Breaking News
Home / Saúde / Síndrome de Turcot

Síndrome de Turcot

PUBLICIDADE

O que é

A síndrome de Turcot é um distúrbio genético que coloca os indivíduos afetados em um risco maior de desenvolver diferentes tipos de câncer.

Eles normalmente desenvolvem câncer de cólon ou câncer no cérebro como resultado de ter mutações em genes diferentes.

O diagnóstico da síndrome de Turcot pode ser feito após o desenvolvimento dos cânceres característicos, ou com base em testes genéticos identificando mutações que se sabe estarem associadas à síndrome.

Pacientes conhecidos por terem a síndrome são submetidos a processos de triagem agressivos, a fim de identificar cânceres nascentes em um estágio em que eles ainda podem ser tratados.

O nome de síndrome de Turcot foi inicialmente usado para descrever famílias em que os membros tinham risco aumentado de desenvolver câncer de cólon e diferentes tipos de câncer no cérebro.

Com mais pesquisas sobre a etiologia dessa condição, os cientistas determinaram que a doença não era uma entidade independente e claramente definida. Em vez disso, representou um subconjunto de outras síndromes, colocando os pacientes em risco de diferentes tipos de câncer.

Os pacientes com síndrome de polipose adenomatosa familiar ou síndrome de Lynch que desenvolvem câncer cerebral são considerados portadores da síndrome de Turcot.

Várias mutações genéticas diferentes podem causar a síndrome de Turcot.

Freqüentemente, a doença se desenvolve devido a uma mutação em um gene chamado gene adenomatous polyposis coli (APC); anormalidades neste gene são tipicamente associadas a uma síndrome chamada polipose adenomatosa familiar (FAP).

Em outros casos, mutações nos genes S, que são responsáveis pela reparação de outros genes, conhecidos como genes de reparo incompatíveis, podem causar a ocorrência da síndrome.

Quando a síndrome de Turcot é secundária a esse tipo de defeito, ela é frequentemente considerada um subconjunto da síndrome de Lynch.

Os sintomas da síndrome de Turcot variam de acordo com o tipo de câncer que se desenvolve em uma pessoa afetada. Os pacientes que desenvolvem câncer de cólon podem apresentar sintomas como dor abdominal, alteração nos hábitos das fezes ou presença de sangue nas fezes.

Os cânceres cerebrais podem causar muitos problemas diferentes, incluindo alterações de personalidade, perda de memória, incoordenação e fraqueza de diferentes partes do corpo.

O diagnóstico da síndrome de Turcot pode ser feito de várias maneiras diferentes.

O câncer de cólon é mais frequentemente diagnosticado com o uso de uma colonoscopia. Estudos de imagem, como tomografia computadorizada (TC) ou radiografia com contraste podem sugerir o diagnóstico.

O câncer cerebral é mais frequentemente identificado com a ajuda da ressonância magnética (RM).

Um dos aspectos mais importantes do manejo da síndrome de Turcot é a identificação de indivíduos em risco de desenvolver câncer. Muitas vezes, o diagnóstico é sugerido com base em ter familiares com essas doenças específicas.

O risco para a doença pode ser determinado testando o material genético desses indivíduos para mutações genéticas conhecidas por causar a síndrome.

Os pacientes que têm mutações conhecidas por causar a síndrome de Turcot podem ser submetidos a testes de triagem agressivos ou, em alguns casos, à remoção profilática do cólon, para identificar os cânceres enquanto ainda podem ser tratados, ou para impedir que os cânceres ocorram no local. primeiro lugar.

Definição

A síndrome de Turcot é uma desordem hereditária rara caracterizada pela associação de tumores benignos (pólipos adenomatosos) no revestimento mucoso do trato gastrointestinal com tumores do sistema nervoso central.

Os sintomas associados à formação de pólipos podem incluir diarreia, sangramento da porção terminal do intestino grosso (reto), fadiga, dor abdominal e perda de peso.

Os indivíduos afetados também podem apresentar sintomas neurológicos, dependendo do tipo, tamanho e localização do tumor cerebral associado.

Alguns pesquisadores acreditam que a síndrome de Turcot é uma variante da polipose adenomatosa familiar. Outros acreditam que é um distúrbio separado. A causa exata da síndrome de Turcot não é conhecida.

Sinais e Sintomas

A síndrome de Turcot é caracterizada pela formação de múltiplos tumores benignos (pólipos) no cólon que ocorrem em associação com um tumor cerebral primário. Esses crescimentos estão associados a sangramento do reto, diarreia, constipação, dor abdominal e / ou perda de peso. O número e o tamanho desses pólipos podem variar muito de caso para caso, variando de menos de 10 a mais de 100.

Alguns pesquisadores separaram a síndrome de Turcot em duas formas:

O tipo 1 é caracterizado pela presença de menos de 100 pólipos colônicos. Esses pólipos são grandes em tamanho e mais propensos a se tornarem malignos (cancerosos).

O tipo 2 é caracterizado por pólipos colônicos menores e mais numerosos. Este tipo de síndrome de Turcot assemelha-se muito à polipose adenomatosa familiar. (Para mais informações sobre polipose adenomatosa familiar, consulte a seção Transtornos Relacionados deste relatório.)

Indivíduos com a síndrome de Turcot frequentemente apresentam anormalidades neurológicas que variam, dependendo do tipo, tamanho e localização do tumor cerebral associado.

Nos casos da síndrome de Turcot, o tumor cerebral é frequentemente um glioma.

Tumores cerebrais adicionais associados à síndrome de Turcot incluem meduloblastomas, glioblastomas, ependimomas e astrocitomas. Os meduloblastomas ocorrem com maior frequência na forma tipo 2 da síndrome de Turcot.

Indivíduos com a síndrome de Turcot têm um risco muito maior do que a população geral de desenvolver câncer de cólon mais tarde na vida.

Os indivíduos afetados também têm uma predisposição para desenvolver tumores malignos (cancerosos) em áreas fora do cólon, incluindo tumores da tireóide, supra-renais e/ou abdominais.

Sintomas adicionais associados à síndrome de Turcot incluem pequenas manchas cor de café na pele (manchas café com leite), a formação de múltiplos tumores gordurosos benignos (lipomas) e/ou o desenvolvimento de um tipo de câncer de pele conhecido como carcinoma basocelular.

O carcinoma basocelular caracteriza-se pela formação de massas pequenas, brilhantes e firmes de tecidos (nódulos); lesões planas, semelhantes a cicatrizes (placas); ou manchas vermelhas cobertas por escamas grossas, secas e prateadas na pele.

Fonte: rarediseases.org/www.cancer.gov/www.wisegeek.org/www.ncbi.nlm.nih.gov/atlasgeneticsoncology.org/www.cancer-genetics.org

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Animais Invertebrados

PUBLICIDADE Definição de Invertebrado Invertebrados são animais que não têm espinha dorsal. A coluna vertebral …

Tomografia Computadorizada

Tomografia Computadorizada

PUBLICIDADE Definição A tomografia computadorizada é um procedimento que usa um computador conectado a uma máquina de …

Tomografia

PUBLICIDADE Definição A tomografia é o processo para gerar um tomograma, uma imagem bidimensional de uma fatia …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.