Breaking News
Home / Saúde / Síndrome de Asherman

Síndrome de Asherman

PUBLICIDADE

Definição

A síndrome de Asherman é a formação de tecido cicatricial na cavidade uterina. O problema mais frequentemente se desenvolve após a cirurgia uterina.

A síndrome de Asherman é uma condição rara e adquirida do útero. Em mulheres com essa condição, cicatrizes ou aderências se formam no útero devido a alguma forma de trauma.

Em casos graves, todas as paredes da frente e de trás do útero podem se fundir. Nos casos mais leves, as aderências podem aparecer em áreas menores do útero. As aderências podem ser espessas ou finas e podem estar esparsamente localizadas ou mescladas.

Etiologia

A síndrome de Asherman é uma condição adquirida que se refere à existência de tecido cicatricial no útero. Os sintomas incluem períodos leves ou sem menstruação e dificuldade para engravidar.

A síndrome de Asherman ocorre principalmente após uma dilatação e curetagem realizada para uma interrupção eletiva da gravidez, um aborto faltoso ou incompleto, ou para tratar uma placenta retida após o parto.

Pode ocorrer com ou sem hemorragia após o parto ou interrupção eletiva da gravidez. Menos frequentemente, resulta após uma dilatação e curetagem para um procedimento não-obstétrico para sangramento excessivo, amostragem para câncer endometrial ou remoção de pólipos endometriais.

Também pode ocorrer após a cirurgia para remover miomas uterinos. Em pacientes com sangramento uterino excessivo persistente (hipermenorreia), procedimentos específicos para criar essas aderências em toda a cavidade uterina são o objetivo desejado para controlar o sangramento. Estes procedimentos são feitos para remover o endométrio e criar cicatrizes. No mundo em desenvolvimento, também pode ocorrer devido a infecções por esquistossomose ou tuberculose.

Síndrome de Asherman – História

Com o nome do Dr. Asherman, um ginecologista israelense que descreveu pela primeira vez a doença em meados do século XX, a Síndrome de Asherman é uma redução ou ausência na menstruação por qualquer razão que não seja a falta de hormônios (menopausa).

Redução do fluxo menstrual é causada pela formação de tecido cicatricial no interior do colo do útero e do útero.

O tecido da cicatriz pode se formar como resultado de uma gravidez ou parto recente, infecção, inflamação ou qualquer procedimento cirúrgico ginecológico.

O que é a Síndrome de Asherman?

Síndrome de Asherman

Síndrome de Asherman

A síndrome de Sherman, também conhecida como aderências intra-uterinas ou sinéquias intra-uterinas, é uma condição uterina adquirida que ocorre quando o tecido cicatricial (aderências) se forma dentro do útero e/ou do colo do útero.

É caracterizada por cicatrizes variáveis dentro da cavidade uterina, onde em muitos casos as paredes anterior e posterior do útero se colam umas às outras.

A síndrome de Sherman pode ser a causa de distúrbios menstruais, infertilidade e anormalidades placentárias.

Embora o primeiro caso de adesão intra-uterina tenha sido publicado em 1894 por Heinrich Fritsch, foi somente após 54 anos que uma descrição completa da síndrome de Asherman foi realizada pelo ginecologista israelense Joseph Asherman.

Vários outros termos foram usados para descrever a condição e condições relacionadas, incluindo: atresia uterina/cervical, atrofia uterina traumática, endométrio esclerótico e esclerose endometrial.

A síndrome de Asherman é um distúrbio ginecológico incomum, adquirido, caracterizado por alterações no ciclo menstrual.

Os pacientes experimentam redução do fluxo menstrual, aumento das cãibras e dores abdominais, eventual cessação dos ciclos menstruais (amenorreia) e, em muitos casos, infertilidade.

Na maioria das vezes estes sintomas são o resultado de inflamação severa do revestimento do útero (endometriose) que é causada pelo desenvolvimento de bandas de tecido cicatricial que unem partes das paredes do útero umas às outras, reduzindo assim o volume do útero. cavidade (aderências intrauterinas e sinéquias).

A cicatrização endometrial e as aderências intra-uterinas podem ocorrer como resultado de raspagem ou limpeza cirúrgica do tecido da parede uterina (dilatação e curetagem), infecções do endométrio (por exemplo, tuberculose) ou outros fatores.

Sinais e Sintomas

Os sintomas da síndrome de Asherman podem incluir amenorreia (falta de menstruação), abortos repetidos e infertilidade. No entanto, esses sintomas também podem ser indicativos de outra condição, particularmente se eles não ocorrerem subitamente após uma cirurgia uterina.

A maioria dos pacientes com a síndrome de Asherman apresenta fluxos sanguíneos menstruais esparsos ou ausentes. Em alguns casos, o ciclo menstrual pode estar normal. Em alguns casos, o indivíduo afetado pode experimentar um fluxo sanguíneo menstrual interrompido com dor substancial.

Isto pode ocorrer como resultado do bloqueio do colo do útero (o colo do útero) por aderências. Abortos recorrentes e/ou infertilidade também podem ser sinais dessa síndrome.

Causas

A síndrome de Asherman é uma condição rara. Na maioria dos casos, ocorre em mulheres que tiveram vários procedimentos de dilatação e curetagem.

Uma infecção pélvica grave, não relacionada à cirurgia, também pode levar à síndrome de Asherman.

As aderências intra-uterinas também podem se formar após a infecção por tuberculose ou esquistossomose.

Complicações uterinas relacionadas a essas infecções são ainda menos comuns.

Tratamentos para Síndrome de Asherman

Tratamentos para a síndrome de Asherman envolvem cirurgia para cortar e remover aderências ou tecido cicatricial no útero. Esta cirurgia geralmente utiliza uma histeroscopia, que usa pequenos dispositivos e uma câmera que é colocada no útero através do colo do útero, para remover o tecido cicatricial.

Depois que o tecido é removido, a cavidade uterina deve permanecer aberta enquanto se cura de forma que as aderências não retornem. Os médicos podem colocar um pequeno balão dentro do útero por alguns dias para evitar que as aderências reformem e/ou prescrevam a terapia estrogênica enquanto o revestimento do útero cicatriza. Se houver uma infecção, o médico pode prescrever um tratamento antibiótico.

Fonte: rarediseases.org/www.ncbi.nlm.nih.gov/my.clevelandclinic.org/www.healthline.com/medlineplus.gov/www.whria.com.au/de.ashermans.org/www.floridahospital.com

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Neuroendocrinologia

PUBLICIDADE Definição A neuroendocrinologia é a disciplina que estuda a produção de hormônios pelos neurônios, a sensibilidade …

Teste de Watson

Teste de Watson

PUBLICIDADE Definição O teste de Watson é um teste de diagnóstico para instabilidade entre os ossos escafoide …

Síndrome de Lesch-Nyhan

PUBLICIDADE Definição A síndrome de Lesch-Nyhan é uma condição genética rara que resulta em anormalidades …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.