem visão de perto. Por vezes a visão fica indistinta, principalmente para objetos próximos.

Os sintomas da hipermetropia severa, que pode ocorrer já na infância, incluem:

Falta de interesse por objetos, brinquedos e similares pequenos
Dificuldade para ler ou acompanhar as figuras de livros.
Esse erro refrativo pode ser corrigido com o uso de óculos com lentes convexas e lentes de contato. Caso não desapareça na fase de crescimento normal, pode ser realizada cirurgia, de acordo com indicação do oftalmologista.

Hipermetropia – Tratamento

hipermetropia se deve a uma diminuição do comprimento do olho (olho curto) onde o foco se forma atrás da retina resultando numa imagem borrada e indistinta.

É a anormalidade de refração mais comum e constitui um estágio no desenvolvimento normal.

Ao nascimento praticamente todos os olhos são hipermetropes num grau de 2,5 a 3 dioptrias, e com o crescimento o olho se alonga e torna-se emétrope, ou seja, sem grau nenhum. Mas em aproximadamente 50% das pessoas isto não ocorre e persiste um certo grau de hipermetropia.

O principal sintoma da hipermetropia é o borramento da visão de perto. Os sintomas de esforço ocular são freqüentes tais como dor de cabeça, cansaço e ardência ocular.

Considera-se como regra geral para o tratamento que, se o grau for pequeno, a visão boa e sem queixas de esforço ocular, torna-se desnecessário a correção.

Em crianças pequenas, com menos de seis ou sete anos, um certo grau de hipermetropia é normal, corrigindo-se apenas quando o grau é alto ou em presença de estrabismo (olho torto).

Entre seis e dezesseis anos graus menores podem exigir correção.

É importante lembrar que em todas as crianças a hipermetropia tende normalmente a diminuir com o crescimento e conseqüentemente aproximam-se da normalidade na adolescência. Portanto, as crianças devem ser examinadas um vez por ano, afim de fazer modificações nos óculos quando necessário.

Em geral, a hipermetropia é corrigida com óculos de grau com lentes positivas ou lentes de contato que reposicionam a imagem sobre a retina. Cirurgia refrativa também pode ser realizada, pois o objetivo é mudar o formato da córnea, tornando-a mais esférica e redonda e deixando o olho normal.

Correção da Hipermetropia

HipermetropiaHipermetropia

hipermetropia pode ser corrigida com óculos ou lentes de contato.

Utilizam-se lentes positivas (também chamadas lentes mais ou convexas) a fim de aumentar a potência do sistema óptico de forma que os raios paralelos de objetos distantes comecem a convergir antes de penetrar no olho para serem focalizados na retina com o músculo ciliar relaxado.

Para a visão de perto o olho utiliza a acomodação normal.

Hipermetropia

Uma pessoa com miopia pode ver coisas que estão perto, mas não pode ver claramente coisas que estão longe, enquanto uma pessoa com hipermetropia pode ver coisas que estão longe, mas não pode ver claramente coisas que estão perto.

Miopia e hipermetropia também são conhecidas como miopia e hipermetropia, respectivamente.

A gama de coisas que um indivíduo pode ver claramente difere de pessoa para pessoa, pois as duas condições podem ser leves ou graves.

Tanto a miopia quanto a hipermetropia são erros de refração. A luz que entra no olho deve se curvar e atingir a retina, a parte do olho que focaliza as imagens.

Um erro de refração significa que o olho não consegue dobrar a luz corretamente, fazendo com que os objetos pareçam desfocados. Com a miopia, o erro refrativo ocorre quando a retina está muito longe para que a luz alcance. Exatamente o oposto é verdadeiro com hipermetropia; a luz vai muito longe e atinge atrás da retina.

Não há medidas que um indivíduo possa tomar para prevenir a ocorrência de miopia e hipermetropia. Qualquer uma das condições pode ocorrer em famílias e afetar qualquer pessoa. Além disso, às vezes a hipermetropia pode estar presente em uma criança no nascimento, mas quando for esse o caso, a condição geralmente desaparece por conta própria conforme a criança cresce.

Os sintomas de miopia e hipermetropia são simples. Para a miopia, coisas muito distantes parecem borradas. Para hipermetropia, coisas que estão muito próximas ficam borradas.

Um indivíduo com miopia ou hipermetropia pode precisar apertar os olhos para ver claramente esses objetos borrados. Isso pode causar fadiga ocular, o que pode causar dores de cabeça.

Além de apresentarem dificuldades de visão, a miopia e a hipermetropia têm conexões com outras condições médicas.

Por exemplo, miopia severa pode aumentar o risco de um indivíduo desenvolver uma doença ocular conhecida como glaucoma. Além disso, a ruptura ou descolamento da retina, uma emergência médica que pode resultar em perda de visão, também pode ocorrer com a miopia. Os sinais de descolamento de retina incluem a visão repentina de luzes piscando ou pontos flutuantes, bem como perda parcial da visão.

Um indivíduo com miopia ou hipermetropia pode querer tomar medidas que o capacitem a obter uma visão melhor. Isso pode incluir a realização de um exame oftalmológico e a obtenção de óculos ou lentes de contato.

No caso de miopia, ele pode considerar a cirurgia ocular assistida por laser in situ keratomileusis (LASIK), um procedimento médico que corrige a condição.

Fonte: Sociedade Brasileira de Lente de Contato/www.santaluziaoticas.com.br/www.wisegeek.org/www.oftalmojanot.com.br/www.ivlc.net/www.ladarvision4000.com.br/www.filadelfianet.com.br

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Avaliação Cognitiva

PUBLICIDADE Definição de Avaliação Cognitiva A avaliação cognitiva (ou teste de inteligência) é usada para determinar as …

Hiperestesia

PUBLICIDADE Definição A hiperestesia é uma condição ou um estado que envolve um aumento anormal da sensibilidade …

Fantosmia

PUBLICIDADE Definição Fantosmia é a palavra médica usada pelos médicos quando uma pessoa sente o cheiro …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.