Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Olho Seco  Voltar

Olho Seco

O que é

Olho Seco ou Ceratoconjuntivite Sicca é uma alteração da superfície ocular que causa ardor, queimação e sensação de corpo estranho. Este quadro pode levar a um processo de lacrimejamento mais intenso que se baseia em alterações de hormônios, evaporação e lubrificação, metaplasia celular e infecções associadas.

O olho seco pode estar associado a doenças que causam conjuntivite cicatricial grave, como o eritema multiforme, tracoma e penfigóide cicatrizante. Também pode aparecer em decorrência de doenças sistêmicas como a esclerodermia, leucemia, linfoma e em condições de alacrimia congênita, aplasia de glândula lacrimal, disautonomia familiar, síndrome de Riley-Day, entre outras.

Quais os sintomas?

Em casos moderados, são habituais a sensação de corpo estranho, prurido, queimação e hiperemia conjuntival moderada. Os sintomas pioram à tarde ou à noite e são intensificados pelo vento, fumaça e leitura prolongada.

Quando se trata de um caso mais severo, ocorre turvação da visão, dor, fotofobia e incapacidade de produção lacrimal.

O tratamento

Na maioria dos casos, os sintomas podem ser controlados pela utilização de lágrimas artificiais e pomadas oftálmicas. Em outros, é indicada a aplicação de dispositivos liberadores de lágrimas artificiais no fundo do saco conjuntival.

Já nos mais severos, além dos agentes já citados anteriormente, pode-se utilizar a oclusão dos pontos lacrimais. Esse procedimento pode ser realizado por cauterização, laser, suturas, plugs e recobrimento do ponto lacrimal com conjuntiva do mesmo olho.

Fonte: www.cbv.med.br

Olho Seco

Olho seco é um termo usado para descrever um grupo de diferentes doenças e condições que resultam da umidade e lubrificação inadequadas do olho.

Apesar de milhões de pessoas sofrerem de olho seco, normalmente é difícil de ser diagnosticado. Pode ser facilmente confundido com outras condições, tais como infecções ou alergias oculares.

Além disso, o excesso de lágrimas causadas por choro, tempo frio, entre outros fatores, também pode causar os sintomas de olho seco.

Qual a Função das Lágrimas?

Lágrimas são muito mais complicadas do que parecem.

As lágrimas são o mecanismo natural do organismo para proteger a superfície ocular contra infeccões e contra os efeitos corrosivos da sujeira, poeira e outras partículas aéreas. Elas ajudam a criar uma superfície corneana regular, de forma que a visão permaneça clara e sem distorções, proporcionando uma sensação de conforto nos olhos. As lágrimas fornecem uma superfície úmida e lubrificada, que se mantém por sobre o epitélio corneano (superfície do olho).

Há três camadas de filme lacrimal. A camada mais externa, ou lipídica, previne a evaporação. A camada do meio chamada de aquosa, é responsavél pela nutricação da córnea e a camada de mucina que umifica o epitélio corneano.

As lágrimas estão constantemente sendo reabastecidas. Portanto, uma produção adequada de lágrimas é importante para a manutenção da saúde, do conforto e da capacidade de controle de infecções no olho. Quando o olho não produz lágrimas suficientes para realizar estas funções, podem ser necessárias lágrimas artificiais ou oclusão (vedação dos canais lacrimais).

O Que Pode Causar o Olho Seco?

Há várias anormalidades diferentes que podem causar o olho seco, tais como diminuição da produção de lágrimas, evaporação excessiva, problemas com o piscar, etc. Muitos fatores influenciam para a causa do olho seco.

Idade: Como regra geral, com a idade, a produção de lágrimas diminui. Aos 65 anos, por exemplo, se produz 60% menos lágrimas que aos 18 anos.

Doenças sistêmicas: O olho seco frequentemente é associado com outras doenças como artrite, alergia, lupus, Síndrome de Sjogren e algumas doenças da pele.

Meio-ambiente: Condições ambientais, tais como: ar seco, fumaça e vento podem agravar as condições de olho seco.

Medicação: Algumas medicações, como: anti-histamínicos, anti-depressivos, anti-hipertensivos, podem contribuir para a causa do olho seco.

Você Sofre de Olho Seco?

Faça este simples e novo TESTE DE OLHO SECO para descobrir.

Sensação de queimação SIM NÃO
Sensação de ardência SIM NÃO
Coceira ou sensação de corpo estranho e areia nos olhos SIM NÃO
Ressecamento SIM NÃO
Sensibilidade a luz brilhante (fotofobia) SIM NÃO
Secreções de muco nos olhos (purulência) SIM NÃO

Se você respondeu SIM para um ou mais dos sintomas acima, você pode ter olho seco. É importante conversar com seu oftalmologista sobre opções para tratamento do olho seco.

Fonte: www.alcon.com

Olho Seco

A lágrima, também chamada filme lacrimal, faz parte da defesa natural do organismo, hidratando e levando nutrientes essenciais para a saúde da superfície ocular, eliminando impurezas, preenchendo as pequenas irregularidades desta superfície e nivelando-a para facilitar a refração dos raios de luz para a formação das imagens no interior do olho. Tem também a importante função de lubrificação, evitando o atrito das pálpebras durante o ato de piscar.

A produção lacrimal é contínua - secreção basal, que mantém constante a umidificação do olho. A secreção reflexa, aumenta a produção lacrimal e é desencadeada por irritações químicas, físicas e também por estímulos psicológicos e emocionais.

O que é secreção basal e reflexa?

A secreção basal é a produção constante de lágrima, cujo volume produzido normalmente durante o dia, é de 0,5 a 1 ml, suficiente para manter o olho úmido e lubrificado. O volume produzido é menor à noite. A secreção reflex é a produção de grande volume de lágrima e ocorre em resposta à estimulaçãp da córnea e/ou conjuntiva. A secreção reflexa ocorre em ambos os olhos, mesmo que apenas um tenha sido estimulado.

Como a lágrima é eliminada?

Após umidificar e lubrificar a superfície ocular, 50% da lágrima se perde através da evaporação. Uma parte da secreção basal é absorvida na conjuntiva e mucosa que reveste todo o interior das vias lacrimais. Somente o volume excedente de lágrimas atinge a cavidade nasal, passando através dos pontos lacrimais (70% pelo ponto superior e 30% pelo ponto inferior), pelos canalículos, saco lacrimal e ducto nasolacrimal. Existe um mecanismo de bombeamento que é responsável pela excreção do filme lacrimal, envolvendo as pálpebras através do piscar.

Por que piscamos?

O ato de piscar, que ocorre numa frequência definida, tem a função de distribuir a lágrima pela superfície ocular e também facilitar o bombeamento das lágrimas pelas vias de drenagem, que escoam para a cavidade nasal.

Quais as funções da lágrima?

As principais funções do filme lacrimal são:

Refrativa: criar uma superfície óptica uniforme, regularizando a superfície corneana.
Lubrificante:
umidificar a córnea e conjuntiva, proporcionando conforto ao piscar.
Antimicrobiana:
remover germes através da constante irrigação e pela ação das lisozimas, globulinas e lactoferrinas.
Nutritiva:
trazer nutrientes e oxigênio para as células da córnea e conjuntiva, removendo detritos e gás carbônico; e
Defensiva:
dificultar a aderência de corpos estranhos e microorganismos à superfície ocular, trazendo leucócitos à córnea em casos de infecção.

Quais as queixas ou sintomas do portador de olho seco?

O olho seco pode apresentar uma gama de sintomas que podem variar desde a ausência de sintomas até, em quadros graves, de grande sintomatologia. Os sintomas associados ao olho seco são bastante inespecíficos.

As queixas ou sintomas incluem: “queimação” ocular ou sensação de ardência, olho vermelho, prurido, secreção, sensação de corpo estranho ou “areia”, dor, “sensação de olho seco”, fotofobia, infecções de repetição, peso palpebral e fadiga ocular.

Os sintomas caracteristicamente apresentam uma flutuação diurna e se agravam em certos ambientes e com certas atividades (uso de computadores, ar condicionado, fumo, clima quente e seco, etc.).

O que pode ocasionar a síndrome do olho seco?

Existem alguns fatores que podem influir nos sintomas do olho seco:

Idade: o envelhecimento produz uma atrofia das glândulas lacrimais acarretando um fluxo menor de lágrima. A flacidez palpebral senil também é um fator de desentalibilização do filme lacrimal. Estes pacientes costumam ser mais sensíveis a alterações externas que podem provocar sintomas de olho seco.
Sexo
: alterações do equilíbrio de estrógenos/andrógenos podem predispor ao aparecimento de olho seco, como o que acontece durante a gravidez, menopausa e uso de contraceptivos hormonais.
Trabalho
: a frequência do piscar pode diminuir de acordo com a atividade do indivíduo. Por exemplo, ela é menor durante a leitura, quando se trabalha diante da tela de um computador e outras atividades que requerem atenção (filmes,games, etc).
Meio ambiente
: os ambientes secos, poluídos, o frio, a calefação, o ar acondicionado e as cabines pressurizadas contribuem para desestabilizar o filme lacrimal.
Medicamentos
: vários medicamentos sistêmicos produzem uma diminuição das secreções exócrinas, exacerbando os sintomas do olho seco. Topicamente, a toxicidade de alguns conservantes utilizados em colírios destrói a parte gordurosa da lágrima, favorecendo sua evaporação.
Irregularidades da superfície ocular
: qualquer elevação ou depressão na superfície ocular pode causar uma quebra na distribuição uniforme do filme lacrimal, levando aos sintomas de olho seco.

O que fazer?

O paciente deverá procurar um médico oftalmologista, que confirmará o diagnóstico e verificará qual a causa ou fator que está sendo responsável pelo olho seco, instituindo então, o tratamento apropriado.

Fonte: www.allergan.com.br

Olho Seco

O olho seco é uma condição anormal da superfície do olho que se manifesta quando as pessoas produzem pouca lágrima ou a mesma é deficiente em alguns de seus componentes. Pouca quantidade, má qualidade.

Quando um desses fatores ou ambos se apresentam, podem produzir-se zonas secas sobre a conjuntiva e fundamentalmente sobre a córnea o que facilita a aparição de lesões.

Onde as lágrimas são produzidas e quais funções cumprem?

As lágrimas são produzidas nas glândulas lacrimais alojadas nas pálpebras e na órbita óssea.

Estas glândulas, respondendo ao sistema nervoso involuntário, segregam dois tipos de lágrima:

As lágrimas basais ou constantes, que servem para alimentar a córnea, prover lubrificação, facilitar a visão e defender o olho de infecções ou corpos estranhos.

As lágrimas reflexas, que são produzidas ante um estímulo (irritação, emoção, etc) e que servem principalmente para enxaguar os olhos. Uma vez liberadas, as lágrimas são espalhadas por toda a superfície externa do olho em cada pálpebra, e posteriormente são drenadas até o nariz por meio dos condutos lacrimais.

Como se manifesta o olho seco?

O olho seco se manifesta através de uma variada gama de sintomas que incluem: sensação arenosa e/ou de um corpo estranho, ardor, queimação, aspereza, sensibilidade a luz, visão de halos coloridos, olhos lacrimejantes e ardor leve.

O que causa o olho seco?

O ambiente: o clima seco, com vento e ensolarado, a poluição ou a contaminação ambiental, lugares fechados, a calefação, o ar condicionado e os monitores de computador podem aumentar a evaporação e causar olho seco.

Os medicamentos: certos medicamentos podem diminuir a capacidade do organismo de produzir lágrimas. Entre eles estão os descongestionantes e antihistamínicos, os tranqüilizantes, antidepressivos e pílulas para dormir, os diuréticos, pílulas anticongenstivas, alguns anestésicos, medicamentos para o tratamento da hipertensão arterial (betabloquadores) e para transtornos digestivos: anticolinérgicos.

As doenças sistêmicas: é freqüente a associação do olho seco com algumas doenças sistêmicas tais como a artrite, o lupus, a sarcoidiose, a síndrome de Sjorgren, as alergias e as doenças de pele.

As lentes de contato: o uso de lente de contato pode (por vários mecanismos) agravar ou provocar o olho seco.

Como diagnosticar?

O oftalmologista é o encarregado de fazer o diagnóstico do olho seco, baseando-se no exame completo do paciente e em testes específicos realizados no consultório. Em certos casos, deve-se recorrer a ajuda do laboratório de análises clínicas, que vão estudar as principais características das lágrimas, e até mesmo solicitar consultas com outros profissionais (clínicos, reumatologistas, dermatologistas, etc).

Como tratar?

Para o tratamento do olho seco são usadas gotas lubrificantes. Para alguns pacientes são indicados antiinflamatórios, antibióticos, medicamentos sistêmicos e em certas ocasiões deve-se recorrer a outros métodos terapêuticos, como a obturação dos condutos de evacuação das lágrimas e o uso de lentes protetoras.

Fonte: www.moacir-cunha.com.br

Olho Seco

O que é Olho Seco?

Olho seco é uma doença ocular que atinge milhões de pessoas.

O meio ambiente é uma das principais causas de olho seco.

É facilmente confundido com conjuntivites.

As causas principais são:

Idade
Artrites
Alergias
Meio ambiente
Medicações (anti-hipertensivos e anti-depressivos)
Alimentação deficiente em óleos com colesterol bom (óleo de linhaça, peixes, cápsulas de ômega 3).

Os principais sintomas são:

Sensação de queimação
Sensação de ardência
Coceira
Ressecamento
Sensibilidade à luz
Secreção de muco.

As principais formas de diagnosticar olho seco são um teste de produção de lágrima, chamado Teste de Schirmer, e teste da persistência do filme lacrimal, com corante fluoresceína, e são realizados apenas por oftalmologistas.

O tratamento na grande maioria dos casos é com lágrima artificial.

Elvira Abreu

Taigoara Garbin

Fonte: www.penidoburnier.com.br

Olho Seco

Definição

Em síntese, é uma condição anormal da superfície do olho que se manifesta quando as pessoas produzem lágrimas insuficientes ou a mesma é deficiente em algum de seus componentes e provoca desconforto ocular.

Olho seco significa que o olho não é devidamente umedecido ou é produzido pouco fluido lacrimal ou a composição da película lagrima não é lubrificada de maneira ideal. Além dessas, existem outras possibilidades que se relacionam a esse problema oftalmológico.

O olho seco é, sem dúvida, uma das queixas mais comuns relatadas aos oftalmologistas e é facilmente confundido com outras condições, tais como infecções ou alergias oculares. O aparecimento do olho seco pode ainda estar associado ao envelhecimento, pois em idades mais avançadas há diminuição da produção de lágrimas, carência de gordura no corpo ou a fatores que formam zonas secas na conjuntiva e na córnea, o que provoca sérios incômodos a muitas pessoas. De maneira geral, as mulheres sofrem mais de olho seco do que os homens, provavelmente por questões hormonais.

São esses os sintomas freqüentes do olho seco: ardor, comichão, irritações, fotofobia, vermelhidão, visão turva, lacrimejamento, sensação de corpo estranho e incômodos para leitura, assistir televisão e muito mais.

Causas

Existem diversos fatores que podem provocar o olho seco: lentes de contato, ar condicionado, vento em excesso, permanência em altitudes elevadas, ambientes com sistema de climatização, uso de cosméticos, fumaça de cigarro, poluição do ar, calefação, excesso de tempo em frente de monitores de computadores, clima seco etc.

Determinados medicamentos podem provocar a redução de lubrificação nos olhos, como certos descongestionantes, anti-histamínicos, antidepressivos, diuréticos, anticongestivos, anestésicos, anticolinérgicos e betabloqueadores.

Falta de vitamina A e várias doenças sistêmicas são freqüentemente associadas ao olho seco. Entre essas a artrite, lúpus, sarcoidiose e principalmente a síndrome de Sjögren, conhecida como síndrome do olho seco, doenças da tiróide, de pele e doença de Parkinson entre outras.

Tratamento

O tratamento do olho seco deve ser feito não apenas para o próprio bem-estar do paciente, mas para não colocar em risco as córneas. O tratamento adotado do olho seco varia conforme a sensibilidade de cada paciente e deve ser baseado no diagnóstico individualizado feito por médicos.

São várias as formas de tratar o olho seco: colírios específicos, conhecido como lágrimas artificiais e lágrimas em forma de gel são indicados para casos mais simples. Em casos graves, é possível recorrer à oclusão da drenagem de lágrimas, permitindo que elas fiquem em contato com o olho por mais tempo.

Outras formas de tratar são através de antiinflamatórios, antibióticos, medicamentos sistêmicos, corticóides tópicos, suplementação alimentar com ômega-3, uso de lentes protetoras, soro autólogo entre outros procedimentos. Há possibilidade de combinação de drogas e tudo dependerá de um bom diagnóstico dos fatores que desencadeiam o olho seco.

Fonte: www.portaldaretina.com.br

Olho Seco

O que é o "olho seco"?

O "olho seco" é uma situação em que não existe produção de lágrimas em quantidade suficiente. Diz-se também que existe "olho seco" quando, apesar de haver lágrimas em quantidade, estas não têm a qualidade necessária para manter os olhos saudáveis.

O que é importante saber sobre as lágrimas?

As lágrimas não são apenas "água salgada"!...contêm vitaminas, minerais , muco e gorduras, e é a presença de todas estas substâncias que permite obter lágrimas com qualidade para hidratar, alimentar e lubrificar os nossos olhos.

As lágrimas são produzidas pelas glândulas lacrimais, situadas junto à pálpebra superior de cada olho. Quando pestanejamos as lágrimas espalham-se e tornam a superfície dos olhos brilhantes e transparentes formam um filme lacrimal.

Embora não seja possível distinguir a olho nu, o filme lacrimal tem 3 camadas distintas: Uma camada oleosa muito fina, que está em contato com o ar, e cuja a principal função é evitar que as lágrimas se evaporem. Uma camada aquosa, intermédia, que assegura a nutrição dos olhos (tem vitaminas e minerais) e protege os olhos de corpos estranhos potencialmente perigosos.

Uma camada de mucina, que está em contato direto com a superfície ocular, e que é responsável pela adesão das lágrimas aos olhos para formar uma película protetora transparente.

Quais são os sintomas de "olho seco"?

Os sintomas mais frequentes de "olho seco" são:

Sensação de areia nos olhos
Irritação dos olhos em ambientes com fumo ou ar condicionado
Ardor
Comichão
Dificuldades em suportar a luz (fotofobia)
Olhos vermelhos e dolorosos

Por vezes, os "olho seco" ficam muito lacrimejantes. Esta afirmação parece um contra-senso, no entanto é isto mesmo que se passa!

Quando as lágrimas não têm qualidade suficiente para realizar a sua função de forma completa, os olhos entram em sofrimento. Como consequência, há um aumento da produção de lágrimas, na tentativa de compensar a falta de qualidade destas. A certa altura, as lágrimas em excesso deixam de ser absorvidas e acabam por escorrer pela face - os olhos começam a "chorar".

Nos casos mais graves de "olho seco" podem aparecer situações de queratite e pequenas úlceras corneanas.

Como é diagnosticado o "olho seco"?

O diagnóstico de "olho seco" é feito pelo oftalmologista, por intermédio de testes que medem a produção de lágrimas e que avaliam a sua qualidade.

Um destes testes é o teste de Schirmer, que mede a quantidade de lágrimas utilizando uma tira de um papel especial colocada junto ao bordo da pálpebra inferior.

Para além destes testes, o oftalmologista observa os olhos em aparelhos especiais, que permitem chegar a um diagnóstico definitivo.

Qual o tratamento para o "olho seco"?

O "olho seco" pode ser controlado com sucesso, desde que sejam seguidas as indicações do oftalmologista, não só em relação aos medicamentos a tomar, mas também aos cuidados a ter para evitar que a situação se agrave.

Assim, se sofre de "olho seco" deve, à partida, evitar permanecer em locais sobreaquecidos ou com ar condicionado, evitar a exposição direta ao vento e evitar ambientes com fumo (o fumo do tabaco, em especial, é um agente altamente perturbador da lágrima!...).

Para além destes cuidados ambientais, existe o tratamento propriamente dito:

Lágrimas artificiais

O tratamento mais corrente do "olho seco" passa pela utilização de lágrimas artificiais, que substituem as lágrimas naturais em falta, lubrificando e protegendo os olhos, e que devem ser usadas as vezes necessárias para evitar os aparecimentos dos sintomas.

As lágrimas artificiais estão disponíveis em frascos conta-gotas e em embalagens individuais (unidoses). As unidades são especialmente indicadas para "olhos secos" muito sensíveis, nos casos em que seja necessário aplicar lágrimas muito frequentemente (mais do que 6 vezes por dia), e para portadores de lentes de contato.

Quando os sintomas são mais graves pode-se usar lágrimas artificiais em gel ou pomada.

Redução da drenagem

O oftalmologista pode optar por fechar os orifícios de saída das lágrimas (de forma temporária - com silicone ou colagénio, ou de forma permanente - recorrendo a cirurgia ou diatermia) com o objetivo de conservar durante mais tempo nos olhos as lágrimas naturais ou artificiais.

Quais são as causas de "olho seco"? Idade

A idade é uma causa muito importante de "olho seco". A produção de lágrimas diminui com a idade, em ambos os sexos, mas principalmente nas mulheres após a menopausa.

Doenças

Existem várias doenças que podem causar "olho seco", como sejam:

Inflamações oculares (conjuntivite, blefarite)
Artrite reumatóide
Lúpus eritematoso disseminado
Síndrome de Sjogren
Diabetes
Doenças dos rins ou da tiróide

Medicamentos

Alguns medicamentos reduzem a produção de lágrimas.

É o caso, por exemplo:

Pílula contraceptiva
Diuréticos
Anti-histamínicos
Beta-bloqueantes (medicamentos para o tratamento do glaucoma ou da hipertensão arterial)
Tranquilizantes e antidepressivos

A exposição a ambientes poluídos, ao fumo do tabaco, ao ar condicionado/aquecimento central ou vento aumenta a evaporação das lágrimas e pode causar "olho seco".

Fixação prolongada do olhar

O pestanejar é muito importante para a distribuição das lágrimas sobre a superfície ocular e para a estimulação da sua produção. Sabe-se que pestanejamos muito menos quando estamos muito tempo concentrados a ler, a trabalhar no computador, a ver televisão ou a conduzir.

Para terminar resta lembrar que o "olho seco" não sendo, na maior parte das vezes, uma situação grave é geralmente, uma situação crónica. Por isso, se tem "olho seco" deve consultar regularmente o seu oftalmologista e seguir rigorosamente o tratamento que este lhe indicar. Nunca se esqueça que, nesta situação, depende muito de si manter a saúde dos seus olhos...porque eles são um bem precioso!

Fonte: profissionaloptica.com

Olho Seco

A síndrome de olho seco é uma insuficiência crônica de lubricação e humectação no olho. Suas conseqüências se estendem desde uma ligeira mas contínua irritação até a inflamação ocular dos tecidos do pólo anterior do olho. É particularmente molesto para os usuários de lentes de contato

Signos da síndrome de olho seco

A sensação persistente de secura, picada e queimação em seus olhos são signos da síndrome de olho seco. Algumas pessoas têm a “sensação de corpo estranho”, como se tivesse algo no olho.

E, pode parecer estranho, mas os olhos chorosos podem ser o resultado desta síndrome, porque a secura excessiva sobre estimula o componente aquoso da lágrima.

As vezes o olho não produz suficiente lágrima ou esta tem uma composição que favorece a evaporação da mesma demasiado rápido. Em outras ocasiões o olho seco se deve a uma piscada insuficiente.

Os usuários de computadores, por exemplo, com freqüência “esquecem” piscar por longos períodos de tempo, e ainda que sua película lacrimal seja normal, esta se evapora e lhe conduz a ter incomodidade ocular.

Esta síndrome tem múltiplas causas. Ocorre como parte do processo natural de envelhecimento, particularmente durante a menopausa; como efeito associado a alguns medicamentos como antihistamínicos, antidepressivos e anticonceptivos; ou porque você vive num ambiente seco, contaminado ou com muito vento.

Os olhos secos também são sintoma de doenças gerais como lupus, artritis reumatoide ou síndrome de Sjogren ( uma tríade de olhos secos, boca seca e artritis reumatoide ou lupus).

O uso de lentes de contato durante muitos anos é outra causa; de fato, o olho seco é a queixa mais comum entre os usuários de lentes de contato. Estudos recentes indicam que o uso de lentes de contato e os olhos secos funcionam como um “círculo vicioso”.

Tratamento do Olho Seco

A síndrome de olho seco é uma condição em desenvolvimento que não pode ser curada, mas a secura, comichão e irritação podem ser remetidos. O seu óptico pode prescrever-lhe lágrima artificial, gotas humidificantes que podem aliviar a sensação de secura e comichão.

Se você é um dos muitos usuários que experimentam uma escassa comodidade ao final do dia, ou têm moléstias durante o uso de computadores ou em ambientes com ar condicionado, então as lentes de contato macias Proclear Compatibles podem ajudar-lhe. Estão desenhadas para manter uma capa protetora de água ao redor da lente, assim as suas lentes estarão úmida e confortável todo o dia.

Proclear Compatibles são as únicas lentes autorizadas a levar a seguinte declaração da FDA na etiqueta: “pode proporcionar comodidade aos usuários de lentes de contato que experimentem ligeira incomodidade ou sintomas relacionados com secura durante o uso de lentes”.

Porque são Proclear Compatibles tão diferentes?

Proclear Compatibles oferece diferentes vantagens porque são as únicas lentes feitas com PhosphorylCholine (PC), uma substância que se encontra de forma natural na membrana da célula humana. PC é essencial para a biocompatibilidade; a presença de PC nas células ajuda a prevenir reações não desejadas com materiais estranhos. Pela presença de PC em Proclear Compatibles são mais facilmente aceitadas por seus olhos.

Vale a pena mudar de lentes?

Num recente estudo clínico, 6 de cada 10 usuários de lentes de contato encontraram que aumentava o tempo de uso com Proclear Compatibles e 9 de cada 10 as preferiam a suas lentes anteriores.

Fonte: www.coopervision.com

Olho Seco

O que é olho seco?

A Síndrome do Olho Seco é um dos problemas mais comuns tratados por oftalmologistas.

Olho seco é um termo usado para descrever um grupo de diferentes doenças e condições que resultam da umidade e lubrificação inadequada do olho. É causada, geralmente, pela má qualidade da película que lubrifica os olhos.

Apesar de milhões de pessoas sofrerem de olho seco, normalmente é difícil de ser diagnosticado por ser facilmente confundido com outras condições, como infecções ou alergias oculares.

Qual a função das lágrimas?

O filme lacrimal é composto de 3 camadas. A camada mais externa, ou lipídica previne a evaporação. A camada do meio, chamada de aquosa, é responsável pela nutrição e oxigenação da córnea e a camada de mucina que umidifica o epitélio corneano. Além de lubrificar os olhos, as lágrimas são produzidas também como uma resposta reflexa aos estímulos exteriores (ferimento, emoção, etc.).

O que causa o olho seco?

O ambiente: Clima seco, com vento e ensolarado, fumaça de cigarro, a poluição, lugares fechados, calefação, ar condicionado e monitores de computador podem aumentar a evaporação e causar olho seco.
Medicamentos:
Descongestionantes e antihistamínicos, tranqüilizantes, antidepressivos e pílulas para dormir, diuréticos, pílulas anticoncepcionais, alguns anestésicos, medicamentos para tratamento da hipertensão arterial (betabloqueadores) e para transtornos digestivos (anticolinérgico).
Doenças Sistêmicas:
Artrite, lúpus, sarcoidose, Síndrome de Sjögren, alergias e doenças da pele e Parkinson.
Lentes de Contato:
O uso pode agravar ou provocar o olho seco.
Idade:
Como regra geral, com a idade a produção de lágrimas diminui. Aos 65 anos, por exemplo, se produz 60% menos lágrimas que aos 18 anos. As mulheres freqüentemente têm problemas de olhos secos quando estão na menopausa por causa das mudanças hormonais.

Sintomas

Coceira
Queimação
Irritação
Olhos vermelhos
Visão borrada que melhora com o pisar
Lacrimejamento excessivo
Desconforto após ver televisão, ler ou trabalhar em computador

Como diagnosticar?

Há diversos métodos para diagnosticar olhos secos. O oftalmologista deve medir a produção, a taxa de evaporação e a qualidade das lágrimas, com testes específicos.

O teste de Shirmer é o mais utilizado para o diagnóstico de olho seco. O teste consiste na colocação de uma tira de papel de filtro de 35x5mm, com os primeiros 5mm dobrados no fundo de saco conjuntival inferior. Após 5 minutos, mede-se a quantidade de umedecimento da tira de papel. Valores superiores a 15mm são considerados normais.

Tratamento

O tratamento é essencialmente sintomático. São 3 estágios de tratamento para o olho seco:

Substituição da lágrima
Estimulação da produção da lágrima
Conservação da lágrima

Substituição da lágrima

Lágrimas artificiais. Existem as viscosas para quadros mais secos e as aquosas.

Conservação da lágrima

A oclusão dos pontos lacrimais pode ser feita com plugs provisórios ou permanentes de silicone dentro dos ductos lacrimais. Os plugs podem ser introduzidos no olho manualmente pelo médico sem que o paciente sinta dores.

Estimulação da produção de lágrimas

Alguns estudos estão sendo realizados para avaliar a importância da chamada "dieta no tratamento do olho seco".
A dieta consiste na maior ingestão do ácido graxo essencial Ômega 3.
A dieta deve ser rica em vitamina E, vitamina A e suplementos com Ômega 3 (nozes, sementes de linhaça e verduras), e também evitar carboidratos, gorduras e carne de vaca.

Você sofre de olho seco?

Faça este simples e novo TESTE DE OLHO SECO para descobrir.

Você já teve alguns dos sintomas oculares abaixo?

Sensação de queimação
Sensação de ardência
Coceira ou sensação de corpo estranho e areia nos olhos
Riscamento
Fotofobia
Sensação de mucos nos olhos (purulência)

Se você respondeu SIM para um ou mais dos sintomas acima, você pode ter olho seco. É importante conversar com seu oftalmologista sobre opções para tratamento do olho seco.

Perguntas e Respostas

Paciente com olho seco pode usar lentes de contato?

O paciente pode usar lentes de contato, mas deve evitar as lentes de alta hidratação, ou seja, as que retiram muco. É importante a utilização de lubrificantes próprios para uso de lentes de contato. Deve-se ter cuidado quanto à limpeza, desproteinização e troca das lentes, além de evitar dormir com as lentes. A visita ao oftalmologista deve ser mais freqüente.

Como trabalhar no computador?

Para não ter sintomas ao utilizar o computador ou dedicar-se à leitura por tempo prolongado é necessário piscar. Se o paciente acostumar-se a piscar enquanto trabalha, sentir-se-á melhor. Outra alternativa é posicionar o monitor numa posição abaixo do nível dos olhos e ter sempre uma vasilha com água próxima ao computador para umidificar o ambiente.

Paciente com olho seco pode ser submetido à cirurgia refrativa (miopia, astigmatismo, hipermetropia)?

As cirurgias refrativas utilizadas atualmente induzem a um olho seco temporário. A indicação da cirurgia para o paciente com olho seco prévio vai depender da intensidade do quadro, do tratamento que está sendo realizado e principalmente da causa do olho seco. Se a causa de olho seco é Síndrome de Sjögren, seja primária ou secundária, a cirurgia está contra-indicada. Caso seja um processo ocular já curado, desde que o quadro esteja controlado com instilação de colírios, a cirurgia poderá ser realizada com cuidados.

Paciente com olho seco pode ser submetido a transplante de córnea?

A lágrima é muito importante para a córnea permanecer normal. Ela é necessária para a córnea assim como a água é necessária para uma planta. Assim, sem água, é inútil plantar. Se o paciente apresenta olho seco severo, sem controle com todas as medidas, o transplante de córnea está contra indicado. Devemos lembrar que a medicina evolui a cada dia. É melhor ter o olho como "reserva" até se descobrir um tratamento melhor, do que perder com tentativas que já sabemos que são ineficientes.

Fonte: www.drqueirozneto.com.br

Olho Seco

O que é olho seco?

O termo “olho seco” se refere a um distúrbio na lubrificação ocular, devido a uma deficiência na qualidade ou na quantidade de lágrima. A lágrima não é produzida apenas quando choramos, mas sim o tempo todo, em pequenas quantidades, a fim de nutrir e proteger a superfície dos olhos. Assim, quando existe um problema na produção lacrimal, desenvolve-se o “olho seco”, provocando transtornos ao paciente.

Quais são os sintomas?

Os sintomas mais comuns são: ardência, queimação, irritação, sensação de areia nos olhos, hiperemia ocular (olhos vermelhos) e fotofobia (sensibilidade à luz).

Algumas vezes, pode haver lacrimejamento exagerado e até visão borrada em determinados momentos do dia.

O que causa o olho seco?

O uso excessivo do computador, leitura ou televisão, podem agravar o olho seco, assim como ambientes com ar-condicionado, aquecedores, fumaça ou muita poeira. Certos medicamentos também podem aumentar os sintomas, como alguns antidepressivos, por exemplo. No caso das mulheres, após a menopausa, os sintomas podem piorar, devido às alterações hormonais. Além disso, o olho seco costuma se agravar com a progressão da idade, principalmente após os 65 anos.

Quais são os fatores associados ao olho seco?

Além da idade, medicamentos e fatores ambientais já mencionados, doenças reumatológicas, diabetes, infecções e inflamações oculares também podem desencadear ou acentuar o olho seco. Um exemplo disto é a blefarite, que consiste na inflamação dos bordos palpebrais e que é mais comum em pessoas de pele oleosa.

Como é o tratamento do olho seco?

Atualmente, existem diversos tratamentos para combater esta doença, como o uso de colírios lubrificantes, pomadas e medicamentos sistêmicos. Além dos colírios lubrificantes, existe um colírio contendo ciclosporina, capaz de modular o sistema imunológico, a fim de melhorar o olho seco em portadores de uma doença reumatológica conhecida como Sjögren.

Outra novidade no tratamento do olho seco é o uso de óleo de linhaça. O óleo de linhaça contem uma mistura de ácidos graxos do tipo omega 3, os quais apresentam propriedades anti-inflamatórias. Dentre estes, o ácido alfa-linolênico é o mais importante neste processo, combatendo o olho seco.

Cirurgias para olho seco:

Nos casos mais severos, podemos associar o tratamento clínico com procedimentos cirúrgicos. Uma boa opção consiste em ocluir os canais lacrimais, a fim de reter a lágrima por mais tempo no olho, melhorando, assim, a lubrificação ocular. Esta oclusão pode ser feita por meio de diferentes modos, dentre os quais, o uso de plugs (tampões que fecham os canais lacrimais) é bastante eficiente. Cirurgias mais complexas também podem ser feitas, como o transplante de glândulas salivares ou o transplante de células-tronco do limbo córneo-conjuntival.

Para saber se você tem ou não olho seco, consulte um médico oftalmologista. Ele poderá lhe orientar como tratar adequadamente esta doença, a fim de melhorar sua qualidade de vida.

Luciano Bellini

Fonte: www.agapasm.com.br

Olho Seco

O QUE É OLHO SECO ?

O olho seco surge quando há uma diminuição na produção de lágrimas pelo olho, ou quando a qualidade da lágrima produzida não é adequada. Isso leva a maior exposição ocular e, consequentemente, a diversos sintomas.

MAS DOUTORA, EU CHORO MUITO, COMO POSSO TER OLHO SECO ?

Não só a diminuição na quantidade de lágrima, mas principalmente a alteração na qualidade dessa lágrima podem gerar a doença do olho seco.

Toda vez que piscamos, uma pequena quantidade de lágrima recobre a nossa superfície ocular nutrindo-a, protegendo-a e tornando-a regular, fazendo assim com que a visão seja clara e sem distorções.

É importante lembrarmos que a lágrima é composta por três camadas distintas, cada uma delas desempenha uma função específica: a camada mais externa, ou lipídica, previne a evaporação. A camada do meio chamada de aquosa, é responsavél pela nutricação da córnea e a camada de mucina que umifica o epitélio corneano.

É necessário que todas elas estejam presentes e homogêneas para que o olho permaneça saudável.

E QUAIS AS CAUSAS DO OLHO SECO ?

Algumas doenças sistêmicas podem causar olho seco, como a Síndrome de Sjogren, a Artrite reumatóide, o Lupus, algumas alergias, a sarcoidose etc.Doenças da glândula produtora das lágrimas, assim como distúrbios no piscar também podem levar a essa patologia.

Alguns medicamentos, como antidepressivos, hipotensores, diuréticos, anticoncepcionais, anti-histamínicos, descongestionantes, entre outros também podem diminuir a capacidade do organismo de produzir lágrimas.

O uso inadequado das lentes de contato e a má qualidade de algumas delas também podem provocar o olho seco.

A cirurgia refrativa, especialmente o LASIK, pode levar a um estado temporário de olho seco, devido a uma pequena alteração nos nervos da córnea durante a realização dela.

Atualmente, as mudanças ambientais e o estilo de vida, têm sido fatores muito importantes no aumento da incidência dessa doença. A poluição ambiental, assim como, a exposição a ventos, calor excessivo, clima seco, além do uso excessivo de computadores, o que tende a reduzir o número de vezes que piscamos ( que deve ser de 15 a 20 vezes por minuto), e ambientes com ar condicionados podem aumentar a evaporação da lágrima e causar o olho seco.

Além de todos os fatores mencionados lembramos que nas mulheres após os 45 anos há uma tendência a alterações do filme lacrimal, em geral associada à fase na qual tem início a redução dos hormônios femininos, causando ardor, sensação de olho seco, desconforto ocular inespecífico, olhos vermelhos e até mesmo a sensação de corpo estranho ao piscar.

O QUE EU POSSO SENTIR ?

A doença do olho seco apresenta múltiplos sintomas sendo alguns inespecíficos tais como vermelhidão, ardência, queimação, sensação de corpo estranho (areia nos olhos), coceira, ressecamento, ou ainda, "lágrima grossa".

E COMO EU SEI SE EU TENHO ESSA DOENÇA ?

O diagnóstico é feito através do exame oftalmológico e de alguns testes realizados em consultório como o BUT (Tempo de rotura do filme lacrimal), o teste de Schirmer e o teste de rosa bengala.

COMO É O TRATAMENTO DO OLHO SECO?

O tratamento inicial é feito com alguns cuidados gerais com o ambiente, como uso de umidificadores, óculos mais fechados ou com proteção lateral, diminuição à exposição a poluentes, protetores de tela nos computadores e a lembrança de sempre piscar os olhos. Damos ênfase especial ao aumento sistemático do número de piscadas a cada minuto, que como foi mencionado deve estar entre 15 e 20 vezes a cada minuto.

Associado a esses, o uso de gotas lubrificantes contribuem para a melhora do conforto ocular e proporcionam o controle da maioria dos casos de olho seco.

Os casos mais severos ou os mais resistentes devem ser tratados cirurgicamente, através da oclusão de pontos lacrimais com os implantes de plugs de silicone ou cauterização, ou mesmo a diminuição do tamanho da abertura ocular com a tarsorrafia.

Todos esses tratamentos melhoram muito os sintomas e levam a um controle adequado da doença do olho seco .

Fonte: www.olhosfreitas.com.br

Olho Seco

Olho seco é o termo geral usado para descrever um grupo heterogêneo de doenças que resultam na umidificação inadequada da córnea e conjuntiva pelo filme lacrimal pré-corneano. Milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de olho seco.

Apesar de sua alta incidência, o olho seco nem sempre é fácil de ser diagnosticado. A vasta maioria dos pacientes tem sintomas suaves ou moderados. Embora estes pacientes genuinamente sofram desconforto, os sinais objetivos do olho seco podem estar ausentes, e sem um diagnóstico correto, os pacientes podem não receber a atenção e o tratamento que esta condição necessita.

Os sinais e sintomas de olho seco podem ser interpretados como evidência de outras condições, tais como conjuntivite infecciosa, alérgica ou irritativa.

O que causa olho seco?

PATOFISIOLOGIA DA SÍNDROME DO OLHO SECO

As condições do olho seco são classificadas como vários tipos de anormalidades, que podem resultar na umidificação insuficiente da superfície corneana.

Estas classificações são:

Anormalidades da camada aquosa
Anormalidades da camada de mucina
Anormalidades da camada lipídica
Anormalidades do epitélio corneano
Anormalidades das pálpebras

Anormalidades da camada aquosa

A produção insuficiente do componente aquoso do filme lacrimal é a causa mais comum do olho seco. A condição resultante, conhecida como ceratoconjuntivite sicca (KCS), é normalmente causada por pouca produção de lágrimas pelas glândulas lacrimais acessórias. A inflamação das glândulas lacrimais, uma causa comum de olho seco, pode também ser acompanhada por inflamação e secura de outras membranas mucosais, particularmente as da boca, órgão genital feminino e/ou trato respiratório, conhecida como Sindrome Sjogren.

Anormalidades da camada de mucina

A produção deficiente de mucina interfere na distribuição uniforme (espalhada) do filme lacrimal pela superfície corneana, resultando em um filme lacrimal muito instável e desigual. As anormalidades na camada de mucina do Filme Lacrimal geralmente ocorrem como resultado da perda de células do epitélio conjuntival.

Anormalidades da camada lipídica

Quando ocorrem anormalidades na camada lipídica do Filme Lacrimal, as deficiências na camada lipídica resultam em evaporação excessiva do componente aquoso do filme lacrimal, o que por sua vez resulta em secura da superfície ocular.

Anormalidades do epitélio corneano

As alterações na morfologia normal do epitélio corneano que podem afetar adversamente a estabilidade do filme lacrimal são chamadas de defeitos epiteliais. As infecções e o trauma que resultam em cicatrizes e úlceras corneanas podem danificar o epitélio, causando pontos secos permanentes. A exposição a certas drogas pode resultar também em danos na superfície corneana, incluindo muitos tipos de anestesia geral.

Anormalidades das pálpebras

Como as pálpebras têm um papel muito importante na distribuição do filme lacrimal, o piscar normal é essencial para manter uma superfície corneana e conjuntival saudável. Assim, qualquer coisa que interfira no piscar normal, ou anormalidades anatômicas que interfiram no fechamento normal das pálpebras durante o piscar, pode causar secura da superfície ocular.

Sinais e Sintomas do Olho Seco

Os sintomas do olho seco variam consideravelmente de um indivíduo para outro, a maioria dos pacientes reclama de sensação de corpo estranho, ardor e desconforto ocular geral. O desconforto é tipicamente descrito como sensação de coceira, secura, dor, de areia, irritação ou ardor. O desconforto é a principal marca do olho seco, porque a córnea é rica em fibras nervosas sensoriais. Uma porcentagem significativa dos pacientes também sente fotofobia e visão nebulosa intermitente, ou outros problemas de acuidade visual.

Os indivíduos com olho seco comumente afirmam que seus olhos se cansam facilmente, fazendo com que fique difícil ler ou assistir televisão. A razão para esta dificuldade é que a freqüência com que piscam diminui durante as tarefas que exigem concentração. Como a freqüência de piscar diminui, há mais tempo para o filme lacrimal evaporar.

A intolerância à lente de contato também pode ser um sintoma de olho seco. Às vezes, um paciente com olho seco suave ou moderado pode não sentir os sintomas até que as lentes de contato sejam adaptadas. A colocação da lente de contato pode alterar o balanceamento delicado da produção e distribuição do filme lacrimal, resultando em intolerância à lente.

O Que Podemos Fazer em Relação ao Olho Seco?

Não existe nenhuma "cura" conhecida para olho seco. Contudo, na maioria dos casos, o olho seco pode ser tratado com uma solução de lágrima artificial. Feitos para restabelecer a umidade perdida do olho, esses colírios lubrificantes reduzem os sinais e sintomas do olho seco e aumentam o conforto ocular.

Evitar a evaporação das lágrimas pode também ajudar a combater o olho seco. Quando as condições estão especialmente secas, o uso de um umidificador em casa pode ajudar a umidificar o ar. Outras dicas úteis incluem beber muita água, evitar ar condicionado, e proteger os olhos em dias quentes, com muito vento.

Nos casos mais severos, os pacientes podem ter necessidade de tratamento com enxertos palpebrais, plugs no duto lacrimal, óculos protetores, lentes de contato com bandagem ou procedimentos cirúrgicos.

Fonte: www.biosaude.com.br

Olho Seco

Sintomas do Olho Seco

Os sintomas típicos de Olho Seco incluem:

Ardência ou queimação
Uma sensação de areia nos olhos
Descarga que forma uma crosta durante a noite
Lacrimação excessiva
Dificuldade em usar lentes de contato

Quais são as causas do Olho Seco?

Além de um desequilíbrio no sistema de fluxo lacrimal do olho, o olho seco pode ser causado pelo ressecamento do filme lacrimal. Uma série de fatores pode causar ou contribuir com este problema.

Entre as causas mais comuns da Síndrome do Olho Seco estão:

O Processo de Envelhecimento

Normalmente, conforme envelhecemos, nossos olhos começam a produzir uma menor quantidade de lágrimas lubrificantes. Certas condições associadas à artrite ou a doenças autoimunes, como a síndrome de Sjögren, são conhecidas por ressecar os olhos e a boca.

Lentes de Contato

Os usuários de lentes de contato geralmente sentem desconforto ocular devido à Síndrome do Olho Seco. Isto pode levar a irritação, infecção e maior quantidade de depósitos de proteínas. Pesquisas demonstraram que a Síndrome do Olho Seco é a principal causa de intolerância às lentes de contato.

Fadiga ocular por leitura ou trabalhos com computador

Pessoas que lêem muito ou passam várias horas diante de um monitor de microcomputador podem apresentar problemas de Olho Seco.

Condições Ambientais

Muitos fatores ambientais em nossas vidas podem causar Olho Seco. Tudo, desde dias ensolarados, até vento, neve, baixa umidade, poluição atmosférica, altitudes elevadas, ventiladores e ar condicionados, podem intensificar a condição de Olho Seco.

Medicamentos

O uso de certos tipos de medicamentos, tais como descongestionantes, antihistamínicos, contraceptivos, analgésicos e beta-bloqueadores podem causar uma redução da produção e secreção de lágrimas. O uso prolongado de colírios também pode agravar as condições de olho seco.

Olho Seco

A natureza criou nossos olhos com sua própria e exclusiva lubrificação delicadamente balanceada e com um sistema de proteção. Cada vez que você pisca, suas lágrimas cobrem a superfície de seu olho, proporcionando proteção e nutrição.

As lágrimas banham e lubrificam os olhos. Cada vez que você pisca, novas lágrimas são formadas nas diversas glândulas localizadas ao redor de cada olho.

Um filme lacrimal saudável consiste de um delicado equilíbrio de três camadas:

Camada Externa Lipídica (Oleosa) - que reduz a evaporação da camada aquosa das lágrimas.
Camada Média Aquosa (Água) -
que consiste de 98% de água, e limpa a superfície frontal do olho.
Camada Interna de Mucina (muco) -
que estabiliza o filme lacrimal.

Se sua produção de lágrimas é reduzida, o resultado é o olho seco, arranhando e ardendo, uma condição conhecida como Síndrome do Olho Seco.

Olho Seco é a perda ou a redução da capacidade normal do olho de produzir lágrimas. É uma das causa mais freqüentes de consultas ao oftalmologista.

O nível de umidade no olho é mantido pelo equilíbrio da produção de lágrimas e evacuação das lágrimas através de drenagem e evaporação. Quando este equilíbrio não é mantido, surgem pontos secos na superfície do olho e causam irritação.

Olho Seco é, na verdade, uma coleção de sintomas que constituem uma condição ocular que se origina pelo desequilíbrio da quantidade e/ou qualidade das lágrimas. Esses sintomas incluem olhos secos, vermelhos, com sensação de areia e até mesmo lacrimejantes. Geralmente, as pessoas que sofrem de Olho Seco relatam a sensação de algo estranho dentro do olho ou fadiga ocular.

DICAS SOBRE OLHO SECO

Para minimizar o ressecamento dos olhos, você deve:

Evite ambientes e situações secas, tais como salas superaquecidas, vento, e fumaça
Sempre que possível, mantenha seu ambiente úmido, usando umidificadores de ar ou mantendo vasilhas com água
Em ambiente externo, o uso de óculos que cubram totalmente os olhos para reduzir o efeito de ressecamento do vento
Quando seus olhos estiverem coçando, lave-os com bastante água filtrada, preferencialmente gelada
Quando ao computador ou lendo por tempo prolongado, não se esqueça de piscar freqüentemente. Junto ao computador, também é recomendável manter uma vasilha com água e ainda, manter o monitor abaixo de sua linha de visão Beba freqüentemente bastante água
Se possível, use umidificador ou vaporizador para manter um bom nível de umidade do ar

A suplementação alimentar com ômega3 estimula o organismo a melhorar a quantidade e a qualidade das lágrimas.

Fonte: www.saudedosolhos.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal