Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Saúde / Síndrome de Potter

Síndrome de Potter

PUBLICIDADE

A síndrome de Potter, também conhecida como doença de Potter, refere-se a um defeito congênito em que a criança nasce com rins ausentes, incompletos ou deformados.

A síndrome de Potter foi descrita pela primeira vez pela Dra. Edith Potter em 1946.

É uma condição extremamente rara que envolve uma ausência total (agenesia) ou malformação grave (disgenesia ou displasia) de ambos os rins infantis.

A função normal dos rins é filtrar os resíduos do sangue, eliminando-os como urina.

A ausência de um rim (unilateral) é compatível com a vida enquanto a ausência de ambos os rins (bilaterais) é fatal.

História

Em 1946, Edith Louise Potter (n.1901 – d.1991), patologista pediátrica do Hospital Lying-In da Universidade de Chicago, descreveu anomalias do feto devido a oligohidramnios.

A condição em si foi documentada desde o final do século XVII e foi considerada uma condição extremamente rara.

Em um de seus manuscritos mais famosos, Potter analisou cerca de 5000 necropsias realizadas em fetos e recém-nascidos em um período de dez anos e descobriu que 20 lactentes apresentavam agenesia renal bilateral (1: 250) *.

A partir de seus estudos, ela conseguiu deduzir a sequência de eventos que leva ao que hoje é conhecido como Síndrome de Potter, Sequência de Potter ou Sequência de Oligohidrâmnio.

Além de descrever e atribuir com precisão as características faciais dos afetados, conhecidas como fácies de Potter.

Desde sua caracterização inicial, a Síndrome de Potter foi definida em cinco subclassificações distintas.

A síndrome clássica de Potter ocorre quando a criança tem agenesia renal bilateral.

A agenesia renal bilateral verdadeira também se apresenta com agenesia bilateral dos ureteres.

A Síndrome de Potter Tipo I é devida à Doença Renal Policística Autossômica Recessiva, que ocorre em uma frequência de aproximadamente uma em 40.000 crianças e se deve a uma mutação12 no gene PKD1.

A Síndrome de Potter tipo II é devida à Adisplasia Renal, que também pode se enquadrar na categoria conhecida como adisplasia renal hereditária.

A Síndrome de Potter Tipo III é devida à Doença Renal Policística Autossômica Dominante devido a uma mutação no gene PKD2.

A síndrome de Potter tipo IV ocorre quando uma obstrução de longa data no rim ou no ureter leva a rins císticos. Isso pode ser devido ao acaso, meio ambiente ou genética. Em todos os cinco casos, uma falta ou volume reduzido de urina fetal tipicamente leva a oligoidrâmnio e resulta em deformidades físicas e prognóstico descritos abaixo.

* Essa estatística (de um em 250) não implica que a Síndrome de Potter Clássica ocorra em um entre 250 bebês. Esta estatística foi obtida a partir de um estudo publicado em 1946 de 5000 crianças expiradas que foram autorizadas ou obrigadas a serem submetidas a uma rotina ou a uma autópsia ou necrópsia solicitada.

Síndrome de Potter – Aparência física típica

A síndrome de Potter é um termo usado para descrever uma aparência física típica, que é o resultado de um volume de líquido amniótico (oligoidrâmnio) drasticamente reduzido, secundário a doenças renais, como a agenesia renal bilateral.

Outras causas são obstrução do trato urinário, doença renal policística autossômica recessiva, doença renal policística autossômica dominante (em casos raros) e hipoplasia renal.

Em 1946, a Dra. Edith Potter caracterizou esta insuficiência renal pré-natal/agenesia renal e as características físicas resultantes do feto/bebê que resultam de oligoidrâmnio, bem como a completa ausência de líquido amniótico (anidrâmnio).

Oligoidrâmnio e anidrâmnio também podem ser causados pelo vazamento de líquido amniótico devido à ruptura das membranas amnióticas.

O que é a Síndrome de Potter?

O termo síndrome de Potter refere-se a uma coleção de anomalias congênitas presentes em alguns recém-nascidos.

As características desta doença incluem desenvolvimento pulmonar deficiente, insuficiência renal e anormalidades físicas. Essa constelação de anormalidades ocorre como resultado da doença renal : a baixa produção de urina leva à diminuição do líquido amniótico, o que resulta nos problemas congênitos. Embora muitos bebês em desenvolvimento sejam diagnosticados com esta doença enquanto ainda estão no útero, outros são diagnosticados com base em seus sintomas ao nascer.

O tratamento para esta doença é de natureza de suporte, e não há cura verdadeira para a doença.

Para entender as manifestações da síndrome de Potter, ajuda a entender as causas da doença. O evento inicial que leva à síndrome geralmente é um problema com o desenvolvimento dos rins. Ausência completa de rim, também conhecida como agenesia renal bilateral, é uma das causas. Outras malformações renais, como doença renal policística, obstrução da via de saída urinária e desenvolvimento renal inadequado, conhecido como hipoplasia renal, também podem resultar na síndrome.

A falta de função renal embrionária desencadeia uma seqüência de eventos que leva ao desenvolvimento do bebê com as características da síndrome de Potter.

Normalmente, os rins formam a urina, que, quando excretada, contribui para o líquido amniótico, o líquido que envolve o feto em desenvolvimento. Sem função renal normal, há diminuição do líquido amniótico, uma condição conhecida como oligoidrâmnio.

Fetos afetados por oligoidrâmnio secundário à disfunção renal podem desenvolver várias complicações. O líquido amniótico é normalmente engolido pelo feto, e sem líquido suficiente para ingerir, as regiões abdominal e torácica podem não crescer adequadamente. Os bebês em desenvolvimento também respiram o líquido amniótico, e quantidades insuficientes do fluido podem levar a um desenvolvimento pulmonar deficiente. O líquido amniótico também serve como uma almofada para o feto e, sem esse tampão, o feto pode desenvolver anormalidades físicas.

A síndrome de Potter pode ser diagnosticada no útero em alguns casos. Exames de ultra-sonografia de rotina medem a quantidade de líquido amniótico presente, e um feto com oligoidrâmnio estará sujeito a uma investigação mais extensa que poderia identificar a insuficiência renal. Embora não muito pode ser feito enquanto o bebê ainda está no útero, os pediatras podem estar preparados para cuidar do bebê quando ele nascer.

Às vezes a síndrome de Potter não é diagnosticada até que o bebê nasça. Muitas vezes, esses bebês apresentam problemas respiratórios devido ao fraco desenvolvimento de seus pulmões, também conhecido como hipoplasia pulmonar. Eles têm baixa produção de urina devido aos problemas nos rins. Os recém-nascidos também têm uma aparência facial característica, conhecida como fácies de Potter, que se desenvolve devido ao baixo volume de líquido amniótico e resulta em uma aparência facial achatada com olhos arregalados e uma ponte nasal deprimida. Anormalidades dos membros também são possíveis devido aos oligoidrâmnios no útero.

O tratamento para a síndrome de Potter é primeiro oferecer cuidados de suporte. Os bebês afetados freqüentemente precisam de suporte respiratório, seja na forma de ventilação mecânica ou oxigênio suplementar. Muitos desses bebês precisarão de diálise para tratar da insuficiência renal. Infelizmente, alguns desses bebês têm muitas anormalidades congênitas para serem adequadamente tratados e a decisão de suspender o cuidado é tomada pela família.

Sequência de Potter

A sequência de Potter é um distúrbio fatal raro que ocorre em formas esporádicas e autossômicas recessivas com uma incidência de 1 em 4000 nascimentos. Os bebês nascidos com essa condição ainda nascem ou morrem muito cedo no período neonatal. Relatamos um caso da sequência de Potter com os achados físicos típicos e achados histológicos.

A sequência de Potter refere-se a um grupo de características que podem resultar quando há muito pouco líquido amniótico (oligohidrâmnio) ao redor de um bebê, enquanto no útero. Isso pode causar características faciais distintas (faciais Potter), que podem incluir um nariz achatado, queixo recuado, dobras cutâneas cobrindo os cantos dos olhos (pregas epicânticas) e orelhas anormais de configuração baixa. Ter baixo líquido amniótico também pode resultar em subdesenvolvimento dos pulmões (hipoplasia pulmonar).

Outras características associadas podem incluir malformações oculares e defeitos cardíacos.

Existem várias causas da sequência de Potter, incluindo insuficiência renal (agenesia renal bilateral), doenças renais policísticas, síndrome da barriguinha, ruptura de membranas em volta do bebê e outras anormalidades renais.

A causa subjacente da sequência é muitas vezes indeterminada, mas pode ser genética em alguns casos.

O padrão de herança depende da causa genética específica. O diagnóstico baseia-se nos achados ultrassonográficos ou na presença de sintomas característicos, como disfunção renal e dificuldade respiratória. O tratamento depende da causa subjacente da sequência.

Causas

Na síndrome de Potter, o principal problema é a insuficiência renal. Os rins não se desenvolvem adequadamente quando o bebê cresce no útero. Os rins normalmente produzem o líquido amniótico (como a urina).

O fenótipo de Potter refere-se a uma aparência facial típica que ocorre em um recém-nascido quando não há líquido amniótico. A falta de líquido amniótico é chamada oligoidrâmnio. Sem líquido amniótico, o bebê não é amortecido das paredes do útero. A pressão da parede uterina leva a uma aparência facial incomum, incluindo olhos amplamente separados.

O fenótipo de Potter também pode levar a membros anormais ou membros mantidos em posições ou contraturas anormais.

O oligoidrâmnio também impede o desenvolvimento dos pulmões, de modo que os pulmões não funcionam adequadamente no nascimento.

Sintomas

Síndrome de Potter

Os sintomas incluem:

Olhos amplamente separados com pregas epicânticas, ponte nasal ampla, orelhas baixas e queixo recuado
Ausência de produção de urina
Dificuldade ao respirar

Quais são as várias causas da síndrome de Potter?

A síndrome de Potter não é tecnicamente uma “síndrome”, pois não apresenta coletivamente as mesmas características e sintomas indicadores em todos os casos.

É tecnicamente uma “sequência” ou cadeia de eventos – que pode ter origens diferentes, mas termina com a mesma conclusão.

Abaixo estão as diferentes maneiras pelas quais a Síndrome de Potter (sequência de Potter) pode começar devido a várias causas de insuficiência renal. Eles receberam números para diferenciar as diferentes formas, mas esse sistema não pegou nas comunidades médicas e científicas.

A Síndrome de Potter Tipo I é devida à Doença Renal Policística Autossômica Recessiva, que ocorre em uma frequência de aproximadamente 1: 40.000 crianças e está ligada a uma mutação no gene PKHD1.

A síndrome de Potter Tipo II é devida à Adisplasia Renal, que também inclui a categoria conhecida como adisplasia renal hereditária. Adisplasia renal significa que um rim está ausente e o outro é muito pequeno e malformado. A agenesia renal bilateral é considerada uma variação extrema da adisplasia renal e é algumas vezes chamada de Síndrome de Potter Clássica. A agenesia renal bilateral ocorre em uma frequência de aproximadamente 1: 3.000 bebês, no entanto, outros estimam que ele ocorra em 1: 1500 a 1: 10.000. Nosso laboratório está preocupado principalmente com este tipo específico da síndrome de Potter.

A Síndrome de Potter Tipo III é devida à Doença Renal Policística Autossômica Dominante e está ligada a mutações nos genes PKD1 e PKD2, porém alguns casos são esporádicos. Embora essa forma ocorra na frequência de 1: 800 pessoas, geralmente é vista apenas em adultos e raramente é a causa de oligoidrâmnio.

A síndrome de Potter tipo IV ocorre quando uma obstrução de longa data no rim ou no ureter leva a rins císticos. Isso pode ser devido ao acaso, meio ambiente ou genética.

Por fim, se o saco amniótico se romper e vazar fluido, isso também pode resultar em PS, caso ocorra no início do desenvolvimento e não seja detectado.

Fonte: medlineplus.gov/rarediseases.info.nih.gov/www.potterssyndrome.org/www.wisegeek.org/www.ncbi.nlm.nih.gov/patient.info/contact.org.uk/signssymptoms.org

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Síndrome da Porta

Síndrome da Porta

PUBLICIDADE Definição A síndrome da porta é uma síndrome de anomalias congênitas múltiplas – deficiência intelectual caracterizada …

Tumor Misto

PUBLICIDADE Definição Um tumor misto é um tumor que deriva de vários tipos de tecido. Os tumores …

Síndrome de Asperger

PUBLICIDADE Definição A síndrome de Asperger é um distúrbio do desenvolvimento. É um transtorno do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+