Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Resfriado  Voltar

Resfriado

 

Qual é a diferença entre gripe e resfriado?

Apesar de serem considerados como sinônimos, pelas pessoas em geral, existe uma grande diferença.

A gripe é provocada por um vírus específico (Influenzae) e é uma infecção que apresenta uma sintomatologia bem mais importante: febre elevada, dores pelo corpo, cefaléia (dor de cabeça), astenia e prostação.

No resfriado, os sintomas são bem mais leves. A febre é baixa ou pode estar ausente e muitas crianças apresentam apenas um pouco de coriza ou de obstrução nasal, sem outros sintomas.

E qual é o vírus que provoca o resfriado?

Ah, existem mais de 200 vírus que podem provocar o resfriado. É por isso que não existe uma vacina para o resfriado.

Como se pega um resfriado?

Através de outra pessoa. O resfriado é uma infecção provocada por alguns tipos de vírus. Esses vírus se propagam através das secreções respiratórias (tosse, coriza, espirros) ou pelas mãos das pessoas infectadas.

Quantos resfriados por ano é esperado que uma criança normal apresente por ano?

Uma média de 6 a 8 vezes por ano. Mas depende de uma série de fatores, tanto individuais da criança como do ambiente que ela freqüenta.

Quais são os esses fatores?

Da criança, poderíamos citar: a idade (maior risco para os menores de 4 anos), a situação nutricional (os desnutridos são mais vulneráveis), presença de outras doenças que possam contribuir para debilitar o organismo, como anemias, cardiopatias, pneumopatias, etc., tornado-os mais susceptíveis.

Em relação ao ambiente, por exemplo, uma criança que freqüenta uma escolinha ou uma creche, tem uma chance 3 a 4 vezes maior de apanhar um resfriado do que aquela que passa o dia em casa; essa chance ainda é maior se a criança ficar os dois expedientes na escolinha ou na creche.

São também fatores ligados ao ambiente e que propiciam uma maior chance de doença: pais fumantes, maior número de irmãos ou de pessoas no domicílio e um número menor de cômodos na casa.

Agora eu estou me lembrando do meu filho. Ele nunca tinha adoecido, mas depois que completou 1 ano e eu inventei de colocá-lo na escolinha.

Isso é esperado. Na escolinha existe quase que um contato diário do seu filho com crianças resfriadas, o que faz com que ele adquira com facilidade esses vírus.

Por outro lado, a sua imunidade, ou seja, seus mecanismos de defesa que fazem com que ele se defenda das infecções, só estará amadurecida lá pelos 4 anos de idade. Essa, teoricamente, seria a idade ideal para a criança começar a ir para a escola.

E o frio, toda vez que a temperatura baixa, meu filho fica com o nariz escorrendo?

O mais provável é que isso não seja um resfriado e sim uma rinite, conhecida no meio médico como "rinite vasomotora" . Trata-se de uma reação do organismo à queda da temperatura.

Quantos dias dura um resfriado?

A febre, quando presente, não deve durar mais do que 3 dias (72 horas).

Os sintomas nasais e da faringe (coriza, congestão nasal, irritação na garganta), até uma semana. E a tosse, quando presente, é a que demora mais a passar, 2 a 3 semanas.

Quando o resfriado de seu filho não apresenta essa evolução, você deve procurar assistência médica de imediato.

Então, quando uma criança passa o tempo todo com o nariz escorrendo não é resfriado?

Pode até ser, no caso em que a criança esteja adquirindo um resfriado em cima do outro. Entretanto, para se ter certeza, essas crianças necessitam de uma avaliação médica. Pode ser, por exemplo, uma complicação de um resfriado como uma sinusite ou tratar-se de uma rinite alérgica.

E em que outras situações, quando meu filho estiver com resfriado, eu devo procurar o médico?

Se sua criança tem menos de 1 ano, sempre é recomendável uma avaliação médica.

Nos outros casos, fique atenta para a presença dos seguintes sinais: recusa alimentar, abatimento do estado geral, dificuldade para respirar, secreção nasal com mau cheiro, dor de ouvido, inchaço ou dor no rosto, secreção amarelada nos olhos.

Meu primeiro filho até completar 1 ano de idade nunca teve nada. Agora o segundo, antes de completar 6 meses já começou a ter resfriados.

Será que ele nasceu com algum déficit de imunidade?

É pouco provável. O que acontece é que o segundo filho e os sub-seqüentes, têm maiores chances de adoecer mais cedo e com maior freqüência. O seu primeiro filho era ele sozinho, praticamente no seu primeiro ano só tinha contato com você e seu esposo. Agora, a situação é diferente! O seu primeiro filho está maior, já vai brincar com seus coleguinhas, freqüenta a escola e, dessa forma, trás alguns vírus para dentro de casa que provocam infecção no seu irmãozinho mais novo.

A vitamina C evita que as pessoas adquiram resfriado?

Infelizmente não.

E serve para o tratamento do resfriado? Também não. Doses elevadas de vitamina C ( > 2 g) podem provocar diarréia.

É importante usar soro fisiológico no nariz quando a criança está com resfriado?

Sim. Pois a limpeza dessa secreção é importante para se prevenir algumas complicações do resfriado, como a otite e a sinusite.

E fora o soro, outros remédios podem ser instilados no nariz?

Esses "outros" medicamentos apresentam na sua composição, substâncias que contraem os vasos sanguíneos. Essas drogas podem provocar intoxicação ou efeitos colaterais como, lesões da mucosa nasal ou aumento da pressão arterial.

Dessa forma, o seu uso deve ser restrito, 2 a 3 vezes por dia, no máximo durante uns 3 dias. Em menores de 1 ano de idade, nunca devem ser usados.

E os remédios chamados descongestionantes que são administrados pela boca, podem ser utilizados?

Esses medicamentos não oferecem grandes vantagens ao paciente, não devendo ser utilizados de forma generalizada. Os estudos científicos comprovam que esses remédios não encurtam a duração do resfriado e nem contribuem para a prevenção da complicações.

Uma outra desvantagem do seu uso, além do custo, é a possibilidade de efeitos colaterais (sonolência, adinamia, irritabilidade ...) e intoxicação medicamentosa.

A sua vantagem, por apresentar na sua composição substâncias com efeitos anti-alérgico, é que provocam alguma melhora em crianças portadoras de alergia das vias respiratórias.

Assim como os remédios de nariz (descongestionantes tópicos), nunca devem ser utilizados em menores de 1 ano de idade.

E a vacina que existe para gripe. Meu filho deve tomá-la?

Não. Essa vacina está indicada apenas para as pessoas idosas, ou seja, com mais de 60 anos de idade.

Como fazer para prevenir um resfriado?

É extremamente difícil na prática. Mas o ideal é procurar não entrar em contato com pessoas resfriadas; evitar freqüentar escolinhas, creches, shoopings, etc.

Fonte: www.imip.org.br

Resfriado

"Resfriado comum" é uma infecção aguda das vias aéreas superiores que se manifesta principalmente com coriza, mal-estar, geralmente sem febre ou febre pouco intensa.

Sua principal diferença, em relação a outras infecções virais ou bacterianas do aparelho respiratório, é a ausência de repercussão importante no resto do organismo.

Numerosos vírus podem produzir o resfriado comum, sendo os principais os rinovírus (70% dos casos). Também produzem resfriados comuns os Coronavírus, vírus Parainfluenza e vírus Sincicial Respiratório.

Contágio

O resfriado é transmitido pelo contato direto pessoa-a-pessoa, por meio das gotículas eliminadas quando o paciente fala, tosse ou espirra.

Mudanças bruscas de temperatura ambiental, umidade ou poluição do ar facilitam a disseminação desta doença.

Sintomas

Espirros, dor de cabeça e mal-estar são os sintomas iniciais, seguidos de calafrios, dor de garganta e congestão nasal. Geralmente não há febre alta e os sintomas gerais são transitórios, durante apenas um a três dias.

A coriza é o sintoma característico do resfriado. A secreção é inicialmente aquosa e abundante, tornando-se progressivamente viscosa, espessa e de cor amarelo-esverdeada. Aparecem também obstrução nasal e tosse, que podem durar de uma a duas semanas.

Tratamento

Não existe antibiótico efetivo contra os vírus do resfriado. Deve ser evitado o uso de antibióticos porque, quando empregados com a intenção de prevenir complicações bacterianas, são selecionadas bactérias resistentes aos antibióticos, complicando o quadro clínico do paciente.

O tratamento dos sintomas é desejável e benéfico. Repouso no leito e agasalhos melhoram o bem-estar do paciente. Analgésicos e antitérmicos devem ser usados quando necessários para melhorar o mal-estar, a dor de cabeça e a febre. O uso de vitamina C é controverso, uma vez que recomendado por alguns médicos, e por não por outros.

Prevenção

Não existe método de prevenção eficiente. O isolamento do paciente tem pouco valor preventivo já que a eliminação do vírus acontece antes da manifestação dos sintomas do resfriado comum, e também porque existem portadores sãos.

Porém, a disseminação de gotículas no ar do ambiente durante a tosse ou o espirro pode ser reduzida pelo uso de lenços.

Não há vacina para o resfriado devido ao grande número de vírus causadores desta doença.

Fonte: www.pulmonar.org.br

Resfriado

Cuidado com o resfriado

Atchim!...

Resfriado

Depois do calor e da baixa umidade, começará a temporada de chuva e, com ela, aumenta a propagação das infecções virais das vias aéreas superiores, ou seja, as gripes e resfriados. A estimativa é que cinco, em cada 10 brasilienses, nessa época do ano, acabem contraindo essas infecções virais. Durante o dia, calor; à noite, o termômetro despenca, e vem o frio. Com toda essa instabilidade do clima, o organismo fica vulnerável aos vírus causadores dessas infecções, que se diferenciam a cada ano.

Os armários são reabertos para a retirada de agasalhos e, assim, prevalece o forte odor de naftalina pelos salões, mais do que os perfumes franceses que acabaram de ser lançados.

Tudo isso e pessoas carregando, inevitavelmente, o lenço, para enfrentar intermináveis e vexatórias sessões de espirros.

Mas, afinal, o que são essas infecções virais?

Compreendem dois grupos: o resfriado comum e as gripes. Ambas são benignas e autolimitadas, com incubação de 2 a 4 dias, com cura espontânea, independente de tratamento, em cerca de 1 semana. Apesar disso, sempre causam transtornos e risco de complicações bacterianas, principalmente em crianças e idosos, ou pessoas com baixa de imunidade. Os asmáticos podem ter crises desencadeadas durante essas viroses. A fronteira clínica entre a infecção viral e a complicação bacteriana nem sempre é muito nítida; são as famosas gripes mal curadas e que podem levar a infecções de ouvido, garganta ou até mesmo pneumonias.

Os resfriados comuns aparecem com sintomas restritos ao nariz e faringe (coriza, obstrução nasal, espirros, pouca tosse) e geralmente não são acompanhados de febre ou apresentam febre baixa.

Principais vírus: rinovirus, coronavirus, vírus sincicial respiratório e mais raramente influenza, parainfluenza, adenovirus, enterovirus.

Nas gripes, a febre e a repercussão sobre o estado geral são um pouco maiores. O comprometimento das vias aéreas é mais intenso, geralmente com rinite, inflamação com dor de garganta, conjuntivite.

Principais vírus: influenza ( A, B e C ), mas também parainfluenza, adenovirus, vírus sincicial respiratório, echovirus, coxsackie.

Existem mais de 200 sorotipos diferentes de vírus que causam gripes e resfriados. Cada episódio causa imunidade para aquele tipo de vírus provocador específico, devido à grande mutação que estes sofrem ao infectarem diferentes organismos. A gripe é altamente contagiosa e normalmente ataca mais no final do outono, inverno e início da primavera. Também causa baixa no trabalho e escolas, além do risco de pneumonia e hospitalização.

Existem três tipos deste vírus: A,B e C. O vírus influenza A pode infectar humanos e outros animais, enquanto o influenza B e C infecta só humanos. Já o vírus tipo C causa uma gripe muito leve e não provoca epidemias.

De um modo geral, o vírus influenza ocorre de maneira epidêmica uma vez por ano. Qualquer pessoa pode gripar. Mas as pessoas com alguma doença respiratória crônica, fraqueza imunológica, imunidade comprometida, crianças e idosos, têm uma tendência a infecções mais graves.

Não é por acaso que a gripe é um dos maiores problemas de saúde pública. Diferente do resfriado que, na maioria das vezes, se dissemina pelo contato direto com as pessoas, o vírus influenza se dissemina, principalmente, pelo o ar. Quando a pessoa gripada espirra, tosse ou fala, gotículas com o vírus ficam dispersas no ar por um tempo suficiente para serem inaladas por outra pessoa. Menos freqüentemente, a doença se dissemina pelo toque (mão contaminada com o vírus) do doente na mão de um indivíduo sadio que, ao levar a mão à boca ou ao nariz, se contamina.

Um dia antes da pessoa experimentar os sintomas da doença, ela já pode contaminar outras pessoas. Também poderá contaminar por até sete dias depois do início dos sintomas. Crianças, mais do que isso.

Nos idosos, a fraqueza causada pela gripe poderá durar várias semanas.

O diagnóstico é feito através de sinais e sintomas referidos pelo paciente, com auxílio do exame físico. Mas não é fácil, porque os sintomas iniciais da doença podem ser similares àqueles causados por outros microorganismos em outras doenças. Por isso, existem exames que podem ser feitos para se confirmar a gripe; estes exames podem ser realizados com a análise da secreção respiratória (um “raspado” da garganta feito com um cotonete ou uma secreção do nariz) nos quatro primeiros dias de enfermidade, ou através de exame de sangue. Existem também os chamados testes rápidos, que podem confirmar a doença dentro de 24 horas.

Se o médico suspeitar de complicações causadas pelo vírus influenza, poderá solicitar testes complementares. A radiografia do tórax também auxiliará o médico quando suspeitar de uma pneumonia como complicação de gripe ou precisar de outro diagnóstico.

Em casos específicos, o médico pode indicar um tratamento antiviral. O enfermo deverá fazer repouso, evitar o uso de álcool ou fumo, procurar se alimentar bem e ingerir muito líquido, além de usar medicações para a febre e para a dor - aspirina (se não houver suspeita de dengue ou alterações de coagulação sangüínea), acetaminofen (tilenol) ou ibuprofeno.

A melhor maneira de se proteger da gripe é fazer a vacinação anual. Ela pode prevenir os casos de gripe ou, pelo menos, diminuir a gravidade da doença. Sua efetividade entre adultos jovens é de 70-90%. Cai para 30-40% em idosos muito frágeis, porque têm pouca capacidade de desenvolver anticorpos protetores após a imunização (vacinação). Mesmo nesses casos, a vacinação consegue blindar contra complicações graves da doença.

Fonte: www.brasiliaemdia.com.br

Resfriado

O resfriado é uma infecção respiratória simples causada pela contaminação de um dos mais de 200 tipos de vírus.

Entre eles, um dos mais comuns é o rinovirus ( “rin” em grego significa nariz) que causa de 30 a 35% dos resfriados em adultos, principalmente no começo do outono, primavera e verão.

Outro tipo comum de vírus é o coronavirus que é responsável por uma grande porcentagem dos resfriados em adultos, principalmente no inverno e começo da primavera.

Freqüência do resfriado

O resfriado geralmente dura de 3 a 7 dias e as pessoas adultas, em média, têm de 2 a 4 resfriados por ano, embora essa faixa varie muito. Já as crianças têm em torno de 10 resfriados ao ano e, se freqüentarem a escola, o número de resfriados pode chegar a 12 por ano. Tantos as crianças quantos os idosos com mais de 60 anos, são mais sujeitos a ficarem resfriados do que os adultos.

Como ocorre?

Para ser contaminado, o vírus do resfriado deve infectar células das membranas do nariz e garganta e se multiplicar. Para isso é necessário que ele ultrapasse o muco produzido pelo nosso corpo que serve para capturar pequenas coisas suspensas no ar como pólen, poeira, bactérias e até mesmo vírus. Quando um vírus penetra o muco e entra numa célula, ele comanda a máquina de produção de proteína para fazer um novo vírus, o qual, por sua vez, ataca as células vizinhas.

Contaminação

É possível se contaminar inalando partículas infectadas das secreções respiratórias (tosse, coriza, espirros) transportadas pelo ar ou tocando nessas secreções e levando as mãos à boca, olhos ou nariz. Por isso, pode-se pegar o vírus apertando a mão de uma pessoa resfriada ou então através de toalhas, telefones, dinheiro, etc.

Sintomas

Em geral, os sintomas podem ser:

Tosse
Espirros
Coriza
Obstrução nasal
Possível febre leve (menor ou igual a 38ºC)
Dor de cabeça
Dor de garganta

Fonte: www.sinutab.com.br

Resfriado

Diferença entre gripe e resfriado

Elas nos atacam durante todo ano, com as viradas bruscas de temperatura, mas ocorre com maior freqüência no inverno.

Desta forma, é necessário conhecer suas diferenças, para preveni-las, conhecendo os seus sintomas para tratá-las.

Resfriado

É uma infecção aguda virótica, geralmente sem febre, na qual as principais manifestações clínicas envolvem as vias aéreas superiores, com secreção nasal (coriza) ou obstrução nasal como sintoma predominante.

Com a exposição ao agente, a infecção pode ser facilitada por distúrbios emocionais, fadiga excessiva e processos alérgicos.

Gripe

É uma infecção respiratória aguda causada por um vírus específico, chamado Influenza, que ocasiona febre, coriza, tosse, dor de cabeça, dor de garganta, cansaço e dores por todo corpo.

Geralmente ocorre como uma epidemia no inverno. Pode complicar com infecção bacteriana secundária que deve ser tratada com antibióticos. O vírus Influenza apresenta vários sorotipos e sofre mutações todos os anos, tornando a gripe uma doença difícil de ser combatida.

Em geral a transmissão ocorre através do ar, de espirros, tosse ou até mesmo quando se fala próximo a uma pessoa que tem a presença do vírus, mesmo que a pessoa não tenha os sintomas, ela pode estar contaminada pelo vírus e assim fazer a transmissão.

Resfriado

Sintomas

Podem aparecer de forma repentina

Antes podem ocorrer arrepios, seguido de dores por todo corpo, inclusive de cabeça, e febre alta.

Depois atingem as vias aéreas, surgindo queixas respiratórias, tosse seca ou tosse com a presença de muco, caracterizando assim uma possível inflamação pulmonar, garganta irritada, congestão nasal.

Características

Geralmente são benignas, mas mesmo assim é importante tratá-las, pois podem evoluir causando uma doença respiratória mais grave, podendo até mesmo ocasionar uma pneumonia.

O resfriado dura em torno de 2 à 4 dias, tendo seus sintomas diminuídos com o passar dos dias, enquanto a gripe pode durar de 5 à 7 dias.

Como prevenir?

A vacina é um dos meios mais usados para prevenção da gripe.

Oferece proteção durante um ano, assim, ela deve ser tomada anualmente, já que o vírus sofre mutações constantes.

Pode ser usada por:

Pessoas de 65 anos ou mais
Bebês a partir de 6 meses de idade
Pessoas com risco de infecção devido ao contato com aves
Sistema imunológico deprimido
Agentes de saúde que têm contato com doentes.

Resfriado

Também uma boa alimentação, com a ingestão de frutas com grande quantidade de vitamina C pode contribuir para prevenção das doenças, já que ajuda a fortalecer o sistema imunológico.

Alternativas para o tratamento dos sintomas

Antitérmicos e analgésicos: indicados para diminuir a febre e as dores.
Antitussígenos:
para tosse seca.
Expectorantes:
para fluidificar o muco (catarro) e descongestionar os pulmões.
Descongestionantes:
para aliviar as vias nasais, usado para congestão nasal.

Os antibióticos não devem ser usados para o tratamento da gripe, exceto quando está em uma fase mais evoluída com sintomas de pneumonia, mas é necessário um acompanhamento médico, pois existem certas regras que devem ser respeitadas para um tratamento seguro e eficaz.

Além do uso dos medicamentos é necessária a ingestão de muito líquido, repouso, uma alimentação balanceada, evitar mudanças bruscas de temperatura e evitar multidões em ambientes fechados.

Fonte: www.anhembi.br

Resfriado

Gripe ou Resfriado?

Com a chegada do inverno, chegam-se também os problemas respiratórios sendo seus principais sintomas, corizas nasal, tosse, congestão nasal, dores musculares, fraqueza e febre.

Mas como iremos distinguir a gripe de um resfriado?

As gripes e resfriados são infecções causadas por vírus e afetam qualquer parte das vias aéreas superiores (nariz, garganta, laringe, faringe, seios paranasais) e, eventualmente, das vias aéreas inferiores (traquéia e brônquios). Sendo que a gripe como o resfriado, são causados por vírus, a diferença entre um ou outro é o tipo de vírus causador. O resfriado é causado por inúmeros vírus sendo o mais comum o Rhinovirus, enquanto a gripe é causada por um vírus chamado de Influenza identificado por A, B ou C.

Portanto, apesar dos sintomas bem semelhantes e de serem ambas doenças causadas por vírus, gripe e resfriado não são a mesma coisa.

Sintomas

Os sintomas mais comuns do resfriado são: coriza, congestão nasal, garganta irritada, provocando tosse. Em raros os casos podem surgir febre, mas, sendo esta muito baixa, sendo considerada apenas um estado febril. É raro também o paciente apresentar dores no corpo, mal estar, cansaço ou fraqueza.

Os sintomas da gripe já são bem mais intensos. Normalmente a pessoa fica com febre, dores no corpo, e é comum ter mal estar e prostração. A congestão nasal e dor na garganta não são tão freqüentes como nos resfriados.

Duração dos sintomas

O resfriado dura em média de 4 a 7 dias, enquanto a gripe dura um tempo maior de uma a duas semanas.

Por que ficamos resfriados ou gripados?

Não se sabe exatamente o que predispões uma pessoa a contrair um resfriado ou gripe, mas sabemos que essas doenças aparecem nas estações mais frias do ano, geralmente, são transmitidas por via aérea, talvez por que justamente nessa época em que as pessoas tendem a ficar mais recolhidos em casa ou em ambientes fechados, tornando o ambiente altamente propício para a disseminação do vírus nestes ambientes.

Como se prevenir?

É muito difícil "escaparmos" do contato com o vírus. Pegar ou não o resfriado vai depender do contato anterior com aquele vírus, do nosso estado psicológico e da presença de alergias respiratórias.

No entanto, algumas medidas podem ser tomadas para ajudar na prevenção:

1. Manter a casa sempre bem arejada

Evitar permanecer em locais fechados com grande número de pessoas;

2. Lave sempre as mãos

Se possível com um anti-séptico para que elimine todos os germes que possam causar o resfriado ou gripe.

3. Beba bastante líquido

Pode ser água pura, suco de frutas ou chás. Os líquidos ajudam a manter o corpo hidratado, além de ajudar a eliminar as toxinas que fazem mal ao nosso organismo.

4. Mantenha as narinas bem úmidas

Se o ar estiver muito seco e não for possível umidificá-lo, pingue algumas gotas de soro fisiológico nas narinas para evitar que fiquem ressecadas e causem irritação da mucosa respiratória.

5. Respire pelo nariz, não pela boca

A mucosa do nariz foi feita para aquecer e umedecer o ar que respiramos, evitando que o ar chegue frio nos pulmões. Se você respirar pela boca, o ar não recebe o tratamento adequado, causando doenças respiratórias.

6. Use lenços de papel ao invés de lenços de pano

Os lenços de pano acumulam grande quantidade de germes, espalhando no ar os vírus e reinfectando as pessoas. O melhor é usar lenço de papel e jogar fora após o uso. Sempre lave as mãos após assoar o nariz.

7. Tenha uma alimentação saudável

Comer bem ajuda a manter o corpo com uma boa resistência contra infecções. Alguns alimentos ajudam a dar maior resistência ao corpo, como iogurte, alho, gengibre, ginseng e geléia real.

8. Evite tocar o seu rosto quando resfriado

Você pode espalhar os vírus para outras pessoas através de suas mãos.

9. Diminua o stress em sua vida

Estudos mostram que pessoas estressadas adoecem mais, porque diminuem as defesas do organismo.

10. Não fume

Estudos mostram que as pessoas que fumam pegam mais resfriados e gripes que as que não fumam. Talvez isso esteja relacionado com o fato de que o fumo destrói a camada de proteção das vias respiratórias, principalmente os cílios, que são minúsculas estruturas que "varrem? as impurezas do ar, impedindo-as de entrar nos pulmões.

11. Tome vitamina C

Essa vitamina ajuda o corpo a produzir o interferon, que é o responsável pela destruição dos vírus, além de ajudar a produzir os elementos de defesa do corpo. Em geral, recomenda-se uma dose de 60mg por dia. A melhor maneira de conseguir a vitamina C é através de frutas ácidas, como laranja, limão, morango, tomate, e verduras. Não adianta tomar grandes quantidades de vitamina C, pois o corpo acaba eliminando o excesso. Estudos recentes têm mostrado que uma dose de 200mg por dia tem um efeito melhor na prevenção dos resfriados

Com isto, evitaremos boa parte dos resfriados, embora não possamos ficar imunes a eles.

Fonte: www.farmabrasil.com.br

Resfriado

Sua causa é predominantemente viral em que participam, principalmente, os rinovírus (existem mais de 100 subtipos diferentes). A infecção por um tipo de vírus não protege a pessoa de se infectar por outros subtipos.

Sua aparição geralmente é associada a fatores inespecíficos que facilitam a penetração do vírus: exposição ao frio, umidade, respiração bucal, etc. É transmitido a partir de secreções respiratórias (pequenas partículas eliminadas durante a fala, tosse e espirro) e pode sobreviver durante horas na superfície de objetos e nas mãos da pessoa infectada.

Considerações gerais

O período de incubação é curto, variando de 1 a 3 dias. Muitas vezes pode-se identificar a fonte de contágio em uma pessoa da família (criança ou adulto), facilitando o diagnóstico.

Todo o quadro se resolve entre 5 e 10 dias, mas podem surgir complicações nas crianças, como otite, bronquite, adenoidite (em lactantes) e sinusite (em crianças na idade escolar). A persistência ou reaparição de febre após o quarto dia, a permanência da tosse noturna após a primeira semana e a falta de uma melhora geral depois do quinto dia de evolução do resfriado podem levantar suspeitas de uma complicação. Algumas doenças infecciosas como sarampo, poliomielite e outras podem começar apresentando catarro nas vias respiratórias, simulando um resfriado comum.

Quadro clínico

Inicia-se com a eliminação de uma secreção pelo nariz (rinorréia), aquosa no começo e que se torna mais espessa no transcorrer dos dias. Os espirros são acompanhados de obstrução nasal e, a princípio, dor de garganta. A febre acontece raramente, e o mal-estar generalizado e a dor de cabeça não são muito intensos. Em crianças, o resfriado começa com debilidade, repulsa parcial de alimentos, febre, sono conturbado, espirros e respiração ruidosa. Logo aparece a rinorréia. A febre geralmente é alta no começo, mas não dura mais do que dois dias. Os sintomas começam a diminuir depois do terceiro ou quarto dia. Em crianças mais velhas, o quadro tende a ser mais leve, com menos febre e mal-estar generalizado.

Tratamento

O tratamento do resfriado se baseia em aliviar os sintomas. Nenhum medicamento específico tem efeitos curativos sobre o resfriado por rinovírus. Usar moderadamente medicamentos para baixar a febre (antipiréticos), como ácido acetilsalicílico (aspirina), paracetamol, ibuprofeno, etc., manter o ambiente com umidade e temperatura adequadas, beber água e repousar permitem que a pessoa supere rapidamente a infecção.

É discutível o benefício do uso combinado ou não de anti-histamínicos, vasoconstrictores e broncodilatadores. Estes medicamentos podem aliviar os sintomas temporariamente, mas o uso prolongado pode interferir nos mecanismos normais de defesa. Mesmo assim, não é recomendado o uso de antibióticos para prevenir as complicações. Atualmente, não existe uma vacina preventiva.

Fonte: www.discoverybrasil.com

Resfriado

A gripe é uma enfermidade desencadeada pelo vírus Influenza, que causa uma infecção aguda nas vias respiratórias.

Os sintomas são febre alta, cansaço e fraqueza, dores de cabeça, dores musculares, tosse e dores de garganta. Os sintomas da gripe são freqüentemente mais graves do que os do resfriado.

O vírus Influenza tem uma capacidade de mutação constante. Isto faz com que o organismo das pessoas tenha dificuldade para se defender das agressões deste microorganismo.

O contágio pelo vírus ocorre pelo ar ou em contato com as pessoas gripadas. Quando o doente espirra ou tosse, espalha no ar os vírus que podem ser inalados por quem estiver por perto e as epidemias ocorrem especialmente durante o inverno.

Se não for tratada a tempo, a gripe poderá evoluir para pneumonia, pois a falta de defesas deixa o organismo susceptível à infecção por bactérias. Geralmente, a doença começa a ceder dentro de uma ou duas semanas e a febre pode durar cerca de oito dias.

Prevenir é a melhor opção

A imunização contra o vírus da gripe por meio da vacina é válida por um ano, em função das mutações do mesmo.

Ter uma alimentação equilibrada mantém o organismo fortalecido e evita que os sintomas da doença se agravem.

Manter o corpo hidratado, ingerindo bastante água, chás e sucos também ajuda a manter as mucosas da vias aéreas hidratadas, evitando, portanto, o seu ressecamento (porta de entrada para outras infecções).

Tratamento

Não existe tratamento curativo para a gripe. Repouso, uso de analgésico e antiinflamatório, além de mucolíticos (fluidificantes) e expectorantes, ajudam a aliviar os sintomas e a eliminar o catarro.

No entanto, o tratamento deve ser feito somente sob orientação do médico, pois só ele saberá avaliar a gravidade dos sintomas e o perfil do paciente para prescrever o medicamento adequado.

O resfriado

Os resfriados são causados por outros tipos de vírus (como os rinovírus). O sintoma mais comum é a coriza constante (secreção nasal) ou a obstrução nasal (nariz “entupido”).

Isso acontece porque o vírus causa uma lesão nas paredes das vias áreas – nariz e garganta - gerando uma inflamação. Quando o vírus termina seu ciclo, há regeneração das mucosas e os sintomas desaparecem.

A gravidade da inflamação causada pelo contato com o vírus vai depender de fatores alérgicos, baixa imunidade e stress emocional. Os sintomas se manifestam cerca de três dias após o contato com o vírus.

A coriza pode se tornar espessa e amarelada, a febre quase sempre é baixa ou inexistente, há perda de olfato, paladar e dor de cabeça. Os espirros são freqüentes e em alguns casos há tosse e rouquidão.

A transmissão dos vírus que causam o resfriado é feita através do ar, pelo contato direto com outras pessoas resfriadas ou por objetos utilizados por elas.

O tratamento dos resfriados baseia-se no alívio dos sintomas. Para se recuperar, a pessoa deve beber bastante líquido para que as mucosas permaneçam hidratadas e cuidar da alimentação, evitando que a baixa resistência propicie o agravamento do problema.

Normalmente, as pessoas apresentam melhora dentro de quatro dias; no entanto, alguns sintomas podem durar cerca de dez dias. Porém, quando os sintomas persistem, é necessária uma avaliação médica para investigar a causa e verificar se há contaminação por bactérias – ou pneumonia.

Vírus e bactérias

As bactérias são microorganismos, isto é, organismos extremamente pequenos, compostos por uma única célula de estrutura muito simples.

Elas podem ser encontradas em todo lugar onde haja substâncias orgânicas que possibilitem a sua alimentação e reprodução: na terra, no ar, na água e em todos os organismos vivos e mortos.

A maioria das bactérias é inofensiva e algumas são muito úteis ao homem. É o caso das bactérias da fermentação láctea que possibilitam a produção de queijos e iogurte, e das bactérias da fermentação acética, usadas para fazer vinagre.

O pãozinho que comemos todos os dias também não existiria sem as bactérias presentes no fermento.

Infelizmente, ao lado dessas bactérias úteis existem outras, muito perigosas para o organismo humano: as bactérias patogênicas, que causam doenças como pneumonia, tuberculose, sífilis, blenorragia, tétano, cólera, febre tifóide, meningite, peste, difteria, erisipela, botulismo e coqueluche entre outras.

O vírus é a menor partícula que existe, visível apenas pelo microscópio. Para viver e se multiplicar, ele precisa estar dentro das células. Quando conseguem entrar em um organismo, os vírus atacam tecidos musculares, nervosos, ósseos e até o sangue. O vírus causador da gripe é o vírus influenza.

Sua principal característica é estar em permanente transformação. Quando isso acontece, aparece um vírus “primo” do anterior. Nesses casos, temos alguma defesa contra o novo porque conhecemos o mais antigo. Quando ocorre a recombinação genética, surge um vírus totalmente novo, contra o qual não temos defesa alguma e que pode, muitas vezes, causar uma verdadeira epidemia.

Além da gripe, os vírus causam doenças mais severas como: paralisia infantil, sarampo, varíola, caxumba, dengue, rubéola, febre amarela e AIDS.

Fonte: www.sitemedico.com.br

Resfriado

O resfriado é a infecção respiratória mais comum em qualquer idade, principalmente nas crianças. É freqüente durante o ano inteiro. Em climas temperados, é mais comum na primavera e no outono.

Sua causa é predominantemente viral em que participam, principalmente, os rinovírus (existem mais de 100 subtipos diferentes). A infecção por um tipo de vírus não protege a pessoa de se infectar por outros subtipos.

Sua aparição geralmente é associada a fatores inespecíficos que facilitam a penetração do vírus: exposição ao frio, umidade, respiração bucal, etc. É transmitido a partir de secreções respiratórias (pequenas partículas eliminadas durante a fala, tosse e espirro) e pode sobreviver durante horas na superfície de objetos e nas mãos da pessoa infectada.

Considerações gerais

O período de incubação é curto, variando de 1 a 3 dias. Muitas vezes pode-se identificar a fonte de contágio em uma pessoa da família (criança ou adulto), facilitando o diagnóstico.

Todo o quadro se resolve entre 5 e 10 dias, mas podem surgir complicações nas crianças, como otite, bronquite, adenoidite (em lactantes) e sinusite (em crianças na idade escolar). A persistência ou reaparição de febre após o quarto dia, a permanência da tosse noturna após a primeira semana e a falta de uma melhora geral depois do quinto dia de evolução do resfriado podem levantar suspeitas de uma complicação. Algumas doenças infecciosas como sarampo, poliomielite e outras podem começar apresentando catarro nas vias respiratórias, simulando um resfriado comum.

Quadro clínico

Inicia-se com a eliminação de uma secreção pelo nariz (rinorréia), aquosa no começo e que se torna mais espessa no transcorrer dos dias. Os espirros são acompanhados de obstrução nasal e, a princípio, dor de garganta. A febre acontece raramente, e o mal-estar generalizado e a dor de cabeça não são muito intensos.

Em crianças, o resfriado começa com debilidade, repulsa parcial de alimentos, febre, sono conturbado, espirros e respiração ruidosa. Logo aparece a rinorréia. A febre geralmente é alta no começo, mas não dura mais do que dois dias. Os sintomas começam a diminuir depois do terceiro ou quarto dia. Em crianças mais velhas, o quadro tende a ser mais leve, com menos febre e mal-estar generalizado.

Tratamento

O tratamento do resfriado se baseia em aliviar os sintomas. Nenhum medicamento específico tem efeitos curativos sobre o resfriado por rinovírus.

Usar moderadamente medicamentos para baixar a febre (antipiréticos), como ácido acetilsalicílico (aspirina), paracetamol, ibuprofeno, etc., manter o ambiente com umidade e temperatura adequadas, beber água e repousar permitem que a pessoa supere rapidamente a infecção.

É discutível o benefício do uso combinado ou não de anti-histamínicos, vasoconstrictores e broncodilatadores. Estes medicamentos podem aliviar os sintomas temporariamente, mas o uso prolongado pode interferir nos mecanismos normais de defesa. Mesmo assim, não é recomendado o uso de antibióticos para prevenir as complicações. Atualmente, não existe uma vacina preventiva.

Fonte: www.homeandhealthbrasil.com

Resfriado

Cerca de 15 milhões de brasileiros estão tossindo, espirrando e assoando o nariz enquanto você lê este assunto.

O que há de errado com eles? Eles tem a doença mais comum do mundo, o resfriado.

O resfriado geralmente dura de três a sete dias e as pessoas, em média, pegam de três a quatro resfriados por ano.

Sintomas

Espirro
Coriza
Febre menor ou igual a 38o C
Tosse seca

Causas

Os resfriados são causados por vírus. Você pode pegar o vírus pelo muco presente na mão de uma pessoa resfriada ao apertar as mãos dela. Também pode adquirir o vírus através de toalhas, telefones, dinheiro, etc. Depois você acaba passando-o a outra pessoa, e assim por diante. O vírus do resfriado também são transmitidos através de tosse e espirros.

Prevenção

Evite tocar o nariz, olhos e a boca.
Evite tocar em pessoas ou em pertences de pessoas resfriadas, especialmente nos primeiros 2 - 3 dias do resfriado. Este é o período mais contagioso.
Faça exercícios, coma e durma bem.
Se estiver resfriado, use lenço de pano ou de papel ao tossir, espirrar ou assoar o nariz. Isto ajuda a evitar que você transmita o vírus para outras pessoas.
Use um vaporizador / umidificador no seu quarto.

Perguntas a fazer

Há algum dos sintomas abaixo?

Dor no peito persistente
Respiração rápida ou dificuldade para respirar
Chiado no peito
Dor de ouvido
Dor de cabeça persistente
Dor de garganta, com vermelhidão ou pontos brancos na garganta
Tosse seca por mais de 10 dias
Tosse com catarro amarelo, verde ou cinza
Crianças abaixo de 12 anos com febre de 40o C
Adultos abaixo de 50 anos com febre igual ou maior que 39,5o C
Pessoas entre 50 e 60 anos com febre igual ou maior que 38,8o C
Pessoas acima de 60 anos com febre igual ou maior acima de 38,3o C
Cheiro ruim na garganta, nariz ou ouvido
Você sente dor ou pressão nos seios da face (que piora quando voc6e abaixa a cabeça), com febre igual ou maior que 38,3o C

Dicas de autocuidado

A única cura para o resfriado é o tempo.

A adoção das medidas abaixo poderá fazer você se sentir melhor:

Se estiver febre, repouse na cama.
Beba bastante líquido. Isto ajuda a limpar o catarro do sistema respiratório. Também previne outras complicações como a bronquite.
Tome medicamentos para dores musculares e/ou febre.
Use gotas de água salgada para aliviar a congestão nasal. Misture ½ colher de chá de sal em 1 xícara de água, filtrada ou fervida, morna. Pingue, usando um conta-gotas limpo, 3 a 4 gotas em cada narina várias vezes ao dia.
Use um vaporizador ou umidificador.
Beba canja de galinha. Ele ajuda a eliminar o catarro.
Consulte o seu médico antes de tomar vitamina C. ela parece melhorar os sintomas em algumas pessoas resfriadas e pode até prevenir a doença, mas não há ainda comprovação científica desses fatos.

Para a garganta irritada

Faça gargarejo com solução de ¼ de colher de chá de sal e ½ xícara de água morna várias vezes ao dia.
Beba chá com limão 9com ou sem mel; se for diabético não use mel).
Chupe bala dura ou pastilhas para a garganta (não dar para crianças com menos de 5 anos).

Fonte: www.lincx.com.br

Resfriado

Resfriados e Gripes (considerações gerais).

Resfriados e gripes são provocados por vírus que são parasitas intracelulares obrigatórias, isto é, dependem das células vivas para se multiplicarem e são bem menores do que as bactérias.

Os vírus são cerca de cem vezes menores do que as bactérias e não chegam a constituir uma célula como estas. Eles são formados apenas por um ácido nucléico envolto por uma cápsula de proteína e alguns biólogos nem os considera um ser vivo, pois estes, só se comportam como tal quando estão no interior das células.

Curiosidade

Os menores vírus medem cerca de 10 a 20 nanômetros (1nm=1 milhão de vezes menor do que 01 milímetro), o que já é um fator facilitador da sua entrada no interior das células das mucosas.

Resfriados e gripes são causados por vírus diferentes, assim, os sintomas que causam no organismo também serão diferentes. A grande maioria dos resfriados é provocada pelos rhinovírus e pelos coronavírus, já a gripe é provocada pelos ortomixovirus da influenza dos tipos A, B ou C, sendo que os do tipo A é que provocam as epidemias e pandemias de gripe.

O rhinovírus (rhis=nariz), o mais comum de todos e responsável pela maioria dos resfriados possui, pelo menos, 115 sorotipos diferentes já identificados na natureza, daí a dificuldade em se produzir uma vacina contra o resfriado.

Já o coronavirus, responsável por apenas 15% dos resfriados, possui somente dois sorotipos, mas, em compensação, confere uma imunidade de apenas um ano.

Como dissemos, o vírus da gripe possui 03 sorotipos básicos identificados, permitindo, assim, a confecção de vacinas feitas de vírus já mortos e que funcionam como antígenos, provocam a formação de anticorpos (elementos de defesa) no organismo; ”por isso existem vacinas para a gripe e não para o resfriado”.

Sintomas do resfriado

Os sintomas do resfriado são bem mais brandos do que os da gripe e se localizam principalmente no nariz e na garganta.

A grande maioria dos resfriados começa pela garganta, passando inicialmente à narina correspondente do lado da garganta afetada.

No resfriado, a febre, quando existe, geralmente é baixa, mas pode chegar aos 38°C ou um pouco mais, principalmente durante o período inicial, por isso, ficamos também muito mais sensíveis ao frio, como na gripe.

Os resfriados duram de 02 a 07 dias, provocando catarro e coriza e geralmente garganta inflamada, mas atenção: o nariz nunca deve ser assoado com muita força para não favorecer as principais complicações bacterianas, as sinusites e otites, que podem aparecer ao final do resfriado e devem ser tratadas com os antibióticos.

Sintomas da Gripe

São bem mais fortes do que os do resfriado e se estendem pelo corpo todo, provocando prostração, abatimento, sensação de mal estar geral, dores musculares e algumas vezes, até dores abdominais, com vômitos e/ou diarréias. Nariz e garganta também são atacados e a febre geralmente é muito alta, podendo chegar aos 40ºC, provocando calafrios, dor de cabeça, tosse e fraqueza.

A doença pode perdurar por mais de uma semana.

As gripes, ao contrário dos resfriados, provocam epidemias na população, principalmente nos meses frios, porém podem ser evitadas por meio de vacinas, que devem ser aplicadas em: crianças, idosos, cardiopatas, aidéticos, diabéticos, doentes renais, reumáticos, doentes pulmonares e nos agentes da saúde.

Para facilitar a identificação rápida, se é uma gripe ou um resfriado, pode resumir tudo nos 06 sintomas mais importantes:

SINTOMAS RESFRIADO
GRIPE
Febre: Ausente ou Rara Comum, (39º a 40º C)
Cefaléia (dor de cabeça): Ausente
Comum
Mal estar geral:  Discreto Comum, severo e duradouro
Faringite (dor de garganta):  Comum Menos comum 
Secreção nasal:
Comum e abundante Menos comum, pouca
Vômito e/ou diarréia:  Raro Comum

Curiosidade

Somente 20% das dores de garganta são causadas por bactérias, sendo a grande maioria causada por resfriados e gripes, devendo-se então ter sempre o cuidado de não tomar antibióticos desnecessariamente, principalmente as crianças, pelos efeitos colaterais destes

Fonte: www.eric.thuler.com.br

Resfriado

Definição

O resfriado é a infecção respiratória mais comum em qualquer idade, com uma predominância maior em crianças do que em adultos. Ocorre durante todo o ano mas, nos climas temperados, tende a predominar na primavera e no outono.

Sua causa é predominantemente viral, principalmente pelos rinovírus, dos quais mais de 100 subtipos diferentes já foram descritos. A infecção por um tipo de vírus não protege contra infecção por outros subtipos, o que explica a alta incidência desta doença. Seu aparecimento está quase sempre associado a fatores inespecíficos, como exposição ao frio, umidade, respiração bucal etc., que atuam facilitando a penetração do vírus. Este se transmite a partir das secreções respiratórias (em pequenas partículas eliminadas ao falar, tossir e espirrar) e pode sobreviver horas na superfície dos objetos e nas mãos das pessoas infectadas.

Quadro Clínico

O período de incubação é curto, variando de 1 a 3 dias. Na maioria dos casos a fonte de contágio pode ser identificada em um familiar; criança ou adulto, que apresenta sintomas semelhantes, facilitando o diagnóstico nas fases iniciais.

A doença começa com a eliminação de uma secreção pelo nariz (rinorréia), aquosa no princípio, que vai se tornando mais grossa com o decorrer da doença. Há espirros, acompanhados de obstrução nasal e, freqüentemente, dor de garganta. A febre ocorre raramente, e o mal-estar geral e a dor de cabeça não tendem a ser demasiado intensos. Nas crianças pequenas inicia-se com fraqueza, rejeição parcial dos alimentos, febre, sono agitado, espirros e respiração ruidosa. Depois, aparece a rinorréia. A febre tende a ser alta no início, mas não dura mais de 2 dias. Os sintomas começam a diminuir no terceiro ou quarto dia. Em crianças maiores o quadro tende a ser mais leve, com menos febre e mal-estar geral.

Todo o quadro se resolve entre 5 e 10 dias, mas nas crianças pode complicar-se com otite, bronquite, adenoidite no lactente e sinusite no escolar. A persistência ou o reaparecimento de febre além do quarto dia, a permanência de tosse noturna depois da primeira semana e, em geral, a falta de melhoria a partir do quinto dia do resfriado pode significar uma complicação.

Deve-se lembrar que algumas doenças infecciosas, como o sarampo e a poliomielite, podem começar como um catarro das vias respiratórias e simular um resfriado comum.

Tratamento

O tratamento do resfriado é dirigido ao alívio dos sintomas. Nenhum medicamento específico tem efeitos curativos sobre o resfriado por rinovírus. O uso moderado de medicamentos para baixar a febre (antipiréticos), como a aspirina, o paracetamol, o ibuprofeno etc., e a manutenção de um ambiente adequado quanto à temperatura e umidade, uma alimentação que assegure um bom fornecimento de líquidos e repouso relativo permitem à pessoa superar rapidamente a infecção. É discutível o benefício do uso de anti-histamínicos, vasoconstritores ou broncodilatadores, sejam puros ou em combinações. Podem aliviar os sintomas transitoriamente, mas seu uso prolongado pode interferir com os mecanismos normais de defesa. Portanto, não é recomendado o uso de antibióticos para prevenir complicações. Atualmente não existe vacina para prevenir a doença.

Como se adquire

Para uma pessoa pegar um resfriado, é necessário que o vírus entre em contato com o revestimento interno do nariz. As viroses que chegam até os olhos ou boca também podem se estender até o nariz. Em alguns casos, a pessoa pode infectar-se pelo vírus através de outra. Uma pessoa resfriada, ao espirrar, espalha gotículas no ar com muco e vírus. Uma segunda pessoa, ao respirar este ar contaminado, faz com que o vírus entre em contato com o nariz e acaba desenvolvendo a doença.

Contudo, a via mais comum de transmissão destas viroses é pelo contato direto.

Por exemplo: uma criança resfriada toca no seu rosto, espalhando um pouco de muco (catarro) e partículas de vírus pelos seus dedos. Ao dar a mão à sua mãe, transfere vírus para sua pele. A mãe, ao tocar no seu próprio rosto, com a mão contaminada, pega o resfriado. Esta mesma transferência de vírus pode ocorrer através de objetos. Uma pessoa resfriada que coloca a mão no nariz e depois num copo, transfere os vírus para o copo. Outra pessoa, ao utilizar o copo, leva os vírus para a sua mão e, levando até seu rosto, adquire o resfriado.

Fonte: www.preceitos.com

Resfriado

Eternos problemas na vida principalmente das crianças, a gripe e o resfriado (forma mais leve) são doenças infecciosas causadas por diversos tipos de vírus que causam febre, dor de cabeça, nariz escorrendo, tosse e inflamação na garganta, entre outros sintomas.

Essas infecções são transmitidas de pessoa para pessoa através das secreções respiratórias (tosse, coriza, espirros) ou pelas mãos das pessoas infectadas. A criança pode enfrentar de 6 a 8 infecções virais no ano, que atacam em geral nariz e garganta.

Já uma criança que freqüenta escolinha ou creche tem chance de 3 a 4 vezes maior de apanhar um resfriado, pois estão mais expostas a outras crianças que tenham infecções. Por isso, não é recomendado levar a criança doente para a escola.

Mas por que os queridinhos da família são sempre os mais atingidos por esses inimigos minúsculos? É simples. O contágio é grande entre as crianças porque esta ainda não formou uma memória imunológica que é adquirida com as infecções. A criança fica gripada sempre que o corpo é invadido por um vírus novo, desconhecido, e assim seu organismo cria anticorpos.

Cada vez que a criança entra em contato com o mesmo vírus, os sintomas tendem a ser mais leves ou inexistentes. Mas como existem muitos vírus, até que o organismo da criança crie uma defesa para todos, as gripes e resfriados serão freqüentes. O número diminui bastante a partir do terceiro ano.

No frio, as infecções são mais comuns porque as crianças ficam mais juntinhas em ambientes fechados e não arejados, facilitando a transmissão do vírus.

Uma dica para o combate da gripe ou resfriado é manter o seu filho bem hidratado, caprichando nos sucos ou até mesmo servindo água. O bebê que mama ao seio é mais resistente às infecções respiratórias e até os seis meses de idade não precisa tomar outros líquidos que não o leite materno.

Outra orientação é fazer um maior número de refeições com quantidades pequenas, para evitar náuseas. Em caso de febre, procure colocar roupas leves para facilitar a troca de calor com o meio e colocar a criança no banho em água morna até que a temperatura ceda.

Fique atenta - Os vírus da gripe e do resfriado diminuem a resistência da criança e facilitam a invasão de outros micróbios que podem causar amigdalite, otite, sinusite, rinite, bronquite ou pneumonia. Isso exige mais cuidados como tratamentos com antibióticos.

Sempre é recomendável uma avaliação médica. Nunca ofereça medicamentos sem antes consultar o pediatra. Saiba que não há remédio que cure gripe e resfriados. Prevenir é a melhor solução.

Evite levar o bebê ou a criança em lugares fechados e com aglomeração de pessoas. Procure também evitar o contato com pessoas que estejam resfriadas. Além disso, mantenha filtros de ar-condicionado limpos e o ambiente em que o bebê fica arejado. Essas medidas podem não ser 100% eficazes, mas certamente dificultará o contágio. O seu filho agradece!

Fonte: guiadobebe.uol.com.br

Resfriado

O resfriado é uma infecção leve das vias aéreas superiores (nariz e garganta). Não existe remédio para curá-lo, mas apenas para amenizar os sintomas. Se não houver complicação, tende a passar sozinho.

Sintomas: Coriza, espirros e febre baixa.

Agentes: Pode ser causado por alergias, vírus ou bactérias.

Prevenção: Evitar o frio e as bebidas geladas, não permanecer em ambientes fechados, não compartilhar talheres.

Complicações: Pode evoluir para rinites, gripes e infecções respiratórias mais graves.

Tratamentos: Repouso, líquido e boa alimentação. Se necessário, podem ser administrados analgésicos, anti-térmicos e vitaminas, mas só depois de consulta médica.

Fonte: www.terra.com.br

Resfriado

Resfriado ou catarro comum

O resfriado ou catarro comum (vulgo constipação) é uma infecção viral do revestimento do nariz, dos seios perinasais, da garganta e das grandes vias respiratórias.

São muitos os vírus causadores de resfriados. Os picornavírus, bem como os rinovírus, causam a maioria dos que se manifestam na Primavera, no Verão e no Outono. Os vírus da gripe e os vírus sinciciais respiratórios, que aparecem regularmente no final do Outono e no Inverno, provocam uma grande variedade de doenças, incluindo resfriados. Os da gripe transmitem-se com facilidade de pessoa a pessoa através de gotículas infectadas que são expulsas ao tossir e ao espirrar. Os rinovírus e os vírus sinciciais respiratórios transmitem-se desta forma, mas talvez o façam principalmente por contato direto com secreções infectadas transportadas nos dedos.

O motivo pelo qual cada um tem mais probabilidade de se infectar num momento do que noutro não é de todo conhecido. A exposição ao frio não faz com que alguém se constipe nem aumentar a sua susceptibilidade a infectar-se com um vírus respiratório. Não parece influir demasiadamente o estado geral de saúde da pessoa nem os seus hábitos alimentares e também não influi o fato de ter qualquer anomalia no nariz ou na garganta, como amígdalas de grandes dimensões ou adenóides. No entanto, aqueles que se encontram cansados ou manifestam ansiedade, os que têm alergias no nariz ou na garganta e as mulheres que estejam a meio do seu ciclo menstrual são mais propensos a acusar os sintomas de um resfriado.

Sintomas e complicações

Os sintomas do catarro comum iniciam-se depois de um a três dias de se ter verificado o contato. Em geral, os primeiros sintomas são mal-estar no nariz e na garganta. Em seguida o doente começa a espirrar, tem o nariz congestionado e sente-se ligeiramente doente. Em regra não existe febre, mas às vezes a temperatura do corpo eleva-se um pouco no início dos sintomas. As secreções do nariz são aquosas e límpidas e podem ser muito incómodas durante os primeiros dias. Posteriormente as mesmas tornam-se mais espessas, opacas, de cor amarelo-esverdeada e menos abundantes. Muitas pessoas têm também tosse. Estes sintomas costumam desaparecer em 4 a 10 dias, apesar de a tosse, com ou sem expectoração, persistir habitualmente durante mais uma semana.

As complicações podem prolongar a sintomatologia. A afecção traqueal, juntamente com uma certa tensão no peito e uma sensação de queimadura é mais frequente em algumas pessoas e com determinados vírus. As pessoas com bronquite persistente ou asma podem ter mais dificuldade em respirar durante um resfriado e depois dele. Após um resfriado pode ocorrer uma infecção bacteriana dos ouvidos, dos seios perinasais ou da traqueia e das vias respiratórias (infecção traqueobrônquica), que requer tratamento com antibióticos.

Diagnóstico

Em geral, os catarros podem diagnosticar-se rapidamente em função dos sintomas característicos. Contudo, as infecções bacterianas, as alergias e outras perturbações podem causar sintomas similares. Os mesmos vírus que produzem catarros também podem provocar sintomas semelhantes aos da gripe. Uma febre alta sugere que a afecção não é um simples resfriado. Em geral não é necessário efetuar análises para diagnosticar um resfriado, a menos que surjam complicações.

Tratamento

Uma pessoa congestionada deve evitar o frio e fazer repouso, tentando evitar o contágio a outros. Isto costuma acontecer mais nas primeiras fases da infecção.

Aqueles que têm febre ou sintomas mais intensos deverão permanecer isolados e em repouso. Beber líquidos ajuda a manter as secreções fluidas para serem mais fáceis de expelir.

Os medicamentos para o catarro são do conhecimento popular, mas os seus efeitos benéficos não estão claros. A aspirina, por exemplo, pode chegar a aumentar a difusão do vírus, ao mesmo tempo que só melhora ligeiramente os sintomas. Se for necessário um medicamento para aliviar a dor ou a febre numa criança ou num adolescente, é preferível administrar paracetamol ou ibuprofeno, porque a aspirina ocasionalmente aumenta o risco de contrair a síndroma de Reye, uma perturbação potencialmente mortal.

Os descongestionantes nasais só conseguem um alívio temporário e limitado. Os anti-histamínicos podem descongestionar o nariz, mas está demonstrado que só o conseguem em indivíduos com história de alergia. Por outro lado, causam sonolência e outros efeitos colaterais, particularmente em pessoas de idade avançada. Inalar vapor ou essências mediante um nebulizador é um método que alguns consideram útil para soltar as secreções e reduzir a opressão do peito. Lavar os canais nasais com um soluto salino pode ajudar a eliminar as secreções mais persistentes. A tosse pode ser a única forma de eliminar secreções e resíduos das vias respiratórias durante uma virose, pelo que é preferível não a tratar, a menos que ela interfira com o sono ou cause um grande mal-estar. Uma tosse intensa pode ser tratada com um antitússico. Os antibióticos não são eficazes contra o catarro; só deverão usar-se se ocorrer também uma superinfecção por bactérias.

Prevenção do resfriado comum

Dado que há tantos vírus diferentes que causam resfriados, e atendendo a que a taxa de anticorpos produzidos contra um vírus destes diminui com o passar do tempo, a maioria das pessoas pode constipar-se durante toda a sua vida. Até ao momento não foi ainda criada uma vacina eficaz contra cada um dos vírus respiratórios, mas todos os anos se atualiza uma vacina contra a gripe para que atue sobre novas variedades de vírus, e além disso estão a criar-se vacinas para outros vírus, como o vírus sincicial respiratório e o vírus parainfluenza.

As melhores medidas preventivas consistem numa boa higiene. Como muitos vírus que produzem catarros se transmitem por contato com secreções infectadas, lavar as mãos com frequência, rejeitar os lenços usados e limpar todos os elementos e superfícies pode ajudar a reduzir a sua propagação.

Foram propostos e experimentados muitos tratamentos para evitar os resfriados, mas nenhum demonstrou ser fiável e eficaz. Não se demonstrou que as grandes doses de vitamina C (até 2000 mg por dia) reduzam o risco de constipação, nem a quantidade de vírus que a pessoa infectada transmite.

O interferão é um medicamento que aumenta a resistência das células à infecção; inalado pelo nariz, pode prevenir as infecções causadas por algumas variedades de vírus (particularmente os rinovírus). Todavia, não funciona uma vez que a infecção já esteja estabelecida, pode causar inflamação e hemorragias nasais e tem efeitos limitados contra certos vírus, com os influenza e parainfluenza.

Fonte: www.manualmerck.net

Resfriado

GRIPE E RESFRIADO SãO A MESMA COISA?

Não.

A gripe é uma doença grave, contagiosa, causada pelo vírus Influenza (tipos A,B e C) e o resfriado é menos agressivo e de menor duração, causado pelo Rhinovírus(com seus vários tipos), sendo que a transmissão de ambos, entre as pessoas, se dá através das vias respiratórias.

Ensina-nos o dito popular: “- Durante o resfriado o doente fica atrás do lenço e, durante a gripe, atrás do lençol”.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA GRIPE E DO RESFRIADO?

Resfriado

A gripe surge com sintomas severos de febre alta, dor de garganta, dores no corpo, dor de cabeça, fraqueza, mal-estar geral, calafrios, tosse intensa e dificuldade de respirar e, em idosos e pessoas com baixa imunidade, pode haver necessidade de internação hospitalar, às vezes levando o paciente à morte. O resfriado pode provocar irritação na garganta e no nariz, espirros, coriza, obstrução nasal e, às vezes, mal estar geral com pequeno aumento da temperatura corpórea.

COMO EVOLUEM A GRIPE E O RESFRIADO?

A gripe dura cerca de 1 a 2 semanas e o resfriado, em geral, dura cerca de 4 a 7 dias, ambos desaparecendo à medida que o organismo melhora suas defesas.

Contudo, nada impede que uma mesma pessoa tenha episódios repetidos das citadas doenças, causadas por outros germes. Tanto a gripe como o resfriado podem se complicar, principalmente quando a pessoa está com baixa imunidade, o que é comum em crianças pequenas, idosos, asmáticos e pessoas com doenças crônicas, ocorrendo inflamação do ouvido (otite) e dos seios da face (sinusite), além de piorar as crises asmáticas e bronquites.

POR QUE GRIPES E RESFRIADOS OCORREM MAIS NO INVERNO?

Pelo hábito que as pessoas têm, durante o inverno, de permanecerem por mais tempo em ambientes fechados, onde os vírus que aí circulam no ar conseguem melhores condições de se procriarem e de infectarem os indivíduos.

COMO EVITAR A GRIPE OU RESFRIADO?

Consumindo uma alimentação saudável, ingerindo bastante líquidos, economizando energia, respeitando o tempo de sono, lavando as mãos com freqüência e evitando-se o contato com os olhos, nariz e boca, além de manter sempre o ar ambiente circulando, impedindo o aumento da concentração de vírus.

COMO PREVENIR- SE DE GRIPES E RESFRIADOS?

Evitar locais fechados, sem circulação do ar.
Lavar sempre as mãos com sabão, eliminando ao máximo germes que possam causar doenças.
Ingerir bastante líquido (água, sucos de frutas, chás etc) ü Manter o ar dentro de casa com um grau de umidade elevado, pois o ar muito seco provoca irritação das mucosas aéreas e facilita a contaminação pelos vírus causadores de gripes e resfriados. O umidificador de ar está indicado.
Manter as narinas umidificadas, pingando gotas de soro fisiológico nas mesmas.
Evitar respirar pela boca para que o nariz exerça seu papel de aquecer e umidificar o ar que respiramos.
Usar lenços descartáveis ao invés dos de pano.
Descansar e relaxar o corpo para ativar o sistema imunológico e evitar transmitir a doença para outras pessoas.
Eliminar os estresses, porque estes diminuem as defesas do organismo.
Viver e trabalhar em ambientes mais saudáveis.
Não fumar.

Alimentar-se de maneira saudável, incluindo frutas ácidas como laranja, limão, morango e tomate, além de verduras. O uso da vitamina C em altas doses não traz maiores benefícios ao organismo, sendo o excesso eliminando pela urina.

Menosprezar a Gripe é subestimar perigosamente o inimigo.

O Ministério da Saúde, por intermédio da Fundação Nacional de Saúde, promove uma campanha anual de vacinação contra a gripe, tétano e difteria, simultaneamente, em todo o País, com o objetivo de alcançar a população a partir dos 60 anos de idade, maior vítima das infecções respiratórias.

QUAIS SãO AS COMPLICAÇÕES DA GRIPE?

Quando atinge pessoas imunodeprimidas, pode levar a sérias complicações, inclusive à morte.

EXISTE UM TRATAMENTO IDEAL PARA GRIPES E RESFRIADOS?

O repouso, o uso de antitérmicos em caso de febre, as nebulizações e os descongestionantes nasais, quando prescritos por médicos, ajudam no combate aos sintomas das doenças e, os antibióticos, só quando houver complicações bacterianas.

A VACINA CONTRA GRIPE REALMENTE PROTEGE?

A vacina reduz o risco de gripe em até 90% no caso de pessoas saudáveis, mas os resfriados, provocados por outros vírus, não são prevenidos com a vacina.

QUEM DEVE TOMAR A VACINA E QUANDO?

Pessoas com mais de 60 anos de idade, mesmo cardíacos, asmáticos, hipertensos, diabéticos, portadores de HIV e imunodeprimidos.
Pessoas que prestam assistência em albergues, creches e similares.
Adultos e crianças portadores de doenças crônicas pulmonares ou cardiovasculares.
Adultos e crianças que necessitam de acompanhamento médico regular ou devido a doenças metabólicas crônicas.
Crianças e adolescentes que estejam fazendo uso de Aspirina a longo prazo.
Gestantes no segundo ou terceiro trimestre de gravidez, durante o inverno.
Profissionais de Saúde em atividade.
Pessoas que tenham contato freqüente com outras em grupos de alto risco para infecção pelo Influenza.
Relatos históricos mostram que epidemias de Gripe já afligiam povos bem antes do ano 500 a.C.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), no século passado houve pelo menos cinco epidemias de gripe, classificadas como pandemias, ou seja, de âmbito mundial.

A VACINA PODE PROVOCAR GRIPE OU EFEITOS COLATERAIS?

A vacina é preparada com fragmentos de vírus mortos, excluindo a possibilidade de provocar gripe e, eventualmente, podem aparecer febre baixa, mal-estar e dores no corpo após a aplicação da vacina, sintomas estes que desaparecem entre 24 e 48 horas.

QUEM NÃO PODE TOMAR A VACINA?

Os alérgicos ao ovo e ao Timerosal, os portadores de doenças neurológicas em atividade e os indivíduos que tiveram a Síndrome de Guillain Barré.

DICAS PARA ENFRENTAR A GRIPE

Consulte sempre seu médico.
Mantenha uma alimentação saudável.
Beba bastante líquido.
Poupe suas energias, durma bem e descanse.
Não tome antibióticos sem receita médica.
Informe-se com seu médico quanto à possibilidade de receber vacina contra Influenza e Pneumococos.
Suplementos de Vitamina C e Zinco podem ajudar a reduzir os sintomas, a duração da doença e os riscos de complicações.
Lavar as mãos freqüentemente, evitando contato com os olhos, nariz e boca.

Fonte: dsau.dgp.eb.mil.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal