Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Peste Negra  Voltar

Peste Negra



1347 - 1351

Peste negra é a designação por que ficou conhecida, durante a Idade Média, a peste bubônica , pandemia que assolou a Europa durante o século XIV.

Mortalidade: 35% - 70%

25 000000 aproximadamente1/3 da população da Europa.

Peste Negra
Peste de Ashdod - Nicolás Poussin (1594-1665)

O que é Peste negra?

Peste negra é a designação por que ficou conhecida, durante a Idade Média, a peste bubônica, pandemia que assolou a Europa durante o século XIV e dizimou em torno de 25 a 75 milhões de pessoas, pois alguns pesquisadores acreditam que o número mais próximo da realidade é de 75 milhões de pessoas, um terço da população da época.

A Peste Negra foi uma epidemia que atingiu a Europa, a China, o Oriente Médio e outras regiões do Mundo durante o século XIV (1347-1350), matando um terço da população da Europa e proporções provavelmente semelhantes nas outras regiões. A peste não só dizimou a população como largamente destruiu a brilhante civilização européia da baixa Idade Média, da construção das catedrais e do feudalismo, que foi substituída pela bastante diferente civilização das Descobertas e do Renascimento, logo que a população voltou a crescer. Durante o período de revolução que causou, instituições milenares como a Igreja Católica foram questionadas, novas formas de religião místicas e de pensar prosperaram e minorias inocentes como os leprosos e os judeus foram perseguidas e acusadas de serem a causa da peste.

Sintomas da Peste Negra

A bactéria entra por pequenas quebras invisíveis da integridade da pele. Daí espalha-se para os gânglios linfáticos, onde se multiplica.

Após no máximo sete dias, em 90% dos casos surge febre alta, mal estar e os bulbos, que são protuberâncias azuladas na pele. São na verdade apenas gânglios linfáticos hemorrágicos e inchados devido à infecção. A cor azul-esverdeada advém da degeneração da hemoglobina. O surgimento dos bulbos corresponde a uma taxa média de sobrevivência que pode ser tão baixa como 25% se não for tratada. As bactérias invadem então a corrente sanguínea, onde se multiplicam causando peste septicêmica.

A peste septicêmica caracteriza-se pelas hemorragias em vários órgãos. As hemorragias para a pele formam manchas escuras, de onde vem o nome de peste negra. Do sangue podem invadir qualquer órgão, sendo comum a infecção do pulmão.

A peste pneumônica pode ser um desenvolvimento da peste bubônica ou uma inalação direta de gotas infecciosas expelidas por outro doente. Há tosse com expectoração sanguinolenta e purulenta altamente infecciosa. A peste inalada tem menor período de incubação (2-3 dias) e é logo de início pulmonar, sem bulbos.

Após surgimento dos sintomas pulmonares a peste não tratada é mortal em 100% dos casos.

Mesmo se tratada com antibióticos, exceto se na fase inicial, a peste tem ainda uma mortalidade de 15%.

Tratamento

Os antibióticos revolucionaram o tratamento da peste, tornando-a de agente da morte quase certa em doença facilmente controlável. São eficazes a estreptomicina, tetraciclinas e cloranfenicol. Tratamentos mais recentes vêm utilizando também a gentamicina e a doxiciclina com resultados eficazes.

Fonte: www.felipex.com.br

Peste Negra

O mundo medieval não foi mais o mesmo depois da  peste negra. A peste negra foi um conjunto de epidemias que devastaram a Europa entre os séculos XIII ao XV. Desde os séculos VI e VII,  já se tinha notícia da ocorrência dos primeiros surtos. Nessa época, doenças contagiosas se espelharam e infectaram a população da Bacia do Mediterrâneo.

No século XIV, ela reapareceu de modo brutal, espalhando-se por todo Ocidente europeu.

A peste bubônica, uma doença transmitida pelas pulgas dos ratos, cujos primeiros sintomas são caroços negros no pescoço e nas axilas, veio da Criméia, na Ásia, e chegou à Europa trazida pelos  navios genoveses.

A doença se apresenta em três formas: bubônica, pulmonar e intestinal. A precariedade das condições higiênicas das cidades facilitou o disseminação da peste.

Foram tempos muito difíceis. A população foi reduzida e os surtos epidêmicos modificaram a  mentalidade e o comportamento medieval. O medo da morte rondava a todos. 

Esse sentimento provocava atitudes opostas:  o aumento da fé religiosa, o abandono dos doentes pelas ruas e estradas, a fuga em massa das cidades, o medo do diabo e o surgimento de pregadores anunciando o fim do mundo. Religiosos viam a peste como um castigo divino para punir os pecados dos homens. O medo do diabo, a crença em bruxas e em todo o tipo de superstições dominavam os sentimentos. Nesse momento, começaram a surgir as macabras danças da morte — representações em que um "esqueleto" tirava suas vítimas para dançar, sem fazer distinção de sexo, idade ou posição social.

A epidemia matou um terço da população européia. Como conseqüência, faltaram trabalhadores no campo o que  provocou uma onda de fome.

Peste Negra
Quadro “O Triunfo da Morte”, de Pieter Bruegel, pintado em 1562.
Ele nos revela os horrores da peste negra.

Fonte: www.escola24h.com.br

voltar 1234avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal