Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Diafragma  Voltar

Diafragma

 

O que é?

É uma cúpula de borracha com bordas firmes, porém flexíveis, que impede a entrada de espermatozóides no útero.

Diafragma

Diafragma

Como se usa?

Antes da mulher adquirir o diafragma, ela deve procurar um/a profissional de saúde para verificar qual a medida que ela deve usar, assim como receber uma orientação correta sobre a sua forma de uso.

O diafragma pode ser colocado em qualquer momento antes da relação sexual, ou usado o tempo todo, desde que seja retirado pelo menos uma vez ao dia para lavá-lo. Porém, se ocorrer uma relação sexual, deve esperar no mínimo 6 horas para poder retirá-lo da órgão genital feminino.

Qual a sua eficácia?

A eficácia do diafragma depende da maneira como ele é usado. O índice de falha varia entre 6 a 20%, ou seja, de cada 100 (cem) mulheres que usam o diafragma durante o período de um ano, de 6 a 20 mulheres podem engravidar.

Quais são os efeitos colaterais?

Durante o uso do diafragma é raro que ocorram efeitos colaterais, mas quando ocorrem, estes podem ser:

Alergia ao diafragma, ou ao espermicida
Irritação vaginal
Infecções urinárias

Quais são os beneficios para a saúde sa mulher?

O diafragma não oferece proteção contra as DST/HIV-Aids, mas, pode proteger a mulher de algumas infecções no colo do útero.

IMPORTANTÍSSIMO

Para usar o diafragma, deve-se procurar um serviço de saúde, não só para se ter uma orientação mais detalhada, mas também para saber qual o tamanho correto para cada mulher !!!

FIQUE LIGADO!

O diafragma NÃO oferece proteção as DST HIV-Aids, porém pode proteger a mulher de algumas infecções no colo do útero.

DICA LEGAL!

Após o diafragma ser retirado ele deve ser lavado com água e sabão neutro (não usar sabonetes), e depois de enxaguado e secado, deve ser guardado em seu estojo, colocado em lugar seco e não exposto ao calor. Se o diafragma for bem cuidado ele pode durar vários anos.

Fonte: www.adolescencia.org.br

Diafragma

É uma capinha de silicone ou látex, macia e com aro de metal flexível que é colocada pela própria mulher no fundo da órgão genital feminino, antes da relação sexual, cobrindo o colo do útero.

Este método forma uma barreira, impedindo que os espermatozóides entrem no útero.

Deve ser utilizado em conjunto com a geléia espermicida (componente químico capaz de matar os espermatozóides), dessa forma assegura a prevenção da gravidez com 98% de eficácia.

Existem 6 tamanhos diferentes de diafragma, que varia conforme o tamanho do osso pubiano interno de cada mulher, por isso é necessário que profissional de saúde treinado faça a verificação do número correto para cada mulher.

O diafragma deve ser medido novamente após um parto, aborto, cirurgia ginecológica ou sempre que houver diferença no peso corporal, para mais ou para menos do que 10 quilos.

Importante:

O diafragma deve ser usado em todas as relações sexuais, mesmo que não esteja em período fértil, para obter a máxima segurança contraceptiva.Se ocorrer mais de uma relação sexual no mesmo período, após cada relação, deve-se verificar se o diafragma está bem colocado.
Não deve ser retirado entre uma relação e outra.
Deve ser retirado somente pelo menos 8 horas após a última relação sexual.
Nos primeiros 7 a 10 dias de uso, deve-se retornar à consulta com o profissional que o mediu, para conferir se o número está adequado e se está sendo colocado corretamente.
O diafragma evita a gravidez e alguma doenças sexualmente transmissíveis (DST) como a cândida e o condiloma, porém não evita a contaminação da aids.

Como usar:

Procurar um(a) ginecologista para medir o tamanho do fundo da cavidade vaginal, para poder comprar o diafragma
Pedir orientações sobre colocação e retirada e treinar o uso antes de manter relações desprotegidas.

Cuidados com o diafragma:

Observá-lo contra a luz para verificar se está intacto.
Lavá-lo com água e sabão, enxaguar e secar muito bem.
Pode ser fervido, periodicamente, para desinfecção, ou colocado em solução de: 1 copo de água fervida e 1 colher de água sanitária, deixar em imersão por 30 minutos, enxaguar e seca

Vantagens:

O diafragma pode ser usado em todas as fases de vida da mulher, da adolescência à menopausa.
Contribui para que a mulher toque seus órgãos genitais e conheça melhor seu corpo.
Não atrapalha a relação sexual pois, em geral, homens e mulheres não sentem sua presença.
Não faz mal à saúde e nem interfere no ciclo menstrual.
Pode ser usado com geléia espermicida, aumentando a proteção.
Protege o colo do útero contra eventuais lesões e infecções durante a relação sexual. Oferece proteção inclusive contra algumas DST.
Pode ser utilizado durante a amamentação, pois não interfere no leite.
Não é descartável, possui durabilidade entre 2 e 3 anos quando cuidado adequadamente.
Possui um custo baixo, comparado a outros métodos (custo/durabilidade/eficácia).
Pode ser usado junto com o preservativo masculino, aumentando assim, a proteção.
Ministério da Saúde disponibiliza todos os números, gratuitamente, nas Unidades de Saúde dos Estados e Municípios.

Desvantagens:

O diafragma exige disciplina em seu uso. (por isso sugerimos que a pessoa coloque todos os dias, mesmo que não saiba se terá relações sexuais, assim evita ser pega desprevenida, ter preguiça, etc.)
Não evita as doenças sexualmente transmissíveis (DST) e a aids.

Fonte: redece.org

Diafragma

Método Contraceptivo

O diafragma é um pequeno anel flexível recoberto por uma película de borracha ou silicone que é colocado pela mulher dentro da órgão genital feminino até cinco horas antes da relação sexual.

Funções e Como utilizar

O papel do diafragma é obstruir completamente o colo (entrada) do útero, impedindo que os espermatozóides atinjam o órgão e a consequente fertilização do óvulo.

Ao contrário da camisinha, que só pode ser utilizada uma vez, o diafragma pode ser reutilizado diversas vezes.

Após a relação, a mulher deve demorar de seis a oito horas para retirar o diafragma, que deve ser lavado com água e sabão, secado e guardado em recipiente próprio, polvilhado com amido de milho.

Se for seguidas as recomendações de uso regularmente, um diafragma pode durar até dois anos. Inicialmente o tamanho do diafragma deve ser medido por um médico.

Para ser eficiente ele tem de ser usado junto com um creme espermicida.

Precauções

Antes de escolher o diafragma, é preciso que a mulher consulte o ginecologista para que ele determine o tamanho adequado.

Não pode ser usado por mulheres virgens ou que tenham problema no colo do útero. Também não deve ser usado por mulheres sensíveis ao látex. O ideal é que ele seja usado com um espermicida, creme a ser aplicado de 15 a 20 minutos antes da relação.

Desvantagens

A eficácia do diafragma não é muito alta, podendo ter um índice de falha de mais de 10%

Riscos de:

Odor fétido
Corrimento vaginal
Aumento do risco para infecção do trato urinário.

Fonte: www.atencaoprimaria.to.gov.br

Diafragma

Método

É um pequeno dispositivo circular de borracha com borda firme e flexível, que ao ser colocada na órgão genital feminino forma uma barreira física sobre o colo do útero.

Mecanismos de ação

Evita que o esperma chegue ao trato reprodutivo superior (útero e trompas de falópio).

Vantagens

Sem riscos relacionados ao método. Eficaz imediatamente. Segura o fluxo menstrual quando usado durante a menstruação. Alguma proteção contra ITG (infecção no trato genital) e outras DST (p. ex. HBV, HIV/AIDS) especialmente se usado com espermicida.

Desvantagens

Alta taxa de falha (taxa de gravidez 5-25 por 100 mulheres durante o primeiro ano de uso). Exame pélvico necessário para medicação inicial. Necessita estar disponível antes das relações sexuais. Deve ser retirado somente após 6 horas depois de relações sexuais. Associado a infecções do trato urinário em algumas usuárias.

Fonte: www.unioeste.br

Diafragma

Como colocar o diafragma

Diafragma

Antes de colocar o diafragma pela primeira vez, é importante que você compreenda como fazê-lo corretamente. Introduza seu dedo indicador na órgão genital feminino para cima e para trás. Movendo o dedo delicadamente você sentirá o colo do útero, como uma saliência de consistência semelhante à ponta do nariz. A frente do colo do útero, logo após a entrada da órgão genital feminino você sentirá o osso púbico. O diafragma deverá cobrir o colo do útero e se apoiar nesse osso público.

É importante urinar e lavar as mãos antes de colocar o diafragma.

Diafragma

Diafragma

1. Coloque um pouco de geléia espermicida dentro do diafragma. Lubrifique a borda do diafragma com a geléia. Ele estará pronto para ser usado.

Diafragma

2. Você poderá introduzir e retirar o diafragma de várias maneiras: Ficando em pé com uma perna levantada, de cócoras ou deitada. Experimente e escolha a posição em que se sinta mais cômoda.

Diafragma

3. Aperte as bordas do diafragma entre os dedos polegar e indicador.

Diafragma

4. Introduza o diafragma em direção ao fundo da órgão genital feminino.

Com o dedo indicador ajuste borda do diafragma no osso púbico (púbis).

Diafragma

5. Confira se o diafragma está bem colocado, verificando se o colo do útero está coberto pelo silicone e se a borda anterior do diafragma está apoiada no osso púbico.

Consulte o seu médico

Nos primeiros 7 a 10 dias, depois que você obteve o seu diafragma, para conferir se seu número está adequado e se está sendo colocado corretamente.
A cada seis meses para reavaliar o número de seu diafragma; Sempre em que não estiver segura com a colocação ou tiver dificuldade de retirá-lo.
Se você ou seu parceiro se sentirem incomodados com o diafragma.
Se o diafragma sai do lugar quando anda, corre, tosse ou fica de cócoras.
Quando observar sangue no diafragma após retirá-lo e não estiver em seu período menstrual.
Se perder ou ganhar 10 kg, após um parto, aborto ou cirurgia ginecológica para medir novamente o seu diafragma. Isto porque nestas condições o colo do útero pode modificar seu tamanho.

Vantagens

O diafragma pode ser usado em todas as fases da vida de uma mulher.
Contribui para que a mulher toque seus órgãos genitais e conheça melhor o seu corpo.
Não atrapalha a relação sexual pois, em geral, homens e mulheres não sentem sua presença.
Estudos recentes demonstram que o diafragma possui eficácia em torno de 98% quando bem utilizado e acompanhado de orientação médica (FEBRASGO, 1997).
É considerado um dos métodos contraceptivos femininos mais inócuos, não faz mal a saúde.
Não tem efeitos colaterais. · Não interfere no ciclo menstrual.
Pode ser usado com geléia espermicida, aumentando a proteção.
Protege o colo do útero contra eventuais lesões e infecções durante a relação sexual. Oferece proteção inclusive contra algumas DST.
Pode ser utilizado durante a amamentação. Não interfere na lactação.
Não é descartável, possui durabilidade de 2 e 3 anos quando cuidado adequadamente.

Desvantagens

Diafragma exige disciplina em seu uso.
Não protege contra as DST/ AIDS.
Pouco indicado por falta de conhecimento e familiaridade dos profissionais de saúde com o método.
No comércio, é encontrado apenas em algumas redes de farmácias, nos grandes centros.

Como usar o diafragma

1. Antes de colocar o diafragma pela primeira vez, é importante compreender como fazê-lo corretamente. Introduza seu dedo indicador na órgão genital feminino para cima e para trás, movendo o dedo delicadamente para sentir o colo do útero, como uma saliência de consistência semelhante à ponta do nariz. E à frente do colo do útero, logo após a entrada do órgão genital feminino sente-se o osso púbico. O diafragma deverá cobrir o colo do útero e se apoiar nesse osso.
2.
É necessário urinar e lavar as mãos antes de colocar o diafragma. Coloqueum pouco de geléia espermicida dentro do diafragma. Lubrifique a borda do diafragma com a geléia e ele estará pronto para ser usado.
3.
Introduzir o diafragma em pé, com uma perna levantada, de cócoras ou deitada. Experimente a posição em que se sentir mais confortável.
4.
Aperte as bordas do diafragma entre os dedo polegar e o dedo indicador. Introduza o diafragma em direção ao fundo do órgão genital feminino.
5.
Com o dedo indicador ajuste a outra borda do diafragma no osso pubiano. Confira se o diafragma está bem colocado, ou seja, se o colo do útero está coberto pela película de silicone e se a borda anterior do diafragma está apoiada no osso pubiano.

ATENÇÃO

Usar o diafragma em todas as relações sexuais mesmo fora dos dias férteis para garantir a segurança máxima.

Se ocorrer mais de uma relação sexual no mesmo período, após cada relação verificar se o diafragma continua bem colocado, lembrando que ele não deverá ser retirado entre uma e outra relação sexual seguida.

Não usar ducha vaginal enquanto o diafragma permanecer no órgão genital feminino.

COMO E QUANDO RETIRAR O DIAFRAGMA

Para retirar o diafragma coloque o dedo indicador no órgão genital feminino, sinta a borda do diafragma e puxe-o para baixo e para fora.

Retirar o diafragma sómente 08 horas após a última relação sexual , pois é o tempo máximo de vida dos espermatozóides no órgão genital feminino.

Como medir o diafragma

Os diafragmas medidores Semina são apresentados em seis tamanhos diferentes.De 60 a 85 mm.
A medição com os diafragmas medidores Semina deve ser realizada por profissionais experientes e treinados na área de saúde da mulher.
A escolha do tamanho apropriado dependerá da distância entre o fundo do saco posterior e o sub-pubis.
A mulher deve estar deitada em posição ginecológica em uma cama e não necessariamente em uma mesa ginecológica.
O tamanho do diafragma varia de uma mulher para outra e deve ser medido e indicado por um médico ou profissional de saúde treinado para este fim. O diafragma por ser um método de barreira, é considerado um dos mais inócuos contraceptivos femininos (que menos mal faz à saúde da mulher).

Diafragma

1. Introduza os dedos indicador e médio no órgão genital feminino até que se toque o fundo do saco posterior, marcando-se a distância entre estes e o sub-pubis com o polegar da mesma mão.

Diafragma

2. Esta distância (ponta do dedo médio ou indicador até o polegar) deve ser aproximadamente o tamanho do diafragma medidor. Coloque o diafragma medidor na ponta do dedo, sem força-lo. Se a medida estiver correta, a outra extremidade do diafragma medidor corresponderá ao ponto marcado do polegar.

Diafragma

3. Após o exame manual, deve-se testar o diafragma medidor. Deverão ser testado dois ou três tamanhos para se obter a medida adequada, justa e confortável para a mulher. Escolha a medida de maior tamanho entre as que servirem na mulher. Isto se deve ao fato de que ao usar o diafragma a mulher estará mais relaxada garantindo que a medida escolhida continuará bem ajustada.

Diafragma

4. Para se testar o diafragma medidor na mulher, pressione-o entre os dedos indicador e polegar, de maneira que sua forma circular se transforme em quase um oito (8). Introduza-o pelo canal vaginal até que sua borda inferior atinja o fundo do saco vaginal posterior.

5. Se o diafragma medidor escolhido for correto, a borda superior do mesmo se encaixará perfeitamente atrás do sub-pubis. O diafragma medidor de tamanho ideal se corretamente aplicado não deverá causar desconforto. Indique o número do diafragma correspondente ao número do diafragma medidor Semina.

6. Após o uso, os diafragmas medidores Semina devem ser mergulhados em uma solução de uma colher de sopa de água sanitária em um copo d'água (mínimo de 20 minutos). Lavá-los em água corrente e sabão neutro e enxaguá-lo bem. Podem, também, ser esterilizados em estufa ou autoclave a uma temperatura de no máximo 170º ou esterilizados com produtos químicos adequados para este fim. Secar bem e guarda-lo no estojo.

Mitos e realidades sobre o diafragma

Mito: A mulher Brasileira não se toca.
Realidade:
Atualmente a mulher brasileira se toca mais e conhece melhor o seu corpo e isto ocorre devido ao maior acesso à informação, às transformações educacionais e comportamentais.

Mito: A mulher tem que ter "Q.I." para utilizar o diafragma.
Realidade:
A mulher tem que ter prontidão e disciplina para usar o diafragma.

Mito: A mulher de baixa renda não aceita o diafragma.
Realidade:
É uma questão de perfil e não de classe social, depende muito mais da relação com seu próprio corpo , sexualidade , desempenho, motivação e do seu apredizado

Mito: O diafragma incomoda.
Realidade:
Quando bem colocado, tanto a mulher como o homem não sentem o diafragma.

Mito: O diafragma é complicado. "Quebra o clima".
Realidade:
O diafragma pode ser introduzido durante o jogo sexual (preliminares), pouco antes do ato ou horas antes podendo ser colocado diariamente , independentemente se houver ou não uma relação, e também poderá fazer parte da erotização do contraceptivo e do momento.

Mito: O diafragma é um método de difícil acesso, com distribuição irregular.
Realidade:
O diafragma é produzido no Brasil desde 1988 e o acesso é fácil. É encontrado na Rede Pública de Saúde, em algumas Clínicas e Consultórios que mantém uma quantidade mínima para repassar às clientes e em algumas redes de farmácias.

Mito: O diafragma é um contraceptivo caro.
Realidade:
É distribuido gratuitamente na Rede Pública de Saúde e no comércio, tem preço acessível, seu custo é infinitamente menor quando comparado a outros métodos. É de longa durabilidade.

Mito: O diafragma tem apenas 65 % de eficácia. "Ele é sabidamente de menor eficácia".
Realidade:
Estudos recentes comprovam que sua eficácia pode ultrapassar 98 %,quando bem orientado, medido e utilizado adequadamente.

Mito: O diafragma não pode ser indicado no Serviço Público, porque o treinamento leva tempo.
Realidade:
Quando o Ginecologista acredita no método, envolve outros profissionais de Saúde na otimização do treinamento e o método torna-se viável. O atendimento conjunto,com oficinas torna o resultado muito mais positivo.

Mito: A utilização do diafragma tem que prever a relação.
Realidade
: O diafragma pode ser utilizado como anticoncepcional de uso contínuo independentemente da previsão da relação sexual.

Mito:O diafragma é um método obsoleto.
Realidade:
Cada vez mais aumenta a demanda do seu uso entre as mulheres, nos países onde ele é conhecido (Europa e E.U.A.),e é considerado um método moderno por ser inócuo.

Mito: O diafragma "deve" ser retirado 08 horas após a relação, isto poderá "atrapalhar" se a mulher estiver ocupada.
Realidade:
O diafragma de silicone poderá permanecer de 08 horas até 24 horas dentro do corpo da mulher por ser inerte e antialérgico.

Fonte: www.semina.com.br

Diafragma

O diafragma foi descrito pela primeira vez por Wilheim Messinga, no ano de 1882, passando a ter, em seguida, larga utilização nos países europeus. Sua introdução nos Estados Unidos deu-se em 1920, na cidade de Nova Iorque.

No ano de 1940 aproximadamente um terço das mulheres norte-americanas faziam uso de diafragmas. Com o advento dos contraceptivos orais e dos dispositivos intra-uterinos, houve gradual decréscimo da freqüência de uso. Em 1995, 10% das norte-americanas utilizavam o método e em 1998 apenas 3%.

CONCEITO

O diafragma pode ser definido com cúpula rasa de tárex ou, mais modernamente, de silicone, com bordas firmes e flexíveis, que recobre todo o colo uterino, com a finalidade de impedir a deposição do esperma na porção alta do órgão genital feminino e de impossibilitar a ascensão dos espermatozóides para o trato genital alto.

Todos os diafragmas são confeccionados em tamanhos que variam de 50 a 105mm, sendo que os mais utilizados encontram-se na faixa de medidas entre 65 e 80mm. O material mais utilizado na confecção é a borracha. Mais modernamente tem-se dado preferência ao silicone, devido à maior durabilidade e à limpeza mais adequada.  

EFICÁCIA

A análise da efetividade do diafragma necessita de avaliação crítica, quanto a que população e a qual tipo de estudo se está realizando. Esta afirmativa fundamenta-se no fato de que os resultados quanto à eficácia são melhores quando se está4frente a usuárias motivadas e bem orientadas, que estão utilizando diafragma por tempo mais prolongado. É por isso que os estudos populacionais, onde os itens citados nem sempre são respeitados de maneira adequada, revelam resultados menos expressivos que os de estudos clínicos.

De maneira geral as taxas de falha entre as usuárias de diafragma variam entre 2 e 23%, por ano de uso.

INDICAÇÕES

O diafragma pode ser indicado como complementação a outros métodos anticoncepcionais e em situações nas quais os contraceptivos orais e os DIU não podem ser utilizados, isto é, lactação, adolescência e pré-menopausa.Tanto em relação com a lactação, como na pré-menopausa e na adolescência, a eficácia fica favorecida por condições fisiológicas que rebaixam a fertilidade. Por outro lado, as taxas de eficácia aumentam devido à baixa freqüência das relações sexuais.  

CONTRA INDICAÇÕES

As contra-indicações podem ser alterações do trato genital, que dificultam o adequado posicionamento do diafragma, especialmente as distopias genitais. As fistulas vésico-vagìnais e reto-vaginais e as infecções vaginais, uterinas e urinárias são também condições que contra-indicam o uso de diafragma, uma vez que podem sofrer complicações.

As mulheres que apresentam sensibilidade ao látex devem passar ao uso de diafragmas de silicone, que se constitui em material inerte.

O período puerperal até seis semanas após o parto também contra-indica o uso de diafragma, uma vez que as alterações locais dificultam a correta mensuração.

ELEIÇÃO DO DIAFRAGMA

Para a adequada escolha do tamanho do diafragma ser usado, a mulher deve ser submetida a exame ginecológico, que se presta também para descartar fatores orgânicos que possam contra-indicar o método.

A medida é estabelecida pelo toque vaginal bidigital, quando se determina a distância entre o recesso vaginal posterior e o arco subpubiano. Para a realização da mensuração deve-se utilizar anéis medidores.

TÉCNICAS DE INSERÇÃO E DE REMOÇÃO

Uma vez definido o tamanho do diafragma, passa-se ao treinamento da mulher para a sua inserção. A escolha da posição para a inserção depende da facilidade de cada mulher para manipular seu órgão genital feminino, podendo recair no decúbito dorsal, na posição de cócoras ou no simples apoio de um dos pés sobre superfície mais elevada.Previamente à introdução recomenda-se aplicar em torno do anel metálico camada de substância espermicida que contenha como princípio ativo o nonoxinol-9 a 5%.

O diafragma deve ser introduzido momentos antes da relação sexual. Para estar corretamente posicionado, deve estar fixo entre o recesso posterior do órgão genital feminino e o arco subpubiano, ocluindo totalmente o colo uterino. E importante que não cause compressão excessiva sobre as estruturas de apoio.

A remoção do diafragma deve ser feita no mínimo oito horas após a relação sexual e no máximo 24 horas após a inserção, com vistas a evitar complicações vaginais, principalmente infecciosas. A remoção pode ser efetuada nas mesmas posições usadas para a inserção. Logo após a remoção deve-se lavar com água e sabão neutro, deixando-se secar de maneira natural, sem utilizar talco ou pó secante.

A troca por novo diafragma deve ocorrer se este perder suas características originais ou se a mulher sofrer alteração do seu peso corpórea de 5kg ou mais. Nesta última situação há necessidade de se realizar novas medidas.  

VANTAGENS

O diafragma tem as vantagens de ser método de utilização fácil, de ter baixo custo e de não ocasionar ação sistêmica. Outro benefício é sua ação protetora em relação às doenças sexualmente transmissíveis, especialmente a gonorréia, à doença inflamatória pélvica aguda e à infertilidade

Fonte: www.farmaciarosario.com.br

Diafragma

É um método anticoncepcional de uso feminino que consiste num anel flexível, coberto no centro com uma delgada membrana de borracha ou silicone em forma de cúpula que se coloca no órgão genital feminino cobrindo completamente o colo do útero.

Existem diafragmas de diversos tamanhos sendo necessário medição por profissional de saúde treinado, para determinar o tamanho adequado a cada mulher.

A vida média útil do diafragma é de cerca de 2 anos, se observadas as recomendações do produto.

Diafragma
Diafragma

Mecanismo de Ação

Impede a penetração dos espermatozóides no útero, fazendo com que não ocorra a fecundação.

Critérios de Elegibilidade desenvolvidos pela Organização Mundial de Saúde (WHO, 1996 - Categoria3)

Alergia ao látex
História de síndrome do choque tóxico

Eficácia

Em uso rotineiro são pouco eficazes. A taxa de gravidez é de 20 para cada 100 mulheres no primeiro ano de uso. Se utilizados corretamente, seguindo todas as recomendações do produto a taxa de gravidez é de 6 para cada 100 mulheres no primeiro ano de uso.

Vantagens

É um método seguro, de fácil acesso
É fácil de ser utilizado

Desvantagens

Algumas mulheres podem ter alergia ao látex

Modo de Uso

a) Usar o diafragma preferencialmente com espermaticida todas as vezes que mantiver relações sexuais, independente do período do mês.

b) Esvaziar a bexiga e lavar as mãos antes de colocar o diafragma.

c) Antes de cada uso, examinar cuidadosamente o diafragma contra a luz, para assegurar-se da inexistência de defeitos ou orifícios

d) Em caso de uso com geléia espermaticida, aplicá-la dentro da parte côncava.

e) Colocar o diafragma no órgão genital feminino na posição que achar mais confortável (deitada, de cócoras ou em pé, com uma das pernas levantada ou sentada na beira de uma cadeira) da seguinte forma:

Segurar o diafragma com uma das mãos, na parte côncava virada para cima (com a geléia dentro), pressionar e unir as bordas com os dedos médio e polegar.
Afastar os lábios da vulva com a outra mão e colocar, dentro do órgão genital feminino, o diafragma dobrado, empurrando-o para baixo e para dentro do fundo posterior do órgão genital feminino até onde seja possível.
Com o dedo indicador, empurrar a borda anterior do diafragma até que se apóie na face posterior do púbis.

f) Verificar a correta colocação do diafragma através do auto toque, certificando-se de que o colo uterino esteja coberto pela membrana de borracha.

Em caso de uso associado:

g) Ocorrendo nova relação sexual, aplicar novamente geléia espermicida e assim sucessivamente, usando o aplicador para colocá-la à frente do diafragma, sem retirá-lo do local.
h)
O diafragma não deve ser retirado antes de um período de 6 a 8 horas após a última relação sexual, e deve-se evitar duchas vaginais durante esse período.
i)
Remover o diafragma colocando o dedo indicador por trás da sua borda anterior, puxando-o para baixo e para fora.
j)
Após o uso, lavar o diafragma com água e sabão neutro, enxaguar bem, secar e guardar no estojo próprio, salpicado com amido de milho (o uso de talcos pode danificar o diafragma e ser prejudicial ao colo uterino e o órgão genital feminino, além de propiciar alergias).

Efeitos Colaterais

As infecções do trato urinário podem ser mais freqüentes, mas a mulher pode evitá-las urinando sempre após a relação sexual
Pode provocar dor pélvica, cólicas ou retenção urinária
Pode provocar reações alérgicas ao látex

Benefícios e Riscos

Benefícios

Não possui efeitos hormonais
Não possui efeitos sobre o leite materno
Pode ser inserido até seis horas antes da relação sexual

Riscos

Pode ocorrer corrimento vaginal intenso e odor fétido
Pode aumentar o risco para infecção do trato urinário

Fonte: www.unifesp.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal