Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Reumatismo  Voltar

Reumatismo

Reumatismo é uma doença que antigamente se supunha, produziria acúmulo de líquidos nas articulações. O termo é designação geral usada para caracterizar um grupo de doenças cujas manifestações principais são a inflamação ou a degenerescência do tecido conjuntivo das articulações, dos músculos e de outros órgãos.

Existem numerosas doenças pertencentes ao grupo do Reumatismo como a febre reumática, a artrite reumatóide, a artrite comum, a artrose, a gota, e outras.

Ainda não se tem uma classificação bem definida sobre a questão do Reumatismo sendo que os médicos atuais preferem observar isoladamente cada um dos diversos tipos de moléstias reumáticas.

As doenças reumáticas podem afetar somente as articulações - o que é mais comum, ou simultaneamente o tecido conjuntivo de outros órgãos, o tecido nervoso, seja de forma aguda ou crônica, em ciclos ou episódios isolados.

Sintomas

Em geral há muita dor local ou generalizada, com inflamação e incapacitação física, temporária ou progressiva.

Tratamento

O tratamento convencional da medicina moderna é apenas sintomático, sendo incapaz de atingir o processo mórbido causados da doença. Não se sabe oficialmente a causa do reumatismo de modo geral. Sabe-se que é uma doença degenerativa que ocorre numa situação de predisposição herdada, provocada por fatores ambientais desencadeantes, principalmente por alimentos acidificantes, tóxicos e mucogênicos.

Alguns tipos de reumatismo são desencadeados pelo constante contato com a friagem, sendo característicos nas profissões como as de lavadeiras, dos carregadores de gelo e produtos congelados e outras mais em contato constante com a água, câmaras frias, ambiente úmido, etc.

Fonte: www.phitoherb.com

Reumatismo

Afinal de contas, o que é reumatismo e o que a fisioterapia tem haver com isso?

Reumatismo é o nome popular dado às doenças reumáticas, que são compostas por mais de cem doenças distintas que acometem o sistema músculo-esquelético, ou seja, ossos, articulações (“juntas”), cartilagens, músculos, fáscias, tendões e ligamentos. Além disso, essas doenças também podem comprometer diversos órgãos do corpo humano, como os rins, o coração, os pulmões e o intestino, assim como a pele.

As doenças reumáticas mais conhecidas são: osteoartrose, artrite reumatóide, osteoporose, gota, lúpus, febre reumática, fibromialgia, tendinite, bursite e diversas patologias que acometem a coluna vertebral.

Reumatismo não é uma “doença de velho”, pois pode ocorrer em qualquer idade, acometendo jovens, crianças e, inclusive, recém-nascidos.

Segundo estatísticas, 15 milhões de brasileiros apresentam algum tipo de doença reumática, o que pode gerar, além do sofrimento pessoal, reflexos na vida sócio-econômica do país, uma vez que estas doenças enquadram-se entre as principais causas de incapacidade física e de afastamento temporário ou definitivo do trabalho.

Quem tem alguma doença reumática pode apresentar dor e calor nas articulações, edema (“inchaço”), rigidez matinal (dificuldade para movimentar as articulações ao acordar de manhã), fraqueza muscular e, conforme a patologia, lesões de pele, dor de cabeça, queda de cabelo, fadiga, emagrecimento e febre.

As doenças reumáticas não são contagiosas e podem ser causadas ou agravadas por fatores genéticos, traumatismos, trabalho intenso, obesidade, sedentarismo, estresse, ansiedade, depressão e alterações climáticas.

Essas doenças devem ser tratadas para que o paciente possa ter uma melhor qualidade de vida, sem dores, sem o agravamento das lesões e sem maiores disfunções e deformidades articulares, que, por vezes, podem ser definitivas.

O tratamento das doenças reumáticas consiste na administração de drogas analgésicas e antiinflamatórias, de injeções locais de corticosteróides (infiltrações), de medicamentos próprios para o controle da doença e fisioterapia.

No tratamento das doenças reumáticas, a fisioterapia proporciona ao paciente uma reeducação física e funcional através do alívio da dor e da rigidez articular, da recuperação dos movimentos, do reforço e do relaxamento muscular, da prevenção ou tratamento das deformidades e, quando o paciente já apresentar seqüelas definitivas, auxilia na reabilitação profissional, desenvolvendo ao máximo o potencial residual existente, adaptando este paciente às novas condições de vida.

Todos esses benefícios podem ser obtidos por um programa de fisioterapia elaborado especificamente para tratar o paciente como um todo, levando-se em conta não somente o que o paciente está apresentando, mas também tentando-se atuar nas causas dos sintomas.

Para o tratamento de pacientes que apresentam essas doenças, o fisioterapeuta dispõe de uma variedade de recursos como, por exemplo, gelo, ultra-som, correntes elétricas, laser, massagens, mobilizações articulares, trações, alongamentos, técnicas para relaxamento e reforço muscular, assim como exercícios específicos para cada paciente.

Os pacientes ainda podem se beneficiar com o tratamento em piscina térmica, que é conhecido como hidroterapia ou fisioterapia aquática, onde são realizadas todas essas técnicas de mobilizações articulares, relaxamento e reforço muscular, com a vantagem de se estar em um meio que possibilita o alívio imediato de dores, proporcionando uma enorme sensação de bem estar e prazer.

Todo o tratamento com fisioterapia deve ser baseado em uma abordagem global, atendendo e assistindo o sujeito integralmente, com o objetivo de propiciar uma reabilitação mais completa e abrangente, em âmbito físico, psíquico, social e emocional, melhorando, significativamente, a qualidade de vida desses pacientes.

Dra. Patricia Martins

Fonte: www.sociedadefisioterapia.com.br

Reumatismo

Um dos sintomas do reumatimo é a dor

Reumatismo
Nos casos de Reumatismo a dor é causada por inflamação

Tradicionalmente, reumatismo é considerado uma doença das articulações, músculos, ligamentos e tendões, de caráter não traumático, que acomete pessoas mais velhas.

Na verdade, a palavra reumatismo serve para designar inúmeras enfermidades, mais de duzentas. Provavelmente, as mais conhecidas são a artrite reumatóide e a artrose, ou osteoartrose, que afetam cartilagens e articulações e provocam dor, deformação e limitação de movimentos. No entanto, as doenças reumáticas acometem não só as articulações e cartilagens, mas também órgãos internos, como coração e rins e, para a grande maioria delas, existem fundamentos imunológicos bem definidos.

Descritos por Hipócrates, séculos antes de Cristo, os diversos tipos podem manifestar-se em pessoas de qualquer idade: crianças, jovens adultos e idosos. Foi só nos últimos anos, entretanto, que surgiram drogas capazes de revolucionar o tratamento clássico do reumatismo feito até então apenas com antiinflamatórios.

A palavra reumatismo vem do grego (rheuma), mas seu significado foi-se modificando com o passar do tempo. Atualmente, quando se fala Reumatismo estamos nos referindo a um grupo bastante extenso de doenças que acometem não só as articulações, músculos, ligamentos e tendões, mas também a doenças em que o sistema imunológico está envolvido e atacam órgãos como cérebro, rins, coração, por exemplo.

Portanto, por englobar grupo tão grande de enfermidades, é muito importante caracterizar o tipo de reumatismo a fim de propor tratamento efetivo e adequado.

Reumatismo
Pequenas deformidades nas mãos (nódulos de Heberden) são próprias da artrose

Mais de 250, 300 doenças diferentes estão classificadas como reumatismo. Algumas acometem primeiro os órgãos internos. Um exemplo é o lúpus eritematoso sistêmico que, às vezes, começa pela inflamação do rim. Nesse caso, os primeiros sintomas são alterações na urina (presença de sangue e de proteína). Depois, o quadro vai se completando (as juntas incham, inflamam os músculos) e a doença adquire características reumáticas.

Outro exemplo é a febre reumática, doença que acomete principalmente crianças e pode começar pelo coração e não pelas articulações. Aliás, quanto menor a idade da criança, maior a probabilidade de comprometimento cardíaco.

Portanto, embora não seja fácil fazer o diagnóstico preciso desde o início, atualmente, podemos contar com exames laboratoriais e um conhecimento maior das doenças, o que torna possível caracterizar e tratar corretamente o tipo de reumatismo.

O reumatismo pode acometer articulações, músculos, ligamentos e tendões e um dos sintomas é a dor. Dores articulares, porém, podem ocorrer por diversas razões. Às vezes, a pessoa pisa de mau jeito ou exagera nos exercícios, e as articulações ficam doloridas. O que diferencia a dor reumática da dor ocasional provocada por traumatismos ou pela prática inadequada de exercícios?

Na verdade, nos dois casos, a dor não é muito diferente.

Por isso, é importante levantar a história clínica do paciente para determinar se a origem da dor é mecânica ou inflamatória. Se a pessoa torceu o tornozelo, que inchou e continua inflamado, obviamente a causa é mecânica e a dor é provocada por inflamação, porque líquido se formou dentro das articulações.

Em outras palavras: a membrana sinovial que forra o interior da articulação começa a produzir um líquido que determina o processo inflamatório.

Nos casos de Reumatismo a dor é causada por inflamação sem história de entorse, traumatismos ou esforço repetitivo. Reumatismo é uma doença que acomete crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos, e existem tipos preferenciais de acordo com a idade. A febre reumática, por exemplo, acomete principalmente crianças. O lúpus eritematoso sistêmico, uma doença auto-imune, em geral se manifesta no sexo feminino, durante a puberdade, quando ocorrem alterações hormonais em virtude da transformação do sistema endócrino. Já nas pessoas de mais idade, os tipos predominantes são, sem dúvida, a artrose e a artrite reumatóide.

Qual a diferença entre artrose e artrite reumatóide?

Em geral, a artrose aparece depois dos 50 anos e evolui progressivamente a ponto de, aos 80 anos, todas as pessoas (100%) terem uma alteração da cartilagem que, no decorrer dos anos, vai deformando as articulações. Por que algumas pessoas sentem dor e outras não, não é bem conhecido. Há quem descubra que tem bico-de-papagaio na coluna, quando tira uma radiografia por outro motivo qualquer. Do mesmo modo, pequenas deformidades nas mãos (nódulos de Heberden) próprias da artrose podem provocar muita dor ou dor nenhuma dependendo do paciente.

Já a artrite reumatóide é uma doença auto-imune que se caracteriza por inflamação que pode provocar também pequenas deformidades nas mãos. Como o sistema imunológico está envolvido no aparecimento da doença, de acordo com as características genéticas do indivíduo, sua intensidade varia para mais ou para menos.

Fonte: portalamazonia.locaweb.com.br

Reumatismo

1) O que é reumatismo?

O reumatismo não é uma doença, mas sim um termo genérico que se refere às doenças que acometem as articulações ("juntas"), i.e., às doenças reumáticas.

2) Quantos tipos de doenças reumáticas existem?

Existem cerca 120 formas de doenças reumáticas ("reumatismos"). As doenças reumáticas podem ser agrupadas em doenças degenerativas, inflamatórias, auto-imunes, infecciosas, metabólicas e pós-traumáticas. É importante que o paciente saiba o nome de sua doença (tendinite, artrite reumatóide, lúpus, osteoartrose, etc).

3) O que é doença reumática degenerativa?

Doença reumática causada pela degeneração (desgaste) das estruturas da articulação. Por exemplo, a osteoartrite (artrose) é decorrente da degeneração da cartilagem articular, que é um dos componentes da articulação.

4) O que é doença reumática infecciosa?

Doença reumática causada pela invasão de microorganismos (bactérias) no interior da articulação. É considerada uma emergência na prática médica do reumatologista. São exemplos de artrite infecciosa, a artrite bacteriana e artrite por tuberculose..

5) O que é doença reumática metabólica?

Doença reumática causada por um distúrbio metabólico. O principal exemplo é a gota, doença em que há formação de depósitos de ácido úrico nas articulações e tendões, em razão de uma alteração do metabolismo dessa substância.

6) O que é doença reumática pós-traumática?

Doença reumática que se caracteriza por uma inflamação das estruturas periarticulares (vizinhas da articulação) como é o caso dos tendões, ligamentos e cápsula.

Essa inflamação é causada, em geral, por um esforço muscular excessivo ou movimentos de repetição no trabalho. Um exemplo característico é a tendinite, que pode ocorrer em decorrência da prática esportiva ou do trabalho de digitação de computador.

7) O que é doença auto-imune?

O sistema imune foi criado pela natureza para nos proteger de infecções sendo formado por uma rede de órgão, tecidos e células especializadas em nossa defesa.

Estas células chamadas linfócitos produzem uma proteína chamada anticorpo, um verdadeiro "míssil" que persegue e atinge o agente invasor ligando-se a ele e defendendo a integridade do nosso organismo. Normalmente os anticorpos são produzidos para dar proteção ao nosso corpo, porém nem sempre isto acontece.

Algumas vezes ocorre um desequilíbrio, uma perda da regulação dos linfócitos, e o sistema imune ataca o próprio organismo promovendo uma inflamação que pode danificar vários órgãos. As doenças nas quais o sistema imune promove lesões no próprio organismo chamam-se doenças auto-imunes como a artrite reumatóide, o lúpus, a esclerodermia, etc.

8) Somente os idosos têm "reumatismo"?

Não. As doenças reumáticas podem surgir em qualquer idade.

9) Somente as doenças reumáticas dão "dores nas juntas"?

Não. Várias doenças podem causar dores articulares, por exemplo, a gripe, a dengue, o hipotiroidismo...

10) É fácil diagnosticar as doenças reumáticas?

Depende da doença, muitas podem demorar anos até se conseguir um diagnóstico específico. O importante é saber que mesmo essas condições podem ser tratadas.

11) Criança tem reumatismo?

Sim, criança pode ter reumatismo. Reumatismo é um termo genérico que se dá às doenças que provocam inflamação.

12) Quais os reumatismos que as crianças podem apresentar?

Em nosso meio, o reumatismo mais comum é a febre reumática, mas outros como as artrites crônicas, mis raramente o lupus, a dermatomiosite e a esclerodermia podem ocorrer.

13) Quando devo levar meu filho ao médico para saber se ele tem reumatismo?

Sempre que uma criança se queixa com freqüência de dores em membros ou tem algum sintoma que a impeça de brincar como as outras crianças ou seja notado que a criança está mancando, ela deve ser levada ao médico. O pediatra saberá se ela merece a avaliação de um especialista como o reumatologista pediátrico.

14) O que é febre reumática?

É o nome dado ao reumatismo que ocorre como complicação de uma infecção de garganta. Pode causar dores nas juntas, problemas cardíacos e no sistema nervoso.

15) O que se pode fazer para evitar a febre reumática? Qualquer criança pode ter?

A Febre reumática é mais comum na idade compreendida entre 5 e 15 anos e pode ocorrer em qualquer criança que seja sensível a essa bactéria. O tratamento precoce e adequado das amigdalites (infecções de garganta) pode impedir o aparecimento da febre reumática. Por isso é tão importante levar a criança ao médico quando ela apresenta dor de garganta, pois só ele saberá se deve ou não ser dado antibiótico. O não tratamento pode precipitar a doença.

16) A febre reumática é hereditária?

Não, ela não é hereditária, mas as pessoas da família de uma criança com febre reumática têm uma chance maior de apresentarem algum reumatismo. É comum que existam outras pessoas com febre reumática na família de uma criança com a doença.

17) O que são espondiloartropatias seronegativas?

São doenças de causas desconhecidas que afetam a coluna, embora outras articulações (juntas) e outros órgãos possam estar envolvidos. Caracterizam-se pela ausência do Fator Reumatóide, por isso são chamadas seronegativas.

Além disso, possuem outros pontos em comum: dor lombar inflamatória (a dor piora com o repouso, melhorando com o movimento), artrite em grandes juntas (tornozelos, joelhos...), dor no tendão de Aquiles, inflamação nos olhos (uveíte), na pele ou mucosas. As principais doenças desse grupo são a Espondilite Anquilosante, a Artrite Psoriásica, a Artrite Reativa (síndrome de Reiter) e as doenças inflamatórias intestinais.

18) O que é síndrome de Reiter?

Atualmente, o termo síndrome de Reiter vem sendo substituído por Artrite Reativa. Caracteriza-se por artrite (inchaço, dor e vermelhidão da junta) em algumas juntas (2 ou3), incluindo a sacro-ilíaca (dor piora ao deitar-se, melhorando durante o movimento), associada a conjuntivite e infecção da urina ou diarréia infecciosa. Pode apresentar lesões na pele/mucosas (glande, vulva e planta dos pés). O tratamento deve ser realizado por um REUMATOLOGISTA e inclui antiinflamatórios e outras drogas, bem como fisioterapia.

19) O que é eritromeralgia?

A ERITROMERALGIA caracteriza-se por dor e/ou formigamento, acompanhadas de vermelhidão nas extremidades (mãos/pés). Podem ocorrer ulcerações e aumento do suor no local. Pode ser de origem genética, sendo, quase sempre simétrica, em geral, em pessoas mais jovens ou associar-se a outras doenças (artrite reumatóide, gota, diabetes...). Aspirina e antagonistas da serotonina podem ser usados nos tratamento.

20) O que é "esporão" do calcâneo?

O termo "esporão" do calcâneo é utilizado de forma popular para descrever a FASCIITE PLANTAR CALCIFICADA (termo correto). É uma inflamação da "sola" (planta) do pé, em geral no calcanhar, mas pode ocorrer em toda a superfície plantar. Quando esse processo torna-se crônico, pode ter depósito de cálcio (calcificação). Assim sendo, não é a calcificação que leva à dor, mas sim, o oposto, a dor crônica (sintoma de inflamação crônica) leva à calcificação. A radiografia simples do calcâneo é o exame usado para sua detecção. O tratamento inclui a mudança do fator causal (excesso de peso, deformidades no pé), bem como o uso de palmilhas anti-impacto ("calcanheira"), antiinflamatórios, infiltrações locais e fisioterapia (gelo local, US)

21) É normal as juntas estalarem?

Os sons produzidos nas juntas podem ser por deslizamento do tendão/ligamento sobre a articulação (estalo), onde não há significado clínico (normal) ou por desgaste da cartilagem (crepitação), como é visto na "artrose" . É importante lembrar que esta não ocorre somente em idosos, podendo ocorrer em individuos mais jovens, principalmente se houver algum traumatismo ou frouxidão ligamentar prévios. É preciso ressaltar que ficar em locais frios (cinema) ou parado na mesma posição por algum tempo pode produzir esses sons, sem estar relacionado com algum distúrbio ligamentar. Entretanto, se isto estiver causando algum transtorno, deve-se procurar um REUMATOLOGISTA para uma melhor avaliação, pois podem ser indicados alguns exercícios para fortalecimento muscular, a fim de obter-se uma maior estabilidade da junta.

22) Quais as principais causas de dores nos joelhos?

As principais causas de dores nos joelhos são: "artrose", distúrbio ligamentar, tendinite, bursite e lesão do menisco. As últimas, em geral, são provocadas por traumas ("rotação do joelho com o pé parado"), caracterizando-se por dor e inchaço que aparecem algumas horas após o trauma. As tendinites/bursites são provocadas por trauma ou por esforço físico e apresentam dor localizada, principalmente após um esforço. A frouxidão ligamentar pode ocorrer desde a infancia e caracteriza-se por dor aos exercícios, podendo ter inchaço ou não. A osteoartrite (artrose) pode ser devido à obesidade, trauma ou outras causas.

Caracteriza-se por inchaço, calor e dor, sendo tratada com antiinflamatórios, fisioterapia e outras medicações.

23) O que é síndrome de Tietze?

Caracteriza-se por dor e inchaço (tumefação) no toráx anterior (próximo ao esterno). As causas da síndrome ainda são desconhecidas. Em aproximadamente 80% dos casos a lesão é única, tendo remissão(cura) espontânea (meses ou anos). Pode ser aguda, intermitente ou crônica. Apesar de não serem muito úteis para o diagnóstico, as radiografias de tórax devem ser solicitadas para descartar outras hipóteses diagnósticas. Em geral, os exames laboratoriais (sangue, urina...) são normais. Os pacientes com sintomas persistentes devem ser acompanhados por reumatologistas para uso de antiinflamatórios e/ou infiltrações locais, bem como aplicação de calor ou gelo locais.

24) O que é artrite?

É a inflamação na articulação (junta), sendo caracterizada por dores acompanhadas de calor (aumento da temperatura), rubor (vermelhidão), edema ("inchaço"), rigidez matinal (junta "dura" pela manhã) e impotência funcional (dificuldade de movimentar). Pode ser chamada de monoartrite, quando ocorre em somente uma articulação, e poliartrite, quando em várias articulações.

25) O que significa mialgia?

Significa dor muscular, a qual pode ser generalizada ou localizada.

26) O paciente com doença reumática é um caso perdido?

Não. Os pacientes que têm algum tipo de doença reumática não devem aceitar esse tipo de afirmação, pois a medicina avançou muito sob o ponto de vista dos métodos diagnósticos e terapêuticos. O importante é o paciente procurar o Reumatologista a fim de determinar o diagnóstico correto de sua doença, bem como receber informações sobre a mesma e tratamento eficaz para o seu problema.

27) Qual é o principal exame para o diagnóstico das doenças reumáticas?

Sem dúvida nenhuma, é o exame clínico do paciente (anamnese e exame físico). O exame clínico proporciona o diagnóstico correto das doenças reumáticas em cerca de 80% das ocasiões, deixando os exames complementares (laboratoriais, radiológicos,etc) para a confirmação.

28) O que é antiinflamatório não-hormonal (AINH)?

Determinado grupo de medicamentos que têm a finalidade de combater a inflamação. A sua aplicação na Reumatologia é de fundamental importância, pois alivia a principal queixa do paciente portador de doença reumática que é a artrite. A sua prescrição deve ser orientada pelo reumatologista, pois estas medicações apresentam diversos efeitos colaterais (indesejáveis) tais como, gastrite, úlcera de estômago, hipertensão arterial, hemorragia gástrica, insuficiência no funcionamento dos rins, alergia na pele, etc.

29) O que é cortisona?

Também denominados de corticóide ou corticosteróide é um determinado grupo de medicamentos que tem a ação principal em combater a inflamação de forma mais eficaz que os antiinflamatórios em geral. No entanto, a sua prescrição deve ser feita e supervisionada pelo Reumatologista, pois estas medicações apresentam diversos efeitos colaterais (indesejáveis) tais como, gastrite, úlcera de estômago, hemorragia de estômago, hipertensão arterial, inchação (edema) e obesidade, estrias, diabetes mellitus, catarata, glaucoma, osteoporose, distúrbios psiquiátricos, etc.

30) Os medicamentos utilizados para o tratamento das doenças reumáticas podem ser utilizados durante a gravidez?

A paciente grávida portadora de algum tipo de doença reumática que necessite iniciar ou manter alguma medicação anti-reumática, necessita obrigatoriamente uma avaliação do seu reumatologista com a finalidade de determinar a melhor opção de tratamento sem colocar em risco o desenvolvimento de embrião/feto.

31) Durante a lactação (amamentação), a utilização de medicações anti-reumáticas devem ser suspensas?

A decisão de interromper a medicação anti-reumática depende do tipo da medicação utilizada e a sua dosagem, sendo que a avaliação do reumatologista é de fundamental importância.

32) A dieta alimentar é importante no tratamento das doenças reumáticas?

É aconselhável a todo paciente portador de doença reumática uma dieta racional e balanceada que ofereça energia para a realização das suas atividades diárias (andar, trabalhar, fazer fisioterapia, se vestir, lazer, etc). Deve também ser evitado o ganho de peso com a finalidade de não sobrecarregar as articulações.

Fonte: www.reumatorj.com.br

Reumatismo

O termo reumatismo toma frequentemente um cariz generalizado a todo o tipo de dores ósseas ou articulares, o que é manifestamente incorreto. É habitual ouvirmos dizer, "Tenho reumático...", expressão que, querendo dizer tudo, como veremos, quer dizer muito pouco. Na verdade as doenças reumáticas são um conjunto numeroso e diversificado de entidades, expressando-se de forma extremamente diferente quanto à incapacidade, intensidade da dor ou mesmo quanto ao risco de vida. É pois errado designa-las genericamente por "reumatismo".

Grosseiramente podemos dividir as "doenças reumáticas" nos seguintes grupos:

Artrites

Doenças que originam uma inflamação das articulações. De causa diversa (auto-imunes, infecciosas, microcristalinas), são as que põem maiores questões quanto à urgência do tratamento e à possibilidade de atingimento de outros órgãos do corpo além das articulações.

Artroses

Frequentemente de evolução crónica, devem-se a um desgaste contínuo das superfícies articulares, apresentando poucos sinais de inflamação. O seu aparecimento é quase inevitável como um processo natural do envelhecimento do organismo.

As doenças da coluna vertebral

Pela sua frequência merecem um chamamento particular. São de todos conhecidas as dores na coluna cervical (cervicalgias) ou na coluna lombar (lombalgias).

Por detrás destas queixas poderão estar processos de desgaste articular (artrose) ou de artrite (inflamação) das articulações da coluna, neste último caso o diagnóstico é necessariamente urgente para exclusão de doenças graves (ex.: tuberculose da coluna ou outras infecções).

As doenças dos tendões

Causadas muitas vezes por esforços de sobrecarga (ex.: desporto, atividades profissionais ), mas podem também ocorrer em doenças inflamatórias (ex.: espondilite anquilosante).

As doenças do osso

As infecções, os tumores (benignos e malignos) ou a descalcificação (osteoporose) podem ser causa de dor "reumática". No caso de osteoporose primária a dor só existe quando ocorre uma fratura óssea.

Como referimos esta é apenas uma classificação superficial, não descriminando as centenas de "doenças reumáticas" hoje bem individualizadas.

As doenças reumáticas são frequentes na nossa sociedade como demonstram os números que se seguem referentes ao nosso país:

8 a 10 por cento da população portuguesa sofre de alguma doença reumática

As doenças reumáticas são responsáveis por 20 por cento do total de baixas e por 50 por cento dos pedidos de reforma antecipada

Apesar de, na imensa maioria dos casos, as doenças reumáticas serem doenças crónicas e medicamente incuráveis, é possível minorar os efeitos e a intensidade dos problemas que provocam

Para tal são importantes algumas medidas básicas com o objetivo de proteger o nosso aparelho locomotor, eis alguns conselhos:

Emagreça se tem peso a mais

Durma em cama dura (não necessariamente uma pedra ou uma tábua), de preferência de costas e sem almofada ou com um pequeno rolo por de baixo do pescoço

Evite saltos altos e prefira sapatos de boa qualidade com sola de couro e com contrafortes resistentes

Distribua os pesos que transporta de forma equilibrada por ambas as mãos

Adapte os utensílios de trabalho ou de lazer às suas características individuais (ex.: tábuas de passar a ferro com altura regulável)

Não permaneça muito tempo na mesma posição

Sempre que possível, faça pequenos períodos de repouso, sensivelmente trinta minutos, pelo menos a meio da manhã e da tarde, deitado de costas

Respire "pelo" peito e não pela barriga

Em conclusão podemos dizer que o termo "Reumatismo" é incorreto pois as "doenças reumáticas", são variadas na sua expressão e nas suas características. As doenças reumáticas são frequentes mas algumas medidas simples podem minorar os seus efeitos nocivos.

Fonte: www.iujc.pt

Reumatismo

O reumatismo se refere a um grande número de doenças que tem em comum o comprometimento dos ossos, cartilagem, articulações e músculos, caracterizado por dor e restrição dos movimentos.

Atualmente, existem pelo menos 150 tipos diferentes de reumatismo, que podem ser divididos em quatro grandes grupos de acordo com a causa da doença:

Origem degenerativa: grupo representado pela artrose, que consiste na diminuição das cartilagens e deformações ósseas e pela osteoporose, que é a perda progressiva de densidade óssea e está ligada ao envelhecimento.

Origem inflamatória: mostrado na artrite reumatóide, uma doença crônica com surtos de febre que se caracteriza por inflamações articulares, acompanhado de dores e deformações.

Originado por distúrbios metabólicos

O que ocorre na gota, caracterizada pela elevação de ácido úrico no sangue e surtos de artrite aguda sencundários, e na condrocalcinose, um depósito de cristais na cartilagem articular.

Origem imunológica

Como o Lupus Eritematoso Sistêmico, uma doença de causa desconhecida que provoca lesões nos tecidos e células sanguíneas.

O tratamento consiste em dieta balanceada, exercícios físicos regularmente e medicamentos a base de antiinflamatórios e analgésicos.

Um deles é o diclofenaco, presente na formulação de Probenxil, que ajuda no alívio da dor e da inflamação do reumatismo, trazendo conforto e resultando numa boa qualidade de vida ao paciente.

Patrícia Matias Soares é farmacêutica do Grupo Cimed com atuação no CE

Fonte: www.grupocimed.com.br

Reumatismo

O reumatismo é uma doença que antigamente se supunha, produziria acúmulo de líquidos nas articulações. O termo é designação geral usada para caracterizar um grupo de doenças cujas manifestações principais são a inflamação ou a degenerescência do tecido conjuntivo das articulações, dos músculos e de outros órgãos.

Existem numerosas doenças pertencentes ao grupo do Reumatismo como a febre reumática, a artrite reumatóide, a artrite comum, a artrose, a gota, e outras.

Ainda não se tem uma classificação bem definida sobre a questão do Reumatismo sendo que os médicos atuais preferem observar isoladamente cada um dos diversos tipos de moléstias reumáticas.

As doenças reumáticas podem afetar somente as articulações - o que é mais comum, ou simultaneamente o tecido conjuntivo de outros órgãos, o tecido nervoso, seja de forma aguda ou crônica, em ciclos ou episódios isolados.

Sintomas

Em geral há muita dor local ou generalizada, com inflamação e incapacitação física, temporária ou progressiva.

Tratamento

O tratamento convencional da medicina moderna é apenas sintomático, sendo incapaz de atingir o processo mórbido causados da doença. Não se sabe oficialmente a causa do reumatismo de modo geral. Sabe-se que é uma doença degenerativa que ocorre numa situação de predisposição herdada, provocada por fatores ambientais desencadeantes, principalmente por alimentos acidificantes, tóxicos e mucogênicos.

Alguns tipos de reumatismo são desencadeados pelo constante contato com a friagem, sendo característicos nas profissões como as de lavadeiras, dos carregadores de gelo e produtos congelados e outras mais em contato constante com a água, câmaras frias, ambiente úmido, etc.

Fonte: www.maxway.com.br

Reumatismo

Os sintomas e os métodos de tratamento que importam

O reumatismo não é uma doença, mas sim um conjunto de mais de 200 patologias (doenças reumáticas) que provocam dor ou incapacidade funcional nas articulações, músculos, tendões ou ossos.

O que é?

O termo reumatismo é utilizado para descrever a dor e a rigidez das articulações e de outras estruturas musculares e ósseas. Pode ser articular, quando afeta a cartilagem ou a membrana sinovial, ou não articular, se afetar os tendões, grupos musculares ou ossos.

O que o causa

Não existe uma causa única para as doenças reumáticas. Por exemplo, a artrose resulta do desgaste articular; a artrite infecciosa é provocada por bactérias ou fungos; a artrite reumatóide e o lúpus eritematoso têm causas imunogenéticas; a gota tem causa metabólica (excesso de ácido úrico); as tendinites e bursites são provocadas por traumatismo ou movimentos de repetição...

Os sintomas

Variam de caso para caso.

Os mais relevantes são: dor, inflamação, rigidez, limitação do funcionamento das extremidades e deformação dos pés ou das mãos.

O tratamento

O reumatismo não articular costuma responder bem ao repouso. O que afeta as articulações requer fisioterapia, analgésicos, cortisona e anti-inflamatórios.

O alívio para as dores reumáticas

Solução cirúrgica

O reumatismo articular, se for acompanhado de deformidades ou rigidez permanente, pode ser corrigido cirurgicamente para substituir as articulações naturais por próteses de metal e de plástico.

Recomendações

Para prevenir e combater o reumatismo aconselha-se uma dieta pobre em gorduras saturadas e rica em verduras, fruta, lacticínios magros e frutos secos.

Deve evitar-se o excesso de peso para limitar a sobrecarga das articulações.

Recomenda-se também uma atividade física suave: Tai-chi, Yoga, natação, andar de bicicleta ou caminhar.

A responsabilidade editorial e científica desta informação é da revista

Fonte: saude.sapo.pt

Reumatismo

Reumatismo é um nome impreciso que serve para designar várias afecções que se fazem acompanhar de inflamações dolorosas que afetam os músculos ou as articulações.

CAUSAS

"Esta doença revela a existência de impurezas no sangue e provém de regimes alimentares na base de produtos animais, com excesso de proteínas. Carnes, peixes, mariscos, ovos, leite, queijo, bebidas fermentadas, etc, são substâncias que deixam no corpo adulto, abundantes matérias estranhas, especialmente ácido úrico, que se deposita nos músculos e, mais comumente, nas articulações, produzindo mal-estar, dores locais e febre precedida de calafrios."

"Está praticamente comprovado, em numerosos casos, que os reumatismos originados por substâncias pertubadoras desconhecidas cedem e se curam com a adoção de um regime alimentar apropriado, que dispensa certos alimentos, o que mostra claramente que ditas substâncias desconhecidas consistem nos resíduos dos alimentos suprimidos no regime curativo." Para certos autores, "as lesões reumaticas não passam de uma reação dos tecidos, resultante de uma sensibilização do tipo alérgico às proteínas vindas de focos infecciosos."

REUMATISMO EM GERAL

Se bem que seja bem certo que o ácido úrico e determinados micróbios originam esta afecção, não é menos certo que existem inúmeras afecções reumáticas cuja causa e origem ainda permanecem indeterminadas

REUMATISMO MUSCULAR AGUDO (lumbago, torcicolo, etc.)...

É causado, geralmente por um micróbio não muito bem conhecido...Quando a infecção é leve e afeta somente alguns grupos de músculos, por exemplo, dos lombos, das costas, do pescoço e do peito, em forma aguda e por pouco tempo, trata-se de ataques vulgarmente atribuídos à inflamação dos músculos pelo frio, pela umidade, etc. Esses fatores, porém, e, bem assim, a fadiga, os esforços excessivos, são unicamente causas que favorecem a infecção em virtude da diminuição das defesas."

"A maioria dos médicos modernos crê que o lumbago se origina de alguma infecção...Os rins e a pele devem estar ativos. Qualquer falta de eliminação correta desses órgãos pode dar origem ao lumbago. Pode originar-se igualmente de infecções dos rins e da bexiga, em ambos os sexos, de inflamação da próstata (no homem), ou de inflamação vaginal e uterina (na mulher). A exposição à umidade ou ao frio pode produzi-lo. Uma ferida causada por uma queda ou golpe, a distensão dos músculos das costas produzida por um esforço excessivo, o exercício brusco, o abaixamento rápido de temperatura enquanto se transpira, ou uma corrente prolongada de ar frio sobre as costas, podem causar esse incômodo."

A essas causas deve acrescentar-se a prisão de ventre.

REUMATISMO MUSCULAR CRÔNICO

Pode ser consequência de um reumatismo muscular agudo mal curado ou de uma série de ataques repetidos deste. Também pode ser crônico desde o início. Nem sempre é produzido por micróbios, pode também ser provocado por sobrecarga de substâncias prejudiciais no organismo.

REUMATISMO ARTICULAR AGUDO

Esta enfermidade é, sem dúvida, devida a um estreptococo ou a um ultravírus.

REUMATISMO ARTICULAR CRÔNICO

Pode ser devido a um reumatismo articular agudo mal curado ou à repetição de ataques de reumatismo articular agudo, separados por intervalos mais ou menos longos. A enfermidade pode também ser crônica desde o princípio. Em certos casos, a causa do reumatismo articular crônico está nos transtornos das glândulas de secreção interna, como acontece com o reumatismo da menopausa (ou idade crítica da mulher). Outras vezes a inflamação é devida a uma especial sensibilidade da articulação a certas substâncias.

Também são causa desta enfermidade os focos infecciosos, esforços físicos excessivos, envenenamento (chumbo,etc.), arteriosclerose, deficiências renais, afecções do fígado, diabetes, artritismo, excesso de ácido úrico, fatores nervosos.

PSEUDO-REUMATISMOS INFECCIOSOS

Podem ser observados no decurso da blenorragia, da tuberculose, da escarlatina, da pneumonia, da erisipela, da febre puerperal, da desinteria, focos infecciosos nas raízes dos dentes, nas amígdalas, na uretra, no colo do útero, sinusites. Em todos estes casos as articulações mostram-se dolorosas e inflamadas." Drs. Kehl e Monteiro

SINTOMAS: REUMATISMO MUSCULAR AGUDO

É designado por vários nomes, conforme a região em que se localiza: Lumbago (nos lombos), Torcicolo (no pescoço), Pleurodinia (nas paredes do peito).

O sintoma mais importante é a dor muscular que vai aumentando até tornar-se, às vezes, dilacerante. Por regra, agrava-se com os movimentos. Não há tumefação, ou calor, ou mudança de coloração na pele da região afetada. Pode haver febre.

REUMATISMO MUSCULAR CRÔNICO

Os sintomas variam muito: vão desde uma simples sensação de rigidez ao levantar-se até à paralisia dos vários grupos musculares, por efeito da inflamação crônica. Na forma crônica as dores não são tão fortes como na fase aguda.

REUMATISMO ARTICULAR AGUDO

Calafrios, febre, cefalalgia, inflamação, calor, vermelhidão e dor nas juntas atacadas. A dor se agrava com os movimentos e com a extensão do membro afetado.

As articulações são afetadas umas após outras. A inflamação dura dois ou três dias em cada articulação. Poucas por vez, podem inflamar-se todas as juntas do corpo. Muitas vezes o ataque de reumatismo articular agudo é precedido de angina. Em todos os casos há anemia. Pode haver complicações cardíacas, principalmente nas crianças, frequentemente vítimas de endocardite, ou de ambas ao mesmo tempo.

"A inflamação reumatismal", diz o Dr. François Goust, "atinge não somente as articulações, mas também as serosas (pleurisia serosa, reumatismo cerebral), as vísceras (congestão pulmonar, nefrite, tireoidite), e, sobretudo, o coração."

O reumatismo articular agudo também é chamado reumatismo cardioarticular, ou artrite reumática aguda, ou febre reumática.

REUMATISMO ARTICULAR CRÔNICO

Há calor e vermelhidão pouco intensos. A dor é praticamente o único indício local.

Os sintomas gerais são: inapetência, emagrecimento, insônia A doença desaparece e reaparece intermitentemente.

Fonte: marcospasqua.com.br

Reumatismo

Diversas Formas da Enfermidade

Sob o nome de reumatismo incluímos hoje um grande número de quadros clínicos relacionados entre si, pois todos eles oferecem de maneira mais ou menos assinalada os sintomas principais do reumatismo, dores e inchaços.

0 reumatismo pode apresentar-se em estado agudo ou crônico; neste último, as dores deslocam-se pelas articulações, aparecem rápidas e caprichosamente nalguns pontos isolados do organismo provocando «picadas». Mas não são apenas as dores, mas também as tumefações, que se podem apresentar sob todas as formas e todos os graus de intensidade e persitir tenazmente ou desaparecer tão rapidamente como chegaram, para voltarem a aparecer noutro ponto.

As manifestações fixam-se de preferência na musculatura, nas articulações ou nos nervos. Em poucos casos apresenta-se reumatismo do peritônio, pleura, pericárdio, conjuntiva, meninge ou até mesmo do cérebro.

Conforme o tecido em que se apresenta a dor, assim se chama o reumatismo: muscular, articular, nervoso ou do orgão interno correspondente.

Provavelmente a gota seja uma forma especial do reumatismo. Muitas vezes o reumatismo nervoso é chamado nevralgia. Se atacar os nervos terminais da zona dos quadris, falamos de ciática. Se as dores se produzirem nos grupos de músculos vizinhos do sacro, o mal chama-se lumbago. O reumatismo pode afetar os mais variados tecidos,' constituindo portanto uma doença geral. A medicina naturista tem mantido sempre o conceito deste caráter geral do reumatismo.

Origem e Causas das Afecções Reumáticas

Até hoje ainda não se esclareceu cientificamente como se produz o transtorno dos órgãos centrais nervosos, conhecido como causa inicial do reumatismo em todas as suas formas. Diz o Prof. Dr. Gudzent que o reumatismo em todas as suas formas agudas e crônicas tem de ser considerado como doença alérgica, isto é, como reação de hipersensibilidade do organismo diante de qualquer substância.

O tóxico produzido pela reação orgânica de hipersensibilidade deve procurar-se na albumina e quase exclusivamente na albumina dos ovos da alimentação.

Outros investigadores demonstraram entretanto que, além da prejudicial albumina da alimentação, atuam como toxinas os produtos protéicos de excreção das bactérias e de outros organismos vivos, podendo ser origem de mudanças e alterações funcionais no sistema nervoso central, pelo que se deve insistir na destruição dos germes infecciosos de todo e qualquer tipo. Os focos sépticos têm de ser procurados nos dentes, amígdalas, ouvidos, seios nasais, apêndice, intestino, vesícula, ovários e na próstata. Por isso, uma infecção tuberculosa sofrida na meninice ou na juventude e depois curada também pode dar ocasião a uma mudança no sistema nervoso central e, portanto, à formação ulterior de um reumatismo.

As primeiras conseqüências das alterações no sistema de regulação central são perturbações na irrigação sangüínea, em órgãos e tecidos. Se esta anormalidade na irrigação tem lugar num músculo, tudo se reduz a inflamações, dores e à conseqüente limitação de movimentos. Mas, se o transtorno se produz, por exemplo, nos músculos cardíacos, produz-se então o estado de reumatismo cardíaco com todas as suas conseqüências para os vasos e a circulação. Se a perturbação da irrigação sangüínea pelo reumatismo se localiza nas glândulas de secreção interna, por exemplo nas supra-renais, então a enfermidade vai afetar a formação e secreção de hormônios com caráter grave. Precisamente, o desequilíbrio com respeito aos hormônios supra-renais, dos quais hoje o mais conhecido é a cortisona, provoca a enfermidade reumática. Da mesma maneira, podem enfermar de reumatismo as glândulas sexuais. Também o fígado pode ficar afetado pelo desvio da irrigação sangüínea, apresentando-se então o quadro clínico de hepatite reumática que pode levar à caquexia, se não for diagnosticada a tempo.

Desde há muito que se conhecem transtornos reumáticos graves na irrigação sangüínea dos rins, e alterações reumáticas das proteínas sangüínea.

Também se verificaram consideráveis alterações no conteúdo de fermentos dos tecidos e nas funções medulares.

Tratamento Curativo do Reumatismo

Quem tiver presente estes fatos talvez diga que é inútil dedicar-se alguém à descoberta de um só produto que possa qualificar-se de remédio para o reumatismo.

Essa busca carece da menor possibilidade de êxito, embora no processo enormemente complexo do reumatismo este ou aquele medicamento possa provocar uma aplacação ou uma melhora e, portanto, não se deva repelir de modo absoluto.

Depois de um período de jejum ou de depuração apropriada às características pessoais do doente, realizar-se-á um regime de sucos ou de alimentos crus.

Depois de terminar esta cura, é necessário continuar, por muito tempo, uma alimentação à base de um regime absolutamente vegetariano, interrompido por alguns dias de frutas e sucos. Também convém como continuação de regime, todos os processos estimulantes gerais e locais da irrigação sangüínea dos tecidos e da sua limpeza, isto é, tratamentos para a depuração do sangue, aplicação de calor, radiações, banhos, massagens, fricções e medicamentos.

A alimentação é, como causa e como remédio, de grande importância no reumatismo.

As infusões anti-reumáticas, de aceitação tão geral, têm hoje encontrado a sua justificação no quadro geral do tratamento. Estão em condições de estimular o metabolismo e o funcionamento das glândulas, reforçar os órgãos de secreção nas suas funções e aumentar a sua atividade antitóxica, especialmente na pele e no fígado.

Quem quiser preparar a infusão com plantas medicinais tomará 20 g de cada uma das seguintes ervas: flor de lúpulo silvestre, flor de tília, arruda, groselha e flor de sabugueiro; preparar com uma colher pequena desta mistura uma xícara de infusão, tomando duas xícaras por dia. Também se pode adquirir uma boa infusão anti-reumática já preparada na farmácia ou no ervanário. Naturalmente não se deve esperar desta infusão mais do que é lógico, dentro do anteriormente exposto sobre a problemática do reumatismo. Constitui, porém, com freqüência um fator útil no plano da cura do reumático e não deve ficar esquecida, assim como o regime e os numerosos remédios físicos, especialmente as fomentações úmidas e prolongadas.

Seria preferível resolver tudo mediante uns comprimidos ou uma injeção a submeter-se com enorme esforço de vontade a um plano de dieta durante várias semanas; no entanto, até hoje é este o único remédio curativo autêntico, se se chegar a tempo.

Remédios Sintomáticos do Reumatismo -- Primeiro, foi antes de tudo o mais o ácido salicílico e seus derivados químicos e depois o piramidon que, só ou com outros calmantes, se empregava para combater as manifestações reumáticas. Têm, porém' efeitos secundários prejudiciais. Despertou grande interesse o específico irgapirina, em que se combinava o piramidon, de rápida eliminação, com a substância de expulsão mais lenta, a butazolidina. Conseguia-se, assim, um efeito analgésico e antiinflamatório mais prolongado. Apareceu depois a cortisona, um hormônio supra-renal que primeiro se louvou como um verdadeiro portento. Sabe-se hoje que só é eficaz enquanto se consome e que, como efeito secundário mais grave, possui o de se opor à reação defensiva local do organismo contra as infecções. Deste modo defraudou-nos em muitos aspectos. Transformou-se em hidrocortisona. Presentemente, há outros derivados cortisônicos que são mais eficazes e com menos efeitos secundários. São armas muito valiosas sob a direção do médico.

É perfeitamente concebível que quando se conhecerem melhor os fatores causadores se possa encontrar uma combinação de matérias ativas, que mantenha pelo menos o reumatismo a distância, tanto mais que até agora conhecemos a favorável eficácia das vitaminas C e E e os simples hormônios supra-renais, podendo empregar com mais conhecimento que nunca banhos e massagens.

Contudo, não se vencerá o reumatismo se não nos decidirmos a criar condições prévias naturais para uma provável cura, e sobretudo para se evitar reumatismo; uma alimentação completa, prudente, pobre em sal e pobre em albumina (em média 1 g de albumina por quilo de peso do indivíduo); consumo de sucos e de vegetais crus, fruta, legumes, saladas, produtos cereais integrais, leite, mel, óleos extraídos a frio e dias ou curas de jejum.

Fonte: www.jesusvoltara.com.br

Reumatismo

Sob a denominação reumatismo estão mais de 100 doenças diferentes. Muitos pensam em reumatismo quando sentem dores ao longo dos músculos e tendões (os pacientes freqüentemente mostram tendões e os identificam como nervos). Outros, referem-se às doenças articulares. Todos estão certos, mas falta muito mais...

Nos modernos livros-texto de reumatologia não há a preocupação em conceituar-se reumatismo. Realmente, a diversidade de doenças reumáticas existentes impede uma definição que abranja adequadamente todas elas pois os mecanismos causadores das doenças e os órgãos atingidos variam bastante.

Para que o leitor fique familiarizado com o tema, propomos um breve passeio pela história da reumatologia.

Iniciemos com Hipócrates. Ele foi um médico grego que viveu no século VI a.C. e é considerado o pai da medicina. Hipócrates descreveu doenças com tal precisão que podemos presumir, hoje, quais sejam.

Ele pensava que a artrite era causada por fluídos que vinham da bile e do cérebro. Em grego, fluir, correr é rheuma e esta palavra foi utilizada, mais tarde, para reunir as doenças que cursam com artrite.

Hipócrates descreveu a podagra (podos é pé e agra é ataque); logo, estava vendo pacientes com ataque agudo de inflamação no pé. Provavelmente, tratava-se de gota. Esta doença ocorre, principalmente, em homens adultos que têm o ácido úrico no sangue acima do valor normal (as mulheres só terão ácido úrico alto após a menopausa; antes é raríssimo). Artrite gotosa pode ocorrer em outras articulações, mas a mais freqüente forma de início é na articulação do dedão do pé com o primeiro metatarsiano e a expressão podagra é utilizada para este evento.

Também descreveu a gonagra (gonos = joelho, em grego). Artrite aguda do joelho pode ser gota mas muitas diferentes infecções, doenças inflamatórias de causa desconhecida como artrite reumatóide, uma doença da pele, psoríase, outro cristal (de cálcio) podem iniciar deste modo e também devem ser lembradas.

Hipócrates citou a artrite na criança que cura. Deve ser febre reumática. Esta doença é secundária a uma infecção por um tipo especial de estreptococo na garganta. Cerca de 4% das crianças não tratadas com antibiótico terão, em duas semanas, artrite que migra pelas articulações e desaparece espontaneamente em semanas. O grave problema da febre reumática é o comprometimento simultâneo do coração, levando a lesões valvulares irreversíveis.

A artrite das puérperas suscita pensar-se em artrite purulenta pelo gonococo (havendo infecção genital, o parto cria condições para disseminação das bactérias pelo sangue) e, também, em lúpus.

Nesta última doença, a inflamação pode ocorrer em qualquer órgão mas são muito mais freqüentes dermatite e artrite. Início ou agudização após parto são comuns.

Outra descrição interessante é o reumatismo das histéricas. Tratam-se de mulheres queixando-se de dor generalizada e que têm importante componente psiquiátrico associado. Durante muito tempo usou-se o nome reumatismo psicogênico para esta doença e, atualmente, ela é conhecida como fibromialgia. Sono não-reparador, dor difusa pelo corpo e fadiga são as características principais da fibromialgia. Certamente não é uma doença psicogênica mas as pacientes com fibromialgia têm um componente psiquiátrico associado que se presume ser conseqüente ao mesmo defeito que gera os sintomas orgânicos.

O que aprendemos até aqui?

Doenças diferentes provocam artrite. Toda vez que houver artrite não-traumática há um reumatismo. As articulações são o local preferencial dos reumatismos mas estes podem comprometer outros órgãos. Também há reumatismos que não atingem as articulações.

Mas, antes de finalizar esta pequena introdução, ainda há informações que devem ser apresentadas as quais permitirão ao leitor entendimento maior do tema:

A doença articular mais freqüente é a artrose (ou osteoartrite). O tecido primariamente comprometido é a cartilagem articular.

A coluna vertebral é uma "pilha de articulações" que também são atingidas em alguns reumatismos. Dor na coluna pode ser reumatismo.

Artrite reumatóide, lupus, dermatopolimiosite (inflamação da pele e músculos), esclerodermia/esclerose sistêmica (inflamação e fibrose da pele e outros órgãos), vasculites (inflamação de artérias ou veias) têm mecanismo auto-imune (anticorpos dirigidos contra constituintes próprios do organismo provocando inflamação). Estas doenças são reumáticas na medida em que cursam com artrite ou têm mecanismos semelhantes na sua origem.

Várias doenças reumáticas podem iniciar na infância ou adolescência. Febre reumática não é a causa mais freqüente de artrite em criança.

A expressão "reumatismo no sangue" não deve ser utilizada. O sangue é utilizado para exames laboratoriais que identificarão as alterações inerentes a cada doença.

Ao concluir este capítulo o leitor acrescentou conhecimentos que permitem identificar ou suspeitar de manifestações reumáticas e, assim, dirigir-se ao ítem apropriado.

Fonte: www.cabuloso.com

Reumatismo

O frio causa reumatismo?

O termo “reumatismo” representa mais de 100 doenças que apresentam acometimento inflamatório sistêmico ou degenerativo/inflamatório das estruturas musculotendinosas e osteoarticulares. Logo, como cada uma apresenta suas peculiaridades, englobá-las sob a mesma denominação simplifica para o leigo, mas dificulta seu diagnóstico e tratamento.

Um dos grandes mitos da reumatologia é relacionar o surgimento da doença ao inverno, como se o frio fosse a sua causa. No entanto, o aumento das queixas álgicas é evidente. Os pacientes portadores de Artrite Reumatóide, Lupus Eritematoso Sistêmico, Osteoartrite (Artrose), Fibromialgia, Dor Miofascial, Esclerose Sistêmica, entre outras, facilmente identificam uma piora dos sintomas durante os meses de inverno

O fenômeno de Raynaud é o principal exemplo: apesar de não ser causado pelo frio, necessita dele ou do estresse emocial para ocorrer. É caracterizado pela mudança da coloração de extremidades, alternando palidez, cianose e rubor, principalmente nos dedos das mãos. Esse sinal clínico é causado pela vasoconstrição arterial desproporcional, isto é, há uma redução do fluxo sanguíneo. Além do tratamento com vasodilatadores, medidas básicas como fazer uso de luvas e manter o corpo aquecido são muito importantes.

A Artrite Reumatóide, doença autoimune que acomente principalmente mulheres entre a 4ª e 6ª década é caracterizada por dor e edema nas articulações.

Tipicamente os pacientes apresentam rigidez articular pela manhã, sendo este sintoma exacerbado durante o inverno. O diagnóstico precoce, o suporte multidisciplinar e o controle rigoroso da doença são de grande importância para a obtenção de uma terapêutica eficaz.

A piora clínica apresentada pelos pacientes portadores de Fibromialgia durante o inverno é multifatorial. Apesar de não haver inflamação sistêmica, ocorrem “nódulos dolorosos” na musculatura chamados de “tender-points”. Esses são causados por um ciclo vicioso de contração muscular-vasoespasmo-dor, sendo que o frio leva a uma exacerbação da contração muscular. Outro fator importante é a redução da atividade física nos meses de inverno, pois, o exercício aeróbico melhora a qualidade do sono e diminui a sensibilidade em relação à dor.

A Osteoporose, uma doença silenciosa até o surgimento de fraturas, também merece ser lembrada. O metabolismo do cálcio, de grande importância para manter a qualidade óssea, sofre influência direta da vitamina D, e esta necessita do sol para ser ativada. Assim, além de uma dieta rica em cálcio, faz-se necessário uma exposição solar diária adequada. Durante o inverno, quando a duração do dia é reduzida e a fração da superfície corporal exposta ao sol é menor, é ainda mais importante a prevenção da insuficiência/deficiência da vitamina D.

Para finalizar, as pessoas que apresentam ou não doença reumatológica e pretendem manter o sistema musculoesquelético “saudável”, dois princípios são fundamentais e interrelacionados: a importância de manter o peso ideal, evitando sobrecarga nas articulações e a realização de atividade física, reforçando a musculatura periarticular, para prevenir lesões.

Felipe Heinzmann

Fonte: www.revistasaudeinterativa.com.br

Reumatismo

O que é Reumatismo?

Na maioria das vezes os termos "reumatismo" ou "artrite" são utilizados como sinônimos das doenças reumatológicas, denotando que poucos conhecem seu significado. Na verdade constituem um grande grupo de diferentes doenças que podem atingir o sistema musculoesquelético (articulações, cartilagens, músculos, tendões, ligamentos, ossos) e comprometer o tecido conjuntivo (cujas funções são a sustentação, manutenção da forma, auxílio no transporte de substâncias e defesa do corpo), de forma aguda ou crônica, podendo ser degenerativas, cursando na maioria das vezes com inflamações (inchaço, calor, vermelhidão, dor e perda da função) destas estruturas.

Portanto, o termo "artrite" significa apenas que há uma inflamação numa articulação, ou seja, apenas um sinal clínico que pode estar presente em diferentes situações; da mesma forma, o termo "reumatismo" não especifica qual dos diversos tipos de doenças reumatológicas o paciente pode apresentar.

Pelo fato do tecido conjuntivo se distribuir em todos os órgãos do organismo, entende-se melhor porque as doenças reumatológicas podem se manifestar em um ou mais órgãos do corpo de maneiras diversas, causando inflamações (por exemplo, nefrites nos rins, artrites nas articulações, vasculites nos vasos sanguíneos, miosites nos músculos, cardite no coração, neurites nos nervos, dermatites na pele, etc) levando o paciente a relatar diferentes sintomas, e o médico a detectar diversos sinais, de acordo com os órgãos comprometidos.

Vale lembrar que o principal componente do tecido conjuntivo (também conhecido como tecido conectivo) é uma proteína conhecida por colágeno; por esta razão as doenças reumatológicas, que cursam com inflamação do tecido conjuntivo, também são conhecidas por doenças do colágeno ou colagenoses; estas, na maioria das vezes, estão relacionadas com alterações do sistema de defesa orgânico (sistema imunológico) sendo, por este motivo, algumas delas denominadas de doenças autoimunes, onde as células de defesa passam a reagir contra outras células, tecidos e outros órgãos do próprio corpo, como ocorre no lúpus eritematoso sistêmico, artrite reumatóide, esclerose sistêmica, dermatomiosite, polimiosite e demais doenças. Algumas vezes esta reação imunológica se dá contra agentes (todo ou partes deles) externos ao organismo, como vírus, bactérias, parasitos e outras substâncias.

Deve-se mencionar que determinadas doenças, primariamente classificadas como não reumatológicas, podem apresentar sinais e sintomas daquelas tipicamente reumatológicas, no seu início, antes mesmo de terem seus diagnósticos confirmados, ou durante seu curso evolutivo, como por exemplo:

Hipotireoidismo

Hipertireoidismo

Diabetes

Alguns tipos de tumores

Doenças infecciosas

etc

Outro conceito errôneo é o popularmente dito que "reumatismo é doença de idoso". Como foi mencionado, a partir do conhecimento de que há possibilidades de comprometimento de diversos órgãos e/ou sistemas do organismo, as doenças reumatológicas podem, de forma indistinta, acometer todas as raças, sexos e idades, desde idosos e adultos até adolescentes e crianças, inclusive os recém nascidos.

Paulo Roberto Stocco Romanelli

Fonte: www.hospitalsiriolibanes.org.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal