Breaking News
Home / Saúde / Toxoplasmose

Toxoplasmose

PUBLICIDADE

Definição

A toxoplasmose é uma infecção comum que você pode pegar do cocô de gatos infectados ou carne infectada. Geralmente é inofensivo, mas pode causar sérios problemas em algumas pessoas.

O que é

A toxoplasmose é uma doença causada por um parasita.

Muitas das pessoas infectadas não sabem que têm esse parasita unicelular, pois podem não apresentar nenhum sintoma.

Além disso, o sistema imunológico do corpo humano impede que o parasita da toxoplasmose cause qualquer sintoma ou doença.

A toxoplasmose pode ser contraída de várias maneiras diferentes.

Uma das principais formas de se infectar é através das fezes de gatos. Se você estava inconscientemente engolindo fezes de gato, você pode se infectar com o parasita. Isso pode acontecer de várias maneiras.

Se você tocar sua boca com as mãos depois de limpar a caixa de areia de um gato, poderá se infectar. Qualquer coisa que tenha entrado em contato com fezes de gatos é um risco potencial.

Outra maneira de se infectar com o parasita é comendo carne crua. Carne crua ou que não tenha sido cozida por tempo suficiente é outro risco potencial. Você pode colocar as mãos na boca, sem saber, depois de manusear carne crua. Isso é suficiente para transferir o parasita da toxoplasmose para o corpo. Carnes que são um risco particularmente incluem carne de veado, carne de porco e cordeiro.

Você também pode contrair toxoplasmose bebendo água contaminada. Em raras ocasiões, o sangue contaminado pode ser administrado em uma transfusão de sangue.

Casos de órgãos infectados que foram transplantados também foram registrados, embora isso seja raro.

Os sintomas da toxoplasmose são variados. Algumas pessoas podem ter o parasita sem estarem conscientes disso. Outros podem se sentir indispostos com sintomas semelhantes aos da gripe.

Músculos inchados e doloridos também podem ocorrer e duram cerca de um mês.

Pessoas com sistema imunológico fraco podem sofrer de sintomas graves de toxoplasmose. Estes podem incluir danos a certos órgãos, incluindo o cérebro e os olhos.

Danos aos olhos causados pela toxoplasmose podem ocorrer mesmo em pessoas com o sistema imunológico mais saudável.

Algumas pessoas são mais propensas a estar infectadas com o parasita do que outras. Os bebês podem ser infectados enquanto ainda se formam no útero. Isso acontece se a mãe for infectada antes ou durante a gravidez.

Pessoas que já têm infecções que enfraquecem seus sistemas imunológicos, como a AIDS ou o HIV, são muito suscetíveis à toxoplasmose.

Se você acha que pode estar infectado com toxoplasmose ou está apresentando algum dos sintomas, entre em contato com um médico imediatamente.

Testes de sangue especificamente projetados para mostrar o parasita serão administrados. Existem medicamentos disponíveis, mas a maioria é destinada a mulheres grávidas. Se você não está grávida e é saudável, os sintomas da toxoplasmose devem desaparecer dentro de um mês.

Infecção x doença

É muito importante distinguir duas condições bastante diferentes mas que podem ser chamadas do mesmo jeito: toxoplasmose.

A primeira, toxoplasmose infecção, significa a presença deste microrganismo vivo porém quiescente, no organismo humano. Essa condição é muito freqüente, é, na verdade, uma das infecções humanas mais comuns, podendo estar presente em cerca de até 90% de uma população.

Nessa condição, a pessoa não sente absolutamente nada. Portar um microorganismo, algumas vezes pode significar doença, mas na maioria das vezes não.

Na verdade, não existe uma superfície da terra livre de micróbios: não existe vazio ecológico na terra.

Na superfície do corpo humano, na pele e nas mucosas, existem muitos microorganismos que convivem harmonicamente conosco, respeitados alguns limites. No intestino grosso temos 106 a 108 microorganismos por cm3 de fezes.

Na intimidade de alguns tecido&s também podemos ter alguns microorganismos e conviver com eles sem perder a saúde.

O Toxoplasma gondii, agente causador, um protozoário de alta infecciosidade mas baixa patogenicidade ocorre em todo o mundo. Isto pode ser verificado através da pesquisa de anticorpos antitoxoplasma no soro de populações (enquete sorológico). A prevalência humana mais baixa é encontrada em climas quentes e secos, tal como no Arizona. A incidência aumenta com a idade. No Brasil, a prevalência de anticorpos varia de 54% no Cento-Oeste a 75% no Norte; porém alguns municípios aleatoriamente podem Ter prevalência mais alta. Cerca de 50% dos gatos apresentam anticorpos.

Na segunda condição, toxoplasmose doença, a pessoa tem sintomas porque, intencionalmente redundante, está doente.

Toxoplasma gondii – O que é

A toxoplasmose é uma zoonose cosmopolita (encontrada em todas as partes do mundo).

É provocada por um protozoário, o Toxoplasma gondii.

É considerado um eurixeno (capaz de infectar animais em diferentes níveis da escala zoológica).

O toxoplasma gondii é um parasito intracelular que invade todos os tipos de células nucleadas do organismo do hospedeiro (pancitotropismo), mas sua afinidade maior é pela células do sistema fagocítico mononuclear, para os leucócitos e para as células parenquimatosas.

Os hospedeiros definitivos são os felídeos. São nos gatos infectados onde ocorre a formação do oocisto, forma infectante que contamina o meio ambiente, outros gatos e o ser humano.

A Toxoplasmose é uma doença considerada benigna, pois quando uma pessoa sadia entra em contato com o parasita, as próprias defesas do organismo são suficientes para evitar maiores danos.

No entanto, dependendo do estado físico (mau nutrição, estress, doenças imunodepressoras, transplantes, gravidez, etc) pode acontecer queda das defesas orgânicas e o indivíduo desenvolver uma das formas da doença.

Toxoplasmose ocular

A toxoplasmose, é uma das causas mais comuns de uveíte (inflamação intra-ocular), sendo causada pelo toxoplasma gondii, um parasita protozoário intracelular obrigatório que infecta um grande número de animais.

A toxoplasmose ocular causa inflamação da retina, a parte do olho que sente a luz, e a coróide, uma camada de suporte de tecido contendo vasos sanguíneos que suprem o olho interno. A inflamação leva a danos e cicatrizes, que podem causar perda completa ou parcial da visão, ou condições como um estrabismo, um olho encolhido ou uma lente embaçada. Uma vez ocorrida a cicatrização, não é reversível.

Os sintomas podem incluir vermelhidão e dor nos olhos, visão distorcida e distorcida e a aparência de formas escuras flutuantes.

O tratamento da toxoplasmose ocular envolve uma combinação de diferentes antibióticos e, em alguns casos, esteróides também são usados. O objetivo do tratamento é prevenir a progressão, mas isso é complicado pelo fato de que alguns casos de toxoplasmose ocular surgem anos após a infecção inicial. É possível que a doença se repita após o tratamento e, em alguns casos, é necessária uma medicação a longo prazo.

O gato é o hospedeiro definitivo e outros animais, como camundongo e gado bovino, assim como os seres humanos, são hospedeiros intermediários.

Efeitos oculares

A doença pode seguir um curso benigno, localizado, porém, em alguns casos, a evolução ocorre de maneira mais complicada, podendo deixar sequelas importantes. Se o indivíduo já possuir um organismo debilitado (baixa imunidade), se não apresentar boas condições nutricionais, pior será o quadro ocular.

A toxoplasmose pode causar uma coriorretinite (processo inflamatório da coróide e retina, que são estruturas oculares extremamente importantes).Dependendo da extensão desta lesão, e das estruturas envolvidas, pode fazer com que o indivíduo, em um período variável de tempo, apresente uma visão somente de vultos ou pior.

A recorrência da toxoplasmose ocular congênita, cicatrizada e antiga, é a forma mais comum de retinite infecciosa em indivíduos imunocompetentes.As recorrências geralmente ocorrem entre os 10 e 35 anos (idade média de 25 anos). Complicações como atrofia do nervo óptico e o descolamento de retina podem ocorrer. É importante que o indivíduo procure o quanto antes o oftalmologista para que o tratamento e o acompanhamento sejam iniciados.

Quando ocorre demora na procura do médico, as complicações podem ser graves, podendo ocasionar perda importante da visão.

A transmissão se dá através de:

Ingestão de carnes cruas ou mal-cozidas n Ingestão de alimentos crus (saladas, frutas) não devidamente lavados

Contaminação direta com oocistos das fezes dos gatos (solo, areia, latas de lixo, jardins, etc.). Os vetores (moscas, insetos, vermes) podem disseminar o toxoplasma e levá-los aos alimentos. Infecção passando da placenta para o feto

Transfusões sanguíneas ou transplantes de órgãos

Portanto, as medidas profiláticas são as medidas gerais de higiene e incluem os cuidados no trato ou afastamento dos gatos (pessoas que nunca tiveram contato com gatos também podem se contaminar) e a não-ingestão de carnes cruas ou mal cozidas.

Importantíssimos são os cuidados e as consultas pré-natais da gestante, melhor ainda se antes da gestação.

Sintomas

A toxoplasmose pode apresentar muitos sintomas brandos e graves, incluindo fraqueza ou adormecimento de um lado do corpo, mudanças de humor e personalidade, alterações visuais (visão dupla, sensibilidade acentuada à luz ou perda total da visão), espasmos musculares, convulsões e dores de cabeça muito fortes, que não melhoram com analgésicos. A menos que a doença seja tratada de forma apropriada, esses sintomas irão piorar e progredir até atingir o estado de coma ou até mesmo a morte.

Sinais e Sintomas

A forma assintomática constitui a maioria dos casos e sua importância está na possibilidade da transmissão congênita quando ocorrer durante a gravidez.

Existem casos em que os elementos clínicos são escassos e constituídos por febre de curta duração acompanhada por outros distúrbios não característicos que não permitem uma suspeita diagnóstica correta, em outros casos, os sintomas apresentam-se bem evidentes.

A linfadenopatia (aumento dos gânglios) acometendo principalmente a cadeia cervical, em especial a posterior, é a manifestação mais freqüente.

A febre é outro sintoma bastante comum, com sua frequência variando em diferentes porcentagens. Pode ser elevada, às vezes contínua, outras com predomínio vespertino, e raríssimamente apresentam duração superior a um mês.

Hepatoesplenomegalia em um terço dos casos, mialgias, sudorese noturna, dor de garganta e erupções cutâneas também são alterações clínicas freqüentes.

Algumas vezes o quadro clínico assemelha-se ao da mononucleose infecciosa, inclusive com elevado número de linfócitos atípicos no sangue periférico.

A forma linfoglandular é benígna e autolimitada com os sintomas desaparecendo em poucas semanas.

A meningoencefalite também conhecida como toxoplasmose cérebro-espinhal, é uma forma clínica não muito freqüente em pacientes imunocompetentes e tem prognóstico sombrio.

A coriorretinite é a lesão mais frequentemente associada a toxoplasmose. Quando o Toxoplasma gondii atinge o olho, ele provoca uma lesão característica (patognomônica), essa lesão pode levar a perda parcial e mesmo total da visão se o diagnóstico e tratamento não forem realizados logo.

Transmissão

O contágio se dá, predominantemente pela ingestão de oocistos eliminados pelas fezes de gatos ou de outros felídeos e que podem permanecer viáveis no solo por longo tempo, resistindo a variações de temperatura e à dissecação, o que torna provável a infecção por inalação de poeiras contaminadas.

Ocorre também pelo consumo de alimentos de origem animal, especialmente de carnes cruas ou mal cozidas contendo cistos (bradizoítos ) do parasita.

Quando digeridos liberam esporozoítos, forma móvel que penetra ativamente nas células do hospedeiro reproduzindo-se rapidamente, e disseminando-se por via hematogênica (pelo sangue), indo localizar-se depois nos mais variados órgãos e tecidos.

A transmissão pode se dá pela contaminação com excreções e secreções como esperma, leite, urina, principalmente na fase aguda, transplante de órgãos de um doador soro-positivo para um receptor soro-negativo, menos comumente em acidentes laboratoriais. De maior importância clínica é a transmissão placentária, com infecção fetal.

Como Prevenir

Evitar o consumo de carnes cruas ou mal cozidas. Todas as carnes devem ser submetidas a um aquecimento de no mínimo 65º C por um período de 4 ou 5 minutos, isso é suficiente para destruir os oocistos, que também não resistem nos produtos salgados ou preparados com nitratos.

Manter boa higiene e lavar as mãos após manipular carnes cruas, passar o hábito de lavar sempre as mãos às crianças quando elas brincarem em tanques de areia ou no solo, que eventualmente podem ter sido contaminados por gatos parasitados. Lavar as mãos também após pegar em gatos pois os oocistos podem estar aderidos aos pelos.

Os gatos domésticos devem ser levados regularmente ao veterinário para ver se estão eliminando oocistos, caso o exame seja positivo, ele deve ser submetido a tratamento. Devem receber alimentos secos, enlatados ou fervidos e impedidos de caçarem ratos ou comerem carniça.

Evitar o contato com gatos vadios ou desconhecidos, e se o diagnóstico ou o tratamento não for possível, o animal deve ser encaminhado para outro lar, principalmente se na casa existir crianças, ou mulheres em perspectiva ou início de gestação.

As fezes dos gatos e o material de forração do local aonde ele dorme devem ser eliminados diariamente, antes que os oocistos tenham tempo para embrionar.

Nunca deixar gestantes realizarem essas tarefas.

Os tanques de areia para a recreação das crianças devem ser cobertos quando não estão em uso, ou cercados para impedir o acesso de gatos, ou então tratá-los periodicamente com água fervente.

Exame e acompanhamento sorológico das gestantes, para a identificação e tratamento daquelas que estejam infectadas.

Diagnóstico

O diagnóstico da Toxoplasmose é sorológico. Os laboratórios possuem diferentes métodos disponíveis para a detecção de anticorpos específicos no sangue.

Eventualmente o diagnóstico pode ser feito através de tomografias, onde é possível detectar cistos cerebrais), através das lesões oftalmológicas, que são patognomônicas (características da doença).

Existe ainda detecção de fragmentos do DNA do parasita em diferentes materiais biológicos, pelas técnicas de biologia molecular.

Tratamento

O tratamento específico é feito com sulfadiazina e pirimetamina associados por cerca de 40 dias, sendo importante o acompanhamento com exames de sangue e urina.
A toxoplasmose congênita deve ser sempre tratada precocemente, mesmo quando assintomática, na tentativa de impedir sequelas oculares e no sistema nervoso central.
Na toxoplasmose ocular, deve-se associar corticóides para diminuir a resposta inflamatória contra a infecção porque esta também pode ser nociva nessa forma de apresentação da doença.
No pacientes com Aids, recomenda-se a manutenção das drogas por toda a vida, porém em doses mais baixas, podendo ser substituídas se surgirem efeitos tóxicos.
A toxoplasmose ganglionar geralmente não necessita tratamento, em face da benignidade do quadro e do caráter autolimitado.

Fonte: aidsinfo.nih.gov/www.pgr.mpf.gov.br/www.wisegeek.org/www.cachorrosegatos.com/www.fleury.com.br/www.ipec.fiocruz.br/enfermagem.online.vilabol.uol.com.br

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Tomografia Computadorizada

Tomografia Computadorizada

PUBLICIDADE Definição A tomografia computadorizada é um procedimento que usa um computador conectado a uma máquina de …

Tomografia

PUBLICIDADE Definição A tomografia é o processo para gerar um tomograma, uma imagem bidimensional de uma fatia …

Glicerina Vegetal

PUBLICIDADE Definição A glicerina vegetal, também conhecida como glicerol vegetal, é um produto de carboidrato …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.